Cadastrar

Entrar

Esqueceu a senha?

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por e-mail.

Desculpe!, Você precisa se logar para perguntar.

Você precisa se logar para postar no Blog

As oportunidades decorrentes da formalização para o pequeno empreendedor

As oportunidades decorrentes da formalização para o pequeno empreendedor

Formalização de atividade ajuda a acessar crédito, erguer seu próprio negócio e aumentar a renda.

empreendedor-individual

A formalização profissional fez a diferença para Raimundo Gonçalves, de 38 anos, ter sucesso nos negócios. O cabeleireiro registrou atividade como microempreendedor individual faz dois anos, conseguiu construir seu próprio salão de beleza e aumentou renda.

Segundo Raimundo, um crédito financeiro de R$ 25 mil pela Caixa Econômica Federal ajudou sua empresa evoluir. “E, claro, isso só possível depois de formalizar empreendimento”, conta. Com o dinheiro, Raimundo construiu espaço exclusivo para trabalhar, já que, antes, utilizava a sala da casa de sua família para cortar cabelos dos clientes. “Na verdade, eu iniciei profissão (há 12 anos) cortando cabelos sob a sombra de uma parede da casa, em construção.” Na época (2002), o cabeleireiro estava empregado numa usina (açúcar e álcool) de Santa Helena de Goiás (a 207 km de Goiânia), onde mora. Ele lembra que chegava em casa por volta de cinco horas da tarde e ainda cortava cabelos de amigos e clientes. “Geralmente, eu cortava cabelos sem cobrar pelo serviço, mas fui pegando gosto e recebendo elogios pelo talento (sorri)”, observa. Então, Raimundo fez um curso de cabeleireiro e, logo, resolveu deixar o emprego que tinha e investir na atividade.

O salão ganhou não somente paredes e equipamentos básicos, mas inovações que estão garantindo um mercado cada vez mais aquecido ao empreendedor. “Dobrei meu atendimento.” Raimundo instalou ar condicionado, câmera de segurança, TV e até senha para atender seus clientes, e também agregou valor ao salão de beleza, com a venda de produtos, como bonés. “Tive orientação de um agente de desenvolvimento do Sebrae (Programa Negócio a Negócio) para implantar novidades”, explica.

Com o diagnóstico do programa, Raimundo quer promover outras melhorias para sua empresa. “Conheci várias soluções do Sebrae para qualificar finanças e visual do salão, áreas que mais preciso”, avalia.

O próprio Raimundo pode ‘ensinar’ alguns caminhos para conquistar sucesso na vida empresarial. Ele pratica a responsabilidade social na profissão cortando, gratuitamente, cabelos de crianças órfãs que vivem numa creche em Santa Helena. “Todo mês, tiro um dia para atender as crianças”, revela.

Confira mais matérias como essa na seção de “Finanças” aqui no Sebrae Mercados.

You must login to add a comment.

Posts relacionados