CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Como montar uma empresa de consultoria virtual

Como montar uma empresa de consultoria virtual

Confira uma ideia de negócio completa sobre Como montar uma empresa de consultoria virtual. Abaixo dividimos o conteúdo em tópicos como mercado, custos, pessoas, investimentos, divulgação, exigências legais e mais dicas.

Uma empresa de consultoria virtual é a nova forma encontrada por empresas para se diferenciar dos serviços ditos convencionais, ao realizar suas atividades através da internet, facilitando assim, a divulgação e o aumento da comercialização de produtos ou serviços, conquista de novos clientes e melhoria de sua rede de relacionamentos.

A empresa deste perfil de negócio está num mercado considerado promissor, pois seu canal para a realização de negócios, a internet, está em franco crescimento, expansão e sofisticação, com um público a cada dia maior. Além de ser um tipo de atividade que não requer um investimento inicial elevado,podendo ser montado com valores variando entre R$ 8.000,00 e R$ 40.000,00, este último com cinco funcionários.

A expectativa de retorno também é bastante aceitável e irá variar de acordo com o cliente e suas demandas e com os tipos de trabalho e serviços ofertados pelo empresário virtual. Uma empresa de consultoria virtual poderá realizar os mesmo serviços que uma empresa que atua de forma presencial, sendo esta a sua melhor característica. Porém, este pode ser considerado também um limitador dos serviços, uma vez que o trabalho é feito a distância, sem que o consultor virtual realize visita in loco nas empresas contratantes dos serviços.

Diversas são as possibilidades para uma empresa de consultoria virtual atuar, mas o empreendedor deve buscar aquela na qual possui maior domínio técnico. As áreas de atuação mais buscadas nos ambientes virtuais são gestão empresarial, econômica, financeira, trabalhista, jurídica, contábil e comunicação. Contudo, o foco dessa Idéia de Negócio é a consultoria empresarial, cujos principais serviços oferecidos são a elaboração de planos de negócio, organização e elaboração de planilhas financeiras, realização de estudos econômicos, financeiros e de mercado, desenvolvimento de estratégias competitivas, planos de financiamento e amortização, dentre outros.

Outra característica bastante importante está associada ao perfil dos profissionais, que devem possuir nível superior, estarem constantemente atualizados nas ferramentas que surgem no mercado e nas diferentes tecnologias para a execução dos serviços, ter conhecimento técnico profundo e, preferencialmente, referências sólidas de trabalhos anteriores.

Este documento não substitui o plano de negócio .Para elaborá-lo procure o Sebrae.

Atualmente, o Brasil se apresenta como um excelente país para se investir em negócios relacionados à prestação de serviços através da internet. Conforme resultados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad) sobre Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) 2017, divulgada pelo IBGE, há no Brasil cerca de 126,3 milhões de internautas. Este acesso está presente em 74,9% dos domicílios brasileiros, perfazendo 52 milhões de residências. Ainda segundo está pesquisa 69,9% da população tem acesso a internet. De acordo com relatório digital 2018 das Companhias Hootsuite e We Are Social, o Brasil está como terceiro país que mais fica online, com uma média de 9h14 por dia.

As empresas brasileiras, já perceberam esse nicho de mercado, que vem crescendo ano a ano, sendo que no ano de 2014 esse mercado faturou R$ 35,8 bilhões, em 2015 faturou R$ 41,3 bilhões, em 2016 faturou R$ 44,4 bilhões, em 2017 faturou R$ 47,7 bilhões e em 2018 faturou 53,2 bilhões, e estima-se que 2019 tenha um crescimento de 15%, fechando o ano com um faturamento de R$ 61,2 Bilhões, com um tíquete médio de compras de R$ 434,00, são os dados da Ebit | Nielsen entidade especializada em dados virtuais.

Ainda segundo estes dados, 33% dos e-consumidores brasileiros possuem renda familiar inferior a R$ 3 mil, e-consumidores que ganham entre R$ 3 e 5 mil representam 23,7%, já 18,3% possui renda familiar entre R$5 mil e R$ 8 mil e por fim e-consumidores que ganham acima de R$ 8 mil representam 25% desse mercado. O volume total das vendas correspondeu a 123 milhões de pedidos, provenientes de 58 milhões de consumidores que realizaram ao menos uma compra em 2018.

No ano de 2019, o Brasil deve fechar com cerca de 87 mil lojas virtuais, de acordo com informações da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).

Com todo este crescimento, está cada vez mais fácil encontrar equipamentos sofisticados por preços acessíveis para a montagem de empresas e negócios que explorem a consultoria virtual. Por outro lado, do ponto de visto negativo, facilita também o acesso ao mercado, fazendo surgir um grande número de concorrentes. 

A localização de qualquer empreendimento deve ser pensada com cuidado e, para isso, deve-se levar em consideração alguns detalhes importantes quando da escolha do local onde será montado o negócio.

Para o caso de uma empresa de consultoria virtual, que não possui venda direta de produtos nem atendimento presencial dos clientes, e sim a realização de serviços pela internet, a localização acaba não se tornando um quesito determinante para o sucesso do negócio. O importante é o empresário decidir se optará por constituir um escritório em casa ou se vai atuar em uma sala comercial, este último a ser utilizado para trabalhar e fazer reuniões, mas não influenciando no cliente.

Assim, se for alugar, deverá se preocupar com outras questões como:

•O preço do aluguel;

•O imóvel atende às necessidades operacionais referentes à localização, capacidade de instalação do negócio, possibilidade de expansão, características da vizinhança e disponibilidade dos serviços de água, luz, esgoto, telefone e internet

•O ponto é de fácil acesso, possui estacionamento para veículos

•O local está sujeito a inundações ou próximo a zonas de risco

•O imóvel está legalizado e regularizado junto aos órgãos públicos municipais

•A planta do imóvel está aprovada pela Prefeitura

•Houve alguma obra posterior, aumentando, modificando ou diminuindo a área primitiva?•As atividades a serem desenvolvidas no local respeitam a Lei de Zoneamento ou o Plano Diretor do Município

•Os pagamentos do IPTU referentes ao imóvel encontram-se em dia

•A legislação local permite o licenciamento das placas de sinalização

Independente de ser um escritório em casa ou em sala comercial, os serviços prestados terão como foco sua realização pela internet. Dessa forma, é importante a empresa conseguir ser encontrada no ambiente de internet, trabalhando o posicionamento de seu site em mecanismos de busca como o Google. Este sim é considerado um fator de sucesso. Deve também possuir um site claro e que transpareça confiança ao cliente, pois esta será a cara da empresa, onde serão ofertados os serviços.

Para abrir uma Empresa de Consultoria Virtual, o empreendedor poderá ter seu registro de forma individual ou em um dos enquadramentos jurídicos de sociedade. Ele deverá avaliar as opções que melhor atendem suas expectativas e o perfil do negócio pretendido. Leia mais sobre este assunto nas publicações do Sebrae: Caderno do empreendedor individual e o Microempreendedor individual.

O contador, profissional legalmente habilitado para elaborar os atos constitutivos da empresa e conhecedor da legislação tributária, poderá auxiliar o empreendedor neste processo.

Para abertura e registro da empresa é necessário realizar os seguintes procedimentos:

– Registro na Junta Comercial;

– Registro na Secretaria da Receita Federal (CNPJ);

– Registro na prefeitura municipal, para obter o alvará de funcionamento;

– Enquadramento na entidade sindical patronal: empresa ficará obrigada a recolher a contribuição sindical patronal, por ocasião da constituição e até o dia 31 de janeiro de cada ano;

– Cadastramento junto à Caixa Econômica Federal no sistema “Conectividade Social – INSS/FGTS”; Registro no Corpo de Bombeiros Militar: órgão que verifica se a empresa atende as exigências mínimas de segurança e de proteção contra incêndio, para que seja concedido o “Habite-se” pela prefeitura.

Importante:

– Para a instalação do negócio é necessário realizar consulta prévia de endereço na Prefeitura Municipal/Administração Regional, sobre a Lei de Zoneamento.

– A Lei 123/2006 (Estatuto da Micro e Pequena Empresa) e suas alterações estabelecem o tratamento diferenciado e simplificado para micro e pequenas empresas. Isso confere vantagens aos empreendedores, inclusive quanto à redução ou isenção das taxas de registros, licenças etc.

– É necessário observar as regras de proteção ao consumidor, estabelecidas pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC) – Lei Federal nº. 8.078 publicada em 11 de setembro de 1990.

Acessibilidade

Especial atenção deve ser dada à acessibilidade das páginas eletrônicas, para aumentar as chances do negócio e o cumprimento das normas nacionais e internacionais. Exige-se que todas as páginas na internet estejam acessíveis a pessoas com necessidades especiais, como áudio e outros recursos para leitura e compreensão de todo o seu conteúdo. Maiores informações podem ser obtidas no link: http://www.acessobrasil.org.br/.

Leis Especificas do Setor:

LEI Nº 13.709, DE 14 DE AGOSTO DE 2018 – dispõe sobre o tratamento de dados pessoais, inclusive nos meios digitais, por pessoa natural ou por pessoa jurídica de direito público ou privado, com o objetivo de proteger os direitos fundamentais de liberdade e de privacidade e o livre desenvolvimento da personalidade da pessoa natural.

LEI Nº 12.737, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012 –</small> dispõe sobre a tipificação criminal de delitos informáticos e dá outras providências.

A estrutura para implantação de uma empresa de consultoria virtual é considerada pequena, havendo apenas a necessidade de uma sala comercial com espaços para as mesas e estações de trabalho. Há também a possibilidade de não haver nenhum espaço físico alugado, como a sala comercial, pois os serviços serão realizados a distância, no ambiente virtual.

Assim, os serviços poderão ser realizados de qualquer local onde o consultor estiver, basta computador e acessoa internet, como no caso de escritório montado em casa, reduzindo custos com aluguel. Mas, como sempre, tudo irá depender da expectativa de atendimento por parte do dono.

O tamanho do espaço necessário para a realização dos serviços prestados pela empresa é de aproximadamente 20 m², composto de uma mesa para reunião dos sócio se as estações de trabalho.

Para este segmento de atuação é necessário o consultor possuir uma boa conexão com a internet, com todos os computadores e equipamentos em rede.

Sempre que possível, deve-se aproveitar a luz natural. No final do mês, a economia da conta de luz compensa o investimento. Luminárias e lâmpadas erradas podem proporcionar efeitos indesejados como distorcer formatos, gerar sombras ruins, escurecer alguns pontos, criar uma atmosfera desagradável e até prejudicar a visão.

Profissionais qualificados (arquitetos, engenheiros, decoradores) podem ajudar a orientar em questões sobre ergometria, fluxo de operação, design dos móveis, iluminação, ventilação, etc.

 

A necessidade de pessoal, tal qual o tamanho da infraestrutura, depende diretamente do volume e tipo de serviço a ser ofertado pelo empreendedor. Para a estrutura sugerida, espera-se uma equipe com duas a três pessoas para a execução dos serviços contratados.

Os perfis dos profissionais e dos cargos são variados e podem ser da área administrativa, econômica, jurídica, contábil, marketing e outros. Todos os cargos acima mencionados são de nível superior e de altíssima capacidade técnica, e devem ser buscados de acordo com a necessidade do negócio a ser montado.

Outra característica importante para este tipo de negócio é que a demanda por serviços varia bastante e, por isso, o número de funcionários também. O empresário desse ramo poderá contratar outros consultores, autônomos ou empresas, para apoiar em atividades ou trabalhos específicos, reduzindo, assim, os custos com contratação de mais profissionais.

A qualificação de profissionais aumenta o comprometimento com a empresa, eleva o nível de retenção de funcionários, melhora a performance do negócio e diminui os custos trabalhistas com a rotatividade de pessoal, portanto, esta deve ser buscada constantemente.

Deve-se estar atento para a Convenção Coletiva do Sindicato dos Trabalhadores nessa área, utilizando-a como balizadora dos salários e orientadora das relações trabalhistas, evitando, assim, conseqüências desagradáveis.

O empreendedor pode participar de seminários, congressos e cursos direcionados à sua área de gestão e domínio para manter-se atualizado e sintonizado com as tendências do setor. O Sebrae da localidade poderá ser consultado para aprofundar as orientações sobre o perfil do pessoal e treinamentos adequados.

 

A definição do porte do negócio é fundamental para a aquisição dos equipamentos.

O novo empresário poderá decidir quais equipamentos utilizará, dentre oscitados a seguir:

•Microcomputadores: deverão ser completos e de última geração para se trabalhar com gráficos, páginas na internet e conteúdos de comunicação;

•Impressoras, câmeras e escâneres;

•Telefônica;

•Mesas, cadeiras, armários, de acordo com o dimensionamento das instalações;

•Estantes;

•Moveis e materiais de escritório.

Ao fazer o layout da empresa, o empreendedor deve levar em consideração a ambientação, decoração, ventilação e iluminação. Na área externa, deve-se atentar para a fachada.

No caso de uma empresa pequena, deve-se levar em consideração a necessidade de todos os equipamentos acima especificados e o tipo, pois existem dos mais sofisticados aos mais simples. Antes de comprar os equipamentos, pense no tipo de serviço e qualidade exigida pelo público-alvo para não gastar mais do que o necessário ou ficar com ociosidade em excesso.

 

A gestão de estoques no varejo é a procura do constante equilíbrio entre a oferta e a demanda. Este equilíbrio deve ser sistematicamente aferido através de, entre outros, os seguintes três importantes indicadores de desempenho:

Giro dos estoques: o giro dos estoques é um indicador do número de vezes em que o capital investido em estoques é recuperado através das vendas. Usualmente é medido em base anual e tem a característica de representar o que aconteceu no passado. Obs.: Quanto maior for a freqüência de entregas dos fornecedores, logicamente em menores lotes, maior será o índice de giro dos estoques, também chamado de índice de rotação de estoques.

Cobertura dos estoques: o índice de cobertura dos estoques é a indicação do período de tempo que o estoque, em determinado momento, consegue cobrir as vendas futuras, sem que haja suprimento. Nível de serviço ao cliente: o indicador de nível de serviço ao cliente para o ambiente do varejo de pronta entrega, isto é, aquele segmento de negócio em que o cliente quer receber a mercadoria, ou serviço, imediatamente após a escolha; demonstra o número de oportunidades de venda que podem ter sido perdidas, pelo fato de não existir a mercadoria em estoque ou não se poder executar o serviço com prontidão.

Portanto, o estoque dos produtos deve ser mínimo, visando gerar o menor impacto na alocação de capital de giro. O estoque mínimo deve ser calculado levando-se em conta o número de dias entre o pedido de compra e a entrega dos produtos na sede da empresa.

As principais matérias-primas utilizadas por uma empresa de consultoria virtual são a internet de alta velocidade, materiais de escritório e computadores com boa capacidade de processamento de informações.

Além dos equipamentos de informática, o grande diferencial para as empresas desse ramo é a diversidade de softwares para a elaboração das mídias digitais que poderão ser usadas.

Para consultorias jurídicas, econômicas e tributárias e fiscais, há a necessidade de possuir uma biblioteca para consulta com as principais obras sobre a área temática.

 

O processo produtivo de uma empresa de prestação de serviços de consultoria virtual é bastante simples, principalmente pelo fato de os serviços serem ofertados na internet. O diferencial será dado pela característica do serviço contratado, se de longo prazo, se pontual, se apenas uma consulta específica.

Para serviços mais complexos, de longa duração, a primeira ação é checar as solicitações e analisar, dando parecer sobre o escopo do trabalho e o esforço necessário para sua realização. Com base nessas informações, são elaborados os orçamentos e enviados aos clientes. Após negociações sobre preço e serviços,ocorre a contratação. A partir desse momento devem ser elaborados os contratos de prestação de serviços e iniciado o trabalho contratado. Após entrega e aceite formal do cliente, finaliza-se o serviço.

No caso de serviços pontuais, com dúvidas específicas, a empresa pode disponibilizar serviços on-line, como “produtos de balcão” do tipo planilhas financeiras pré-elaboradas. Para tanto, poderão ser disponibilizados no próprio portal da empresa serviços de auto-atendimento, no qual o processo produtivo é automático. Há ainda a possibilidade de a empresa disponibilizar produtos do tipo banco de respostas sobre assuntos de gestão empresarial. Contudo, esses tipos de atuação deverão ser executados somente após estudo cuidadoso da sua viabilidade, pois há alto custo fixo com elaboração e manutenção do sítio na internet.

Independente do tamanho, todas essas etapas devem ser cumpridas. A variação dependerá do tamanho da produção e automação necessária e desejada para um produto de melhor qualidade. Cada etapa mencionada deve ser entendida e pensada antes de iniciar a produção. O empresário deverá tomar cuidado no momento de firmar os contratos com os clientes. Uma dica é o aceite virtual de contratos, onde o cliente deverá clicar no ícone dizendo que aceita os termos apresentados para a execução das atividades.

Este perfil de negócio tem apenas a intenção de informar e direcionar as ações do futuro empresário. No caso de possuir mais dúvidas, procure um SEBRAE mais próximo.

 

Há no mercado uma boa oferta de sistemas para gerenciamento de empresas dos mais variados portes e tipos. Esses softwares possibilitam o controle do agendamento de clientes, cadastro e histórico de serviços prestados, serviços de mala direta para clientes e potenciais clientes, etc.

Internet de alta velocidade e a construção de uma rede lógica para os computadores trabalharem em sintonia, compartilhando informações, base de dados e impressoras são fatores necessários para este tipo de segmento, além de ser uma excelente ferramenta que pode gerar vários benefícios, como permanente atualização no setor, possibilidade de agendamento de clientes quando for o caso, facilidade de busca de alternativas de fornecedor e mesmo a efetivação de negócios.

 

A expressão “canais de distribuição” designa os caminhos adotados pela empresa para fazer chegar os seus serviços até os clientes. É determinado em função da abrangência da área de atuação, das características sociais e econômicas do local e principalmente do perfil da clientela. É um dos elementos do composto mercadológico “4Ps do Marketing”, representando a Praça, juntamente com Produto, Preço e Promoção.

Como os serviços ofertados por uma empresa de consultoria virtual são executados a distância, sem a participação presencial do cliente, o empresário deverá buscar diferentes formas de distribuição e contato a ser realizado junto ao seu público-alvo.

Atualmente, nessa nova era da comunicação, há uma grande variedade de meios pelos quais o consultor poderá entrar em contato com seus clientes. Os principais, e mais utilizados, são as salas de bate papo, as rede sociais WhatsApp, Facebook, Twitter, os programas de bate papo como Microsoft Messengere Skype, que permitem fazer vídeos-chamada gratuitas pela internet, e-mails, locais de fale conosco ou mesmo atendimento on-line pelo consultor.

Todos os canais descritos acima são apenas referencias para que o novo empresário possa pensar e estudar qual a mais factível para seu negócio. Lembre-se que,para isso, haverá a necessidade de uma boa conexão com a internet.

 

Investimento compreende todo o capital empregado para iniciar e viabilizar o negócio até o momento de sua autossustentação.

No caso de uma empresa que irá funcionar em um escritório em casa, composto por apenas duas pessoas, os investimentos necessários, em média, estão descritos abaixo.

Equipamentos/obras/máquinas/pré-operacional
Reformas e adaptaçõesR$ 2.000,00
Infraestrutura para Ambiente VirtualR$  8.000,00
Criação de Website ProfissionalR$  4.000,00
Equipamentos atendimento remoto (câmeras, microfones e outros)R$ 200,00
Despesas de registro da empresa, honorários profissionais, taxas etcR$  2.000,00
2 Computadores (notebook)R$ 6.000,00
ImpressoraR$ 750,00
Móveis e materiais de escritórioR$ 2.000,00
TelefoneR$     200,00
Capital de giro para suportar o negócio nos primeiros meses de atividadeR$ 6.000,00
Despesas Pré-operacionais (contador, Taxas para abertura da empresa)R$ 2.000,00
TotalR$ 28.000,00

A previsão de Faturamento médio mensal de empresa de consultoria virtual gira em torno de R$ 20.000,00.

Obs.: vale ressaltar que estes números são estimados, não devendo, portanto, dispensar uma pesquisa detalhada para cada projeto alinhada à elaboração de um Plano de Negócio.

No caso de se estabelecer um escritório em uma sala comercial, deverão ser pensados outros custos ou a ampliação dos aqui propostos. Para se alugar uma sala comercial, deve haver pelo menos três sócios para custear o valor fixo do aluguel e impostos.

 

O capital de giro é regulado pelos prazos praticados pela empresa, são eles: prazos médios recebidos de fornecedores (PMF); prazos médios de estocagem (PME) e prazos médios concedidos a clientes (PMCC).

Quanto maior o prazo concedido aos clientes e quanto maior o prazo de estocagem, maior será sua necessidade de capital de giro. Portanto, manter estoques mínimos regulados e saber o limite de prazo a conceder ao cliente pode melhorar muito a necessidade de imobilização de dinheiro em caixa.

Se o prazo médio recebido dos fornecedores de matéria-prima, mão-de-obra, aluguel, impostos e outros forem maiores que os prazos médios de estocagem somada ao prazo médio concedido ao cliente para pagamento dos produtos, a necessidade de capital de giro será positiva, ou seja, é necessária a manutenção de dinheiro disponível para suportar as oscilações de caixa. Neste caso um aumento de vendas implica também em um aumento de encaixe em capital de giro. Para tanto, o lucro apurado da empresa deve ser ao menos parcialmente reservado para complementar esta necessidade do caixa.

Se ocorrer o contrário, ou seja, os prazos recebidos dos fornecedores forem maiores que os prazos médios de estocagem e os prazos concedidos aos clientes para pagamento, a necessidade de capital de giro é negativa. Neste caso, deve-se atentar para quanto do dinheiro disponível em caixa é necessário para honrar compromissos de pagamentos futuros (fornecedores, impostos).

Portanto, retiradas e imobilizações excessivas poderão fazer com que a empresa venha a ter problemas com seus pagamentos futuros.

Um fluxo de caixa, com previsão de saldos futuros de caixa deve ser implantado na empresa para a gestão competente da necessidade de capital de giro. Só assim as variações nas vendas e nos prazos praticados no mercado poderão ser geridas com precisão.

A previsão de necessidade de capital de giro para uma empresa de consultoria virtual é bastante alta, visto que não depende de insumos em seu processo produtivo, mas da realização dos serviços contratados pelos clientes. Assim, o consultor precisa possuir recursos em caixa para manter sua empresa ou local de trabalho mesmo por longos períodos sem desenvolver serviços. Um fluxo de caixa bem montado é fator importante para essa ideia de negócio.

Um bom número, que pode ser mais bem definido pela elaboração de um projeto mais detalhado, é reservar em torno de 45% do montante investido na instalação do empreendimento para garantir o equilíbrio do negócio.

Para uma estrutura como a aqui apresentada, com investimento da ordem de R$ 28.000,00, serão necessários, em termos de capital de giro, um valor total de R$ 6.000,00.

 

São todos os gastos realizados na produção e que serão incorporados posteriormente no preço dos produtos ou serviços prestados.

O cuidado na administração e redução de todos os custos envolvidos na compra, produção e venda de produtos ou serviços que compõem o negócio indica que o empreendedor poderá ter sucesso ou insucesso, na medida em que encarar como ponto fundamental a redução de desperdícios, a compra pelo melhor preço e o controle de todas as despesas internas. Quanto menores os custos, maior a chance de ganhar no resultado final do negócio.

É importante notar que, quanto menores forem os custos, menor também será a necessidade de disponibilidade de capital de giro, liberando recursos para novos investimentos produtivos ou aumentando a lucratividade do empreendimento.

Os custos típicos deste tipo de empreendimento devem ser estimados considerando pelo menos os itens abaixo, quando houver:

Custos Fixos
Salários, encargos, pró-laboreR$ 9.000,00
Água, luz, telefone e acesso à internetR$  350,00
Impostos 15,5% da ReceitaR$  3.100,00
ContadorR$    800,00
Manutenção e melhorias no site da internetR$ 550,00
Propaganda / MarketingR$    550,00
TotalR$ 14.350,00

Obs.: vale ressaltar que estes números são estimados, não devendo, portanto, dispensar uma pesquisa detalhada para cada projeto alinhada à elaboração de um Plano de Negócio..

 

A diversificação de um produto ou serviço deve sempre ser buscada pelo empresário, seja para em momentos de recessão poder escoar e vender seus produtos, seja para aproveitar momentos e processos ociosos, ampliando assim sua receita, sempre complementado o serviço principal ofertado.

Não basta ao empresário apenas possuir algo que os produtos concorrentes não oferecem. É necessário que esse algo mais seja reconhecido pelo cliente como uma vantagem competitiva e aumente o seu nível de satisfação com o produto ofertado.

No caso de uma empresa de consultoria virtual, são inúmeras as possibilidades de diversificação, ao poder atuar em distintas áreas de conhecimento. As mais comuns são gestão financeira e econômica (elaboração de planos de negócio, planilhas financeiras, estudos econômicos e financeiros), assessorias, rotinas e cálculos trabalhistas, tributários e jurídicos, marketing, publicidade e propaganda (banners, sites, vinhetas, e-mail marketing, marketing viral), comércio eletrônico (estruturação de empresas), dentre outros.

Haverá, quando factível devido a tempo e distância, a possibilidade de atendimento presencial eventual para a realização dos serviços, principalmente na fase de contratação e planejamento do escopo do trabalho. Poderão, ainda, ser disponibilizados outros tipos de serviços, como artigos dos consultores e serviços de auto-atendimento do tipo formulários e planilhas financeiras para cálculos on-line.

 

A propaganda é um importante instrumento para tornar a empresa e seus serviços e produtos conhecidos pelos clientes potenciais. O objetivo da propaganda é construir uma imagem positiva frente aos clientes e tornar conhecidos os serviços oferecidos pela empresa. A mídia mais adequada é aquela que tem linguagem associada ao público-alvo, enquadra-se no orçamento do empresário e tem maior penetração e credibilidade junto ao cliente.

Neste caso o foco deve ser a internet. Poderão ser usados todos os canais de propaganda, de acordo com o porte do empreendimento e a capacidade de investimento do empreendedor. Montar um website para a divulgação e atendimento online da empresa, divulgando também em sites de busca. É essencial Participar das redes sociais (FacebookWhatsAppInstagram, etc.).

Um pequeno estabelecimento poderá utilizar-se de panfletos a serem distribuídos de forma dirigida, em locais de grande circulação de pessoas.

O empreendedor deve sempre entregar o que foi prometido e, quando puder, superar as expectativas do cliente. Ao final, a melhor propaganda será feita pelos clientes satisfeitos e bem atendidos.

O empreendedor deve sempre entregar o que foi prometido e, quando puder, superar as expectativas do cliente. Ao final, a melhor propaganda será feita pelos clientes satisfeitos e bem atendidos.

 

O segmento de EMPRESA DE CONSULTORIA VIRTUAL, assim entendido pela CNAE/IBGE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) 7020-4/00 como Atividades de consultoria em gestão empresarial, exceto consultoria técnica específica, poderá optar pelo SIMPLES Nacional – Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas MEs (Microempresas) e EPPs (Empresas de Pequeno Porte), instituído pela Lei Complementar nº 123/2006, desde que a receita bruta anual de sua atividade não ultrapasse R$ 900 mil para microempresa e R$ 4,8 milhões para empresa de pequeno porte e sejam respeitados os demais requisitos previstos na Lei.

Nesse regime, o empreendedor de ME e EPP poderá recolher os seguintes tributos e contribuições, por meio de apenas um documento fiscal – o DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional), que é gerado no Portal do SIMPLES Nacional (http://www8.receita.fazenda.gov.br/SimplesNacional):

• IRPJ (Imposto de Renda da Pessoa Jurídica); • CSLL (Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido); • PIS (Programa de Integração Social); • COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social); • CPP (Contribuição Previdenciária Patronal); • ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços): para empresas do comércio • ISS (Imposto Sobre Serviços): para empresas que empresas que prestam serviços; • IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados): para indústrias.

Conforme a Lei Complementar nº 123/2006, as alíquotas do Simples Nacional variam de acordo com as tabelas I a VI, dependendo das atividades exercidas e da receita bruta auferida pelo negócio. No caso de início de atividade no próprio ano-calendário da opção pelo Simples Nacional, para efeito de determinação da alíquota no primeiro mês de atividade, os valores de receita bruta acumulada devem ser proporcionais ao número de meses de atividade no período. Esta atividade se enquadra no Anexo II da Lei Complementar nº 123/2006, cujas alíquotas aplicáveis variam de 4% a 19%, dependendo da faixa de receita bruta anual auferida.

Se o Estado em que o empreendedor estiver exercendo a atividade conceder benefícios tributários para o ICMS (desde que a atividade seja tributada por esse imposto), a alíquota poderá ser reduzida conforme o caso. Na esfera Federal poderá ocorrer redução quando se tratar de PIS e/ou COFINS.

Outros regimes de tributação:

– Lucro Presumido: É o lucro que se presume através da receita bruta de vendas de mercadorias e/ou prestação de serviços. Trata-se de uma forma de tributação simplificada utilizada para determinar a base de cálculo dos tributos das pessoas jurídicas que não estiverem obrigadas à apuração pelo Lucro Real. Nesse regime, a apuração dos impostos é feita trimestralmente.

A base de cálculo para determinação do valor presumido varia de acordo com a atividade da empresa. Sobre o resultado da equação: Receita Bruta x % (percentual da atividade), aplica-se as alíquotas de:

• IRPJ – 15%. Poderá haver um adicional de 10% para a parcela do lucro que exceder o valor de R$ 20 mil, no mês, ou R$ 60 mil, no trimestre, uma vez que o imposto é apurado trimestralmente;

• CSLL – 9%. Não há adicional de imposto.

Ainda incidem sobre a receita bruta os seguintes impostos, que são apurados mensalmente:

• PIS – 0,65% – sobre a receita bruta total, compensável;

• COFINS – 3% – sobre a receita bruta total, compensável.

– Lucro Real: É o lucro líquido do período de apuração ajustado pelas adições, exclusões ou compensações estabelecidas em nossa legislação tributária. Este sistema é o mais complexo, que deverá ser bem avaliado por um contador. As alíquotas para este tipo de tributação são:

• IRPJ – 15% sobre a base de cálculo (lucro líquido). Haverá um adicional de 10% para a parcela do lucro que exceder o valor de R$ 20 mil, multiplicado pelo número de meses do período. O imposto poderá ser determinado trimestralmente ou anualmente;

• CSLL – 9%, determinada nas mesmas condições do IRPJ;

• PIS – 1,65% – sobre a receita bruta total, compensável;

• COFINS – 7,65% – sobre a receita bruta total, compensável.

Incidem também sobre a receita bruta os impostos estaduais e municipais:

– ICMS – Em regra geral, as alíquotas variam conforme o estado, entre 17 e 19%. Alguns produtos ou serviços possuem alíquotas reduzidas ou diferenciadas.

– ISS – Calculado sobre a receita de prestação de serviços, varia conforme o município onda a empresa estiver sediada, entre 2 e 5%.

Além dos impostos citados acima, sobre a folha de pagamento incidem as contribuições previdenciárias e encargos sociais (tanto para o lucro real quanto para o lucro presumido):

– INSS – Valor devido pela Empresa – 20% sobre a folha de pagamento de salários, pró-labore e autônomos;

– INSS – Autônomos – A empresa deverá descontar na fonte e recolher entre 11% da remuneração paga ou creditada a qualquer título no decorrer do mês a autônomos, observado o limite máximo do salário de contribuição (o recolhimento do INSS será feito através da Guia de Previdência Social – GPS).

– FGTS – Fundo de Garantia por tempo de serviço, incide sobre o valor da folha de salários a alíquota de 8%.

Recomendamos que o empreendedor consulte sempre um contador, para que ele o oriente sobre o enquadramento jurídico e o regime de tributação mais adequado ao seu caso. Empresas que não podem optar pelo Simples De acordo com o Comitê Gestor do Simples Nacional – Resolução CGSN nº 119, de 19 de dezembro de 2014 – estas atividades não podem ser optantes pelo Simples:

(http://www.receita.fazenda.gov.br/publico/Legislacao/Resolucao/2011/ResolucaoCGSN/Anexo_VI_Res olucao_CGSN_94.doc)

 

Os eventos a serem buscados pelos consultores deverão estar relacionados com sua área de atuação. Como o foco dado pela presente Idéias de Negócio é a consultoria virtual em Gestão Empresarial, seguem abaixo alguns eventos relacionados à área.

ExpoGestao: http://expogestao.com.br/

EXPO FÓRUM DIGITALKS: https://digitalks.com.br/expo/

Congresso Administrar: https://congressoadministrar.com.br

 

(ABComm) Associação Brasileira de Comércio Eletrônico: https://abcomm.org/

ABAC – Associação Brasileira de Auditores e Consultores: http://www.lmpg.srv.br/

ABERJE – Associação Brasileira de Comunicação Empresarial: http://www.aberje.com.br/

ABMN – Associação Brasileira de Marketing & Negócios http://www.abmn.com.br/

ABRACEM – Associação Brasileira de Consultores Empresariais e Profissionais Liberais: https://abracem.com.br/

CFA – Conselho Federal de Administração: http://www.cfa.org.br

COFECON – Conselho Federal de Economia: https://www.cofecon.org.br/

IBCO – Instituto Brasileiro dos Consultores de Organização: http://ibco.org.br/

OAB – Ordem dos Advogados do Brasil: http://www.oab.org.br

 

As normas técnicas são documentos de uso voluntário, utilizados como importantes referências para o mercado. Elas podem estabelecer requisitos de qualidade, de desempenho e de segurança (seja no fornecimento de algo, no seu uso ou mesmo na sua destinação final), assim como podem estabelecer procedimentos, padronizar formas, dimensões, tipos, usos, fixar classificações ou terminologias e glossários, definir a maneira de medir ou determinar as características, como os métodos de ensaio.

As normas técnicas são publicadas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. São normas técnicas úteis para quaisquer tipos de negócios e, também, para uma empresa de consultoria virtual:

•ABNT NBR ISO 10002:2005 – Gestão da qualidade – Satisfação do cliente – Diretrizes para o tratamento de reclamações nas organizações.Esta Norma fornece orientação para o processo de tratamento de reclamações sobre produtos dentro de uma organização, incluindo planejamento, projeto, operação, manutenção e melhorias. O processo de tratamento de reclamações aqui descrito é apropriado para ser um dos processos do sistema de gestão da qualidade como um todo.

•ABNT NBR 15842:2010 – Qualidade de serviço para pequeno comércio – Requisitos gerais.Esta Norma estabelece os requisitos de qualidade para as atividades de venda e serviços adicionais nos estabelecimentos de pequeno comércio, que permitam satisfazer as expectativas do cliente. OBS: A NBR 15842:2010 apresenta questões como cortesia, credibilidade, capacidade de resposta e compreensão do cliente. Como a norma trata de pequeno comércio de forma geral, o empreendedor deve atentar para os itens mais específicos relacionados ao seu negócio e, por analogia, observar como aplicá-los na prestação de serviço.

Através de convênio entre a ABNT e o Sebrae, micro e pequenas empresas podem, após breve cadastro, adquirir normas técnicas brasileiras por 1/3 do seu preço de mercado. Acesse e conheça mais pelo http://www.abnt.org.br/paginamp.

 

MARKET-SHARE – espaço do mercado dominado por uma empresa. É sempre medido em percentual do total.

MARK-UP – valor a ser cobrado acima do ponto de equilíbrio do faturamento da empresa.

PONTO DE EQUILÍBRIO – valor pela qual a empresa deve vender seu produto ou serviço para que possa pagar o seu custo de execução.

HOME OFFICE – escritório montado em casa para a realização de atividades a distância, principalmente pela internet.

 

Qualquer atividade da vida social ou pessoal, quanto melhor planejada melhor será executada. Assim, o tempo que se gasta antes de começar o negócio é considerado parte do investimento inicial, portanto deve ser bem dimensionado.

Entretanto, de nada vale planejar se não for para cumprir o planejamento. Muito importante: isto não significa um engessamento das ações. Significa, sim, não fugir do eixo, muito embora ao longo do processo algumas das coisas que se planejou tenham que ser revistas e/ou adaptadas. Ou seja, o planejamento é um instrumento dinâmico, mas o foco não deve ser perdido.Um caso típico desta flexibilidade é a freqüente aparição de gastos imprevistos nos 100 primeiros dias da empresa. Isto ocorre com freqüência quando existe excesso de otimismo no cálculo das possibilidades da empresa, sacrificando o capital de giro.

A recomendação é sempre considerar uma hipótese menos otimista, evitando surpresas desagradáveis.Outro cuidado relevante é com o foco da consultoria virtual, pois é fundamental evitar a tentação de improvisar para agregar valor: acaba fazendo muitas coisas e todas mal feitas. Assim, é bom sempre seguir planejando e realizando simulações. Outros pontos importantes são:

  • Avaliar permanentemente a receptividade da clientela à venda dos produtos e serviços. Importante também é lembrar que comércio requer registro de empresa diferenciado de prestação de serviços;
  • Investir na qualidade global de atendimento ao cliente, ou seja: qualidade do serviço, ambiente agradável, profissionais atenciosos, respeitosos e interessados pelo cliente e cumprimento de horário ou prazos;
  • Procurar fidelizar a clientela com ações de pós-venda, como remessa de cartões de aniversário, comunicação de novos serviços e novos produtos ofertados, etc;

O empreendedor deve estar sintonizado com a evolução do setor, pois esse é um negócio que requer inovação e adaptação constantes, em face das novas tendências que surgem dia a dia.

O empreendedor envolvido com atividades ligadas a este setor precisa adequar-se a um perfil fortemente comprometido com a evolução acelerada de um ramo altamente disputado por concorrentes nem sempre fáceis de serem vencidos. Algumas características desejáveis ao empresário desse ramo são:

•Ótima comunicação escrita (para elaboração de pareceres e relatórios) e verbal (saber ouvir e comunicar-se com os clientes);

•Ser atencioso com os clientes e possuir agilidade para responder às demandas;

•Gostar e conhecer bem o ramo de negócio;

•Pesquisar e observar permanentemente o segmento de mercado onde está competindo, promovendo ajustes e adaptações no negócio;

•Ter atitude e iniciativa para promover as mudanças necessárias;

•Saber administrar todas as áreas internas da empresa;

•Saber negociar, vender benefícios e manter clientes satisfeitos;

•Ter visão clara de onde quer chegar;•Planejar e acompanhar o desempenho da empresa;

•Ser persistente e não desistir dos seus objetivos;

•Manter o foco definido para a atividade empresarial;

•Assumir somente riscos calculados;•Estar sempre disposto a inovar e promover mudanças;

•Ter grande capacidade para perceber novas oportunidades e agir rapidamente para aproveitá-las;

•Ter habilidade para liderar sua equipe de profissionais;

•Imaginação criativa;

•Sentido de pormenor e precisão.

AIUB, G. et al. Plano de Negócios: serviços. 2. ed. Porto Alegre: Sebrae, 2000.

ANDERSON, C. A Cauda Longa (Long Tail): do marketing de massa para o marketing de nichos. Campus, 2006.

ANTONIOLI, L. Estatísticas, dados e projeções atuais sobre a Internet no Brasil. Site To Be Guarany. 2010. Acessado em setembro de 2010. Disponível em:http://www.tobeguarany.com/internet_no_brasil.php.

BARBOSA, M. de B.; LIMA, Carlos Eduardo de. A Cartilha do Ponto Comercial: como escolher o lugar certo para o sucesso do seu negócio. São Paulo: ClioEditora, 2004.

BATTELLE, J. A Busca: Como o Google e Seus Competidores Reinventaram os Negócios e Estão Transformando Nossas Vidas.

BIRLEY, S; MUZYKA, D. F. Dominando os Desafios do Empreendedor. São Paulo: Pearson/Prentice Hall, 2004. BRASIL. Código civil brasileiro, 2003.

BRASIL. Lei Complementar 123/2006 – Estatuto da Micro e Pequena Empresa. 2006

BRASIL. Classificação Brasileira de Ocupações. Ministério do Trabalho e Emprego. 2010. Acessado em setembro de 2010. Disponível em:http://www.mtec

bo.gov.br/cbosite/pages/regulamentacao.jsf.

COSTA, N P. Marketing para Empreendedores: um guia para montar e manter um negócio. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2003.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE REGISTRO DE COMÉRCIO – DNRC. Serviços-Código Civil/2002. Disponível em:http://www.dnrc.gov.br. Acessado em: 17 Fev. 2010.

INSTITUTO NACIONAL DE PROPRIEDADE INTELECTUAL (INPI). Disponível em: http://www.inpi.org.br. Acessado em: 18 julho 2010.

KOTLER, Philip. Administração de Marketing: a edição do novo milênio. 10. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2000. KUBR, M. Consultoria: um guia prático para a profissionalização. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986.

MONTEIRO, Ricado Vaz: Google Adwords – a Arte da Guerra: Guia para gestão de AdWords.

OLIVEIRA, K. Crescimento Econômico no Brasil em 2010. Agência Brasil, 2010. Disponível em: http://leituraseconomicas.blogspot.com/2010/09/crescimento-ec

onomico-no-brasil-em-2010.html. Acessado em setembro de 2010.

RECEITA FEDERAL DO BRASIL. Legislação. Disponível em: http://www.receita.fazenda.gov.br. Acessado em setembro de 2010.

SERVIÇO BRASILEIRO APOIO A MICRO E PEQUENA EMPRESA (SEBRAE). Serviços. Disponível em: http://www.sebrae.com.br.br.SILVA, J P. Análise Financeira das Empresas. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

Relatório de dados Ebit | Nielsen: //www.ebit.com.br/. Acesso em 10 de outubro de 2019.

IBGE Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad) sobre Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) 2017. https://ibge.gov.br/. Acessado em 09 de outubro de 2019.

(ABComm) Associação Brasileira de Comércio Eletrônico: https://abcomm.org/.Acessado em 11 de outubro de 2019.

RECEITA FEDERAL DO BRASIL. Legislação tributária. Disponível em: <http://www.receita.fazenda.gov.br>. Acessado em 10 de outubro de 2019.

O empreendedor pode buscar junto às agências de fomento linhas de crédito que possam ser utilizadas para ajudá-lo no início do negócio. Algumas instituições financeiras também possuem linhas de crédito voltadas para o pequeno negócio e que são lastreadas pelo Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe), em que o Sebrae pode ser avalista complementar de financiamentos para pequenos negócios, desde que atendidas alguns requisitos preliminares. Maiores informações podem ser obtidas na página do Sebrae na web:http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/sebraeaz/fundo-de-aval-do-sebrae-oferece-garantia-para-ospequenos-negocios,ac58742e7e294410VgnVCM2000003c74010aRCRD..

Ao empreendedor não basta vocação e força de vontade para que o negócio seja um sucesso. Independentemente do segmento ou tamanho da empresa, necessário que haja um controle financeiro adequado que permita a mitigação de riscos de insolvência em razão do descasamento contínuo de entradas e saídas de recursos. Abaixo, estão listadas algumas sugestões que auxiliarão na gestão financeira do negócio:

FLUXO DE CAIXA

O controle ideal sobre as despesas da empresa é realizado por meio do acompanhamento contínuo da entrada e da saída de dinheiro através do fluxo de caixa. Esse controle permite ao empreendedor visão ampla da situação financeira do negócio, facilitando a contabilização dos ganhos e gestão da movimentação financeira. A medida que a empresa for crescendo, dificultando o controle manual do fluxo de caixa, tornando difícil o acompanhamento de todas as movimentações financeiras, o empreendedor poderá investir na aquisição de softwares de gerenciamento.

PRINCÍPIO DA ENTIDADE

O patrimônio da empresa não se mistura com o de seu proprietário. Portanto, jamais se deve confundir a conta pessoal com a conta empresarial, isso seria uma falha de gestão gravíssima que pode levar o negócio à bancarrota. Ao não separar as duas contas, a lucratividade do negócio tende a não ser atingida, sendo ainda mais difícil reinvestir os recursos, gerados pela própria operação. É o caminho certo para o fracasso empresarial.

DESPESAS

O empreendedor deve estar sempre atento para as despesas de rotina como água, luz, material de escritório, internet, produtos de limpeza e manutenção de equipamentos. Embora pequenas, o seu controle é essencial para que não reduzam a lucratividade do negócio.

RESERVAS/PROVISÕES

Esse recurso funcionará como um fundo de reserva, o qual será composto por um percentual do lucro mensal – sempre que for auferido. Para o fundo de reserva em questão, poderá ser estabelecido um teto máximo. Quando atingido, não haverá necessidade de novas alocações de recursos, voltando a fazê-las apenas no caso de recomposição da reserva utilizada. Esse recurso provisionado poderá ser usado para cobrir eventuais desembolsos que ocorram ao longo do ano.

EMPRÉSTIMOS

Poderão ocorrer situações em que o empresário necessitará de recursos para alavancar os negócios. No entanto, não deverá optar pela primeira proposta, mas estar atento ao que o mercado oferece, pesquisando todas as opções disponíveis. Deve te cuidado especialmente com as condições de pagamento, juros e taxas de administração. A palavra-chave é renegociação, de forma a evitar maior incidência de juros.

OBJETIVOS

Definidos os objetivos, deve-se elaborar e implementar os planos de ação, visando amenizar erros ou definir ajustes que facilitem a consecução dos objetivos financeiros estabelecidos.

UTILIZAÇÃO DE SOFTWARES

As novas tecnologias são de grande valia para a realização das atividades de gerenciamento, pois possibilitam um controle rápido e eficaz. O empreendedor poderá consultar no mercado as mais variadas ferramentas e escolher a que mais adequada for a suas necessidades.

Aproveite as ferramentas de gestão e conhecimento criadas para ajudar a impulsionar o seu negócio. Para consultar a programação disponível em seu estado, entre em contato pelo telefone 0800 570 0800.

Confira as principais opções de orientação empresarial e capacitações oferecidas pelo Sebrae:

Cursos online e gratuitos – http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/cursosonline

Para desenvolver o comportamento empreendedor

Empretec – Metodologia da Organização das Nações Unidas (ONU) que proporciona o amadurecimento de características empreendedoras, aumentando a competitividade e as chances de permanência no mercado: http://goo.gl/SD5GQ9

Para quem quer começar o próprio negócio

As soluções abaixo são úteis para quem quer iniciar um negócio. Pessoas que não possuem negócio próprio, mas que querem estruturar uma empresa. Ou pessoas que tem experiência em trabalhar por conta própria e querem se formalizar.

Plano de Negócios – O plano irá orientá-lo na busca de informações detalhadas sobre o ramo, os produtos e os serviços a serem oferecidos, além de clientes, concorrentes, fornecedores e pontos fortes e fracos, construindo a viabilidade da ideia e na gestão da empresa: http://goo.gl/odLojT

Para quem quer inovar

Ferramenta Canvas online e gratuita – A metodologia Canvas ajuda o empreendedor a identificar como pode se diferenciar e inovar no mercado: https://www.sebraecanvas.com/#/

Sebraetec – O Programa Sebraetec oferece serviços especializados e customizados para implantar soluções em sete áreas de inovação: http://goo.gl/kO3Wiy

ALI – O Programa Agentes Locais de Inovação (ALI) é um acordo de cooperação técnica com o CNPq, com o objetivo de promover a prática continuada de ações de inovação nas empresas de pequeno porte: http://goo.gl/3kMRUh

Tem um dúvida sobre a sua ideia? Experimente fazer uma pergunta para a nossa comunidade.

Explore outras ideais de negócios em sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ideias

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae

Esse é o perfil institucional do Sebrae nessa comunidade. Quer saber mais sobre o Sebrae - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas? Acesse: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/canais_adicionais/o_que_fazemos

Me siga