CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Tendências e forças das mídias sociais no varejo

Tendências e forças das mídias sociais no varejo

É comum ouvir "sua empresa precisa estar nas redes sociais", mas dificilmente os empresários das micro e pequenas empresas - MPE sabem o que fazer e como fazer. Não há dúvidas que as redes sociais são um sucesso em interação e audiência e a velocidade do mundo virtual faz toda a diferença na hora de vender, negociar e apresentar produtos ou serviços. Então, como uma pequena empresa varejista pode aproveitar e usar as redes sociais? Com a criação desse novo comércio, chamado de scommerce (comércio social), os varejistas abusam da criatividade e inovação, e atraem cada vez mais compradores por meio das mídias sociais.  As empresas estão cada vez mais priorizando as redes sociais como o Facebook, o Twitter, o Youtube, entre tantas outras, como uma das melhores fontes para vender seus produtos. Como estratégia de venda, oferecem conteúdo exclusivo de promoções e ofertas, além de grandes sorteios para seguidores dos conteúdos e pessoas fieis aos estabelecimentos. Preços mais baixos e ofertas relâmpago são anunciados constantemente.  Tudo de forma rápida e dinâmica, como a velocidade da web. O feedback direto com estabelecimentos também é um benefício que o consumidor moderno usufrui com esta batalha nas mídias sociais. Com isso, as manifestações negativas ou positivas ganham cada vez mais importância dentro das redes de varejo, ajudando a moldar negócios, produtos e serviços conforme o gosto dos usuários. Outros importantes conceitos que surgem com as mídias sociais são o de co-criação, ou seja, novas formas de criar produtos e de oferecer a experiência e colaboração entre fornecedores, empresa e consumidores, e o tribalismo, que significa fazer com que os consumidores se conectem um ao outro e promover a globalização da cultura. Na era da participação, as pessoas criam e consomem notícias, ideias e entretenimento. A nova onda de tecnologia transforma as pessoas de consumidoras para “prosumidoras”. Os prosumidores são consumidores "pró-ativos”, que desejam interagir mais com as empresas, opinar, criticar, interferir nos seus processos criativos. E por conta disso se sentem como se fossem parte da empresa. Os prosumidores são movidos pela vontade de: •	Demonstrar suas habilidades na geração de valor; •	Influenciar e mudar as coisas; •	Adaptar produtos ao seu estilo pessoal; •	Desfrutar de diversão.  As redes sociais são uma ótima oportunidade de expansão ou mesmo início de negócios de pequeno e médio porte, pois não necessitam de um aporte financeiro alto. Entretanto, é bom ficar atento, pois o maior benefício das redes é justamente o contato direto com o usuário. Assim a geração de conteúdo contínua e de qualidade é fundamental para ajudar seu negócio a expandir nesses canais, ou seja, uma ou duas semanas sem conteúdo de qualidade podem reduzir drasticamente o nível de interação com o público alvo no ambiente online.  Acesse o Boletim Tendências e forças das mídias sociais no varejo do Sebrae e saiba mais sobre como usar as redes sociais em prol do seu negócio.   Veja mais matérias com oportunidades de negócios como está no site do Sebrae Mercados na seção de Agronegócios.

É comum ouvir “sua empresa precisa estar nas redes sociais”, mas dificilmente os empresários das micro e pequenas empresas – MPE sabem o que fazer e como fazer. Não há dúvidas que as redes sociais são um sucesso em interação e audiência e a velocidade do mundo virtual faz toda a diferença na hora de vender, negociar e apresentar produtos ou serviços. Então, como uma pequena empresa varejista pode aproveitar e usar as redes sociais?

Com a criação desse novo comércio, chamado de scommerce (comércio social), os varejistas abusam da criatividade e inovação, e atraem cada vez mais compradores por meio das mídias sociais.

As empresas estão cada vez mais priorizando as redes sociais como o Facebook, o Twitter, o Youtube, entre tantas outras, como uma das melhores fontes para vender seus produtos. Como estratégia de venda, oferecem conteúdo exclusivo de promoções e ofertas, além de grandes sorteios para seguidores dos conteúdos e pessoas fieis aos estabelecimentos. Preços mais baixos e ofertas relâmpago são anunciados constantemente.

Tudo de forma rápida e dinâmica, como a velocidade da web. O feedback direto com estabelecimentos também é um benefício que o consumidor moderno usufrui com esta batalha nas mídias sociais. Com isso, as manifestações negativas ou positivas ganham cada vez mais importância dentro das redes de varejo, ajudando a moldar negócios, produtos e serviços conforme o gosto dos usuários.

Outros importantes conceitos que surgem com as mídias sociais são o de co-criação, ou seja, novas formas de criar produtos e de oferecer a experiência e colaboração entre fornecedores, empresa e consumidores, e o tribalismo, que significa fazer com que os consumidores se conectem um ao outro e promover a globalização da cultura.

Na era da participação, as pessoas criam e consomem notícias, ideias e entretenimento. A nova onda de tecnologia transforma as pessoas de consumidoras para “prosumidoras”. Os prosumidores são consumidores “pró-ativos”, que desejam interagir mais com as empresas, opinar, criticar, interferir nos seus processos criativos. E por conta disso se sentem como se fossem parte da empresa. Os prosumidores são movidos pela vontade de:

  • Demonstrar suas habilidades na geração de valor;
  • Influenciar e mudar as coisas;
  • Adaptar produtos ao seu estilo pessoal;
  • Desfrutar de diversão.

As redes sociais são uma ótima oportunidade de expansão ou mesmo início de negócios de pequeno e médio porte, pois não necessitam de um aporte financeiro alto. Entretanto, é bom ficar atento, pois o maior benefício das redes é justamente o contato direto com o usuário. Assim a geração de conteúdo contínua e de qualidade é fundamental para ajudar seu negócio a expandir nesses canais, ou seja, uma ou duas semanas sem conteúdo de qualidade podem reduzir drasticamente o nível de interação com o público alvo no ambiente online.

Acesse o Boletim Tendências e forças das mídias sociais no varejo do Sebrae e saiba mais sobre como usar as redes sociais em prol do seu negócio.

Veja mais matérias com oportunidades de negócios como está no site do Sebrae Mercados.

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae MercadosSebrae