CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Investimento em Beleza II – Ficar bonito dá dinheiro

Achei muito interessante a nota intitulada Private Equity – Investimento na Beleza, da seção Primeiro Lugar da exame n.º 961, a qual noticia a intenção de fundo de capital de risco em investir no setor de cuidados com a beleza – em especial salões de beleza, predominantemente formado por pequenos negócios, demonstrando que o Capital de Risco também está de olho em setores tradicionais, não somente àqueles relacionados ao desenvolvimento de tecnologia de ponta e inovação.

Confesso, não era bem o que procurava em termos de fonte de informações para assuntos relacionados a “pequenos negócios”, minha área de maior interesse profissional. Vale a ressalva que se trata de excelente revista.

Logo na seção “Primeiro Lugar”, vejo destaque para o setor de bebidas – Luana (Piovani) com guaraná (?!), seguido pelo setor de varejo – com destaque para a guerra entre os grandes do setor, diante da fome das cadeias estrangeiras; e logo depois, na mesma página há noticia sobre o setor de Private Equity – com destaque para o interesse de um fundo de capital de risco que intenciona investir em… Salões de Beleza!!!

Pois é, a noticia nos trás informações sobre um fundo que se prepara (não oficialmente, segundo a Exame) para entrar no setor de cuidados com a beleza do Brasil.

Trocando em miúdos, há referência à impressionante meta de 5 mil salões de beleza a serem implantados em municípios com mais de 200 mil habitantes!

Salões de beleza se caracterizam como negócios tradicionais, com poucas barreiras à entrada, limitado nível de inovação e médio investimento, aparentemente não muito interessante para fundos de investimento, dado o risco envolvido – um pouco fora do alvo deste tipo de capital – o capital semente (Seed Money em inglês), que geralmente procura investir em segmento com alto potencial de mercado, dado o nível de inovação envolvido dos negócios nascentes.

Ao que parece, neste caso é diferente, pois há a clara intenção de aproveitar os crescentes gastos da população brasileira com cuidados pessoais, associado a uma marca desejada por mulheres de todo o país! Interessante, não?

Ou seja, se você pensa e montar ou já é proprietária(o) deste tipo de negócio ou atua tanto direta, como indiretamente neste setor, saiba que o capital de risco também está de olho em seu mercado! Tal informação é motivo suficiente para que seu setor seja mais profissionalizado, pois tanto você quanto seus colaboradores deverão estar preparados para a iminente concorrência, que por sinal já existe e é acirrada.

Que tal então pensar em turbinar seu negócio, afinal de contas, para uns tal informação será visto como ameaça, para outros como oportunidade!

De que lado você vai estar? Até a próxima!!!!!

ps.: Abraços à Dona Vera Sena que me emprestou a caneta para a versão manuscrita deste post.

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae MercadosSebrae