CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Como Montar Um Pague Fácil

Como Montar Um Pague Fácil

Confira uma ideia de negócio completa sobre Como montar um pague fácil. Abaixo dividimos o conteúdo em tópicos como mercado, custos, pessoas, investimentos, divulgação, exigências legais e mais dicas.

No modelo de sociedade atual, o pagamento de inúmeras contas e alguns recebimentos á a realidade do dia a dia, mas ir ao banco pode ser sinônimo de estresse, filas e outros problemas, mas acima esta a falta de tempo do brasileiro.

Pensando nisso é surgiu o pague fácil, cujo nome técnico é Correspondente Bancário, ou simplesmente CORBAN.

O pague fácil é um parceiro dos bancos e algumas instituições financeiras. O pague fácil é uma instituição autorizada pelo Banco Central (Bacen)  a realizar alguns dos serviços que bancos fornecem.

Um pague fácil é uma conveniência para muitos clientes, pois pode resolver tudo em um único lugar. Um exemplo prático é uma padaria que oferece além dos pães, serviços bancários como pagamento, recargas, seguros etc.

Para os bancos estes estabelecimentos representam um excelente negócio, pois conseguem estar em muitos lugares que seria inviável montar uma agencia com caixas eletrônicos, contratações etc.

Diante destes fatores, este serviço tem crescido consideravelmente nos últimos anos e tem movimentado muito dinheiro, principalmente em regiões que não tem bancos para dar assistência à população. Entre os correspondentes mais conhecidos encontram-se as lotéricas e o Banco Postal

De forma sucinta, o correspondente bancário aproxima e facilita o serviço da instituição financeira ao cliente, envolvendo:

  • propostas de abertura de contas e de poupança;
  • recebimentos, pagamentos e transferências eletrônicas visando à movimentação de contas;
  • recebimentos e pagamentos de qualquer natureza;
  • execução ativa e passiva de ordens de pagamento por solicitação de clientes e usuários;
  • recepção e encaminhamento de propostas de operações de crédito e de arrendamento mercantil;
  • recebimentos e pagamentos relacionados a letras de câmbio;
  • recepção e encaminhamento de propostas de fornecimento de cartões de crédito; e
  • realização de operações de câmbio;
  • financiamentos agrícolas e para o agronegócio;
  • financiamentos imobiliários

Se a sua região é pequena, sem bancos, ou até mesmo em uma grande cidade, mas com bairros distantes do centro comercial, uma opção pode ser montar um pague fácil.

Um pague fácil, pode ser uma diversificação de um comercio já existente, como uma padaria, farmácia, quitanda e outros, ou pode ser uma atividade principal, neste caso o pague fácil é um comercio exclusivo para os serviços de correspondente bancário.

A atividade do correspondente bancário tem por uma de suas finalidades ampliar os serviços e atendimentos bancários oferecidos à população. Percebe-se que seu papel tem sido cumprido, uma vez que atualmente não há qualquer município do País sem algum tipo de atendimento bancário ou serviço associado.

  • Expectativa:

Para quem deseja atuar neste mercado, as expectativas são positivas, pois os bancos e instituições financeiras estão buscando parceiros para ampliar suas redes de atendimento as classes baixas no processo de inclusão social. Segundo pesquisas do Idec de 2010, os correspondentes bancários continuarão sendo excelentes alternativas para os bancos expandirem sua atuação.

  • Cenário:

Atualmente o correspondente bancário é crucial no mercado financeiro de varejo brasileiro.  Para bancos que não dispõe de uma rede ampla de agências ao redor do Brasil, como é o caso da grande maioria dos bancos médios, os correspondentes bancários são necessários para distribuição de produtos e serviços para a população que não reside nas capitais ou nos grandes centros. Segundo dados divulgados pelo Bacen, há cerca de 2,7 milhões de correspondentes bancários espalhados pelo País. A contratação de correspondentes bancários é regulamentada pela Resolução nº 3.954 do Bacen.

  • Maturidade do setor:

O crescimento dos pague fácil gerou maturidade no modelo de negócio. Neste modelo, o pague fácil provê a capilaridade de atendimentos para a instituição financeira. Exemplos dessa estratégia podem ser observados pelas parcerias entre o Banco do Brasil e a rede dos Correios; a Caixa Econômica Federal e as agências lotéricas, pelas quais os referidos bancos utilizam-se da capilaridade de seus parceiros.

Nota:

A partir de 2020, duas resoluções irão mudar a rotina dos correspondentes bancários:

  1. A LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados , entra em vigor a partir de agosto de 2020. Seu principal objetivo é garantir transparência no uso dos dados das pessoas físicas em quaisquer meios.
  2. Autorregulação para o Crédito Consignado   , que entrará em vigor em 02 de janeiro de 2020. O sistema deve fortalecer os princípios bancários de bom atendimento aos clientes, e seu objetivos principal é criar um sistema de bloqueio de ligações à disposição dos consumidores que não queiram receber ofertas de crédito consignado.
  • Comportamento do Consumidor:

O perfil do cliente atual é mais seletivo, não aceita perder tempo e muito menos ser enganado. A internet facilitou o acesso as informações e também a vários serviços bancários, então, o pague fácil tem que oferecer serviços diferenciados e principalmente ter seu foco no cliente e suas reais necessidades. O segmento precisa incorporar a tecnologia ao DNA organizacional para se manter relevante e acompanhar os novos hábitos e desejos do consumidor moderno.

  • Tendências de consumo:

Os correspondentes foram fundamentais na democratização do acesso ao crédito da população de menor renda no país. Pesquisa realizada pelo Bacen e Sebrae, apontou que mais de 70% dos brasileiros entrevistados moram perto de um correspondente e que mais de 60% dos brasileiros utilizam ao menos um produto formal de crédito. 

  • Nicho de mercado:

Negócios como farmácia, mercearia, padaria, quitanda e floricultura são alguns exemplos de estabelecimentos que podem ser correspondentes bancários, além de outros pontos comerciais ou entidades sem fins lucrativos, desde que seus estatutos permitam e que cumpram a exigência de exclusividade com o banco contratante. Entre as vantagens de ser um estabelecimento credenciado, está o recebimento de comissão pelas operações transacionadas e a oportunidade de aumentar o faturamento, pelo acréscimo no fluxo de pessoas no estabelecimento comercial.

A transformação tecnológica, será o grande desafio, mas também representa um nicho de mercado totalmente inexplorado para os correspondentes bancários.

A localização é um requisito determinante no processo de escolha para montar um pague fácil. Por isso, é importante estar a par dos hábitos, do perfil e do poder aquisitivo da vizinhança local, pois este provavelmente, será o primeiro grupo interessado em conhecer e usufruir dos serviços.

A localização ideal é aquela que favorece o acesso das pessoas, com o menor grau possível de dificuldade, bem no meio de centros comerciais, em ruas com bastante movimento de pedestres, boa visibilidade, com estacionamento próximo

A escolha do local merece uma atenção especial, pois precisa atender as necessidades físicas, como:

1 – Adequação aos clientes:

  • Facilidade de acesso;
  • Facilidade de estacionamento (local ou próximo);

2 – Adequação aos funcionários:

  • Proximidade de estações e pontos de transporte coletivo;
  • Infraestrutura de serviços (restaurantes, hospitais, farmácias etc.);

3 – Aspectos urbanísticos e de infraestrutura:

  • Segurança da região;
  • Infraestrutura de serviços públicos (Bombeiros, Polícia, Hospital, Correio);
  • Verificar se o local não está sujeito a inundações ou próximo a áreas de risco;
  • Disponibilidade dos serviços de água, luz, telefone e internet;
  • Serviços de recolhimento de lixo.

4 – Aspectos econômico financeiros:

  • Preço de aluguel
  • Qualidade dos imóveis disponíveis.

Além dos aspectos gerais, os correspondentes assumem papel de maior importância em locais de baixa concentração de agências bancárias, tais como cidades do interior do país e periferias dos maiores centros urbanos. Contudo, outros fatores devem ser analisados antes da adesão do comerciante ao serviço de correspondente bancário:

  • Aumento no volume de pessoas e ampliação do espaço;
  • Ampliação do número de caixas de atendimento;
  • Aumento de funcionários estrutura funcional de qualidade;
  • Proximidade do local de deposito bancário

O impacto que o aumento do volume de pessoas pode trazer ao seu estabelecimento e a consequente necessidade de aumento do espaço físico;

  • Verificar a necessidade da ampliação no número de caixas de recebimento e de empregados;
  • Proximidade do seu estabelecimento em relação ao local em que devem ser efetuados os depósitos bancários diários, relativo aos valores recebidos dos clientes;

A escolha da localização ideal pode ser um diferencial importante para aumentar as chances de sucesso de um correspondente bancário.

Antes de iniciar suas atividades comerciais o empreendedor deverá verificar a necessidade obtenção do alvará de funcionamento, de licença sanitária e registro no conselho de classe por se tratar de atividades profissionais.

As principais exigências legais associadas à atividade de correspondente bancário estão definidas nas normas emitidas pelo Banco Central do Brasil, conforme  Resolução n° 3.954 de 24/2/2011

A atuação como correspondente bancário traz benefícios, como o aumento do fluxo de pessoas no seu estabelecimento, o que pode significar um aumento de vendas para o negócio principal. Contudo, o empreendedor deve avaliar o impacto que a prestação desse serviço irá trazer sobre o seu trabalho diário e os seus rendimentos.

A necessidade de infraestrutura para quem esta começando é bem reduzida, bastando apenas um ponto de atendimento reservado dentro da estrutura da empresa. A dimensão irá variar de acordo com o fluxo de pessoas, mas um espaço de 10m² será suficiente para organizar o mobiliário e os equipamentos necessários.

Para o atendimento com qualidade, segurança e conforto que os clientes merecem é fundamental algumas áreas:

  1. Escritório:  A área será usada para atividades administrativas, reuniões e planejamento com a equipe de profissionais.
  2. Recepção, atendimento ao cliente
  3. Esta área é destinada à exposição dos produtos, serviços e recepção dos clientes. O espaço deve ser bem planejado e recomenda-se evitar poluição visual, proporcionar boa iluminação e ventilação para que haja conforto tanto para as pessoas que trabalham na empresa quanto para os clientes.
  4. Cofre/área de conferência.

Área destinada ao armazenamento de valores e a conferencia de caixa. Esta área deverá ser fora da área de acesso a clientes e com máxima segurança.

Nota:

Em função da movimentação de dinheiro e do aumento do fluxo de pessoas, este segmento de negócio requer um investimento diferenciado em segurança.

Atualmente, muitos correspondentes bancários têm buscado na qualidade do atendimento a diferenciação dentre seus concorrentes, apostando, inclusive, em salas climatizadas, oferta de água e café, além de outros aperfeiçoamentos.

Consulte o capítulo Equipamentos para conhecer detalhadamente tudo o que é necessário para o bom funcionamento de um pague fácil.

Em conformidade com a Resolução do Bacen 3954/2011  no artigo 12, os integrantes da equipe do correspondente, que prestem atendimento em operações de crédito e arrendamento mercantil, sejam considerados aptos em exame de certificação organizado por entidade de reconhecida capacidade técnica. Para conhecer quais são as certificações acesse o site da Febraban

Caso o volume de recebimento de contas não gere filas ou não atrapalhe o fluxo de clientes do seu negócio principal, não haverá necessidade de contratação de novos empregados, somente o treinamento e certificação exigida no contrato com o banco.

Conhecer quais são os profissionais e o perfil, pode ajudar na contratação e certificação:

1 – Administrador:

Inicialmente esta atividade pode ser desenvolvida pelo empreendedor, mas é importante reconhecer as habilidades e competências de um bom administrador:

  • Capacidade para lidar com imprevistos;
  • Reconhecer e definir problemas,
  • Atuar preventivamente;
  • Ter raciocínio lógico, crítico e analítico;
  • Ter conhecimento de gestão empresarial.
  • Habilidade de relacionamentos;
  • Habilidade para negociar
  • Pró atividade;
  • Inteligência emocional para lidar com possíveis conflitos.
  • Disciplina e autocontrole

2 – Atendente/Caixa

Este profissional estará diretamente em contato com os clientes, e algumas características e habilidades são fundamentais:

  • Estar certificado, conforme Resolução do Bacen 3954/201;
  • Cortesia e educação para com os clientes e colegas;
  • Disciplina;
  • Organização;
  • Conhecimento técnico das técnicas bancárias;
  • Idoneidade;
  • Boa apresentação pessoal;
  • Domínio de técnicas de atendimento ao público;
  • Boa comunicação oral e escrita;
  • Facilidade e domínio de cálculos.

A capacitação dos profissionais de um pague fácil é essencial para manter ou adquirir as competências necessárias para um excelente atendimento aos clientes.

Recomenda-se a adoção de uma técnica de retenção de pessoal, desta forma a empresa diminuirá os níveis de rotatividade e obterá vantagens como a criação de vínculo entre funcionários e clientes.

Grande parte dos equipamentos de tecnologia, como leitores de cartão, código de barras e sistema operacional é fornecido pelo banco contratante.

Um correspondente bancário é uma prestação de serviços financeiros, não envolvendo a manufatura ou comércio de bens. Apenas insumos operacionais, como cartuchos e papel para impressão, e alguns materiais de consumo para escritório.

Pensando desta forma, podemos até achar que não é necessário conhecer sobre gestão de estoque.

Isso é um engano!

Um pague fácil, geralmente é incorporado a uma empresa (padaria, farmácia, quitanda etc) e todas as empresas, precisam de uma gestão de estoque eficiente, para a qualidade dos produtos e serviços oferecidos e também ajudará na formação do capital de giro. O equilíbrio entre compra, armazenamento e consumo é medido com três importantes indicadores:

1 – Giro de estoque: Esse indicador compreende a rotatividade de cada produto ou serviço, e a renovação do estoque em certo período. Em outras palavras, o indicador mede a agilidade da liquidez de determinado item. Podemos dizer que aquela mercadoria ou serviço, que sai com muita frequência e tem muitos pedidos conta com um alto giro.

O acompanhamento periódico deste indicador permite:

  • ·        Conhecer quais produtos e serviços (inclusive os financeiros) estão parados, os que possuem maior movimentação e o estoque mínimo ideal para cada item;
  • ·        Calcular corretamente a necessidade de capital de giro para manter mateira prima e serviços;
  • ·        Reduzir gastos desnecessários com produtos de baixo giro
  • ·        Conhecer os itens e serviços com maior liquidez e montar estratégias de promocionais
  • ·        Prever o comportamento dos consumidores em datas de maior volume e manter mercadorias e serviços para estas datas;
  • ·        Manutenção do estoque de segurança para reduzir os riscos com imprevistos.

2 – Cobertura dos estoques: Este índice é utilizado para medir o tempo que o estoque, em determinado período, consegue cobrir as demandas futuras, sem haver a necessidade de suprimento, ou seja, o tempo que o produto leva para sair do estoque.

3 – Nível de serviço ao cliente: Este indicador auxilia na organização e manutenção de produtos ou serviços que serão vendidos ou ofertados aos clientes, com este indicador é possível saber quais produtos ou serviços deixaram de ser vendidos aos clientes por não estarem a disposição da empresa.

Agora que você conhece sobre gestão de estoque, use estas informações a seu favor no momento de oferecer diferenciais aos seus clientes e demonstrar a qualidade de seus serviços financeiros como correspondente bancário.

A organização do processo produtivo, que no caso de um pague fácil, precisa passar por algumas etapas, para que os recursos recebidos pelo correspondente sejam registrados, conferidos e repassados ao banco contratante da forma correta, as seguintes tarefas precisam ser diariamente bem executadas:

Prestação dos serviços contratados com o banco, registro e recebimento dos valores correspondentes no software de controle, seguindo as orientações relativas a emitentes, convênios, limite de valor etc.;

Etapa 1: Planejamento.

Esta etapa é muito importante, pois permite preparar todas as próximas etapas. Neste momento é planejado tudo o que será feito e merece a atenção. Desta forma o correspondente conseguira reduzir ao máximo os riscos, as incertezas e possíveis problemas futuros. Nesta etapa será analisado:

  • ·        Prestação dos serviços contratados com o banco;
  • ·        Registro e recebimento dos valores correspondentes no software de controle;
  • ·        Convênios com instituições (energia, água, celulares etc)
  • ·        Limite de valor das transações;
  • ·        Segurança das informações. 

Etapa 2: Execução.

Esta etapa é a prestação dos serviços conveniados e oferecidos aos clientes, tais como:

  • ·        propostas de abertura de contas e de poupança;
  • ·        recebimentos e pagamentos de qualquer natureza;
  • ·        execução ativa e passiva de ordens de pagamento
  • ·        recepção e encaminhamento de propostas de operações de crédito e de arrendamento mercantil;
  • ·        recepção e encaminhamento de propostas de fornecimento de cartões de crédito;
  • ·        realização de operações de câmbio;
  • ·        carregamento de celular.

•     Etapa 3: Conciliação diária de valores.

Esta etapa consiste em conciliar os valores recebidos com a documentação de suporte ((boletos, canhotos e comprovantes de recebimento) por tipo (contas de luz, telefone, prestação da casa própria etc.) e destes com os valores a serem repassados ao banco.

•     Etapa 4: Deposito bancário

Diariamente após a conciliação dos valores é necessário o deposito para a instituição financeira ou banco.

•     Etapa 5: Comissão do correspondente bancário.

Conferência da comissão recebida pelo serviço com o total de contas processadas (recebidas) e serviços realizados pelo pague fácil.

•     Etapa 6: Pós-venda.

Alguns podem achar que a etapa 6 é o final, mas o pós venda, que pode ser feito com pesquisas de satisfação, depoimentos dos clientes é a melhor forma de fidelizar o cliente e garantir que volte a usar os serviços de seu pague fácil.

Seguindo estas etapas, buscando sempre novas informações, colocando a satisfação do cliente como foco, as oportunidades de negócios serão exitosas e conseguira ótimas experiencias com o pague fácil.

Em um pague fácil, geralmente quem determina os sistemas de gestão são as instituições financeiras que você representa. A automação é parte do processo para este modelo de negócio, já que as informações são processadas em tempo real e exigem softwares específicos.

Existem situações onde o correspondente possui convênios com várias instituições financeiras e bancos, neste caso ele precisará de um sistema de gestão particular que seja homologado pelos bancos ou instituições que o pague fácil representa.

Automatizar é uma boa escolha para reduzir custos e manter a qualidade dos serviços que a empresa oferece. O investimento feito em tecnologia, quando bem executado, se torna um grande aliado da gestão da sua empresa.

O mercado apresenta inúmeras opções, mas o importante é obter agilidade, segurança dos dados e confiabilidade ao cliente e as empresas contratantes. Geralmente os sistemas controlam:

  • ·        Abertura e fechamento de caixa;
  • ·        Travamento e destravamento de terminal;
  • ·        Suprimento e recolhimento de numerário;
  • ·        Cobrança de tarifas de transações;
  • ·        Consultas e extratos de movimentação de contas-correntes, poupança e benefícios;
  • ·        Depósitos em contas-correntes, poupança;
  • ·        Recebimentos de contas (água, luz, telefone e gás), de boletos de cobrança do banco e de instituições conveniadas, carnês e impostos federais, estaduais e municipais, respeitados os convênios existentes no banco;
  • ·        Pagamentos a beneficiários do INSS;
  • ·        Venda de cartões e recarga de telefones móveis pré-pagos;
  • ·        Cadastramento de senhas;
  • ·        Requisição, bloqueio e desbloqueio de cartões magnéticos;
  • ·        Solicitação de talonário de cheques;
  • ·        Consultas a transações efetuadas;
  • ·        Débitos e créditos diversos;
  • ·        Estornos.

O empreendedor que deseja atuar com o pague fácil, deverá analisar qual é a melhor opção de automação para seu negócio, seja os softwares e equipamentos fornecidos pelos contratantes ou produtos oferecidos pelo mercado.

Antes de qualquer decisão, lembre-se que você precisa respeitar as regras de contrato e qualquer decisão sem planejamento ou analise das empresas parceiras, pode causar problemas e até quebra de contrato.

Os canais de distribuição têm como principal objetivo garantir a disponibilidade do produto para os clientes, são divididos em dois grupos, sendo:

  • Canal Direto – Neste canal de distribuição, a empresa é a única responsável pela entrega do produto para o consumidor. Não existe qualquer intermediário.
  • Canal Indireto – Neste canal, os intermediários se encarregam desta entrega. Em geral, o intermediário tende a ser os varejistas, atacadistas e os distribuidores.
  • Canal Híbrido: Um canal de distribuição híbrido é aquele em que a empresa utiliza intermediários, mas assume parte do processo de contato com seus clientes.

Geralmente o pague fácil é um dos canais de distribuição dos bancos conveniados, ou seja, faz parte do processo produtivo das empresas que presta serviço.

pague facil pode ser um grande aliado dos bancos ou financeiras conveniadas, indicando as melhores soluções e processos rápidos para a distribuição dos produtos ou serviços.

Conforme artigo do Sebrae sobre canais de distribuição , para a escolha ideal dos canais de distribuição é importante analisar alguns aspectos:

  • ·        Avaliar mercados reais e potenciais;
  • ·        Determinar as características, os comportamentos e as necessidades dos clientes, assim como a quantidade, a dispersão geográfica e a frequência de compra;
  • ·        Determinar as características essenciais dos produtos quanto à perecibilidade, dimensões e graus de padronização;
  • ·        Definir as características dos intermediários quanto ao tipo de transporte, ao sistema de equipamentos e armazenagem utilizado, à tecnologia da informação, entre outros;
  • ·        Avaliar as características ambientais relativas às condições locais, à umidade e à temperatura;
  • ·        Avaliar as empresas envolvidas quanto à solidez financeira, aos produtos, aos níveis de serviço, ao marketing e à marca, entre outras características importantes.

Atualmente os canais de distribuição contam com a ajuda dos multicanais de comunicação (wase, WhatsApp, facebook etc) para potencializar, agilizar e dar segurança a distribuição de seus produtos e serviços.

É importante que o empresário acompanhe todo os processos. Pois entende-se que este processo seja importante para dar agilidade, segurança e credibilidade nas entregas, mesmo que seja diretamente no pague fácil.

O capital de giro é fundamental para o crescimento e o sucesso de toda e qualquer empresa. Sem capital de giro suficiente, você não pode pagar sua equipe, cobrir seu aluguel ou pagar outras contas.

É chegada a hora de saber o que é e como lidar com o capital de giro da empresa Pague fácil.

O capital de giro é o resultado da diferença entre o dinheiro disponível da empresa e o dinheiro que será utilizado para saldar seus compromissos, sejam eles despesas fixas, gastos necessários para a prestação de serviços ou outro tipo de gasto extra.

O Capital de giro se baseia nos prazos praticados pela empresa, são eles:

  • Prazos médios recebidos de fornecedores (PMF);
  • Prazos médios de estocagem (PME) – no caso da empresa Pague fácil o estoque se resume tão somente a pequenas quantidades de insumos utilizados no dia a dia, portanto não interferem nos cálculos do capital de giro, no entanto alertamos para tomar cuidado com compras em excesso ou desnecessárias.
  • Prazos médios concedidos a clientes (PMCC).

Sendo assim quanto maiores forem os prazos concedidos aos clientes, maior será a necessidade de capital de giro. Já a inversão da necessidade de capital de giro se dará praticando prazos maiores para pagamento aos fornecedores.

A inversão desta conta se traduz em “receber primeiro para pagar depois”.

A maioria das despesas tem prazo de 30 dias, como por exemplo, os custos com a manutenção da empresa como os salários de seus funcionários, os encargos desta folha de pagamento, aluguel, energia elétrica, telefonia e impostos.

Já as receitas não necessariamente acompanham o mesmo prazo, dependem da política adotada de venda e mesmo que entrem em seu caixa na média de 30 dias não necessariamente serão no mesmo montante dos compromissos, pois o faturamento pode oscilar de um mês para o outro.

Nesse tipo de negócio, a necessidade de capital de giro pode representar cerca de 25% a 35% do investimento inicial. Este valor é só uma estimativa e poderá variar significativamente dependendo das particularidades do empreendimento definidos no Plano de Negócios.

Para manter o equilíbrio do capital de giro é extremamente importante que exista um bom planejamento, atentando-se a alguns pontos básicos:

  • ·        Fornecedores: Busque tornar as formas de pagamento mais confortáveis, aumentando o prazo ou, caso o pagamento à vista seja mais barato, verificando se esse desconto é maior que o custo do seu capital de giro. Caso não seja, não vale a pena;
  • ·        Analise bem os custos de sua empresa: Mas não adianta sair cortando gastos. Muitos são realmente necessários e o gestor não pode simplesmente cortá-los — mesmo em um momento de crise;
  • ·        Clientes: É importante tentar reduzir o prazo de financiamento, o que pode ser difícil, já que a concorrência pode oferecer alternativas melhores e facilitar o pagamento a prazo. De qualquer forma, é válido tentar;
  • ·        Invista no controle de inadimplência. Sua empresa deve conhecer os seus clientes e o histórico de inadimplência. Isso ajuda a evitar o problema e diminuir o impacto financeiro no seu negócio;
  • ·        E por fim e a mais importante dica de controle do capital de giro. Observar o fluxo de caixa, com o pontual e correto registro de receitas e despesas, assim o gestor poderá identificar falhas e descobrir por que não sobra dinheiro ou onde há margens maiores para aplicar políticas de cortes.

Como você pôde perceber, administrar o capital de giro do seu negócio significa avaliar o atual momento, as faltas e as sobras de recursos financeiros e os reflexos gerados por tomadas de decisões em relação a compras, vendas e à administração do caixa. Esteja sempre atento a esses fatores, pois uma administração ineficiente do capital de giro afeta drasticamente o fluxo de caixa da empresa.

A atividade de correspondente bancário, por sua natureza, é uma diversificação da atividade principal do empreendedor, mas isso não significa que seu pague fácil será sempre pequeno e modesto, agregando valor e diversificando é possível aumentar os ganhos e ampliar o negócio.

Algumas dicas importantes maximizar as ações de divulgação:

  • ·        Redes sociais: Os perfis sociais, atualmente são os melhores meios de divulgação de serviços e profissionais. Explore ao máximo todos os canais de distribuição nas redes sociais – Facebook, LinkedIn, Instagram, Twitter e outros que promovem a visibilidade profissional e de serviços.
  • ·        Site Empresarial: O site é seu espaço individual para mostrar quem é você, seus serviços e diferenciais. Um site bem montado, com aspectos profissionais, pode engajar melhor seus potenciais clientes e passar confiabilidade. Seu site deve estar associado a todas as suas redes sociais.
  •  
  • ·        Network: A melhor forma de aumentar sua rede é participar de feiras, palestras e encontros profissionais, mas lembre-se, o foco aqui é criar um vínculo profissional e nunca esqueça do seu cartão de visita.
  • ·        Multicanal de comunicação: O novo consumidor consegue comprar, vender e receber tudo o que deseja sem sair do sofá de sua casa, esta comodidade ocorre graças a internet e aos multicanais de comunicação. Invista em WhatsApp, Facebook e outras mídias para levar seus serviços até o cliente.
  • ·        Participação em eventos sociais/empresariais: Participar de eventos sociais ou empresariais favorece a visibilidade e confiabilidade no pague fácil. Os clientes escolhem por empresas envolvidas em causas sociais.

Invista tempo para conhecer todas as alternativas de divulgação. Os clientes e novas empresas e fornecedores, não irão até sua representação sem um esforço de divulgação. Atualmente existem inúmeras estratégias de divulgação gratuitas outras que podem ser feitas com baixo investimento. E lembre-se que não existe uma regra: o que funciona para um nicho de negócio, pode não funcionar para outro. Por isso, é importante planejar as ações e conhecer cada vez mais o público que se deseja atingir.

As informações fiscais e tributárias serão diferenciadas em decorrência da opção do regime tributário escolhido pelo empreendedor.

Exemplo 1: Pague Fácil optante do SIMPLES Nacional

O segmento de PAGUE FÁCIL, assim entendido pela CNAE/IBGE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) 6619-3/02 como atividade de  recebimento de contas de telefone, gás, luz, água e esgoto, etc., poderá optar pelo SIMPLES Nacional – Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas ME (Microempresas) e EPP (Empresas de Pequeno Porte), instituído pela Lei Complementar nº 123/2006,  desde que a receita bruta anual de sua atividade não ultrapasse a R$ 360.000,00 (trezentos e sessenta mil reais) para micro empresa e R$ 4.800.000,00 (quatro milhões e oitocentos mil reais) para empresa de pequeno porte e respeitando os demais requisitos previstos na Lei.

Nesse regime, o empreendedor poderá recolher os seguintes tributos e contribuições, por meio de apenas um documento fiscal – o DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional), que é gerado no

Portal do SIMPLES Nacional: http://www8.receita.fazenda.gov.br/SimplesNacional/

  • IRPJ (imposto de renda da pessoa jurídica);
  • CSLL (contribuição social sobre o lucro);
  • PIS (programa de integração social);
  • COFINS (contribuição para o financiamento da seguridade social);
  • ISS (imposto sobre prestação de serviços)
  • INSS (contribuição para a Seguridade Social relativa à parte patronal).

Conforme a Lei Complementar nº 123/2006 e alterações, este ramo de atividade é tributado pelo anexo III do SIMPLES Nacional e as alíquotas variam de 6% a 33%, dependendo da receita bruta auferida pelo negócio. No caso de início de atividade no próprio ano-calendário da opção pelo SIMPLES Nacional, para efeito de determinação da alíquota no primeiro mês de atividade, os valores de receita bruta acumulada devem ser proporcionais ao número de meses de atividade no período.

Exemplo 2: Pague fácil NÃO optante do SIMPLES Nacional

Alguns empreenderes podem não optar pelo Simples Nacional, ou o tipo de atividade não é permitido, veja o anexo do Comitê Gestor do Simples Nacional – Resolução CGSN nº 119, de 19 de dezembro de 2014.

Para estes casos há os regimes de tributação abaixo:

1 – Lucro Presumido: É a apuração do tributo sobre o lucro que se presume através da receita bruta de vendas de mercadorias e/ou prestação de serviços. Trata-se de uma forma de tributação simplificada utilizada para determinar a base de cálculo dos tributos sobre o lucro das pessoas jurídicas que não estiverem obrigadas à apuração pelo Lucro Real. Nesse regime, a apuração dos tributos é feita trimestralmente.

A base de cálculo para determinação do valor presumido varia de acordo com a atividade da empresa. Sobre o resultado da equação: Receita Bruta x 32%, aplica-se as alíquotas de:

IRPJ – 15%.Poderá haver um adicional de 10% para a parcela do lucro que exceder o valor de R$ 20 mil, no mês, ou R$ 60 mil, no trimestre, uma vez que o imposto é apurado trimestralmente;
CSLL – 9%.Não há adicional de imposto.

Ainda incidem sobre a receita bruta os seguintes tributos, que são apurados mensalmente:

PIS – 0,65%sobre a receita bruta total;
COFINS – 3%sobre a receita bruta total.

2 – Lucro Real: É o cálculo do tributo sobre o lucro líquido e a empresa realmente obteve no período de apuração, ajustado pelas adições, exclusões ou compensações estabelecidas em nossa legislação tributária. Este sistema é o mais complexo, mas poderá ser mais vantajoso em comparação com lucro presumido e por isso, deverá ser bem avaliado por um contador. As alíquotas para este tipo de tributação são:

IRPJ – 15%.Sobre a base de cálculo (lucro líquido). Haverá um adicional de 10% para a parcela do lucro que exceder o valor de R$ 20 mil, multiplicado pelo número de meses do período. O imposto poderá ser determinado trimestralmente ou anualmente;
CSLL – 9%.determinada nas mesmas condições do IRPJ;

Ainda incidem sobre a receita bruta os seguintes tributos, que são apurados mensalmente:

PIS – 1,65%sobre a receita bruta total, compensável;
COFINS – 7,65%sobre a receita bruta total, compensável.

Incidem também sobre a receita bruta o imposto municipal:

– ISSQN – Calculado sobre a receita de prestação de serviços, varia conforme o município onda a empresa estiver sediada, entre 2% e 5%.

Além dos impostos citados acima, sobre a folha de pagamento incidem as contribuições previdenciárias e encargos sociais (tanto para o lucro real quanto para o lucro presumido):

  • INSS – Valor devido pela Empresa – 20% sobre a folha de pagamento de salários, pró-labore e autônomos;
  • INSS – Autônomos – A empresa deverá descontar na fonte e recolher entre 11% da remuneração paga ou creditada a qualquer título no decorrer do mês a autônomos, observado o limite máximo do salário de contribuição (o recolhimento do INSS será feito através da Guia de Previdência Social – GPS).
  • RAT – Risco de Ambiente do Trabalho – de 1% a 3% sobre a folha de pagamento de salários dependendo do grau de risco da atividade econômica, recolhida junto com a guia de INSS.
  • INSS Terceiros – Contribuições Sociais recolhidas junto com a guia de INSS, calculada sobre a folha de pagamento com alíquota entre 0,8% a 7,7% dependendo da atividade econômica, destinadas aos serviços sociais e de formação profissional tais como: SESI, SESC, SENAI, SEBRAE, Incra, dentre outros.
  • FGTS – Fundo de Garantia por tempo de serviço, incide sobre o valor da folha de salários a alíquota de 8%.

Recomendamos que o empreendedor consulte sempre um contador, para que ele o oriente sobre o enquadramento jurídico e o regime de tributação mais adequado ao seu caso.

A busca constante por melhorias nos processos produtivos, por informações sobre o segmento, sobre novas tecnologias, bem como informações sobre consumo, produção e políticas públicas setoriais devem fazer parte das práticas de gestão dos empreendedores de qualquer setor. A atualização é uma atividade que deve ocorrer constantemente, pois novas informações surgem a cada momento. Os eventos são locais onde as novidades emergem.

Para este segmento seguem algumas sugestões de eventos importantes:

A feira será uma excelente oportunidade para fechar novos negócios e estar totalmente atualizado com o que há de mais novo no mundo empresarial.

Selecionamos alguns dos eventos importantes para o segmento de representação comercial, é fundamental que o empreendedor, procure eventos, feiras e palestras que agreguem valor ao seu negócio e aos profissionais envolvidos.

A seguir, são indicadas as principais entidades que têm alguma relação com o setor no qual está inserida essa atividade. Elas podem auxiliar o empreendedor fornecendo informações inerentes ao negócio:

As normas técnicas aplicáveis são divulgadas pelas próprias instituições financeiras contratantes (Caixa Econômica, Banco do Brasil, HSBC, etc.).

O segmento de correspondente bancário, evolui constantemente e o empresário precisa buscar informações para não perder mercado. Conhecer os principais termos e ou neologismos criados para o negócio é importante para manter-se atualizado.

Nos links abaixo o empreendedor conhecerá as principais referências do setor:

Empreender em um pague fácil, exige planejamento, quanto maior o planejamento maior será as chances de sucesso no negócio. O tempo que se gasta antes de começar é dinheiro que se deixa de perder: os problemas, prováveis ou meramente possíveis, já foram pensados e a solução, equacionada antes que eles se transformem em perdas.

Este segmento de negócio, apresenta altos riscos e o empreendedor, deve estar consciente de que enfrentará uma concorrência expressiva e por isso mesmo terá que se dedicar bastante, principalmente, no início das atividades do novo empreendimento, tanto na parte comercial, quanto na parte operacional e de gestão administrativo e financeira da empresa.

O empreendedor que busca o sucesso como correspondente bancário, precisa possuir características relacionadas às funções que serão exigidas no dia a dia do negócio. Algumas dessas características já nascem com os empreendedores e outras podem ser desenvolvidas por meio do aprendizado e da prática. Todas têm seu grau de importância, mas algumas se destacam como primordiais na essência desse negócio específico

1 – Características que diferenciam um empreendedor no setor de pague fácil:

  • ·        Ter equilíbrio pessoal diante de situações inesperadas;
  • ·        Experiência ou conhecimento do setor bancário;
  • ·        Ser ético e agir com base e valores pessoais;
  • ·        Ter empatia e identificar-se com o cliente;
  • ·        Capacidade de liderar equipes;
  • ·        Perfil negociador;
  • ·        Interessado em buscar novas informações;
  • ·        Capacidade de planejar e gerir atividades técnicas;
  • ·        Conhecimento e habilidades administrativas;
  • ·        Conhecimento em técnicas comerciais e de marketing;
  • ·        Capacidade de estabelecer vínculos com os clientes;
  • ·        Conciliador entre apresentação técnica e utilização pratica.

2 – Características para a qualidade no atendimento ao cliente:

  • ·        Ter carisma pessoal;
  • ·        Comunicar-se de forma clara e objetiva;
  • ·        Preocupar-se com questões que envolvem o bem-estar do cliente;
  • ·        Ser cordial em todos os momentos da negociação;
  • ·        Comportamento de parceria entre cliente e representada;
  • ·        Enxergar o concorrente como possível parceiro no negócio.

3 – Para uma boa administração são competências fundamentais:

  • ·        Cumprir compromissos funcionais;
  • ·        Assiduidade e pontualidade;
  • ·        Compromisso com prazos e tarefas;
  • ·        Disponibilidade de tempo para reuniões de planejamento;
  • ·        Disposição para organizar e documentar as informações de clientes.

Um empreendedor “saberá aprender o que for necessário para a criação, desenvolvimento e realização de sua visão”. (DOLABELA, 1999 p. 70). Considerando-se esta afirmativa, percebe-se em qualquer área que se deseje atuar é preciso estar disposto a aprender. Para aumentar as chances de sucesso é fundamental que o empreendedor desenvolva as competências e habilidades relacionadas ao negócio.

Para o segmento de pague fácil, é comum que os bancos que a empresa irá representar, ofereçam financiamentos diferenciados para aquisição de equipamentos. Consulte sempre as melhores taxas e serviços.

Ao empreendedor não basta vocação e força de vontade para que o negócio seja um sucesso. Independentemente do segmento ou tamanho da empresa, necessário que haja um controle financeiro adequado que permita a mitigação de riscos de insolvência em razão do descasamento contínuo de entradas e saídas de recursos. Abaixo, estão listadas algumas sugestões que auxiliarão na gestão financeira do negócio:

  • ·        Fluxo De Caixa: Em um pague fácil, é fundamental controlar as despesas da empresa, isso é realizado por meio do acompanhamento contínuo da entrada e da saída de dinheiro através do fluxo de caixa. Esse controle permite ao empreendedor visão ampla da situação financeira do negócio, facilitando a contabilização dos ganhos e gestão da movimentação financeira.
  • ·        Capital de Giro: O período entre a prestação de serviço e o recebimento, pode ser longo e a necessidade de recursos será suprida pelo capital de giro. No entanto, ter esse recurso disponível não é suficiente porquanto ser premissa sua boa gestão, ou seja, somente deverá ser utilizado para honrar compromissos imediatos ou lidar com problemas de última hora.
  • ·        Princípio da Entidade: O patrimônio da empresa não se mistura com o de seu proprietário. Portanto, jamais se deve confundir a conta pessoal com a conta empresarial, isso seria uma falha de gestão gravíssima que pode levar o negócio à bancarrota. Ao não separar as duas contas, a lucratividade do negócio tende a não ser atingida, sendo ainda mais difícil reinvestir os recursos, gerados pela própria operação. É o caminho certo para o fracasso empresarial.
  • ·        Despesas: Assim como a maioria dos negócios, os pague fácil, possuem despesas fixas e variáveis que deverão ser horadas para evitar problemas futuros. Embora pequenas, o seu controle é essencial para que não reduzam a lucratividade do negócio.
  • ·        Reservas/Provisões: No caso dos pague fácil, a necessidade de provisões para troca de equipamentos eletrônicos ou aquisição de sistema modernos é uma necessidade deste modelo de negócio. Este recurso funcionará como um fundo de reserva.
  • ·        Empréstimos: Poderão ocorrer situações em que o empresário necessitará de recursos para alavancar os negócios. No entanto, não deverá optar pela primeira proposta, mas estar atento ao que o mercado oferece, pesquisando todas as opções disponíveis. Deve te cuidado especialmente com as condições de pagamento, juros e taxas de administração. A palavra-chave é renegociação, de forma a evitar maior incidência de juros.
  • ·        Objetivos: Definidos os objetivos, deve-se elaborar e implementar os planos de ação, visando amenizar erros ou definir ajustes que facilitem a consecução dos objetivos financeiros estabelecidos.
  • ·        Utilização de Softwares: As novas tecnologias são de grande valia para a realização das atividades de gerenciamento, pois possibilitam um controle rápido e eficaz. O empreendedor poderá consultar no mercado as mais variadas ferramentas e escolher a que mais adequada for a suas necessidades.

O empreendedor que deseja atuar no segmento de pague fácil, pode aproveitar todas as ferramentas de gestão e conhecimento criadas para ajudar a impulsionar o seu negócio. Para consultar a programação disponível em seu estado, entre em contato pelo telefone 0800 570 0800.

Confira as principais opções de orientação empresarial e capacitações oferecidas pelo Sebrae:

1 – Para desenvolver o comportamento empreendedor

  • Empretec – Metodologia da Organização das Nações Unidas (ONU) que proporciona o amadurecimento de características empreendedoras, aumentando a competitividade e as chances de permanência no mercado.

2 – Para quem quer começar o próprio negócio

As soluções abaixo são úteis para quem quer iniciar um negócio. Pessoas que não possuem negócio próprio, mas que querem estruturar uma empresa. Ou pessoas que tem experiência em trabalhar por conta própria e querem se formalizar

  • Plano de Negócios – O plano irá orientá-lo na busca de informações detalhadas sobre o ramo, os produtos e os serviços a serem oferecidos, além de clientes, concorrentes, fornecedores e pontos fortes e fracos, construindo a viabilidade da ideia e na gestão da empresa.

3 – Para quem quer inovar

  • Ferramenta Canvas online e gratuita – A metodologia Canvas ajuda o empreendedor a identificar como pode se diferenciar e inovar no mercado.
  • Sebraetec – O Programa Sebraetec oferece serviços especializados e customizados para implantar soluções em sete áreas de inovação.
  • ALI – O Programa Agentes Locais de Inovação (ALI) é um acordo de cooperação técnica com o CNPq, com o objetivo de promover a prática continuada de ações de inovação nas empresas de pequeno porte.
  • BACEN – Banco Central do Brasil
  • FEBRABAN -:Federação Brasileira das Associações de Bancos
  • PROCON -Coordenadoria de Proteção e Defesa do Consumidor

Tem um dúvida sobre a sua ideia? Experimente fazer uma pergunta para a nossa comunidade.

Explore outras ideais de negócios em sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ideias

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae

Esse é o perfil institucional do Sebrae nessa comunidade. Quer saber mais sobre o Sebrae - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas? Acesse: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/canais_adicionais/o_que_fazemos

Me siga