CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Inadimplência das empresas bate recorde em 2015

A Serasa divulgou em agosto um estudo revelando que a quantidade de empresas inadimplentes bateu recorde. São mais de 4 milhões de negócios que devem, juntas, mais de 90 bilhões de reais. Saiba mais em: http://noticias.serasaexperian.com.br/inadimplencia-de-consumidores-e-empresas-bate-recorde-historico-afirma-estudo-da-serasa-experian/ Outra informação da Serasa aponta que a inadimplência na modalidade "cheque sem fundos" atingiu o maior patamar da história para o mês de setembro. Saiba mais em: http://noticias.serasaexperian.com.br/inadimplencia-com-cheques-atinge-o-maior-patamar-da-historia-para-o-mes-de-setembro-revela-serasa-experian/  

Ler mais ou responder
Como controlo a inadimplência da minha clientela?

[caption id="attachment_34327" align="alignleft" width="350"] Confira dicas para reduzir a falta de pagamento[/caption] Cuidar do índice de inadimplência é uma forma de manter a finanças do negócio em dia. Neste post, você confere estratégias para evitar que os clientes deixem de pagar os produtos adquiridos no seu negócio. Confira: 1) Cobrança instantânea Quanto mais rápida, mais eficaz será. Recomenda-se iniciar a cobrança, por telefone, entre 3 e 10 dias do atraso do pagamento. 2) 30 dias Entre em contato com o cliente antes de sua dívida completar 30 dias, pois segundo um estudo realizado pelo Serasa em 2011, a chance de receber a dívida é de 60% nos primeiros 30 dias, e cai ao longo do tempo. 3) Cobrança prévia ...

Ler mais ou responder
Desemprego é a causa da inadimplência, revela pesquisa da Boa Vista SCPC

O desemprego ainda é a principal causa da inadimplência para 36% dos consumidores entrevistados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). O descontrole financeiro é a segunda causa mais comum para a inadimplência, com 28% das menções. Em terceiro lugar, empréstimo do nome a terceiros (12%). A pesquisa Perfil do Inadimplente do 4º trimestre de 2014 ouviu cerca de 1.000 consumidores que possuem alguma dívida vencida e não paga registrada no banco de dados da Boa Vista SCPC, que buscaram orientação no balcão de atendimento ao consumidor. O levantamento é aplicado trimestralmente com consumidores inadimplentes. Os resultados devem ser lidos considerando-se 95% de grau de confiança e margem de ...

Ler mais ou responder

Estudo realizado pela Serasa Experian comparou a demanda por crédito e o risco de inadimplência de cerca de oito mil empreendedores participantes do Sebrae Mais e outras 20 mil empresas do cadastro da Serasa que nunca receberam capacitação. Os resultados demonstraram que os empreendimentos atendidos pelo Sebrae Mais têm maior demanda de crédito e menor risco de inadimplência que os outros avaliados. "Notamos, em uma primeira análise, que 65% das empresas que participaram do programa tinham alto índice de consultas na Serasa, e que apenas 11% dos empreendimentos não atendidos pelo Sebrae tinham essa característica", revela Rodrigo Sanchez, gerente corporativo de Informações sobre Negócios da Serasa Experian. O estudo ...

Ler mais ou responder

A inadimplência das pessoas jurídicas cresceu 2,3% em novembro, na comparação com outubro último, conforme revela o Indicador Serasa Experian de Inadimplência das Empresas. Foi a segunda alta mensal consecutiva registrada pelo levantamento. O indicador também apontou elevações nas variações anual e acumulada. Na relação de novembro de 2013 com igual mês do ano anterior, a inadimplência nos negócios cresceu 6,7%, ao passo que na comparação entre os acumulados de janeiro a novembro de 2013/2012 o aumento foi de 1,9%. De acordo com os economistas da Serasa Experian, a sequência de elevações das taxas de juros, encarecendo o custo financeiro das empresas, as oscilações da taxa de câmbio e o atual cenário de ...

Ler mais ou responder

Após ter atingido o recorde histórico de 96,4% em setembro/13, a pontualidade de pagamentos das micro e pequenas empresas recuou para 95,8% em outubro/13. Isto significa que durante o mês passado, a cada 1.000 pagamentos realizados, 958 foram quitados à vista ou com atraso máximo de sete dias. De acordo com os economistas da Serasa Experian, a sequência de elevações das taxas de juros, encarecendo o custo financeiro das empresas, as oscilações da taxa de câmbio e o atual cenário de desaceleração da economia contribuíram para o recuo, em outubro, da pontualidade de pagamento das micro e pequenas empresas. Todavia, embora tenha recuado em relação à setembro/13, a pontualidade de pagamento das ...

Ler mais ou responder

A inadimplência das pessoas jurídicas cresceu 2,9% em julho, conforme revela o Indicador Serasa Experian de Inadimplência das Empresas. O levantamento também verificou elevações nas comparações anual e acumulada. Na relação entre julho e igual mês do ano anterior, o avanço foi de 4,6%, ao passo que na relação entre os acumulados de janeiro a julho de 2013/2012, foi de 1,8%. Para os economistas da Serasa Experian, a elevação da inadimplência das empresas em julho, frente a junho, é fruto de uma conjuntura desafiadora, fundamentada na baixa atividade econômica, na valorização do dólar, que aumenta o endividamento das empresas comprometidas nessa divisa; nos juros altos, que tornam o capital de giro mais ...

Ler mais ou responder

O dia 1º de agosto representou o marco na implementação do Cadastro Positivo. As instituições financeiras iniciaram o compartilhamento de informações dos bons pagadores com as entidades gestoras do Cadastro Positivo. São entidades como Serasa e SPC que se responsabilizam por coleta, armazenamento, análise e acesso de terceiros aos dados armazenados. Pessoas jurídicas também podem participar do Cadastro Positivo. A adesão é voluntária e pode ser feita a partir do preenchimento de um formulário que autoriza suas inclusões. Como funciona? O empresário deve entrar em contato com o banco e solicitar a inclusão de seu CNPJ no Cadastro Positivo, autorizando formalmente a análise de seu histórico como bom pagador. Basta autorizar em ...

Ler mais ou responder

[caption id="attachment_2442" align="alignright" width="300"] Milton Luiz de Melo Santos, diretor-presidente da Desenvolve-SP (Foto: Gabriela Gasparin/G1)[/caption] Matéria publicada no portal de notícias G1 destaca destaca os principais fatores citados por Milton Luiz de Melo Santos, diretor-presidente da Desenvolve-SP, durante palestra em São Paulo, e que dificultam pequenos e médios empresários na hora de conseguir um empréstimo. Ele ressaltou que, antes de conceder um empréstimo, o banco analisa se a empresa vai conseguir pagar o dinheiro de volta e ainda honrar as demais contas. Nesse sentido, informações que permitam à instituição financeira fazer o cálculo desse retorno são requisitos essenciais ...

Ler mais ou responder

Análise realizada pelo Sebrae/MG revelou que 10.46% dos microempreendedores individuais de todo o Brasil estão concentrados em Minas Gerais. Isso porque, até maio de 2013, dos 400.023 formalizados no país, 46.202 são mineiros. A maior parte dos empreendedores estão localizados na região central do Estado, que contempla a Região Metropolitana de Belo Horizonte. Em seguida, aparecem as regiões Sul, a Zona da Mata e o Triângulo Mineiro. O levantamento também quis saber, entre os optantes do Simples Nacional, quantos microempreendedores individuais entregaram a DASN-SIMEI (Declaração Anual do Simples Nacional - Microempreendedor Individual) no Estado. Em 2013, 65.36% desse público entregou a declaração. Em 2012, esse número havia sido 60.72%. Já com relação às atividades econômicas desenvolvidas pelos microempreendedores individuais formalizados, a pesquisa constatou que 11.44% atuam ...

Ler mais ou responder

RICARDO LOUREIRO* A presidente Dilma Rousseff assinou, no dia 18 de outubro, o decreto que regulamenta a Lei do Cadastro Positivo. Agora, essa importante infraestrutura conta com regulamentação específica, que permitirá avanços mais vigorosos na direção do aumento da eficiência na concessão de crédito. Aguardamos o último e definitivo passo: as diretrizes a serem definidas pelo Conselho Monetário Nacional, que vão normatizar formalmente a participação das instituições financeiras. Temos grande expectativa de que sua implementação abrirá reais perspectivas de combate às elevadas taxas de inadimplência, que afetam negativamente tanto credores quanto consumidores. Em todos os mercados em que opera, o cadastro positivo contribuiu significativamente com a redução das taxas de juros, permitindo acesso ao ...

Ler mais ou responder
Cheque: de meio de pagamento para importante instrumento de crédito

Ainda é oportuno realizar negócios com cheque, principalmente porque se constitui em um meio democrático de acesso a crédito na sua forma pós-datada e ainda é muito utilizado O cheque tem sido cada vez menos usado no Brasil, mas representa o segundo maior meio de pagamento em volume de valores transacionados. Segundo o Banco Central, só em 2010, foram movimentados cerca de 2,7 trilhões de reais em cheques, com um valor médio por folha de R$ 1.003,00. Pesquisas da Telecheque mostram que mais de 80% dos cheques são pós-datados. O ...

Ler mais ou responder