CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Perguntar é uma funcionalidade apenas para usuários registrados.
Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

Entrar


CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Investir na capacitação dos colaboradores é garantia de aumento na lucratividade.

A capacitação pode trazer custos adicionais para o empreendedor a curto prazo. Entretanto, ter uma equipe motivada reduz a rotatividade de funcionários e aumenta a qualidade dos produtos e serviços.   Investir na capacitação dos funcionários é um ganha-ganha. Colaborador, empresa e cliente saem satisfeitos. O primeiro ganha conhecimento, que se reflete na melhoria da qualidade dos produtos da segunda, que, por consequência, agrada ao terceiro. “Investir no conhecimento dos funcionários é investir no desenvolvimento da própria empresa”, resume o consultor do Sebrae-SP Fábio Gerlach. O desafio para os empreendedores é identificar quais profissionais devem ser treinados e se certificar que a capacitação resultou em melhorias para a empresa.  Gerlach orienta selecionar a pessoa que receberá treinamento a partir dos seguintes critérios: capacidade de liderança, conhecimento do negócio, repasse das informações para o time e total confiança do dono. “O escolhido precisa ser um exemplo entre os demais, caso contrário, não conseguirá transmitir as informações de maneira satisfatória para a equipe”, explica Gerlach. Capacitação não se traduz apenas em cursos. O consultor destaca que também há outras formas, mais simples e econômicas – e nem por isso menos eficazes –, como colocar os mais novos de casa ao lado dos mais experientes. Contudo, Gerlach recomenda que a escolha seja feita de acordo com o ramo da empresa. “Na indústria e no agronegócio, os cursos têm mais importância por envolver técnicas e padrões a serem cumpridos. No comércio, a lógica não se aplica”, diz o consultor, lembrando que, para os lojistas, é mais importante conhecer o mercado e visitar outras lojas. Uma tática interessante para potencializar o aprendizado, principalmente no comércio, é associá-lo a alguma recompensa financeira, como comissão por vendas ou algum outro benefício. “Um ambiente agradável mantém o funcionário mais tempo no mesmo emprego. Pouca rotatividade evita que o investimento em treinamento se perca com a saída do colaborador”, garante o consultor. Acompanhe mais matérias e oportunidades como está no site do Sebrae Mercados.

A capacitação pode trazer custos adicionais para o empreendedor a curto prazo. Entretanto, ter uma equipe motivada reduz a rotatividade de funcionários e aumenta a qualidade dos produtos e serviços.

Investir na capacitação dos funcionários é um ganha-ganha. Colaborador, empresa e cliente saem satisfeitos. O primeiro ganha conhecimento, que se reflete na melhoria da qualidade dos produtos da segunda, que, por consequência, agrada ao terceiro. “Investir no conhecimento dos funcionários é investir no desenvolvimento da própria empresa”, resume o consultor do Sebrae-SP Fábio Gerlach. O desafio para os empreendedores é identificar quais profissionais devem ser treinados e se certificar que a capacitação resultou em melhorias para a empresa.

Gerlach orienta selecionar a pessoa que receberá treinamento a partir dos seguintes critérios: capacidade de liderança, conhecimento do negócio, repasse das informações para o time e total confiança do dono. “O escolhido precisa ser um exemplo entre os demais, caso contrário, não conseguirá transmitir as informações de maneira satisfatória para a equipe”, explica Gerlach.

Capacitação não se traduz apenas em cursos. O consultor destaca que também há outras formas, mais simples e econômicas – e nem por isso menos eficazes –, como colocar os mais novos de casa ao lado dos mais experientes.

Contudo, Gerlach recomenda que a escolha seja feita de acordo com o ramo da empresa. “Na indústria e no agronegócio, os cursos têm mais importância por envolver técnicas e padrões a serem cumpridos. No comércio, a lógica não se aplica”, diz o consultor, lembrando que, para os lojistas, é mais importante conhecer o mercado e visitar outras lojas.

Uma tática interessante para potencializar o aprendizado, principalmente no comércio, é associá-lo a alguma recompensa financeira, como comissão por vendas ou algum outro benefício. “Um ambiente agradável mantém o funcionário mais tempo no mesmo emprego. Pouca rotatividade evita que o investimento em treinamento se perca com a saída do colaborador”, garante o consultor.

Acompanhe mais matérias e oportunidades como essa no site do Sebrae Mercados.

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae MercadosSebrae