CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Terceira idade: como e porque adequar sua loja a esse público

Terceira idade: como e porque adequar sua loja a esse público

Por Renata Maffezoli

Com a expansão da renda da população, aumento da qualidade de vida e, consequentemente, da expectativa de vida, o consumidor da terceira idade ganha ainda mais destaque. Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em 14 anos, os idosos vão representar 29,3% da população brasileira. Outro dado relevante: aqueles com idade acima de 50 anos já respondem por 43% da classe com renda acima de dez salários mínimos.
Segundo Paulo Carramenha, diretor geral da GfK e professor do Núcleo de Estudos da Embalagem da ESPM, ocorre uma mudança significativa no perfil do consumidor dessa faixa etária, que deve se consolidar nos próximos anos. Os clientes da terceira idade hoje têm mais disposição e maior poder de compra. E têm também maior predisposição de frequentar diferentes lojas.
De acordo com o especialista, a partir desse comportamento é possível identificar oportunidades. O autosserviço precisa estar atento a essas possibilidades e se adaptar para corresponder à expectativa desse grupo. “Um público cada vez maior merece um olhar especial”, observa.
Carramenha destaca outro dado do IBGE, que deve motivar os varejistas a dar mais atenção à terceira idade. Em 2006, o rendimento desse público somava R$ 16 bilhões de reais ao ano. Para 2020, a estimativa é que esse montante cresça para R$ 25 bilhões.
Veja abaixo algumas dicas para que sua loja possa se adequar a esse novo público:
– Diminuir o turnover: as pessoas de maior idade se sentem mais confortáveis em ambientes onde recebem tratamento personalizado, ao serem reconhecidas pelos atendentes.
– Vale a pena também investir em treinamento da equipe. Tais consumidores prezam a interação humana, por isso gostam de atenção e valorizam o atendimento de pessoas que se mostram pacientes.
– Adaptar a loja às dificuldades físicas desses novos consumidores: substituir escadas por rampas, reforçar a iluminação, aumentar o tamanho das letras das placas de sinalização são algumas dicas.
– Atenção na disposição dos produtos: os itens mais procurados devem ter exposição privilegiada, de fácil alcance.
– Além da exposição, é preciso atenção especial ao sortimento. Procure oferecer produtos que atendam a necessidade de consumo desses clientes.
Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae MercadosSebrae