Cadastrar

Entrar

Esqueceu a senha?

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por e-mail.

Desculpe!, Você precisa se logar para perguntar.

Você precisa se logar para postar no Blog

COMIDA QUE IRIA PARA A LATA DE LIXO PODE VIRAR UM ÓTIMO NEGÓCIO

COMIDA QUE IRIA PARA A LATA DE LIXO PODE VIRAR UM ÓTIMO NEGÓCIO

Salvar comida boa do desperdício gera lucros e rende um lucro interessante para todas as partes, como comprova a Food to Save

Escoar os excedentes de produção, aqueles produtos próximos à data de validade, o que não foi vendido ao longo do dia ou com pequenas imperfeições estéticas, que acabam sendo rejeitados e sobram nas gôndolas. Essa atitude resolve três problemas em uma fornada só: evita o desperdício de alimentos (41 mil toneladas de alimentos perfeitamente aptos ao consumo são jogadas nos lixos brasileiros, diariamente); ameniza a fome e a falta de acesso a produtos de qualidade; e gera lucro, ao invés de prejuízo, aos fabricantes e revendedores de alimentos. 

Lucas Infante, CEO da Food to Save, conta que a empresa se apoia nesse tripé sustentabilidade-social-lucro para agradar a todas as partes. 

Vídeo 01

Assista o vídeo com a entrevista de Lucas Infante, da Food to Save, em que ele explica como funciona o projeto.

Se preferir, pode ouvir neste podcast.

“Nós conseguimos dar uma nova oportunidade, disponibilizando alimentos em perfeitas condições de consumo na nossa plataforma, através de sacolas surpresa para milhares de usuários que estão dispostos a lutar contra o desperdício de alimentos”.

Permitir acesso a produtos normalmente fora do padrão de consumo das pessoas é o apelo social da empresa que, ao disponibilizar produtos que seriam descartados de forma incorreta, produz um considerável impacto ambiental. Hoje, 10% da emissão de gases responsáveis pelo efeito estufa corresponde ao desperdício de alimentos no mundo. Porém, apesar de agradar ao público engajado na questão sustentável e equalizar em certa medida a dificuldade de acesso, o foco principal da Food to Save é, mesmo, oferecer produtos saborosos e aptos para consumo com até 70% de desconto.

“Então as pessoas estão recebendo o benefício de conhecer produtos de qualidade, a sociedade ganha por evitar o descarte incorreto dos alimentos e o estabelecimento está sendo monetizado, recebendo dinheiro por um produto que seria destinado ao lixo”, comenta Lucas sobre o ciclo virtuoso provocado pela Food to Save.

Quem fabrica alimentos para vender tem que lidar diariamente com o preço dos insumos em uma ponta e, na outra, driblar o desperdício dos pratos que não foram vendidos, embora perfeitos para o consumo. Imagine um sistema que reduz o custo de ingrediente para deliverys, restaurantes, marmitarias e, ainda, vende os produtos no limite, mas ainda dentro do prazo de validade? A Food to Save imaginou.

Vídeo 02

Veja aqui as vantagens de resgatar vender os produtos que seriam descartados tanto para o vendedor, quanto para sua empresa e mesmo para o consumidor final.

Se preferir, pode ouvir neste podcast.

A proposta da empresa é afastar o produto da lata de lixo. “No Brasil, muitos alimento são desprezados por fatores estéticos, todo mundo quer um alimento de visual perfeito”, comenta Lucas. “É totalmente desconexo, quando você fala de mais de 20 milhões de pessoas passando fome, milhões de outras pessoas em insegurança alimentar. Queremos quebrar essa barreira cultural que nos ensina que ´é melhor sobrar do que faltar´ porque não está sobrando de verdade, e sim indo para o lixo”.

A indústria alimentícia é abundante, precisamos aprender a utilizar o que temos. Assim, a Food to Save criou um modelo muito atrativo, no qual por um valor que pode ser R$10,99, R$15,99 ou R$20,99, a empresa fica com um percentual e outro parte é revertida ao estabelecimento. “Aquele produto que seria descartado, um prejuízo para o estabelecimento – nem estou entrando no aspecto ambiental, estou falando no viés de negócio – ao ser monetizado, se torna uma receita adicional”, diz Lucas.  

O desafio de criar um aplicativo na área de alimentação não é maior do que tantos outros que enfrentamos, como o do reaproveitamento de materiais, o combate ao desperdício e à fome em si. 

Vídeo 03

Lucas Infante explica que esta iniciativa tem por metas a redução do desperdício de alimentos, uma atuação em prol da sustentabilidade ambiental e trazer,  benefícios sociais na medida em que oferece comida de boa qualidade por preços baixos. Vale a pena conhecer a experiência da Food to Save. 

Se preferir, pode ouvir neste podcast.

Telegram


Parar ver mais dicas e novidades participe da NOVA COMUNIDADE
SEBRAE IDEAS DE NEGÓCIO, no Telegram.

Acesse e conheça todas as comunidades,
uma delas fala sobre o seu negócio!

Sebrae

Sebrae

Sebrae
Esse é o perfil institucional do Sebrae nessa comunidade.
Quer saber mais sobre o Sebrae - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas?
Acesse:
http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/canais_adicionais/o_que_fazemos

You must login to add a comment.

Posts relacionados