CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Temakeria – sushi em cone de alga

Temakeria – sushi em cone de alga

temakeria

Desde a década de 1980 a culinária japonesa vem conquistando cada vez mais espaço no gosto dos brasileiros. Com um novo conceito em fast food étnico, os temakis, tipo de sushis em forma de cones, preparados basicamente com arroz acompanhado de peixes e legumes enrolados em formato de um cone feito com alga, têm atraído à preferência de um público numeroso que quer comer rápido e de maneira nutritiva.

De origem japonesa “Te” significa mão e “maki” enrolado. O temaki é feito somente com as mãos, diferentemente dos demais alimentos japoneses que são enrolados com o apoio de uma pequena esteira de bambu. Saudáveis e de baixa caloria, os cones, como também são conhecidos aqui no Brasil, originalmente eram feitos para reaproveitar alimentos que sobravam do preparo dos sushis e, desde que chegaram ao nosso país, já mudaram de tamanho, além de já terem sido adaptados conforme características das diferentes regiões do país, ganhando sabores, cores e ingredientes regionais.

Mesmo depois de alguns anos em que a onda de abertura de Temakerias chegou ao País, é possível dizer que o gosto do brasileiro por comidas orientais continua forte.

O setor de alimentação é bastante competitivo, mas há certo grau de complementaridade entre os estabelecimentos. Pode-se encontrar Temakerias, bares, restaurantes e lanchonetes convivendo lado a lado, criando-se pólos de alimentação e opções diversificadas para o consumidor.

Comer fora de casa tem se tornado um hábito, muitas vezes impulsionado pela repleta rotina de compromissos. Conforme artigo publicado pela ABRASEL – Associação Brasileira de Bares e Restaurantes – o setor de food service movimentou R$ 215 bilhões em 2011, apresentando alta de 17,8% em relação ao ano anterior, segundo a ECD Consultoria em Food Service. A expansão é resultado da mudança de comportamento da população, do aumento da empregabilidade, das distâncias entre trabalho e casa e da maior ausência feminina no lar. Para 2014, a projeção é crescer pelo menos 25%, atingindo R$ 270 bilhões, respondendo por 38% dos gastos com alimentação.

 

Mercado – Convém esclarecer que food service é definido como a venda de alimentos e bebidas para consumo imediato, preparados por operadores (restaurantes, padarias, lanchonetes, etc.) e consumido no próprio estabelecimento ou em outros locais como na própria casa do consumidor.

É importante que o empreendedor se dedique a conhecer sobre o mercado em que pretende atuar. As mudanças são constantes e informações atualizadas tem grande valor para a tomada de decisões.

O mercado deve sempre ser analisado considerando-se três vertentes, basicamente: o consumidor, o concorrente e o fornecedor.

É preciso que o empreendedor busque informações e defina qual o público que pretender atender em sua Temakeria, até mesmo para determinar a variedade de produtos que atenda às necessidades e expectativas desta esperada clientela.

Da mesma forma, é fundamental a dedicação para conhecer o mercado fornecedor, identificar as condições de fornecimento de tudo que é necessário e estudar possíveis parcerias.

Não menos importante é lançar um olhar atencioso para o mercado concorrente. O empreendedor deve se dedicar a conhecer os concorrentes e suas formas de atuação: cardápio oferecido, local, condições oferecidas, preços, diferenciais, etc.

O estudo do mercado em que se pretende instalar a Temakeria, bem como uma visão global do mercado, será um aspecto diferencial na definição das estratégias de atuação da empresa.

Para conhecer melhor o mercado, sugere-se a realização de uma pesquisa, que não precisa ser sofisticada, dispendiosa – em termos financeiros – ou complexa. Ela pode ser elaborada de forma simplificada e aplicada pelo próprio empreendedor, que deve buscar as orientações necessárias para tal etapa de desenvolvimento do projeto de sua empresa.

O risco de abrir as portas de uma Temakeria sem conhecimento do mercado consumidor, concorrente e fornecedor aumenta exponencialmente. Ressalta-se que este documento não substitui o plano de negócio. Para elaboração do plano consulte o SEBRAE mais próximo.

Ameaças e Oportunidades – Os empreendedores devem se preparar para antever possíveis riscos e, a partir daí, lançar mão de ações estratégicas que diminuam as ameaças e aumentem as possibilidades de atrair e aproveitar oportunidades para favorecer o sucesso de seu negócio.

As oportunidades de negócios são definidas pelas possibilidades de bons resultados que o empreendedor vislumbra ao implantar um novo empreendimento.

As ameaças para o negócio são definidas como situações não controláveis pelo empreendedor e que podem interferir de maneira a reduzir ou impedir os resultados esperados para o negócio.

Para a identificação de ameaças e oportunidades é importante ficar atento às mudanças na economia, aos sinais do mercado, às tendências, necessidades e expectativas dos consumidores, ao mercado concorrente, e ao mercado fornecedor.

Possíveis ameaças para Temakerias:

Crises econômicas – podem afetar todos os setores da economia e na capacidade de consumo. As crises também interferir na capacidade financeira de investimento no negócio.

Desequilíbrios climáticos – considerando a origem de boa parte dos produtos utilizados de recursos naturais, eventuais desequilíbrios climáticos podem afetar a oferta de alguns deles.

Concorrência direta e indireta – o mercado concorrente pode oferecer vantagens para conquistar seus atuais clientes, sejam outras Temakerias ou outros restaurantes ou opções de alimentação fora do lar.

Oportunidades que podem ser vislumbradas para Temakerias:

Trabalhar com produtos de origem regional – promovendo um ciclo sustentável de desenvolvimento da econômica local.

Implantação e desenvolvimento de um negócio sustentável – adotar práticas sustentáveis para implantação e gestão do negócio.

Associação a comunidades e projetos sociais locais – para busca de mão de obra, visando à geração de emprego e/ou trabalho e renda, por exemplo.

Aumento da busca por uma alimentação saudável – é crescente a valorização da qualidade de vida atrelada também a alimentação.

Busca por alimentação fornecida de forma ágil e com qualidade – valorização do tempo e qualidade de atendimento.

Atuar em nichos de mercado – pesquisar, identificar e fornecedor produtos que atendam necessidades de grupos específicos de clientes.

Acompanhe mais notícias como essa clicando aqui. 

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae MercadosSebrae