CADASTRAR

Entrar

Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Enviar mensagem

Entrar

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Dicas para abrir e manter o negócio durante a crise

Dicas para abrir e manter o negócio durante a crise

A crise econômica que o Brasil está
vivendo pode não fazer muita diferença para grandes empresas. Já para os
pequenos negócios, pode causar um forte impacto. Foi pensando em combater o
problema que o site O Globo publicou, na manhã de hoje (27), dez dicas para
ajudar o empreendedor a abrir e manter uma empresa durante a crise.

A matéria destaca, também, que os
principais problemas para os pequenos comércios são a retração do consumo, o
crédito mais caro e a elevação do desemprego.
Confira as dez dicas levantadas
pelo site para enfrentar a crise:
  1. Antes
    de abrir uma empresa, pesquise quem são os concorrentes, fornecedores e
    consumidores e quais as suas necessidades;
  2. Busque
    orientação de um profissional, colete opiniões com especialistas experientes e
    se aproxime ao máximo de seu mercado-alvo. Instituições como o Sebrae a AgeRio
    dão esse suporte;
  3. Você
    precisa de um empréstimo para fazer investimentos no negócio? Pesquise muito as
    taxas de juros do mercado. Geralmente, instituições públicas têm as melhores,
    como a Agência Estadual de Fomento (AgeRio, o Banco do Brasil e a Caixa
    Econômica);
  4. Desenvolva
    periodicamente relatórios que lhe permitam avaliar a saúde financeira da
    empresa;
  5. Se o
    movimento de clientes diminuir, você precisará adequar a estrutura do negócio à
    nova realidade econômica, estudando onde cortar custos;
  6. Tenha
    o “pé no chão” e esteja bem informado: o excesso de confiança e a
    falta de atenção aos indicadores econômicos, como inflação e taxas de juros,
    podem levar uma empresa a entrar em um cenário de crise;
  7. A
    vontade de abrir um negócio em um determinado ramo não pode se sobrepor à
    realidade. Então, analise se realmente é o momento certo de criar a empresa.
    Alguns setores, como o de alimentos e o de cuidados pessoais, são menos
    sensíveis à crise econômica do que outros;
  8. Se
    você foi ou acredita que será demitido, não aposte todo o seu dinheiro – do
    Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e da rescisão – na abertura do
    negócio, sem ter estudado profundamente o mercado antes;
  9. Antes
    mesmo de perder o emprego, você deve estudar o mercado, fazendo cursos e lendo
    livros. É o tempo que você também pode usar para juntar mais capital para
    investir no negócio;
  10.  Se,
    depois de analisar que não tem recursos e nem conhecimento para abrir sua micro
    ou pequena empresa sozinho, busque um empreendedor já consolidado que esteja a
    fim de ampliar o negócio e proponha uma sociedade.

Além disso, saber quais são as
atividades mais promissoras de 2015 podem ajudar o empreendedor. Segundo o
Sebrae, as áreas que mais podem prosperar em 2015 são  preparo de alimento para consumo domiciliar e
comércio de alimentos; construção, instalações elétricas, sanitárias, hidráulicas
e de gás; confecção e comércio de roupas, atividades de estética e beleza,
comércio de cosméticos; entre outros.
A matéria também destaca que o número de
empreendedores afrodescendentes cresceu. Uma pesquisa do Sebrae revelou que 50%
dos empreendedores são negros, enquanto 49% são brancos e 1% pertence a outras
categorias raciais. O presidente
do Sebrae, Luiz Barretto, ressaltou, porém, que as diferenças de escolaridade e
de renda entre empreendedores brancos e negros vêm caindo nos últimos anos.
“Além disso, a atividade empreendedora deixou de ser um caminho emergencial
para quem não tinha alternativa de renda e, cada vez mais, é buscada pela
identificação de uma oportunidade”, afirmou.
Fonte: O Globo

Deixe um comentário

Sobre Lucio PiresBoas respostas

Analista Técnico do Sebrae Nacional. Trabalho com negócios e conteúdos digitais, especialista em Gestão de Pequenos Negócios (FIA), Advogado especialista em Direito Empresarial, Matemático com especialização em Finanças.

Me siga