CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Como montar uma creche

Como montar uma creche

Confira uma ideia de negócio completa sobre Como montar uma creche. Abaixo dividimos o conteúdo em tópicos como mercado, custos, pessoas, investimentos, divulgação, exigências legais e mais dicas.

Com os avanços da vida moderna e pais e mães que trabalham fora de casa, muitas famílias optam em deixar seus filhos em creches. As creches são locais especializados em cuidados com bebês e crianças na primeira infância, que proporcionam cuidados e atividades pedagógicas adequadas para o estímulo a bebês e crianças. Com isso, abrir uma creche transformou-se em uma opção de negócio rentável e prazeroso.

Para João Batista Araújo e Oliveira, Presidente do Instituto Alfa e Beto, uma creche é boa quando contribui para promover o desenvolvimento harmônico da criança.  “Para cumprir sua função, precisa acolher as crianças com carinho, apresentar à elas estímulos adequados aos vários aspectos do seu desenvolvimento e trabalhar em sintonia com as famílias”, aponta.

Dentro os serviços, de uma creche podemos destacar:

  • Berçário
  • Espaço especial, localizado próximo a secretária e administração, planejado para transmitir sensações de segurança e tranquilidade, onde são desenvolvidas atividades psicomotoras. Profissionais com larga experiência no trato com bebês fazem parte da assistência direta.
  • Hotelzinho
  • Tanto berçário quanto escola, têm a opção do serviço de hotelzinho para aqueles dias em que exista a necessidade de permanência adicional da criança na creche.
  • Salas de Referência
  • Especialmente construídas para o fim a que se destinam, possibilitam a criação de vários espaços internos temporários para as atividades programadas. Possuem janelas amplas que permitem as crianças visualizarem a área externa.
  • Brinquedoteca
  • Com móveis, brinquedos, livros infantis, palco e fantasias, permitem as crianças, além das brincadeiras, momentos importantes para exercitar a criatividade, através do ” faz de conta”, vivenciados papéis sociais e desenvolvendo habilidades de comunicação.
  • Área Externa

Ampla, composta de: Playground, com brinquedos modulares, escorregadores, gangorras, casinhas, tanque de areia; Área de educação para o transito, com via para velocípedes e carrinhos;  Área coberta com brinquedos diversificados; Piscina infantil, cercada, com acesso controlado e visualização ampla de todos que circulam na creche, aumentando a segurança.

As creches não tem como foco principal a escolarização das crianças em primeiro plano. A atenção, será na desenvoltura das habilidades motoras e culturais. Entre as principais atividades oferecidas com este fim, estão as que estimulam:

  • A experimentação de objetos, texturas e brincadeiras
  • A linguagem oral e comunicação
  • A exploração do ambiente
  • A identidade e autonomia
  • A exploração artística e cultural
  • A linguagem musical e corporal

Normalmente o perfil de clientes que desejam colocar seus filhos em uma creche são pessoas que tem dificuldade para encontrar babás confiáveis ou buscam por um serviço mais barato do que este, para que possa exercer outras atividades, como trabalhar por exemplo. Com o aumento do número de mulheres do mercado de trabalho, mais frequentemente o serviço de creche se torna necessário para atendimento dessa demanda. Nesse contexto, as creches exercem hoje importante papel educacional para crianças de até três anos de idade.

Enfim, além do aspecto comercial é importante gostar do que irá fazer. Uma creche exigirá o convívio diário com crianças, que possuem comportamentos e temperamentos diferenciados, isso exige muito profissionalismo de todos os profissionais e cuidados especiais em todas as etapas e processos do negócio.

Para o sucesso de uma creche alguns fatores precisam ser observados: carinho e prazer em cuidar de crianças, atendimento humanizado e com alta qualidade.

Assim como outros modelos de negócios, montar uma creche exige do empreendedor conhecer detalhadamente os aspectos deste mercado.

  • ·        Nicho de Mercado: Em pesquisa realizada em 2017 pelo Ibope a pedido da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal (FMCSV) , revelou que mais de 70% dos pais reconhecem a importância de estabelecer um vínculo forte com a criança e de dedicar a ela cuidados que extrapolem o básico — alimentação, saúde e rotina. A conclusão é que na creche elas são, sim, mais estimuladas. A socialização, aliás, é vista pelos pais como a vantagem número 1 proporcionada aos filhos pela creche, seguida do acompanhamento de profissionais especializados, do acesso a atividades variadas e ao desenvolvimento do raciocínio.

O Inep não coleta dados de déficit de vagas, mas fazendo a correlação com os números populacionais, apenas 26% das crianças frequentam creches nos três primeiros anos de vida. Segundo dados do Senso escolar de 2015 e IBGE 2013, a FGV/DAPP consolidou a pesquisa e demonstrou que a cada 100 crianças, aproximadamente 30 tem acesso a uma vaga. O gráfico a seguir mostra o número de matrículas a cada cem crianças de 0 à 3 anos de idade.

O Estado com a maior proporção de capacidade de cobertura é Santa Catarina, seguido por São Paulo. Os dois Estados atendem cerca de 50% das crianças residentes em território estadual e que tem entre 0 e três anos. Nota-se que a capacidade de cobertura de atendimento em território nacional não é homogênea quando consideramos que apenas 8 Estados apresentam uma oferta acima da quantidade de matrículas média a cada cem crianças do país. Quando eliminamos desta contabilidade as creches privadas a média capacidade de atendimento frente a população de 0 à 3 anos cai para 19 matrículas a cada 100 crianças.

Para conhecer detalhadamente o cenário de creches e matriculas, acesse a Sala de Democracia Digital da FGV

  • ·        Maturidade do setor: Hoje, uma creche é uma instituição educacional que propõe uma forma inovadora de criar uma criança, onde ela recebe todos os fatores necessários, do físico ao intelectual. Os professores de uma creche são preparados em educação infantil, dedicando-se a crianças de 0 a 3 anos e dando aos pais a tranquilidade de que precisam para trabalharem sem preocupação.
  • ·        Tendências: Na maior parte das famílias atuais, pais ou responsáveis trabalham fora durante a semana. Consequentemente, as crianças precisam de alguém ou de alguma instituição confiável que possa estar com elas durante o período em que os adultos não estão em casa.
  • ·        Parcerias Estratégicas: As parcerias com o setor publico e com empresas pode ser um diferencial importante para manter um bom numero de crianças atendidas em uma creche particular. A parceria público-privada (PPP) , regulamentado por lei em 2004, é um acordo entre o setor público e a iniciativa privada para a realização de obras e prestação de serviços. A escolha delas acontece por meio de licitação. Por força de contrato, os serviços prestados têm de atender a critérios de qualidade e o poder público deve fiscalizá-los. Numa PPP bem-feita, o parceiro privado obtém lucro, o Estado gasta menos do que despenderia se arcasse sozinho com a tarefa e o cidadão recebe serviço melhor.

A demanda por creches é cada vez maior, e um bom planejamento, um plano de negócios detalhado pode garantir uma boa oportunidade de negócio.

A localização é um requisito determinante no processo de escolha da creche pelos pais. Por isso, é importante estar a par dos hábitos, do perfil e do poder aquisitivo da vizinhança local, pois este provavelmente, será o primeiro grupo interessado em conhecer sua creche.

Analise todas as situações, tais como: estacionamento, itinerários, segurança, infraestrutura etc. 

A escolha do local merece uma atenção especial, pois precisa atender as necessidades físicas, como:

  • Instalações adequadas,
  • Banheiros,
  • Salubridade,
  • Saneamento e higienização
  • Normas da vigilância sanitária municipal.

Fatores qualitativos também precisam ser considerados:

  • Certifique-se de que o imóvel em questão atende as suas necessidades operacionais quanto à localização, capacidade de instalação, características da vizinhança como segurança etc.
  • Analise o abastecimento de água, energia elétrica, internet etc.
  • Cuidado com imóveis situados em locais sem ventilação, úmidos, sujeitos a inundações ou próximos às zonas de risco.
  • Verifique se o imóvel precisará de muitas adaptações, tais como rebaixamento de degraus, eliminação de escadas, instalação de rampas, elevadores, etc.
  • Verifique se o imóvel está legalizado e regularizado junto aos órgãos públicos municipais que possam interferir ou impedir sua futura atividade.
  • Confira a planta do imóvel aprovada pela Prefeitura, e veja se não houve nenhuma obra posterior, aumentando, modificando ou diminuindo as áreas primitivas, que deverá estar devidamente regularizada.

Antes de qualquer iniciativa consulte os capítulos: Informações Fiscais e Tributárias e Exigências Legais e Específicas.

Antes de iniciar esta atividade, é preciso de uma autorização de funcionamento e supervisão da Secretaria de Estado de Educação. Todas as instituições de educação infantil devem ser autorizadas pelo menos 120 dias antes da data prevista para o início da atividade, devendo montar um processo cumprindo algumas exigências, tais como: plano de educação; propostas pedagógicas; relatório com prova de habilitação profissional (é exigido que o diretor tenha curso de pedagogia com habilitação em administração escolar); condições do prédio; alvará de funcionamento da prefeitura e do corpo de bombeiro, etc.. A Secretaria de Estado de Educação vai efetuar a fiscalização para verificar se tudo o que foi relatado no processo, procede. Procedendo a verificação, é encaminhado relatório para o Conselho Estadual de Educação providenciar a autorização.

Algumas salas podem ser utilizadas para varias atividades, o ideal é consultar Normas Reguladoras das Condições de Instalação e Funcionamento das Creches.

 

Alguns profissionais podem ser terceirizados por meio de contrato de prestação de serviço. O contrato é um documento obrigatório e que precisa ser apresentado para liberação de licença de funcionamento. Vamos conhecer quais são os profissionais de uma creche. ”’1 – Direção Técnica:”’ Para a direção técnica existe a obrigatoriedade, segundo o ”’art. 62 da [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm LDB],”’ da formação em curso  Superior para o Magistério em Educação Infantil ou em nível de Pós-graduação em educação, assessorados por uma equipe técnica em que cada profissional será responsável pela respectiva área de atuação. ”’2 – Pessoal Técnico e Auxiliar:”’ As creches, em geral contam com uma equipe técnico-administrativo-pedagógica com a seguinte configuração: * ”’Médico pediatra”’; * ”’Técnico ou Auxiliar de Enfermagem”’; * ”’Nutricionista;”’ * ”’Recreadores”’ (deverão ter segundo grau e cursos específicos na área); * ”’Auxiliares”’ (preferencialmente estagiários do curso de pedagogia); * ”’Funcionários administrativos”’; * ”’Docentes”’: Segundo o art. 62 da LDB, deverão possuir formação em “nível superior”, admitindo-se, como formação mínima, a oferecida em nível médio, na modalidade “Normal”; * ”’Educadores Assistentes”’. Segundo o art. 62 da LDB, deverão possuir formação em “nível superior”, admitindo-se, como formação mínima, a oferecida em nível médio, na modalidade “Normal”; * ”’Merendeiras e Auxiliares de serviços gerais”’

Alguns profissionais podem ser terceirizados por meio de contrato de prestação de serviço. O contrato é um documento obrigatório e que precisa ser apresentado para liberação de licença de funcionamento.

Vamos conhecer quais são os profissionais de uma creche.

1 – Direção Técnica: Para a direção técnica existe a obrigatoriedade, segundo o art. 62 da LDB, da formação em curso  Superior para o Magistério em Educação Infantil ou em nível de Pós-graduação em educação, assessorados por uma equipe técnica em que cada profissional será responsável pela respectiva área de atuação.

2 – Pessoal Técnico e Auxiliar: As creches, em geral contam com uma equipe técnico-administrativo-pedagógica com a seguinte configuração:

  • Médico pediatra;
  • Técnico ou Auxiliar de Enfermagem;
  • Nutricionista;
  • Recreadores (deverão ter segundo grau e cursos específicos na área);
  • Auxiliares (preferencialmente estagiários do curso de pedagogia);
  • Funcionários administrativos;
  • Docentes: Segundo o art. 62 da LDB, deverão possuir formação em “nível superior”, admitindo-se, como formação mínima, a oferecida em nível médio, na modalidade “Normal”;
  • Educadores Assistentes. Segundo o art. 62 da LDB, deverão possuir formação em “nível superior”, admitindo-se, como formação mínima, a oferecida em nível médio, na modalidade “Normal”;
  • Merendeiras e Auxiliares de serviços gerais

=[editar | editar código-fonte]

Para as funções de Médico e Nutricionista a legislação brasileira prevê para estes profissionais, jornada reduzida, ou seja, eles podem ser terceirizados. Contudo, a responsabilidade nestes casos deve ser individual. Profissionais especializados como fonoaudiólogospsicólogosdentistas podem ser contratados por meio de convênios com instituições de saúde.

Os profissionais que atuam na creche e que têm contato direto com as crianças, precisam não só de um programa de aperfeiçoamento profissional contínuo, como também de treinamentos adequados. Eles precisam ter conhecimento da atividade, criatividade, paciência e habilidade no trato com os educandos, além de saber lidar com os pais, informando sobre o desenvolvimento dos filhos, ouvindo e respondendo de forma equilibrada quando interpelado a respeito das crianças.

 

Os equipamentos de uma creche dependem do tamanho, dos serviços e da estrutura definida pelo empreendedor.

Apresentamos alguns equipamentos básicos para o bom funcionamento de uma creche, veja:

  • •     Microcomputadores e impressoras;
  • •     Linha telefônica;
  • •     Impressora de cupom fiscal;
  • •     Gaveteiro para guardar dinheiro, cheques e tickets de cartões de débito e crédito;
  • •     Equipamento para recebimento através de cartões de débito e crédito;
  • •     Móveis e equipamentos para o refeitório apropriados para crianças pequenas;
  • •     Cadeiras e mesas escolares, armários e estantes, de acordo com o dimensionamento das instalações;
  • •     Estantes, mesas, cadeiras, livros infantis e equipamentos para a sala multimeios;
  • •     Jogos e brinquedos pedagógicos, softwares educativos e material didático;
  • •     TV ou aparelhos específicos para reprodução de vídeos
  • •     Higienizadores de mamadeiras;
  • •     Esterilizadores e umidificadores de ar;
  • •     Berços, colchões e colchonetes;
  • •     Tela de proteção para janelas;
  • •     Equipamentos para cozinha;
  • •     Equipamentos, móveis e utensílios para a secretaria, etc.

É importante ressaltar que as normas legais podem mudar exigindo novos equipamentos e instalações. Esteja sempre atendo as normas legais para evitar problemas relacionados ao bom funcionamento de sua creche.

 

Uma creche é uma prestação de serviços, não envolvendo a manufatura ou comércio de bens. Contudo, o preparo da alimentação das crianças, as atividades administrativas e a higiene das instalações exigem a compra, de alimentos, materiais de limpeza e outros insumos que devem ser adquiridos pelo estabelecimento para complementar a prestação do serviço.

 
 

A organização do processo produtivo de forma eficiente, com qualidade, agilidade e transparência aumentará as chances de sucesso e fidelização dos clientes, sem contar as referencias positivas para outros clientes.

Esta organização pode ser dividida em alguns processos:

  • Atendimento/Recepção – é o processo responsável pelo ingresso das crianças na escola e pelo atendimento aos pais e/ou responsáveis.
  • Ações pedagógicas e lazer – este processo compreende as atividades relacionadas à elaboração e execução do Plano Pedagógico da creche.
  • Administração – responsáveis pelas atividades de apoio administrativo, financeiro, marketing e de Recursos Humanos da creche.
  • Nutrição/alimentação – responsável pelo cardápio, seleção e preparação de toda rotina alimentar.
  • Higiene e saúde – responsável pelos processos de higiene e cuidados especiais na promoção da saúde física e mental das crianças atendidas.
  • Serviços de Apoio – Incluem as atividades de limpeza e higiene das instalações, cuidados com a horta, segurança, manutenção das instalações elétricas, hidráulicas, e demais atividades de apoio necessárias ao bom funcionamento da creche.

.

Ainda fazendo parte do processo produtivo, é preciso saber que, em uma creche as crianças podem ficar em período integral ou meio período. É importante estabelecer critérios flexíveis na divisão dos grupos, que são feitos por idade ou faixa etária, já que cada criança tem um estilo e um ritmo próprio de desenvolvimento.

 

Hoje a tecnologia é um grande aliado dos negócios. Com baixíssimo investimento é possível controlar tudo o que ocorre na creche, e este controle garante ao empreendedor segurança, rentabilidade e principalmente informações para tomar decisões.

Existem vários softwares no mercado, o mais indicado é que o empreendedor invista em softwares específicos para o segmento de creche.

Os softwares possibilitam:

  • ·        Acompanhamento pedagógico;
  • ·        Controle automático e impressão de boletos de cobrança de mensalidades;
  • ·        Cadastro de clientes;
  • ·        Serviço de mala direta para clientes e potenciais clientes;
  • ·        Cadastro de móveis e equipamentos;
  • ·        Controle de contas a pagar e a receber;
  • ·        Fornecedores;
  • ·        Folha de pagamento
  • ·        Fluxo de caixa e movimento do caixa.

Empreendedores com melhor percepção de oportunidade já se movimentam para o uso de tecnologias que possibilitem aprimorar e acelerar o processo de cadastramento e de identificação de clientes, visando reduzir o tempo de atendimento e gerar diferencial qualitativo de serviços.

 

Canais de distribuição podem ser considerados como os meios que garantem que seu serviço chegue as clientes com qualidade e segurança.

O principal canal de distribuição de uma creche são os serviços prestados pela própria creche.

Para que as crianças recebam com qualidade os serviços oferecidos e os pais fiquem felizes e fies a creche é importante observar alguns pontos:

  • ·        Atuação dos profissionais:

Definir com propriedade quais profissionais irão desenvolver as atividades e analisar continuamente suas habilidades e competências.

  • ·        Controle das atividades pedagógicas:

Periodicamente o empreendedor deverá medir se as metas de atendimento, satisfação e aprendizado estão sendo atingidas.

  • ·        Atendimento individualizado:

Existem casos onde o atendimento deverá ser individualizado para alcançar o desenvolvimento da criança.

Os itens abaixo não são canais de distribuição de serviços diretos de uma creche, mas podem contribuir positivamente para que os serviços cheguem aos clientes.

  • ·        Localização – Uma boa localização facilita o acesso dos pais e aumenta a visibilidade da creche
  • ·        Serviço de transporte – Um serviço extra e que pode ser inserido na mensalidade é o transporte das crianças, facilitando a vida de muitos pais. Este transporte pode ser próprio ou terceirizado.
  • ·        Cuidadora especializada – Junto ao transporte a creche pode ofertar o serviço de uma cuidadora, que acompanhará a criança seja no momento de buscar para a creche ou levar para casa.
  • ·        Câmeras de monitoramento – Disponibilizar câmeras nas salas de atividades, para que os pais possam acompanhar seus filhos através de vídeos online em tempo real.

Com um bom planejamento a distribuição dos serviços de uma creche pode ser mais assertivo e aumentar as oportunidades de negócios.

 

Não estão considerados neste quadro os gastos relativos à aquisição ou reforma do imóvel escolhido para a instalação da creche, pois o espaço poderá ser alugado.

Finalizando, recomenda-se que o empreendedor planeje seus gastos, crie um plano de negócio e faça a gestão de forma profissional.

 

Diante da crescente demanda, pensar em como montar uma Creche pode ser animador. Mas, como em qualquer outro negócio, isso exige bem mais que o simples desejo de empreender. É muito importante saber controlar suas finanças e em especial planejar e acompanhar o seu Capital de Giro.

Capital de giro consiste basicamente no dinheiro que entra e sai do caixa da empresa por meio do estoque, caixa, contas bancárias, pagamentos e recebimentos (vendas à vista e a prazo).

Tudo irá depender dos prazos praticados pela empresa, são eles: prazos médios recebidos de fornecedores (PMF); prazos médios de estocagem (PME) e prazos médios concedidos a clientes (PMCC), sendo assim quanto maiores forem os prazos concedidos aos clientes, maiores também os prazos de estocagem, maior será a necessidade de capital de giro. Já a inversão da necessidade de capital de giro se dará praticando prazos maiores para pagamento aos fornecedores.

De uma forma simples é receber primeiro e pagar depois.

A maioria das despesas tem prazo de 30 dias, como por exemplo, os custos com Manutenção da Creche, Salários de seus profissionais, os encargos desta folha de pagamento, dos profissionais terceirizados e dos impostos.

Já as receitas não necessariamente acompanham o mesmo prazo, podem ocorrer inadimplências no meio do caminho, ou caso sejam na média de 30 dias não são no mesmo volume.

Em uma Creche a necessidade de capital de giro pode representar cerca de 25% a 35% do investimento inicial. Este valor é só uma estimativa e poderá variar significativamente dependendo do tamanho e particularidades do empreendimento definidos no Plano de Negócios.

Portanto para manter o equilíbrio é extremamente importante que exista um bom planejamento do seu capital de giro, atentando-se a alguns pontos básicos:

  1. Passe um verdadeiro pente fino nas finanças e descubra quais gastos podem ser diminuídos: Crie políticas de incentivos à redução de custo com seus funcionários e parceiros, minimize desperdícios;
  2. Tenha disciplina na gestão financeira do negócio. Sabemos que gerir a parte financeira de uma empresa é um trabalho um tanto quanto burocrático e maçante. Mas não tem jeito, é importante manter a disciplina no negócio, daí a necessidade de anotar e controlar cada centavo que entra e sai da empresa;
  3. Negocie os prazos de pagamento com seus fornecedores. É sempre bom lembrar que o prazo de pagamento a fornecedores está diretamente associado à necessidade de capital de giro, pois quanto antes se paga, mais rapidamente o dinheiro sai do caixa. Assim, conseguir maior folga com os fornecedores sempre é vantagem. Pagar rápido só é vantagem quando se tem um bom desconto;

Mesmo no começo do negócio conheça suas operações de perto. Saiba quanto, e onde você gasta cada centavo, é aconselhável reservar um percentual do investimento total para composição do Capital de Giro próprio.

 

A divulgação é um importante instrumento para tornar a empresa e seus serviços conhecidos pelos clientes potenciais. Para o empreendedor que deseja abrir uma Creche, as ações de marketing podem ser feitas dos mais variados jeitos. Além das estratégias de comunicação tradicional como por exemplo, folders, flyers, cartaz, brindes, e etc., o empreendedor pode fazer a sua divulgação utilizando também as estratégias digitais tais como redes sociais e site.

Embora esse custo devesse ser categorizado como fixo ou variável, às vezes é melhor pensá-lo como um grupo independente que pode gerar impacto no volume de vendas e assim conseguir cobrir os gastos da estrutura. 

3 – Despesas Comerciais: As “Despesas Comerciais” são os gastos que variam conforme o volume de vendas e o volume de clientes.

Como exemplos destacamos:

  • ·        Impostos diretos sobre as vendas (dependerá diretamente do regime tributário escolhido, consulte um contador);
  • ·        Taxas cobradas pelos meios de pagamento (cartões crédito/débito, boleto bancário) caso sejam estas a forma de recebimentos.

Finalizando podemos dizer que somente de posse dos cálculos detalhados dos custos relacionados às atividades da empresa é que se pode propor uma política que vise o planejamento e a redução dos mesmos.

 

A diferenciação dos serviços em uma creche e a oferta de serviços não encontrados em outros concorrentes pode agregar valor ao negócio. É necessário criar um algo mais que seja reconhecido pelo cliente como uma vantagem competitiva e aumente o seu nível de satisfação com o produto ou serviço prestado.

 

Alguns itens precisam ser avaliados para ajudar na diversificação e diferenciais:

  • ·        Localização estratégica: Estar em uma localização estratégica facilita o acesso, visibilidade e segurança. Estes fatores aumentam as chances de escolha do seu estabelecimento pelos pais.
  • ·        Espaço físico diferenciado: Não estamos falando de tamanho e sim de aproveitamento inteligente do espaço físico, onde as crianças conseguem aproveitar ao máximo todas as opções oferecidas pela creche.
  • ·        Numero de profissionais por criança: Além de ser uma obrigatoriedade, a creche que disponibiliza bons profissionais e na quantidade correta, com certeza terá a preferência dos pais.
  • ·        Quantidade de crianças por sala de aprendizagem: A quantidade ideal de crianças favorece atendimento, aprendizado e todas as técnica pedagógicas que serão desenvolvidas na creche.
  • ·        Linha pedagógica que estimula artes, esportes e atividades com os pais: Sair do convencional é a palavra chave para inovar e apresentar uma proposta diferenciada e que surpreenda os pais e motivem as crianças.
  • ·        Sistemas de monitoramento em tempo real: Pais que conseguem acompanhar em tempo real a atividade de seus filhos, ficam felizes e indicam a creche para amigos
  • ·        Flexibilidade nas formas de pagamento: O custo de creche para os pais não é fácil, então, oferecer varias formas de pagamento pode ser um atrativo importante no momento da escolha por parte dos pais.
  • ·        Serviços de transporte com cuidadora e conforto: Este é um ponto que preocupa os pais, e com toda razão, pois os serviços de transporte têm falhado e muito. Pense nisso.
  • ·        Aulas de idiomas: Explore logo cedo estas opções, isso pode ser um fator de fidelização para sua creche
  • ·        Atividades como balé, música: Apresente atividades adicionais, isso pode ser cobrado a parte ou incluso nos serviços.
  • ·        Horários diferenciados em períodos de férias: Período de férias para as crianças nem sempre é o mesmo para os pais. Apresente propostas para manutenção das crianças em período de férias.  

Para identificar quais os fatores que agregam mais valor ao negócio, é importante uma avaliação detalhada dos estabelecimentos concorrentes. Ao avaliar quesitos como conforto do ambiente, instalações, horário de atendimento, qualidade da mão de obra, entre outros, é possível relacionar uma série de elementos que podem vir a auxiliá-lo a criar diferenciais. Conversar com os pais dos alunos matriculados para identificar suas expectativas é muito importante para o desenvolvimento de novos serviços ou produtos personalizados, o que amplia as possibilidades de fidelização com os atuais clientes e despertar o interesse de novos.

 

Os meios para divulgação de uma creche variam de acordo com o porte e o público-alvo escolhido.

É importante entender que a reputação, credibilidade são fundamentais para tornar sua marca conhecida e respeitada.

 

Algumas dicas importantes explorar a divulgação de uma creche:

  • ·        Apresentação profissional – Desenvolva um conteúdo explicativo sobre o que você tem a oferecer e quem é voce. Defina os principais serviços que oferta de forma clara, aponte clientes atendidos e exponha a missão dos serviços oferecidos.
  • ·        Redes sociais – Os perfis sociais, atualmente são os melhores meios de divulgação de serviços e profissionais. Explore ao máximo todos os canais de distribuição nas redes sociais – Facebook, LinkedIn, Instagram, Twitter e outros que promovem a visibilidade profissional e de serviços;
  • ·        Promova eventos – Periodicamente promova peças teatrais, palestras, mesas de debate, filmes etc. Estes eventos evidenciam a creche para potenciais clientes e fidelizam os que já são clientes.
  • ·        Site Empresarial – O site é seu espaço individual para mostrar quem é você e seus serviços. Um site bem montado, com aspectos profissionais, pode engajar melhor seus potenciais clientes e passar confiabilidade. Seu site deve estar associado a todas as suas redes sociais.
  • ·        Network – A melhor forma de aumentar sua rede é participar de feiras, palestras e encontros profissionais, mas lembre-se, o foco aqui é criar um vínculo profissional e nunca esqueça do seu cartão de visita.
  • ·        Marketing de conteúdo – produzir conteúdo para blogs ou sites que possuem relação com seus produtos ou serviços pode ajudar a atrair clientes para seu negócio e mostrar credibilidade de seus serviços.

Invista tempo para conhecer todas as alternativas de divulgação. Os clientes não irão até sua creche sem um esforço de divulgação. Atualmente existem inúmeras estratégias de divulgação gratuitas outras que podem ser feitas com baixo investimento. E lembre-se que não existe uma regra: o que funciona para um nicho de negócio, pode não funcionar para outro. Por isso, é importante planejar as ações e conhecer cada vez mais o público que se deseja atingir.

 

As informações fiscais e tributárias serão diferenciadas em decorrência da opção do regime tributário escolhido pelo empreendedor.

Exemplo 1: Escritório de Consultoria optante do SIMPLES Nacional

O segmento de CRECHE, assim entendido pela CNAE/IBGE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) 8511-2/00

como a atividade de instituições de ensino que se destinam ao desenvolvimento integral da criança, em geral, de até 3 anos de idade, poderá optar pelo SIMPLES Nacional – Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas ME (Microempresas) e EPP (Empresas de Pequeno Porte), instituído pela Lei Complementar nº 123/2006, desde que a receita bruta anual de sua atividade não ultrapasse a R$ 360.000,00 (trezentos e sessenta mil reais) para micro empresa e R$ 4.800.000,00 (quatro milhões e oitocentos mil reais) para empresa de pequeno porte e respeitando os demais requisitos previstos na Lei.

Nesse regime, o empreendedor poderá recolher os seguintes tributos e contribuições, por meio de apenas um documento fiscal – o DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional), que é gerado no

Portal do SIMPLES Nacional:   

  • IRPJ (imposto de renda da pessoa jurídica);
  • CSLL (contribuição social sobre o lucro);
  • PIS (programa de integração social);
  • COFINS (contribuição para o financiamento da seguridade social);
  • ISS (imposto sobre prestação de serviços)
  • INSS (contribuição para a Seguridade Social relativa à parte patronal).

Conforme a Lei Complementar nº 123/2006 e alterações, este ramo de atividade é tributado pelo anexo III do SIMPLES Nacional e as alíquotas variam de 6% a 33%, dependendo da receita bruta auferida pelo negócio. No caso de início de atividade no próprio ano calendário da opção pelo SIMPLES Nacional, para efeito de determinação da alíquota no primeiro mês de atividade, os valores de receita bruta acumulada devem ser proporcionais ao número de meses de atividade no período.

Exemplo 2: Escritório de Consultoria NÃO optante do SIMPLES Nacional

Alguns empreenderes podem não optar pelo Simples Nacional, ou o tipo de atividade não é permitido, veja o anexo do Comitê Gestor do Simples Nacional – Resolução CGSN nº 119, de 19 de dezembro de 2014

Para estes casos há os regimes de tributação abaixo:

1 – Lucro Presumido: É a apuração do tributo sobre o lucro que se presume através da receita bruta de vendas de mercadorias e/ou prestação de serviços. Trata-se de uma forma de tributação simplificada utilizada para determinar a base de cálculo dos tributos sobre o lucro das pessoas jurídicas que não estiverem obrigadas à apuração pelo Lucro Real. Nesse regime, a apuração dos tributos é feita trimestralmente.

A base de cálculo para determinação do valor presumido varia de acordo com a atividade da empresa. Sobre o resultado da equação: Receita Bruta x 32%, aplica-se as alíquotas de:

  • IRPJ – 15%. Poderá haver um adicional de 10% para a parcela do lucro que exceder o valor de R$ 20 mil, no mês, ou R$ 60 mil, no trimestre, uma vez que o imposto é apurado trimestralmente;
  • CSLL – 9%. Não há adicional de imposto.

Ainda incidem sobre a receita bruta os seguintes tributos, que são apurados mensalmente:

  • PIS – 0,65% – sobre a receita bruta total;
  • COFINS – 3% – sobre a receita bruta total.

2 – Lucro Real: É o cálculo do tributo sobre o lucro líquido e a empresa realmente obteve no período de apuração, ajustado pelas adições, exclusões ou compensações estabelecidas em nossa legislação tributária. Este sistema é o mais complexo, mas poderá ser mais vantajoso em comparação com lucro presumido e por isso, deverá ser bem avaliado por um contador. As alíquotas para este tipo de tributação são:

  • IRPJ – 15% sobre a base de cálculo (lucro líquido). Haverá um adicional de 10% para a parcela do lucro que exceder o valor de R$ 20 mil, multiplicado pelo número de meses do período. O imposto poderá ser determinado trimestralmente ou anualmente;
  • CSLL – 9%, determinada nas mesmas condições do IRPJ;

Ainda incidem sobre a receita bruta os seguintes tributos, que são apurados mensalmente:

  • PIS – 1,65% – sobre a receita bruta total, compensável;
  • COFINS – 7,65% – sobre a receita bruta total, compensável.

Incidem também sobre a receita bruta o imposto municipal:

  • ISS – Calculado sobre a receita de prestação de serviços, varia conforme o município onda a empresa estiver sediada, entre 2 e 5%.
  • Além dos impostos citados acima, sobre a folha de pagamento incidem as contribuições previdenciárias e encargos sociais (tanto para o lucro real quanto para o lucro presumido):
  • INSS – Valor devido pela Empresa – 20% sobre a folha de pagamento de salários, pró-labore e autônomos;
  • INSS – Autônomos – A empresa deverá descontar na fonte e recolher entre 11% da remuneração paga ou creditada a qualquer título no decorrer do mês a autônomos, observado o limite máximo do salário de contribuição (o recolhimento do INSS será feito através da Guia de Previdência Social –
  • GPS).
  • RAT – Risco de Ambiente do Trabalho – de 1% a 3% sobre a folha de pagamento de salários dependendo do grau de risco da atividade econômica, recolhida junto com a guia de INSS.
  • INSS Terceiros – Contribuições Sociais recolhidas junto com a guia de INSS, calculada sobre a folha de pagamento com alíquota entre 0,8% a 7,7% dependendo da atividade econômica, destinadas aos serviços sociais e de formação profissional tais como: SESI, SESC, SENAI, SEBRAE, Incra, dentre outros.
  • FGTS – Fundo de Garantia por tempo de serviço, incide sobre o valor da folha de salários a alíquota de 8%.

Recomendamos que o empreendedor consulte sempre um contador, para que ele o oriente sobre o enquadramento jurídico e o regime de tributação mais adequado ao seu caso.

 

O empreendedor deve estar sempre em contato com as entidades e associações para obter informações sobre os eventos relacionados ao e-commerce.

Os eventos como feiras, rodada de negócios, congressos, etc., são muito importantes para que o empresário se mantenha atualizado sobre as tendências de mercado, tendo a oportunidade de conhecer novos produtos e tecnologias, novos fornecedores e realizar parcerias, ou seja, ter novas oportunidades para fazer bons negócios.

Por se tratar de um empreendimento da área de educação é de suma importância que o aprendizado e a busca pelo conhecimento sejam constantes.

Segue alguns dos principais eventos do setor:

A feira será uma excelente oportunidade para fechar novos negócios e estar totalmente atualizado com o que há de mais novo no mundo empresarial.

 

Entidades para eventuais consultas:

Nos estados e distrito federal:

  • Conselho Estadual de Educação (CEE)
  • Secretarias Estaduais de Educação (SEE)

Nos municípios:

  •         Conselho Municipal de Educação
  •         Secretaria Municipal de Educação
 

Norma técnica é um documento, estabelecido por consenso e aprovado por um organismo reconhecido que fornece para um uso comum e repetitivo regras, diretrizes ou características para atividades ou seus resultados, visando a obtenção de um grau ótimo de ordenação em um dado contexto. (ABNT NBR ISO/IEC Guia 2).

Participam da elaboração de uma norma técnica a sociedade, em geral, representada por: fabricantes, consumidores e organismos neutros (governo, instituto de pesquisa, universidade e pessoa física).

Toda norma técnica é publicada exclusivamente pela ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, por ser o foro único de normalização do País.

1. Normas específicas para uma creche

Não existem normas específicas para este negócio.

2. Normas aplicáveis na execução de uma Creche

ABNT NBR 15860-1:2010 – Móveis – Berços e berços dobráveis infantis tipo doméstico – Parte 1: Requisitos de segurança

Esta Norma especifica os requisitos de segurança de berços infantis para uso doméstico com um comprimento interno superior a 900 mm, porém não superior a 1400 mm.

ABNT NBR 16067-1:2012 – Móveis — Berços, berços de balanço ou pendular de até 900 mm para uso doméstico – Parte 1: Requisitos de segurança

Esta parte da ABNT estabelece requisitos de segurança para berços, berços de balanço ou de movimento pendular medindo internamente até 900 mm, visando à prevenção de acidentes com crianças e bebês.

ABNT NBR 15991-1:2011 – cadeiras altas para crianças – Parte 1: Requisitos de segurança

Esta parte da ABNT estabelece os requisitos mínimos relativos à segurança de cadeiras altas do tipo doméstico para crianças com até 15 kg, capazes de manter a criança em uma posição sentada devido à sua própria coordenação, com o objetivo de minimizar acidentes resultantes do uso normal.

ABNT NBR 10334:2003 – segurança de chupetas.

Esta Norma fixa os requisitos exigíveis para a fabricação de chupetas, incluindo formas de embalagem e recomendações de uso, em função da segurança, com exceção das chupetas para uso terapêutico, tais como as que contêm termômetros, as que se destinam a aplicar medicamentos, entre outras.

ABNT NBR 15260:2005 – Artigos de puericultura – Prendedor de chupeta – Requisitos de segurança e métodos de ensaio.

Esta Norma especifica os requisitos de segurança relativos aos materiais, construção, desempenho, embalagem e rotulagem dos prendedores de chupeta.

ABNT NBR 13793:201 – Segurança de mamadeiras e de bicos de mamadeiras.

Esta Norma fixa os requisitos exigíveis para a fabricação e comercialização de mamadeiras e de bicos de mamadeiras, incluindo recomendações de uso.

ABNT NBR 15842:2000 – Qualidade de serviço para pequeno comércio – Requisitos gerais.

Esta Norma esta estabelece os requisitos de qualidade para as atividades de venda e serviços adicionais nos estabelecimentos de pequeno comércio, que permitam satisfazer as expectativas do cliente.

ABNT NBR 15859:20010 – Brinquedos infláveis de grande porte — Requisitos de segurança e métodos de ensaio

Esta Norma especifica os requisitos de segurança para os brinquedos infláveis nos quais as atividades principais são destinadas ao lazer, como, por exemplo, pular, brincar, jogar e deslizar.

ABNT NBR 160071-2:2012 Versão Corrigida:2012 – Playgrounds – Parte 2: Requisitos de segurança

Esta Parte da ABNT NBR 16071 especifica os requisitos de segurança para os equipamentos de playground. Esses requisitos foram desenvolvidos considerando os fatores de risco baseados em dados disponíveis. Esta Parte da ABNT NBR 16071 especifica os requisitos que reduzam os riscos aos usuários de danos que não sejam capazes de prever quando usarem o equipamento, conforme previsto ou de forma que possam ser razoavelmente antecipados. Esta Parte da ABNT NBR 16071 aplica-se aos seguintes equipamentos, para uso em escolas, creches, áreas de lazer públicas (praças, parques e áreas verdes), restaurantes, buffets infantis, shopping centers, condomínios, hotéis e outros espaços coletivos similares: balanços, escorregadores, gangorras, carrosséis, paredes de escalada, playgrounds, plataformas multifuncionais, “brinquedão” (kid play) e redes espaciais. Esta Parte não se aplica aos produtos de uso doméstico e familiar, como: ? equipamentos de ginástica com função esportiva, que estão independentes das estruturas dos equipamentos listados anteriormente, ? equipamentos para uso doméstico e familiar inclusos na ABNT NBR NM 300; ? produtos como, camas e mobiliário infantil, cercado para bebê (“chiqueirinho”), mesas de piquenique e produtos para uso terapêutico infantil, ? pistas de skate. Esta Parte da ABNT NBR 16071 não trata da qualidade do playground.

ABNT NBR 16071-3:2012 Versão Corrigida:2012 – Playgrounds – Parte 3: Requisitos de segurança para pisos absorventes de impacto

Esta Parte da ABNT NBR 16071 especifica os requisitos de segurança para pisos a serem utilizados em playgrounds e em áreas onde é necessária a atenuação do impacto. Esta Parte da ABNT NBR 16071 também especifica os fatores que devem ser considerados ao ser selecionado o piso do playground, bem como o método do ensaio pelo qual a atenuação do impacto pode ser determinada.

ABNT NBR 16071-7:2012 Versão Corrigida:2012 – Playgrounds – Parte 7: Inspeção, manutenção e utilização

Esta Parte da ABNT NBR 16071 contém os requisitos para inspeção, manutenção e utilização dos equipamentos de playground. Esta Parte da ABNT NBR 16071 aplica-se aos seguintes equipamentos, para uso em escolas, creches, áreas de lazer públicas (praças, parques e áreas verdes), restaurantes, buffets infantis, shopping centers, condomínios, hotéis e outros espaços coletivos similares: balanços, escorregadores, gangorras, carrosséis, paredes de escalada, playgrounds, plataformas multifuncionais, “brinquedão” (kid play) e redes espaciais. Esta Parte não se aplica aos produtos de uso doméstico e familiar, como: — equipamentos de ginástica com função esportiva, que estão independentes das estruturas dos equipamentos listados anteriormente; — equipamentos para uso doméstico e familiar inclusos na ABNT NBR NM 300; — produtos como camas e mobiliário infantil, cercado para bebê (“chiqueirinho”), mesas de piquenique e produtos para uso terapêutico infantil; — pistas de skate.

ABNT NBR 16046-3:2012 – Redes de Proteção para Edificações – Parte 3: Instalação.

Esta Norma especifica os requisitos mínimos para instalação de redes de proteção para edificações, fabricadas de acordo com a ABNT NBR 16046-1.

ABNT NBR 12693:2010 – Sistemas de proteção por extintores de incêndio.

Esta Norma estabelece os requisitos exigíveis para projeto, seleção e instalação de extintores de incêndio portáteis e sobre rodas, em edificações e áreas de risco, para combate a princípio de incêndio.

ABNT NBR IEC 60839-1-1:2010 – Sistemas de alarme – Parte 1: Requisitos gerais – Seção 1: Geral.

Esta Norma especifica os requisitos gerais para o projeto, instalação, comissionamento (controle após instalação), operação, ensaio de manutenção e registros de sistemas de alarme manual e automático empregados para a proteção de pessoas, de propriedade e do ambiente.


ABNT NBR 9050:2004 Versão Corrigida:2005 – Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos.


Esta Norma estabelece critérios e parâmetros técnicos a serem observados quando do projeto, construção, instalação e adaptação de edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos às condições de acessibilidade.

 

O segmento de creches precisa estar sempre atendo as principais tendências e novidades do setor. Conhecer os principais termos e ou neologismos criados para o negócio é importante para manter-se atualizado.

Nos links abaixo o empreendedor conhecerá as principais referências do setor:

 

O candidato a empresário no segmento de creche particular, deve entrar nesse negócio consciente de que enfrentará uma concorrência expressiva e por isso mesmo terá que se dedicar bastante, principalmente, no início das atividades do novo empreendimento, tanto na parte comercial, quanto na parte operacional e de gestão administrativo e financeira da empresa.

Faça um planejamento para o negócio visando o desenvolvimento e crescimento, para isso destacamos os seguintes pontos a serem trabalhados:

  • ·        Faça um bom planejamento anual – Logo no início do ano letivo, faça um bom planejamento anual, desta forma conseguirá analisar o que funcionou, o que precisa ser mantido ou descartado. Principalmente no tocante a quantidade de matriculas.
  • ·        Mantenha o foco no aluno – Proporcionar uma boa vivência vai garantir um diferencial, além de manter os pais encantados e incentivar a divulgação boca a boca de sua escola. Para isso, é preciso ter conhecimentos aprofundados de Pedagogia, estar sempre em busca de novas abordagens, manter um canal de comunicação desobstruído com os professores e prezar por uma boa relação com a família dos alunos.
  • ·        Pedagogia como a alma de sua creche – Mesmo sendo formado na área, é indispensável manter-se atualizado sobre como o campo está evoluindo, o que tem sido estudado e descoberto, enfim, quais são as principais tendências. Tão relevante quanto conhecer a Pedagogia na teoria, é estar próximo do professor e vê-la na prática. Os educadores são basicamente o elo entre a gestão e os alunos da escola, portanto, conhecer suas propostas e ideias, suas dores e desafios significa estar próximo das crianças e da sala de aula.
  • ·        Enxergue a escola como um organismo vivo – A manutenção de todas as áreas é fundamental para o equilíbrio saudável da creche. Matrículas, rematrículas, controle do número de alunos por sala; tudo está interligado em uma escola cuja gestão é global.
  • ·        Use a tecnologia a favor da educação – A tecnologia da gestão é uma tendência em todas as etapas da educação. Isso porque, cada vez mais, percebe-se o potencial dos softwares para manter a saúde escolar, transformar dados em informações estratégicas, gerar relatórios precisos e, assim, embasar as decisões dos diretores.
  • ·        Gestão democrática – Trazer toda equipe para a tomada de decisão, resulta em inovação e soluções criativas, onde todos tem uma parcela de participação. Lembre-se de que a equipe sempre pode fornecer novas abordagens para quaisquer desafios de aprendizagem que surgirem.
  • ·        Construir relacionamento com pais e mães de alunos – É importante que a creche tenha visitações e momentos de trocas em pais e alunos, permitindo interagir em diversos momentos do cotidiano dos pequenos.
  • ·        Crie grupos de estudo e trocas com outras creches – Crie um grupo que esteja disposto a dialogar sobre os desafios da educação contemporânea e a compartilhar experiências e soluções. Muito da atualização necessária para gerir uma escola vem dessa interação com profissionais que enfrentam os mesmos desafios que você.

Além destas dicas especificas para as creches, outras dicas podem gerais podem ajudar no negócio:

  •  ·        Invista na qualidade do atendimento ao cliente
  • ·        Procure fidelizar o cliente com ações de pós-venda
  • ·        A presença do proprietário em tempo integral
  • ·        O empreendedor deve estar sintonizado com a evolução do setor
  • ·        Os empregados devem participar de cursos de aperfeiçoamento
  • ·        Aposte em uma estratégia de marketing

Mesmo que a opção seja uma pequena creche, é fundamental colocar em pratica todos os itens destacados, isso permitirá maior velocidade nas decisões, reduzirá as possibilidades de erro e com certeza aumentará as chances de sucesso.

 

O empreendedor que deseja administrar uma creche precisa possuir características relacionadas às funções de educador e de gestor educacional.

Dentre estas características destacamos:

  • Ter equilíbrio pessoal diante de situações de conflito;
  • Experiência anterior no segmento de educação infantil;
  • Ser ético e agir com base e valores pessoais;
  • Identificar-se com o projeto pedagógico da creche;
  • Capacidade de liderar equipes multidisciplinares;
  • Capacidade de planejar e gerir atividades pedagógicas;
  • Conhecimento e habilidades administrativas
  • Empatia para perceber os anseios de pais e alunos;
  • Capacidade de estabelecer vínculos afetivos
  • Conciliador entre discurso teórico e pratica

.

Para buscar coerência entre os modelos de ensino e a práticas adotadas é importante:

  • Ter carisma pessoal;
  • Comunicar-se de forma clara e objetiva;
  • Preocupar-se com questões educacionais;
  • Saber trabalhar o coletivo dos alunos;
  • Conhecer técnicas de produtividade entre os alunos e colaboradores
  • Ser cordial com pais e alunos
  • Comportamento de parceria

.

Para uma boa administração são competências fundamentais:

  • Cumprir compromissos funcionais;
  • Assiduidade e pontualidade;
  • Compromisso com prazos e tarefas;
  • Disponibilidade de tempo para reuniões de planejamento;
  • Disposição para documentar trabalhos;
  • Saber elaborar planos de estudo e relatórios

.

Um empreendedor “saberá aprender o que for necessário para a criação, desenvolvimento e realização de sua visão”. (DOLABELA, 1999 p. 70). Considerando-se esta afirmativa, percebe-se em qualquer área que se deseje atuar é preciso estar disposto a aprender. Para aumentar as chances de sucesso é fundamental que o empreendedor desenvolva as competências e habilidades relacionadas ao negócio.

 

OLESKI, Ana. Confira todos os passos para abrir uma Creche no seu bairro. Aberturasimples. 2018. Disponível em <https://aberturasimples.com.br/abrir-uma-creche/> Acesso em 15 de setembro de 2019.

AS PARCERIAS público-privadas são a solução para a falta de creches? Andi, 2017.  Disponível em: <http://www.andi.org.br/clipping/parcerias-publico-privadas-sao-solucao-para-falta-de-creches> Acesso em 23 de outubro de 2019.

GESTÃO escolar: 10 dicas de ouro para o sucesso da sua escola infantil. Aix,  2017. Disponível em: <https://educacaoinfantil.aix.com.br/10-dicas-para-o-sucesso-da-sua-escola-infantil/> Acesso em 23 de outubro de 2019.

GONÇALVES, Vinicius. Como Abrir Uma Creche: Descubra Tudo E Tire Suas Dúvidas. Novonegocio, 2017. Disponível em <https://novonegocio.com.br/ideias-de-negocios/como-abrir-uma-creche/> Acesso em 15 de setembro de 2019.

JUSBRASIL, 2019. Art. 62 da Lei de Diretrizes e Bases – Lei 9394/96. Disponível em: https://www.jusbrasil.com.br/topicos/11686325/artigo-62-da-lei-n-9394-de-20-de-dezembro-de-1996 Acesso em 23 de setembro de 2019.

LISBOA, Ana P. Lisboa Falta de creches atrapalha a carreira das mães trabalhadoras e o desenvolvimento do país. Correiobraziliense, 2018. Disponível em: <http://blogs.correiobraziliense.com.br/primeirainfancia/2018/09/10/falta-de-creches-atrapalha-carreira-das-maes-trabalhadoras-e-o-desenvolvimento-do-pais/> Acesso em 23 de outubro de 2019.

MONICA WEINBERG, 2017. Creche boa faz bem à criança. Disponível em: https://veja.abril.com.br/educacao/creche-boa-faz-bem-a-crianca/ Acesso em 23 de setembro de 2019.

SILVANA REIS, 2017. Como escolher a creche particular, veja 20 itens a serem observados. Disponível em: https://g1.globo.com/educacao/noticia/como-escolher-a-creche-particular-veja-20-itens-a-serem-observados-pelo-bem-das-criancas-e-dos-pais.ghtml Acesso em 23 de setembro de 2019.

SOBRE a Distribuição de Creches e a Pobreza em Território Brasileiro. Dapp, 2018. Disponível em: <http://dapp.fgv.br/sobre-distribuicao-de-creches-e-pobreza-em-territorio-brasileiro/> Acesso em 23 de outubro de 2019.

VINICIUS GONÇALVES, 2019. Como Abrir Uma Creche: descubra tudo e tire suas dúvidas. Disponível em: https://novonegocio.com.br/ideias-de-negocios/como-abrir-uma-creche/ Acesso em 23 de setembro de 2019.

WEINBERG, Monica. Creche boa faz bem à criança. Veja, 2017. Disponível em: <https://veja.abril.com.br/educacao/creche-boa-faz-bem-a-crianca/> Acesso em 23 de outubro de 2019.

 

O empreendedor pode buscar junto às agências de fomento linhas de crédito que possam ser utilizadas para ajudá-lo no início do negócio. Algumas instituições financeiras também possuem linhas de crédito voltadas para o pequeno negócio e que são lastreadas pelo Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe), em que o Sebrae pode ser avalista complementar de financiamentos para pequenos negócios, desde que atendidas alguns requisitos preliminares. Maiores informações podem ser obtidas na página do Sebrae na web:

Consulte também:

 

Ao empreendedor não basta vocação e força de vontade para que o negócio seja um sucesso. Independentemente do segmento ou tamanho da empresa, necessário que haja um controle financeiro adequado que permita a mitigação de riscos de insolvência em razão do descasamento contínuo de entradas e saídas de recursos. Abaixo, estão listadas algumas sugestões que auxiliarão na gestão financeira do negócio:

  • ·        Princípio da Entidade

O patrimônio da empresa não se mistura com o de seu proprietário. Portanto, jamais se deve confundir a conta pessoal com a conta empresarial, isso seria uma falha de gestão gravíssima que pode levar o negócio à bancarrota. Ao não separar as duas contas, a lucratividade do negócio tende a não ser atingida, sendo ainda mais difícil reinvestir os recursos, gerados pela própria operação. É o caminho certo para o fracasso empresarial.

  • ·        Despesas

Assim como a maioria dos negócios, as creches possuem despesas fixas e variáveis que deverão ser horadas para evitar problemas futuros. Embora pequenas, o seu controle é essencial para que não reduzam a lucratividade do negócio.

  • ·        Reservas/Provisões

No caso das creches a necessidade de provisões para troca de equipamentos eletrônicos ou aquisição de sistema modernos é uma necessidade deste modelo de negócio. Este recurso funcionará como um fundo de reserva.

  • ·        Empréstimos

Poderão ocorrer situações em que o empresário necessitará de recursos para alavancar os negócios. No entanto, não deverá optar pela primeira proposta, mas estar atento ao que o mercado oferece, pesquisando todas as opções disponíveis. Deve te cuidado especialmente com as condições de pagamento, juros e taxas de administração. A palavra-chave é renegociação, de forma a evitar maior incidência de juros.

  • ·        Objetivos

Definidos os objetivos, deve-se elaborar e implementar os planos de ação, visando amenizar erros ou definir ajustes que facilitem a consecução dos objetivos financeiros estabelecidos.

  • ·        Utilização de Softwares

As novas tecnologias são de grande valia para a realização das atividades de gerenciamento, pois possibilitam um controle rápido e eficaz. O empreendedor poderá consultar no mercado as mais variadas ferramentas e escolher a que mais adequada for a suas necessidades.

 

O empreendedor que deseja atuar no segmento de lojas virtuais, pode aproveitar todas as ferramentas de gestão e conhecimento criadas para ajudar a impulsionar o seu negócio. Para consultar a programação disponível em seu estado, entre em contato pelo telefone 0800 570 0800.

Confira as principais opções de orientação empresarial e capacitações oferecidas pelo Sebrae:

1 – Para desenvolver o comportamento empreendedor

  • Empretec – Metodologia da Organização das Nações Unidas (ONU) que proporciona o amadurecimento de características empreendedoras, aumentando a competitividade e as chances de permanência no mercado

2 – Para quem quer começar o próprio negócio

As soluções abaixo são úteis para quem quer iniciar um negócio. Pessoas que não possuem negócio próprio, mas que querem estruturar uma empresa. Ou pessoas que tem experiência em trabalhar por conta própria e querem se formalizar

  • Plano de Negócios – O plano irá orientá-lo na busca de informações detalhadas sobre o ramo, os produtos e os serviços a serem oferecidos, além de clientes, concorrentes, fornecedores e pontos fortes e fracos, construindo a viabilidade da ideia e na gestão da empresa.

3 – Para quem quer inovar

  • Sebraetec – O Programa Sebraetec oferece serviços especializados e customizados para implantar soluções em sete áreas de inovação.
  • ALI – O Programa Agentes Locais de Inovação (ALI) é um acordo de cooperação técnica com o CNPq, com o objetivo de promover a prática continuada de ações de inovação nas empresas de pequeno porte.
 

Segue sites importantes e de uso continuo:

•     Associação Brasileira de Educação Infantil  

•     Ministério da Educação  

•     Portal do Professor

•     Clube do Professor

•     Canal do ensino

•     Educacional

•     Educa rede

•     Nova escola

•     Porvir

Tem um dúvida sobre a sua ideia? Experimente fazer uma pergunta para a nossa comunidade.

Explore outras ideais de negócios em sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ideias

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae

Esse é o perfil institucional do Sebrae nessa comunidade. Quer saber mais sobre o Sebrae - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas? Acesse: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/canais_adicionais/o_que_fazemos

Me siga