CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Como montar uma fábrica de etiquetas

Como montar uma fábrica de etiquetas

Confira uma ideia de negócio completa sobre Como montar uma fábrica de etiquetas. Abaixo dividimos o conteúdo em tópicos como mercado, custos, pessoas, investimentos, divulgação, exigências legais e mais dicas.

Este tipo de negócio caracteriza-se pela fabricação de etiquetas de materiais variados: tecido, nylon, plástica, papel gomado, adesivas etc., com inscrição ou impressão apropriada, coladas sobre mercadorias ou seu invólucro, para indicar conteúdo, procedência, uso, características do produto, composição, data de validade, marca, forma de conservação, e demais informações previstas em lei para determinados rótulos (Sebrae, 2005).Dentre as principais finalidades para as etiquetas podemos elencar:

Indústria Alimentícia

Etiquetas para identificação e marcação de doces, massas, salgados, bebidas, sucos, laticínios, produtos em conserva, congelados ou resfriados e alimentos em geral. Etiquetas para marcação de produtos que necessitam de identificação, antes e depois de serem levados a geladeira ou freezer de supermercados ou indústrias. Resistentes a umidade e gordura. Etiquetas para impressoras por transferência térmica em alta velocidade, para serem aplicados em identificação na pesagem de frutas e verduras, padarias, açougues.

Frigoríficos

Etiquetas em poliestireno e PE atóxicas, produzidos em materias atóxico autorizados por órgãos fiscalizadores, para uso dentro da embalagem plástica ou a vácuo, em contato direto com alimentos úmidos ou gordurosos: carnes, frangos, embutidos, queijos, peixes, bacon, linguiças.

Indústria farmacêutica

Utilizadas para identificação de amostras, vidros farmacêuticos, para uso em farmácias de manipulação, seguindo as características que o processo produtivo que a indústria farmacêutica exige.

Indústria Química – Cosméticos

São utilizadas na identificação de tambores, bombonas, embalagens com produtos químicos, contendo as informações de produto: lote, validade, cuidados no armazenamento e precauções quanto ao uso. Etiquetas com alta adesividade, resistência a variações de temperatura e umidade, garantido a durabilidade da etiqueta. Assim como rótulos personalizadas para shampoos, batons, cremes, óleos, loções, colônias.

Metalúrgica e Mecânica

Etiquetas para identificação das embalagens dos produtos, para estoque e expedição. Conferência e controle de qualidade de peças e componentes. Marcação de avisos, posição, encaixe, armazenamento de peças, máquinas, motores e afins. Uso também em eletro-eletrônicos com etiquetas de identificação de voltagem, esquemas eletrônicos, fogões, geladeiras, computadores, máquinas de lavar.

Indústria Têxtil – Vestuário

Fabricação de Tags utilizados para controlar e identificar processos nas indústrias de confecções, tinturarias, lojas de roupas, calçados, cama, mesa e banho. Etiquetas auto adesivas para controle de qualidade identificando assim que a peça foi aprovada pelo processo de produção da empresa. Etiquetas resinadas de composição para fixação na peça, etiquetas não-tecido (LNT/Tyvek) para impressoras laser e matricial.

Código de barras

Etiquetas pré-impressas com código de barra. Ou em branco sem impressão em papel de termo-transferência para impressão automática em todos os segmentos da indústria e comércio.

Transportes

Etiquetas de identificação de cargas frágeis, explosivas, posição, encaixe, empilhamento, destino, controle numérico de volumes, pré-impressas ou em branco para posterior impressão.

Fonte: http://www.induflex.ind.br/?area=produtos (acesso em 28 de abril de 2011)

É importante lembrar que, quando a etiqueta destina-se à rotulagem de embalagens alimentícias, medicamentos, cosméticos, domissanitários, deve-se observar as disposições determinadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária- ANVISA.

Em virtude da crescente demanda e da existência de um amplo mercado, tem surgido diversos empreendimentos especializados na fabricação de etiquetas. Nesse mercado, podemos perceber um grande destaque para as etiquetas adesivas.

Este documento não substitui o plano de negócio. Para elaboração deste plano consulte o SEBRAE mais próximo.

Há um farto mercado para etiquetas, tags e lacres.Quase todo comércio precisa de etiquetas para identificação de produtos, por isso as quantidades consumidas são sempre muito grandes.Na contramão de muitos setores do mercado gráfico, o segmento de rótulos e etiquetas tem apresentado crescimento consistente nos últimos anos. Mesmo com acrise financeira mundial, o segmento manteve números interessantes, demonstrando estar com fôlego de sobra para o momento atual, onde já há fortes indícios de uma retomada do ritmo normal da economia do país.

Para se ter uma ideia, o desempenho do setor de rótulos e etiquetas nos últimos anos apresenta crescimento expressivo. “Nos últimos três anos, o setor de autoadesivos tem demonstrado um crescimento muito grande. Uma média de quase 12% ao ano, impulsionado pela intensificação no mercado farmacêutico e de cosméticos, principalmente”, diz o diretor da Associação Brasileira das Indústrias de Etiquetas Adesivas (Abiea), Carlos Signei. Segundo o site www.labellatinoamerica.com.br, o mercado de etiquetas adesivas no Brasil é estimado em cerca de 140 milhões de usuários, entre indústria, comércio e prestadores de serviços.

Neste universo, o setor de etiquetas adesivas é um gerador de 40.000 empregos diretos. O setor utiliza mais de 1.500 equipamentos de ponta. E consome cerca de 8.000 ton/ano de tinta e 10.000 ton/ano de adesivos. E mais 500 milhões de m²/ano de papel e película. O número de empresas deste mercado conta com aproximadamente 2.500 empreendimentos.

Além disso, considerando que os demais tipo de etiquetas estão incluídos na atividade da indústria gráfica, os dados consolidados do IBGE haviam apontado uma queda de 0,3% da produção da Indústria Gráfica brasileira no ano de 2009 em relação a 2008. Já os dados de 2010 mostram um aumento de 4,5% na produção da indústria gráfica no acumulado do ano em comparação a 2009. A produção do setor já superou os níveis do bom ano de 2008, anterior à crise, em 4,2%. O setor de etiquetas, especificamente, aumentou sua produção de 1.067 milhões de reais em 2009 para 1.117 milhões em 2010.

Oportunidades: produtos ecológicos

A popularização dos termos “orgânico”, “consciência ecológica” e “sustentabilidade” já se faz também presente nas estruturas industriais mais modernas, principalmente no mercado internacional. Nesse sentido, uma opção de produto em consonância com estas tendências é a confecção de etiquetas elaboradas a partir de material reciclado (papel, por exemplo). Produtos dessa natureza, geralmente, costumam atingir um determinado público preocupado com o meio-ambiente que, felizmente, crescea cada dia.

Ameaças: grande concorrência

Apesar do negócio de fabricação de etiquetas mostrar-se um empreendimento rentável e com excelente mercado consumidor, é importante assinalar que existem muitas empresas que já atuam nesse segmento utilizando tecnologias avançadas e com mão-de-obra bastante capacitada.

Nessa perspectiva, o empreendedor que pretende investir em uma fábrica de etiquetas deve estar antenado com as tendências do mercado em termos de design e equipamentos, oferecendo novos produtos diferenciados e de qualidade superior. Também é interessante acompanhar “de perto” o que os concorrentes têm oferecido nesse mercado.

A concorrência deve ser analisada não só pela quantidade de empreendedores no mesmo segmento, mas sim, pela forma de atuação destes, considerando similaridade com seu produto e disputa pelo mesmo público alvo, mercado e canais de distribuição.

A escolha do local e do espaço físico necessário para instalar seu negócio é uma decisão muito importante para o sucesso do empreendimento. O local deve oferecer infra-estrutura adequada e condições que propiciem o seu desenvolvimento. É fundamental avaliar a facilidade do acesso a partir do perfil de sua clientela.

O ideal, quando possível, é sempre buscar uma localização em uma via de alto tráfego, pois na maioria dos casos, seu empreendimento vai chamar a atenção de diversos clientes que não pretendem comprar o que você vende agora, mas quem saberá procurá-lo quando necessário. Também é importante a existência de estacionamento para os clientes. Outro fator que pode ser observado como positivo é a proximidade com pontos de ônibus ou outros transportes públicos.Dentre outros fatores igualmente importantes citamos: proximidade dos fornecedores e acesso às matérias-primas, atuação da concorrência, infra-estrutura do imóvel escolhido e custos envolvidos na instalação e operação do negócio etc. Podemos considerar que todos estes fatores devem ser analisados de um ponto de vista bem amplo. Quando falamos, por exemplo, da proximidade dos fornecedores, estamos nos referindo não só aos fornecedores de matérias-primas; como também, o acesso e proximidade da fábrica à residência dos empregados e do empreendedor, à possibilidade da fábrica estar conjugada a um negócio já estabelecido; ou mesmo, da conveniência de ser instalada próxima à residência do empreendedor.

Em relação ao mercado consumidor (proximidade dos clientes), a análise da localização deve considerar a proximidade da fábrica aos consumidores finais, canais de comercialização, custos envolvidos no transporte (frete) e tipo de comercialização a ser adotada. Verifique também na Prefeitura Municipal:

i) se o imóvel está regularizado – se possui o HABITE-SE;

ii) se os impostos que recaem sobre o imóvel estão em dia – IPTU, ITR;

iii) a necessidade de aprovação pelo Corpo de Bombeiros.

Em relação aos custos, na tomada de decisão para localização do negócio, analise fatores tais como custo de adaptação do imóvel para a atividade, aluguel, manutenção, necessidade de vale-transporte para os empregados, dentre outros fatores.

Uma fábrica de etiquetas também deverá atentar para as normas ambientais da ANVISA, tendo em vista que este tipo de atividade pode gerar resíduos tóxicos.

Para dar início ao processo de abertura da empresa é necessário que se cumpram os seguintes procedimentos: 1)Consulta Comercial Antes de realizar qualquer procedimento para abertura de uma empresa deve-se realizar uma consulta prévia na prefeitura ou administração local. A consulta tem por objetivo verificar se no local escolhido para a abertura da empresa é permitido o funcionamento da atividade que se deseja empreender. Outro aspecto que precisa ser pesquisado é o endereço. Em algumas cidades, o endereço registrado na prefeitura é diferente do endereço que todos conhecem. Neste caso, é necessário o endereço correto, de acordo com o da prefeitura, para registrar o contrato social, sob pena de ter de refazê-lo. Órgão responsável: ·Prefeitura Municipal; ·Secretaria Municipal de Urbanismo. 2) Busca de nome e marca Verificar se existe alguma empresa registrada com o nome pretendido e a marca que será utilizada. Órgão responsável: ·Junta Comercial ou Cartório (no caso de Sociedade Simples) e Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI). 3) Arquivamento do contrato social/Declaração de Empresa Individual Este passo consiste no registro do contrato social. Verifica-se também, os antecedentes dos sócios ou empresário junto a Receita Federal, por meio de pesquisas do CPF. Órgão responsável: ·Junta Comercial ou Cartório (no caso de Sociedade Simples). 4) Solicitação do CNPJ Órgão responsável: ·Receita Federal. 5) Solicitação da Inscrição Estadual Órgão responsável: ·Receita Estadual 6) Alvará de licença e Registro na Secretaria Municipal de Fazenda O Alvará de licença é o documento que fornece o consentimento para empresa desenvolver as atividades no local pretendido. Para conceder o alvará de funcionamento a prefeitura ou administração municipal solicitará que a vigilância sanitária faça inspeção no local para averiguar se está em conformidade com a Resolução RDC nº 216/MS/ANVISA, de 16/09/2004. Órgão responsável: ·Prefeitura ou Administração Municipal; ·Secretaria Municipal da Fazenda. 7) Matrícula no INSS Órgão responsável: Instituto Nacional de Seguridade Social; Divisão de Matrículas – INSS

Além de todos esse procedimentos, é muito importante lembrar que essa atividade exige o conhecimento do Código de Defesa do Consumidor- Lei nº. 8.078/1990.

As empresas que fornecem serviços e produtos no mercado de consumo devem observar as regras de proteção ao consumidor, estabelecidas pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC). O CDC foi instituído pela Lei n. 8.078, em 11 de setembro de 1990, com o objetivo de regular a relação de consumo em todo o território brasileiro, na busca do reequilíbrio na relação entre consumidor e fornecedor, seja reforçando a posição do primeiro, seja limitando certas práticas abusivas impostas pelo segundo.

É importante que o empreendedor saiba que o CDC somente se aplica às operações comerciais em que estiver presente a relação de consumo, isto é, nos casos em que uma pessoa (física ou jurídica) adquire produtos ou serviços como destinatário final.

A fim de cumprir as metas definidas pelo CDC, o empreendedor deverá conhecer bem algumas regras que sua empresa deverá atender, tais como: forma adequada de oferta e exposição dos produtos destinados à venda, fornecimento de orçamento prévio dos serviços a serem prestados, cláusulas contratuais consideradas abusivas, responsabilidade dos defeitos ou vícios dos produtos e serviços, os prazos mínimos de garantia, cautelas ao fazer cobranças de dívidas.

A estrutura básica de uma fábrica de etiquetas deve contar, em geral, com uma área mínima de 100 m² que será distribuída entre recepção, depósito de matéria-prima, sala de criação, desenvolvimento e fabricação, depósito de embalagens, depósito de produtos acabados, expedição, escritório (para parte administrativa), pequena copa e banheiro para os funcionários.

Como em qualquer outro empreendimento, os departamentos deverão ser separados da melhor forma para que seja possível conseguir a maior produtividade possível de cada colaborador. Quanto ao imóvel escolhido para instalação da fábrica, ele deve oferecer a infra-estrutura necessária para a instalação do negócio e, ainda, propiciar o seu crescimento. Dentre os aspectos de infra-estrutura que devem ser observados citamos a disponibilidade de água, gás, eletricidade, rede de esgoto, vias de transportes e de comunicação etc. Cuidado com imóveis situados em locais sem ventilação, úmidos, sujeitos a inundações ou próximos às zonas de risco. Consulte a vizinhança a respeito.

Selecionar as pessoas que irão trabalhar na sua empresa exige que considere cuidadosamente as habilidades específicas exigidas para cada tipo de atividade que desenvolverão. O quadro de funcionários de uma fábrica de etiquetas irá variar de acordo com o porte do empreendimento. Em geral, dois especialistas na área de criação, um vendedor, um gerente e o próprio empreendedor são suficientes para uma empresa de pequeno porte.

Os funcionários especialistas na criação, execução e montagem das etiquetas possuem um papel fundamental na empresa. Eles são responsáveis por satisfazer as demandas dos clientes, elaborando modelos, adaptando um produto à necessidade dos seus usuários, cativando o seu uso através da estética, aplicando-se conceitos e usabilidade a sua forma. O vendedor e o gerente deverão conhecer bem as mercadorias comercializadas pela empresa. O vendedor é responsável pelo atendimento ao cliente, vendas e eventualmente pelo controle de estoque (no caso de um pequeno empreendimento) e o gerente será responsável pela compra de matéria-prima, pagamentos, além da gestão do empreendimento conjuntamente com o empreendedor.

Ressalta-se ainda que o proprietário do negócio deverá estar presente em todas as operações da empresa, principalmente acompanhando a área de criação e desenvolvimento (coração da empresa), vendas e estoque, bem como a parte de gestão administrativo-financeira da empresa.

Recomenda-se ainda a adoção de uma política de retenção de pessoal, oferecendo incentivos e benefícios de natureza financeiros ou outros. Assim, a empresa poderá diminuir os níveis de rotatividade e obter vantagens como a criação de vínculo entre funcionários e clientes e ainda a diminuição de custos com:

·recrutamento e seleção;

·treinamento de novos funcionários;

·custos com demissões.

Os equipamentos implementados dependem da estrutura que vai ser montada variando de acordo com o porte e produtos a serem vendidos. Dentre os principais equipamentos necessários para um empreendimento que pretende fabricar etiquetas, podemos destacar:

Parte administrativa:

Telefone/fax;

Móveis de escritório (mesa/cadeira/arquivo);

Computador;

Impressora.

Parte da fábrica:

·Softwares para criação de etiquetas;

·Computadores;

·Troqueladoras (Máquina para cortar etiquetas adesivas, filmes e outros materiais flexíveis);

·Rebobinadeiras;

·Processadoras;

·Cortadeiras;

·Impressoras e Revisoras.

A tecnologia é muito relevante nesse tipo de negócio. Quanto mais avançados forem os sistemas informatizados, as máquinas e os equipamentos, maior será a qualidade e produtividade da empresa. Contudo, nada disso acontecerá se a mão-de-obra não for devidamente qualificada e comprometida com o projeto da fábrica de etiquetas.

A gestão de estoques no varejo é a procura do constante equilíbrio entre a oferta e a demanda. Este equilíbrio deve ser sistematicamente aferido através de, entre outros, os seguintes três importantes indicadores de desempenho: Giro dos estoques: o giro dos estoques é um indicador do número de vezes em que o capital investido em estoques é recuperado através das vendas. Usualmente é medido em base anual e tem a característica de representar o que aconteceu no passado. Obs.: Quanto maior for a freqüência de entregas dos fornecedores, logicamente em menores lotes, maior será o índice de giro dos estoques, também chamado de índice de rotação de estoques. Cobertura dos estoques: o índice de cobertura dos estoques é a indicação do período de tempo que o estoque, em determinado momento, consegue cobrir as vendas futuras, sem que haja suprimento. Nível de serviço ao cliente: o indicador de nível de serviço ao cliente para o ambiente do varejo de pronta entrega, isto é, aquele segmento de negócio em que o cliente quer receber a mercadoria, ou serviço, imediatamente após a escolha; demonstra o número de oportunidades de venda que podem ter sido perdidas, pelo fato de não existir a mercadoria em estoque ou não se poder executar o serviço com prontidão. Portanto, o estoque dos produtos deve ser mínimo, visando gerar o menor impacto na alocação de capital de giro. O estoque mínimo deve ser calculado levando-se em conta o número de dias entre o pedido de compra e a entrega dos produtos na sede da empresa.Existem diversos tipos de matérias-primas para produção de etiquetas. Cada tipo utilizado vai depender do produto final que se pretende confeccionar.

Podemos elencar os seguintes tipos de matérias-primas para etiquetas em geral:

Papel Branco;

Papel Couchê;

Papel Transtérmico (para termotransferência);

Filme de BOPP (polipropileno bi-orientado)

Filme de PE (polietileno

Filme de Poliéster;

Filme de PVC/Vinil;

Tecidos variados (cetim, algodão, etc.);

Material reciclado, etc.

O processo produtivo envolve compras de produtos selecionados de boa qualidade (matéria-prima), fabricação do produto (criação, desenvolvimento e impressão/confecção das etiquetas), vendas por meio de atendimento especializado, dimensionamento do estoque e controles financeiros.

A fase mais importante é, sem dúvida, a fabricação dos produtos. Primeiramente, será o contato com o cliente que vai determinar qual tipo de etiqueta a empresa irá fabricar. Em seguida, de acordo com as expectativas do cliente e do projeto apresentado, o empreendedor irá propor alguns modelos de etiquetas (é interessante apresentar, pelo menos, três modelos diferentes) para que o cliente selecione a etiqueta desejada. Essa fase caracteriza-se pela criação e desenvolvimento e é realizada por pessoal qualificado com ajuda de sistemas informatizados especializados na atividade.

Uma vez a etiqueta escolhida, a empresa (empreendedor) irá passar para a etapa de impressão/confecção. Geralmente são impressas algumas peças “teste” para aprovação do cliente e logo após o produto final que deverá passar ainda por um controle de qualidade afin de evitar determinados problemas, tais como acabamento mal realizado, cores mal definidas, etc.

A partir da venda da etiqueta surgem outros controles (contas a receber, vendas, estoque, etc.) que possibilitam ao empreendedor tomar decisões acertadas na gestão do negócio.

O empreendedor deve ter em mente que a reposição ou diversificação nos produtos ofertados garantem o retorno do cliente. É certo que preços competitivos e ambiente propício são fatores de atração e somados ao atendimento diferenciado e variedade de produtos podem transformar o seu negócio em sucesso empresarial.

A automação das atividades industriais/comerciais é um dos principais requisitos para uma participação mais competitiva de uma empresa no mercado nacional e internacional. Nesse sentido, é necessário manter sob controle e decisão um número crescente de aspectos relacionados com a produção e a venda, inclusive aqueles que estejam vinculados com as áreas: comercial, suprimento, estocagem, manutenção e logística.

Na indústria de etiquetas essa é uma etapa muito importante do processo de produção. A automação nesse setor passa principalmente pela fase de criação e concepção dos modelos das etiquetas. Existem diversos softwares especializados na criação de etiquetas. Também podemos encontrar sistemas informatizados capazes de confeccionar etiquetas que possam ser rastreadas (muito usado na indústria alimentícia e farmacêutica). A melhor forma de escolher é analisar as necessidades do seu negócio (que tipo de etiqueta pretende produzir) e qual mercado pretende atingir.

Alguns exemplos de softwares para etiquetas (lembramos que esta lista é não exaustiva e existem diversos outros sistemas informatizados no mercado):

  • Software de Laboratório IdentiLab™

Cria arquivos, modelos e muito mais no que concerne a arte das etiquetas.

  • Software para Criação de Etiquetas LabelMark

Este software de desenvolvimento de etiquetas foi elaborado especificamente para aplicações de identificação no segmentos de telecomunicações, elétricos, laboratoriais e mercados industriais em geral.

  • Software de Desenvolvimento de Etiqueta Codesoft

Para quando você precisar imprimir textos, códigos de barra ou imagens gráficas, dados variáveis ou fixos, dirigidos por banco de dados ou definidos pelo usuário.

Além disso, existem diversos sistemas informatizados que podem auxiliar o empreendedor na gestão de uma pequena empresa (vide http://www.baixaki.com.br ou http://www.superdownloads.com.br). Deve-se procurar softwares de custo acessível e compatível com uma pequena empresa. O ideal é que o empreendedor procure apoio de profissionais qualificados para prestar uma assessoria na definição de um software amigável e de fácil manuseio para tirar o máximo de produtividade da ferramenta. Seguem algumas opções:

Automatiza Financeiro.

Sistema CRGNET.

Financeiro.

Orçamento Empresarial.

SIC – Sistema Integrado Comercial.

PDV Empresarial Professional.

Sintec-pro.

InstantCashBook.

Direct Control Standard.

Desktop Sales Manager.

SGCON – Sistema Gerencial Contábil.

Advanced Accounting Powered by CAS.

Contact your Client Professional.

JFinanças Empresa.

GPI – Gerenciador Pessoal Integrado.

SGI – Sistema Gerencial Integrado.

MaxControl.

Apexico VAT-Books.

Yosemite Backup Standard.

ERP Lite Free.

II Worklog.

Business Reports

Fortuna 6.0

Terrasoft CRM.

Plano de Contas Gerencial.

Spk Business.

Controle de estoques.

Magic Cash.

 

Os canais de distribuição são os meios utilizados pelas empresas para escoar sua produção e ofertar seus serviços. A importância dos canais de distribuição é fundamental e seu custo pode representar uma parcela considerável do preço final do produto vendido ao consumidor; os canais não só satisfazem a demanda através de produtos e serviços no local, em quantidade, qualidade e preço corretos, mas, também, têm papel fundamental no estímulo à demanda, através das atividades promocionais dos componentes ou equipamentos atacadistas, varejistas, representantes ou outros.

No caso do segmento do qual estamos tratando nesta ideia de negócios, fabricação de etiquetas, existe um grande número de canais disponíveis para ofertar tais tipos de produtos, dentre eles podemos destacar:

Contatovia e-mail (malas-diretas), telefone ou internet (site da empresa);

Franquias;

Representações em outros estados (através de vendedores contratados);

Revistas, feiras e eventos relacionados ao setor.

 

Investimento consiste na aplicação de algum tipo de recurso esperando, um retorno superior aquele investido, em um determinado período de tempo. O investimento que deve ser feito em um empreendimento varia muito de acordo com seu porte.

O investimento inicial irá variar de acordo com a estrutura do empreendimento e do tipo de produto fabricado/vendido.Para uma empresa que fabrica etiquetas adesivas de pequeno porte devemos considerar os seguintes itens:

Reforma e instalações da fábrica:R$ 6.000,00

Equipamentos para área administrativa:

1. Microcomputador (2) – R$ 2.600,00

2. Impressora laser (1) – R$ 600,00

3. Mesa ( 2) – R$ 500,00

4. Cadeira (4) – R$ 600,00

5. Fax (1) – R$ 450,00

6. Telefone (2) – R$ 100,00

7. Aparelho de ar condicionado (1)- 750,00

Total Mobiliário: R$ 5.600,00

Equipamentos para fábrica :R$ 15.000,00*

Softwares para criação de etiquetas: R$ 200,00 *

Aquisição de matéria-prima (inicial): R$ 25.000,00

Investimento inicial em marketing: R$ 2.000,00

Total do investimento inicial: R$ 53.800,00

  • Máquina p/ fabricar etiquetas adesivas, tag’s e lacres. Corta, destaca e rebobina automaticamente. Quantidade controlada através de contador digital. Vel. 130 metros/minuto.
  • Os valores podem variar bastante. O empreendedor pode, até mesmo, encontrar determinados sistemas informatizados gratuitos na internet, mas que não oferecem a mesma quantidade de ferramentas.

Os valores acima relacionados são apenas uma referência para constituição de um empreendimento dessa natureza. Para dados mais detalhados é necessário saber exatamente quais produtos serão confeccionados pela fábrica de etiquetas e qual o seu porte. Nesse sentido, aconselhamos ao empreendedor interessado em constituir esse negócio, a realização de levantamento mais detalhado sobre os potenciais investimentos depois de elaborado seu plano de negócio (para elaboração do plano de negócio procure o Sebrae do seu estado). Além disso, os valores acima irão variar conforme a região geográfica que a empresa irá se instalar, da necessidade de reforma do imóvel, do tipo de mobiliário escolhido, etc.

 

Capital de giro é o montante de recursos financeiros que a empresa precisa manter para garantir fluidez dos ciclos de caixa. O capital de giro funciona com uma quantia imobilizada no caixa (inclusive banco) da empresa para suportar as oscilações de caixa.O capital de giro é regulado pelos prazos praticados pela empresa, são eles: prazos médios recebidos de fornecedores (PMF); prazos médios de estocagem (PME) e prazos médios concedidos a clientes (PMCC).Quanto maior o prazo concedido aos clientes e quanto maior o prazo de estocagem, maior será sua necessidade de capital de giro. Portanto, manter estoques mínimos regulados e saber o limite de prazo a conceder ao cliente pode melhorar muito a necessidade de imobilização de dinheiro em caixa.Se o prazo médio recebido dos fornecedores de matéria-prima, mão-de-obra, aluguel, impostos e outros forem maiores que os prazos médios de estocagem somada ao prazo médio concedido ao cliente para pagamento dos produtos, a necessidade de capital de giro será positiva, ou seja, é necessária a manutenção de dinheiro disponível para suportar as oscilações de caixa. Neste caso um aumento de vendas implica também em um aumento de encaixe em capital de giro. Para tanto, o lucro apurado da empresa deve ser ao menos parcialmente reservado para complementar esta necessidade do caixa.Se ocorrer o contrário, ou seja, os prazos recebidos dos fornecedores forem maiores que os prazos médios de estocagem e os prazos concedidos aos clientes para pagamento, a necessidade de capital de giro é negativa. Neste caso, deve-se atentar para quanto do dinheiro disponível em caixa é necessário para honrar compromissos de pagamentos futuros (fornecedores, impostos). Portanto, retiradas e imobilizações excessivas poderão fazer com que a empresa venha a ter problemas com seus pagamentos futuros.Um fluxo de caixa, com previsão de saldos futuros de caixa deve ser implantado na empresa para a gestão competente da necessidade de capital de giro. Só assim as variações nas vendas e nos prazos praticados no mercado poderão ser geridas com precisão. O Capital de giro necessário para manutenção do empreendimento também vai variar de acordo com o seu porte. Para uma fábrica de etiquetas adesivas de pequeno porte o capital de giro é de cerca de R$ 18.400,00 para suprir as despesas de pagamento da mão-de-obra, aluguel e taxas, aquisição de matéria-

prima em geral, publicidade e pró-labore do empreendedor conforme discriminado nos custos mensais à seguir.

 

São todos os gastos realizados na comercialização de um bem ou serviço e que serão incorporados posteriormente ao preço dos produtos ou serviços prestados, como: aluguel, água, luz, salários, honorários profissionais, despesas de vendas, matéria-prima e insumos consumidos no processo de produção.

O cuidado na administração e redução de todos os custos envolvidos na compra, produção e venda de produtos ou serviços que compõem o negócio, indica que o empreendedor poderá ter sucesso ou insucesso, na medida em que encarar como ponto fundamental à redução de desperdícios, a compra pelo melhor preço e o controle de todas as despesas internas. Quanto menores os custos, maior a chance de ganhar no resultado final do negócio.

No caso de uma fábrica de etiquetas adesivas de pequeno porte podemos estimar da seguinte forma os custos mensais:

Custos fixos mensais em reais:

Salários (para 2 funcionários da área de criação, 1 vendedor, 1 gerente e pró-labore do empreendedor): R$ 7.600,00

Contador (terceirizado): R$ 400,00

Obs: encargos- 42% sobre a folha, pois a empresa é optante do SIMPLES, mas este percentual pode variar de acordo com a empresa.

Aluguel, seguro e taxas: R$ 1.500,00

Tarifas de água, luz, internet, telefone: R$ 800,00

Custos variáveis mensais em reais:

Material de escritório, limpeza e suprimentos: R$ 400,00

Reposição de matéria-prima (lembramos que esse valor vai depender das vendas mensais): R$ 7.000,00

Custos não operacionais:

Publicidade e propaganda: 700 reais

Custo total mensal médio para uma fábrica de etiquetas adesivas de pequeno porte: R$ 18.400,00

Lembramos que estes custos são baseados em estimativas para uma empresa de pequeno porte. Aconselhamos ao empresário que queira abrir um negócio dessa natureza a elaboração de um plano de negócio com a ajuda do Sebrae do seu estado no sentido de estimar os custos exatos do seu empreendimento conforme o porte e os produtos oferecidos.

 

Agregar valor é dar um salto de qualidade em uma ou mais características do produto ou serviço, que de fato são relevantes para a escolha do consumidor. Não basta possuir algo que os produtos concorrentes não oferecem. É necessário que esse algo a mais seja reconhecido pelo cliente como uma vantagem competitiva e aumente o seu nível de satisfação com o produto ou serviço prestado. Além disso, para agregar valor, não basta reduzir custos, é preciso conhecer bem o mercado no qual a empresa atua, bem como as preferências dos clientes. Um nicho de mercado bem aceito nos últimos anos é o da venda produtos ecologicamente corretos. Já existem grandes produtores nacionais trabalhando dentro dessa tendência e confeccionando etiquetas ecológicas a partir de material reciclado. Sua empresa também pode seguir esta tendência!

Uma outra forma de diferenciar-se junto aos clientes é oferecer produtos customizados, únicos, elaborados apenas para o produto daquele cliente com garantia de qualidade e durabilidade. Para agregar valor, o empreendedor desse setor deve estar em consonância com as tendências da moda mundial, trazendo o que existe de melhor em etiquetas para o Brasil. Neste tópico foram apresentadas apenas algumas opções de diversificação/

agregação de valor para um empreendimento de fabricação de etiquetas. Vale ressaltar que sempre é possível propor melhorias e novidades, para isso é indicado observar hábitos, ouvir as pessoas e criar novos produtos e novos serviços, com o objetivo de ampliar os níveis de satisfação dos clientes.

 

A propaganda é um importante instrumento para tornar a empresa e seus serviços conhecidos pelos clientes potenciais. O objetivo da propaganda é construir uma imagem positiva frente aos clientes e tornar conhecidos os produtos e serviços oferecidos pela empresa. A propaganda pode ser feita utilizando os mais variados meios de comunicação como: ·Mala Direta e e-mail informando sobre promoções e novidades; ·Mídia especializada: Rádio, TV, Jornais e Revistas, Placas e Outdoors, Panfletos, Guias de Turismo, etc;

·Site na internet.

A mídia mais adequada é aquela que tem linguagem adequada ao público-alvo, se enquadra no orçamento do empresário e tem maior penetração e credibilidade junto ao cliente. Outra estratégia interessante para um empreedimento de fabricação de etiquetas é a participação em feiras e eventos relacionados ao setor.

 

O segmento industrial de fabricação de etiquetas, impressas ou não, poderá optar pelo SIMPLES NACIONAL – Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, desde que a receita bruta anual de sua atividade não ultrapasse a R$ 240.000,00 (microempresa) ou R$ 2.400.000,00 (empresa de pequeno porte) e respeitando os demais requisitos previstos na Lei.

Optando pelo Simples Nacional, o empreendedor deste segmento poderá recolher por uma única alíquota e por meio de apenas um documento fiscal – o DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional), os seguintes tributos e contribuições:

IRPJ – Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica;CSLL – Contribuição Social sobre o Lucro Líquido;PIS – Programa de Integração Social;COFINS – Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social;CCP – Contribuição Patronal Previdenciária relativa à parte da empresa;IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados;ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços.

As alíquotas do SIMPLES NACIONAL, para este ramo de atividade, englobando todos os tributos e contribuições relacionadas acima, variam de 4,50% a 12,11%, dependendo da receita bruta total auferida pelo negócio no decorrer do ano anterior (LC 123/06 – Anexo II).

No caso de início de atividade no próprio ano-calendário da opção pelo SIMPLES NACIONAL, para efeito de determinação da alíquota no primeiro mês de atividade, o empreendedor deverá utilizar como receita bruta total acumulada, a receita do próprio mês de apuração multiplicada por 12 (doze).

Se no Estado onde o empreendedor estiver exercendo ou for exercer suas atividades conceder benefícios de isenção ou redução do ICMS, a alíquota prevista para este tributo será reduzida na mesma proporção.

MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Para esta atividade não há previsão legal que autoriza a opção pelo sistema SIMEI, pelo fato do Código Nacional Atividade Econômica – CNAE 1741-9/02 – não constar do anexo único da Resolução CGSN 58/09.

Conclusão: Para este ramo de atividade a opção pelo Simples Nacional será vantajosa levando em conta os aspectos tributários, facilidades de abertura do estabelecimento e no cumprimento das obrigações acessórias exigidas.

Fundamento Legal: Leis Complementares 123/2006, 127/2007, 128/2008 e Resoluções do CGSN – Comitê Gestor do Simples Nacional.

 

Algumas das principais feiras nacionais relacionados ao setor em 2011:

LABEL LATINOAMERICA

Feira e Conferêrencia Internacional de Etiquetas Adesivas: consolidou-se como o único e principal evento do setor de etiquetas adesivas e rótulos(tags), altamente qualificado, verticalizado, ou seja, reúne e concentra toda a cadeia produtiva do setor, desde insumos básicos até o produto final.

Site: http://www.labellatin

oamerica.com.br/

Data: 27 a 30 de junho de 2011

Local: Palácio das Convenções do Anhembi

Fispal 27ª Feira Internacional de Embalagens, Processos e Logística para as Indústrias de Alimentos e BebidasLocal: Pavilhão de Exposições do Parque AnhembiSão Paulo – SPData: 7 a 10 de junho

FEIPACK5ª Feira Sul Brasileira da EmbalagemLocal: Pavilhão de Exposições ExpotradePinhais – PRData: 17 a 20 de agosto

EMBALA NORDESTE 20116ª Feira Internacional de Embalagens e Processos Industriais do NordesteLocal: Centro de Convenções de PernambucoOlinda – PEData: 22 a 25 de agosto

Para conhecer o calendário de eventos de toda indústria gráfica em 2011 consulte o site da ABIGRAF: http

//www.abigraf.org.br/index.php/eventos-2009-mainmenu-92
 

ABIEA – Associação Brasileira das Indústrias de Etiquetas Adesivas

Rua Maestro Cardim, nº 377 – 11° andar – Sala 114

Paraíso – São Paulo | SP | CEP 01323-000

Tel:(11) 3288-0508 / (11) 3284-7247

Site: http://www.abiea.org.br/

ABIGRAF – Associação Brasileira da Indústria GráficaRua do Paraíso, 529Paraíso -São Paulo – SPCEP: 04103-000Fone: (11) 3232-4500Fax: (11) 3232-4550E-mail:abigraf@abigraf.org.br

ABTG – Associação Brasileira de Tecnologia GráficaTelefone: (011) 2797 6700E-mail:abtg@abtg.org.br

Site: www.abtg.org.br

 

Não existem normas técnicas aplicáveis ao negócio.

 

Alguns conceitos foram extraídos do wikipedia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Wikip%C3%A9dia:P%C3%A1gina_principal

Cetim

é um tecido e foi assim denominado em homenagem aZaitum(ouTsenthung),China, de onde se origina. Era a princípio um tecido brilhante de seda em trama bem fechada.

Etiquetas adesivas

é uma etiquetaauto-colantecriada pela empresaestadunidenseAvery Dennisonnadécada de 1930e é usada para, entre outros, identificar, informar, permitir arastreabilidadee até mesmo indicar se um produto está na temperatura indicada ou dentro da validade.

Material reciclável Olixo recicláveloumaterial reciclávelé todo material que após ser utilizado pode ser reutilizado para fabricação de novos produtos. São exemplos delixo reciclávelos resíduos constituídos devidro,plástico,papel,papelão,ferro,açoealumínio.

PapelCouchê

O papel couchê é um tipo de papel especial, próprio para uso na industria gráfica. Consiste basicamente de umpapelbase (offset), que recebe uma camada de revestimento: carbonato de cálcio, caulim, látex e outros aditivos, com a finalidade de tornar a sua superfície muito lisa, uniforme. Consequentemente é o papel de melhor qualidade de impressão. É muito usado na impressão de folhetos, revistas, cartazes, livros de arte e outros impressos que exijam boa reprodução de retículas e traços.

Papel Transtérmico

Papel supercalandrado não revestido de pasta química, suavidade excelente que o torna adequado para impressão Transtérmica. Utilizado para produção de etiquetas, onde é necessária superfície revestida não-refletora. Particularmente adequado para impressão TT.

Polietileno

Opolietileno(oupolieteno, de acordo com a denominação oficial daIUPAC) é quimicamente opolímeromais simples. Devido à sua alta produção mundial, é também o mais barato, sendo um dos tipos de plástico mais comum. É quimicamente inerte. Poliéster

Opoliésteré um tipo deplásticocom diversas aplicações industriais, em especial na produção detecidospara fabricação deroupas.

Polipropileno

Polipropileno(PP) oupolipropenoé um polímeroouplástico, derivado dopropeno oupropilenoe reciclável. Ele pode ser identificado em materiais através do símbolo triangular de reciclável, com um número “5” por dentro e as letras “PP” por baixo . O polipropileno é um tipo de plástico que pode ser moldado usando apenas aquecimento, ou seja, é umtermoplástico. Possui propriedades muito semelhantes às dopolietileno(PE), mas com ponto de amolecimento mais elevado.

PVC

Ocloreto de polivinila(tambémpolicloreto de vinila; nome IUPAC policloroeteno) mais conhecido pelo acrónimoPVC(da sua designação eminglêsPolyvinylchloride) é umplásticonão 100% originário dopetróleo. O processo de obtenção das resinas de PVC é o responsável por suas características únicas de processo. Enquanto que a maioria dos polímeros são obtidos por processos diversos de polimerização e fornecidos ao mercado consumidor na forma de grânulos regulares prontos para o processamento (geralmente aditivadas em alguma etapa de seu processo de produção), as resinas de PVC são comercializadas usualmente na forma de um pó branco e fino, ao qual deverão ser adicionados aditivos que tornam o PVC processável, além de conferir-lhe características especificas.

Software

Software,logiciárioousuporte lógicoé uma sequência de instruções a serem seguidas e/ou executadas, na manipulação, redirecionamento ou modificação de um dado/informação ou acontecimento. Software também é o nome dado ao comportamento exibido por essa seqüência de instruções quando executada em um computador ou máquina semelhante além de um produto desenvolvido pela Engenharia desoftware, e inclui não só o programa de computador propriamente dito, mas também manuais e especificações. Para finscontábeisefinanceiros, o Softwareé considerado umBens de capital.

 

A melhor dica para o empreendedor que pretende investir no mercado das etiquetas é diversificar e ser criativo. Para isso é preciso que o empresário faça cursos, invista em treinamento da mão-de-obra e busque sempre estar atualizado com as tendências do mercado nacional e internacional.

Além disso, como esse setor apresenta uma concorrência significativa, é importante que o empreendedor:

1)Fique atento aos clientes e ao mercado ao seu redor, perceba deficiências e faça delas oportunidades de novos negócios;2)Busque informação sobre o segmento e sobre as condições do mercado, esteja sempre atualizado, identifique seu público;3)Tenha noção de gestão, ou seja, não despreze a importância de fazer contas, planejar como vai administrar o próprio negócio;

4)Procure estabelecer parcerias, otimize seu tempo, espaço e dinheiro.

Outra estratégia interessante, neste caso para divulgação do negócio, é a participação nas mais diversas feiras e eventos sobre o setor que trazem novidades sobre os produtos e permitem conhecer melhor o próprio mercado e os concorrentes.

 

É importante que o empreendedor tenha aptidão para o negócio e vontade de aprender buscando informações em centros tecnológicos, cursos, livros e revistas especializadas ou junto a pessoas que atuam na área.

Outras características importantes, relacionadas ao risco do negócio, podem ajudar no sucesso do empreendimento: Busca constante de informações e oportunidades.

Iniciativa e persistência.

Comprometimento.

Qualidade e eficiência.

Capacidade de estabelecer metas e assumir riscos.

Planejamento e monitoramento sistemáticos.

Independência e autoconfiança.

Senso de oportunidade.

Conhecimento do ramo.

Liderança.

Espírito cooperativo.

É importante ressaltar que pesquisando e observando seus concorrentes, conhecendo bem o gosto de seus clientes, o empreendedor conseguirá desenvolver diferenciações em sua fábrica de etiquetas para maior atração de clientes.

 

ABIEA . (2008). Estudo do Mercado Brasileiro de Rótulos e Etiquetas Adesivas. Instituto de Estudos e Marketing Industrial. ABIGRAF. (2011). Boletim de Atividade Industrial. Produção na Indústria Gráfica Brasileira. No 10.

SEBRAE. (2005). Comece Certo: indústria de etiquetas. São Paulo.

Sites consultados:

http://www.sebrae.com.br/ Acesso em 03 de abril de 2011.

http://www.abiea.org.br/ Acesso em 03 de abril de 2011.

http://www.sebrae-sc.com.br/novos_destaques/oportunidade/

default.asp?materia=2770 Acesso em 12 de abril de 2011.

http://www.indufl

ex.ind.br/?area=produtos Acesso em 12 de abril de 2011.

http://www.safraetiquetas.com.br/arquivos/resolucao_conmetro_06

_05_2008.pdf Acesso em 28 de abril de 2011.

http://www.abigraf.org.br Acesso em 04 de abril de 2001.

http://www.abigraf.org.br/index.php/eventos-2009-mainmenu-92 Acesso em 04 de abril de 2011.

http://www.rochaflex.com.br/materias.php?cd_secao=21&codant= Acesso em 22 de abril de 2011.

http://www.lamip

el.hd1.com.br/maquinas.htm Acesso em 12 de abril de 2011.

http://br.ruadireita.com/maquina-p-fabricar-etiquetas_91699/ Acesso em 22 de abril de 2011.

http://www.pequenos-neg

ocios.com/dicas-industriais/35-industrial-categoria/344-monte-uma-fabrica-de-eti

quetas-lisas Acesso em 10 de abril de 2011.

 

Tem um dúvida sobre a sua ideia? Experimente fazer uma pergunta para a nossa comunidade.

Explore outras ideais de negócios em sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ideias

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae

Esse é o perfil institucional do Sebrae nessa comunidade. Quer saber mais sobre o Sebrae - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas? Acesse: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/canais_adicionais/o_que_fazemos

Me siga