CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

O skate e suas oportunidades de negócios sustentáveis

O skate e suas oportunidades de negócios sustentáveis

Os skates, além das roupas e dos acessórios destinados ao esporte, movimentam vendas de R$ 1 bilhão no país. O setor aposta em um forte potencial de crescimento e esse otimismo é decorrente do contínuo aumento do número de praticantes da modalidade. Atualmente, estima-se que haja quatro milhões de praticantes, dos quais a maioria se concentra nas capitais das regiões Sul e Sudeste.

A pesquisa mais recente da Confederação Brasileira de Skate (CBS) é de 2009, quando o Brasil se posicionou em segundo lugar no ranking mundial da modalidade, atrás apenas dos Estados Unidos. Na ocasião, o perfil de skatista brasileiro foi estratificado por classe social, revelando que:

  • 42% dos praticantes estavam na classe A e B, sendo que 8% na A e 34% na B;
  • 33% na classe C;
  • 25% nas classes D e E.

Porém, o aumento da prática esportiva em todas as classes sociais, independente de modalidade, tem estimulado o setor e gerado melhores expectativas para os negócios das cadeias produtivas do mercado de esportes de aventura. Isso é o que apontou a Adventure Sports Fair (ASF), feira que integra o setor, na edição de 2014.

Uma pesquisa apresentada na feira (“The Sports Goods Maket in Brazil”) revelou que o aumento da prática esportiva no Brasil aproxima-se dos mercados mais desenvolvidos. Na Classe A, somente 13% não pratica nenhum esporte, índice que sobe para 20% na B e 30% na C.

Como qualquer outro negócio, o skate também gera lixo e a perspectiva de crescimento da prática do esporte sinaliza, consequentemente, a tendência de aumento dos resíduos, sejam provenientes da produção ou do descarte pós-consumo.

A sustentabilidade nos negócios

Skate 1De olho neste mercado, mundo afora, praticantes do esporte vêm desenvolvendo alternativas que demonstram algumas oportunidades de negócios sustentáveis. Um exemplo disso são as empresas EQO Optics do Colorado, nos Estados Unidos, e da Vuerich B. de Barcelona, Espanha, que, de forma criativa e inovadora, a partir do reaproveitamento de skates usados, transformaram os descartados em óculos de sol.

A marca espanhola intitulou sua linha de “Skateboard Sunglasses”, e utiliza, assim como a marca americana, shapes de skates reciclados como matéria-prima para suas armações. As camadas que compõem um skate criam variações infinitas de cores, o que fornece a cada peça um caráter único, aliado com o acabamento super detalhado.

Para criar as peças é feita uma compressa com todos os shapes recolhidos, depois tem a parte da colagem, corte, acabamento e pronto. O resultado é uma armação colorida, bem original, a prova d’água, e que flutuam. A EQO Optics criou parcerias com grupos de skatistas que doam os materiais e buscam capital por meio da campanha Kickstarter para então começar a fabricação em maior escala, marketing e distribuição. Segundo os idealizadores Jon Winfrey e Ryan Vecchiarelli o projeto vai além, e busca um futuro de skate mais sustentável e responsável.

Skate 2O argentino Ezequiel Galasso, especializado na construção e no reparo de instrumentos de corda, amante do rock e do skate se juntou com Gianfranco de Gennaro Gilmour para criar uma linha de guitarras feitas com shapes de skates velhos.

O estudante de design finlandês Björn Holm, outro apaixonado por skate, em vez de jogar os skates fora, ele os transformou em pranchas de surf. Colecionando seus exemplares antigos e também os modelos usados por amigos, Holm aproveita as tábuas e pedaços de madeira para confeccionar a “Reto”, prancha de surf reciclável.

 

Do mar para as ruas

A prova da diversidade de produtos que podem ser desenvolvidos a partir de skates usados também impacta o segmento de móveis e decoração de interiores, que também tem se valido muito do design característico desses patins sob pranchas para oferecer ao mercado mesas, bancos e cadeiras, entre outros objetos criativos.

Porém, as oportunidades de negócios sustentáveis nessa cadeia produtiva também têm uma rota inversa. Isto é, a produção do skate a partir da reciclagem de outras matérias primas. Um exemplo disso vem do litoral do Chile, onde redes de pesca que antes eram lixo no oceano pacífico agora estão sendo recicladas para fabricar skates.

O projeto Bureo Skateboard, financiado pela Universidade Northwestern (Chicago), pelo governo chileno, além de outras doações, é iniciativa de dois jovens empresários americanos, que começaram com uma produção inicial de dois mil peças.

Em todos os oceanos, há cerca de 640 mil toneladas de redes de pesca abandonadas e este valor é apenas um décimo do total de resíduos no planeta. O Chile foi o país escolhido para o projeto porque lá funciona uma das principais indústrias pesqueiras do mundo.

 

Dicas para o desenvolvimento de produtos

Assista ao vídeo no link abaixo a respeito de inovação, que aborda importantes dicas para projetos de desenvolvimento de novos produtos:

Veja também mais conteúdos relacionados ao tema em:

  • Pesquisa Datafolha 2009 – Praticantes de Skate

 

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae

Esse é o perfil institucional do Sebrae nessa comunidade. Quer saber mais sobre o Sebrae - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas? Acesse: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/canais_adicionais/o_que_fazemos

Me siga