CADASTRAR

Entrar

Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Enviar mensagem

Adicionar pergunta

Entrar

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Sistemas extensivos de produção na Piscicultura

Sistemas extensivos de produção na Piscicultura

Se você quer empreender na piscicultura deve saber que são vários os sistemas utilizados para produção de peixes, desde os mais simples, denominados extensivos, até os mais produtivos, conhecidos como superintensivos.

Sebrae mercados, piscicultura sistema extensivo

O sistema extensivo de produção se caracteriza tanto pela baixa produtividade quanto pelo pequeno consumo de insumos. Geralmente são grandes represas onde são soltos os alevinos. O fornecimento de ração não é regular, e muitas vezes não são sequer alimentadas algumas espécies, a exemplo do tambaqui e piavuçu. Tais peixes aproveitam a produção natural de alimento do ambiente e, conforme a densidade populacional, possuem um crescimento que permite sua comercialização após algum período.

Em algumas situações, essas densidades estão em torno de 1 peixe para cada 10 m² de lâmina d’água.

Esse sistema de produção é muito utilizado quando o objetivo é principalmente o lazer ou mesmo o fornecimento ocasional de peixes para os consumidores. Comercialmente os resultados são muito variáveis, conforme o modelo, a região e o mercado local. Tem a favor de si a sustentabilidade, pois não há a utilização de insumos que possam gerar resíduos.

Em grandes represas na região norte de Mato Grosso, com criação de tambaqui e sistemas de curral de alimentação como métodos de captura, têm-se obtido resultados satisfatórios.

Em outros Estados, como Rondônia (tambaqui) e Rio Grande do Sul (tilápia) e em alguns países asiáticos, utiliza-se o consórcio em plantações alagadas de arroz, em que os alevinos são soltos e capturados antes da colheita. Apesar de ser extensivo e não usar ração, esse sistema tem uma tecnologia de manejo própria que permite a obtenção de resultados financeiros satisfatórios, além da ajuda que os próprios peixes proporcionam no controle de pragas, principalmente os insetos.

Apesar do baixo valor de custeio, o sistema extensivo atende somente a casos bem específicos, não sendo objeto, assim, de estudo regular para implantação de uma piscicultura comercial voltada ao mercado consumidor com lucro, qualidade e oferta regular de produtos.

Para mais informações acesse: Como Iniciar Piscicultura com Espécies Regionais

Fonte: Sebrae.com.br

Deixe um comentário

Sobre Sebrae MercadosDeixa eu ver qual é