CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Perguntar é uma funcionalidade apenas para usuários registrados.
Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

Entrar


CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Com uma proposta aderente ao “novo normal” primeira horta residencial inteligente chega ao Brasil

Com uma proposta aderente ao “novo normal” primeira horta residencial inteligente chega ao Brasil

O mundo passa uma enorme transformação em diversos aspectos. Em termos de comportamento a pandemia provocada pelo novo Coronavírus acelerou muitos deles. Para se ter uma ideia, já em 2017 o mercado de Wellness, ou bem-estar em português, movimentou cerca de 3 trilhões de dólares. Outro dado que chama atenção: segundo estudo da consultoria Mintu em 2030 vivenciaremos uma espécie de “renaturalização”, trazendo dentre outras consequências a produção alimentícia – hoje bastante concentrada no meio rural – também à cargo das cidades.

Nunca se se pensou tanto em saúde quanto nos últimos meses. Seja mental ou física, estar em dia consigo próprio tornou-se quase um mantra diante de tantos desafios. Uma destas práticas entendidas também como terapia e geradoras de boas energias ao ambiente para muitos cresceu exponencialmente: ter plantas em casa. Segundo o site Mercado Livre foram exatos 450% de aumento na busca.

Pensando em ajudar a suprir tal necessidade que já vinha sendo monitorada mesmo antes do surgimento do Covid-19 os jovens empreendedores cariocas Rodrigo Farina, Juan Correa e Bruno Arouca, ambos com 22 anos, criaram a Brota, a primeira horta residencial inteligente do Brasil.

O produto, vendido no site da própria startup, funciona a partir de cápsulas as quais cada uma contém uma espécie de solo inteligente preparado especialmente para o crescimento da semente já contida nela. O consumidor precisa somente abastecer o reservatório da sua Brota uma vez a cada 25 dias e voilá – a mágica acontecerá sozinha sem preocupações ou riscos de perda da plantação.

A proposta da empresa é despertar a atenção das pessoas por se preocuparem mais com uma vida mais sustentável e com mais saúde logo a partir do primeiro contato com a horta. Um estudo produzido no Rio de Janeiro pela própria startup aponta que 74% das pessoas entrevistadas gostariam de ter uma horta em casa, mas não a cultiva por algumas razões. Destacamos três deles:Isso acontece graças ao sistema autônomo de irrigação da horta que envia água e nutrientes à cada cápsula com um tipo de planta no tempo e quantidade ideais, eliminando totalmente a necessidade de conhecimento sobre botânica ou mesmo alguma prática. Hoje a empresa disponibiliza 11 opções de cápsulas, entre elas de Camomila-Húngara, Alface Baby Leaf e Coentro Português. Em caso de dúvida o cliente conta com biólogos online, seja whatsapp, email, telefone ou instagram para auxiliar em qualquer etapa do processo.

  • Desse percentual, 72% das pessoas afirmaram não encontrarem tempo na rotina para cultivarem uma horta;
  • 69% disseram que não plantam por não terem conhecimento de plantas;
  • 59% não plantam pela falta de espaço em casa;

“Acreditamos que ter uma horta em casa traz diversos benefícios físicos, psicológicos e abre para uma nova consciência sobre o estilo de vida mais saudável que todos devemos buscar de alguma forma. Enxergamos uma oportunidade de começar essa jornada de conscientização por meio de uma horta que vive no modus operandi de quem está nas capitais, mas que não tem tempo ou conhecimento para mantê-la”, comenta o CEO da Brota, Rodrigo Farina.

Na outra ponta, para reforçar ainda mais a preocupação com o meio ambiente, a empresa produz todas as hortas com elementos naturais ou orgânicos e sem agrotóxicos. Além disso as cápsulas são todas reutilizáveis, ou seja, ao realizar a troca é possível aproveitar o envoltório e substituir apenas o interior, com a terra e sementes.

Leia também: Segundo o Google a pesquisa como fazer uma mini horta no quintal cresceu mais de 50% nos últimos meses.

“A tecnologia embarcada no produto e nos insumos permite colocarmos em prática o propósito de sermos sustentáveis. Acreditamos que esse seja um diferencial da Brota e algo que acreditamos ser essencial para fazermos parte da vida das pessoas daqui em diante”, afirma Farina.

O plano da Brota tem dado muito certo e acontecido de forma rápida. De um ano para cá desde quando foi dado o start no projeto todo investimento em pesquisa e desenvolvimento foi feito a partir da economia dos próprios sócios. Para ajudar no custeio da produção e início oficial das vendas foi aberta há um mês uma campanha na plataforma de crowdfunding Catarse. O resultado foi um sucesso onde mais de 2.500 unidades foram vendidas e a meta de captação superada em 450%.

“Ficamos extremamente realizados com a adesão do público ao nosso projeto. Ter uma horta em casa pode significar muito mais do que ter contato com um pouco de verde dentro de casa, simboliza a forma a busca por uma integração com o meio onde se vive. É nisso que acreditamos”, finaliza o empreendedor.

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Vagner LiberatoBoas respostas