CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Perguntar é uma funcionalidade apenas para usuários registrados.
Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

Entrar


CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Tecnologia na advocacia: como incorporar?

O Direito é uma profissão tradicional, possui uma prática cerimoniosa. Nos últimos anos, o desenvolvimento de novas tecnologias promete revolucionar o modo de trabalhar.

Muitas delas, como o software para escritório de advocacia, já estão sendo usadas e trazem grandes promessas para o futuro da advocacia.

Advocacia passa por uma revolução tecnológica

Essas mudanças não se limitam aos escritórios e podem ser notadas dentro das instituições públicas, indicando que se trata de um caminho sem volta.

Prova disso é que em 2017 já ganhava espaço na mídia divulgação sobre o primeiro robô desenvolvido para atuar na área jurídica.

Desenvolvido pela empresa Ross Intelligence e denominado de ROSS, foi criado com capacidade de processamento de até 500 Gigabytes.

Ele consegue se comunicar com humanos, por entender sua linguagem, dá respostas a perguntas que podem ser feitas de maneira natural através da interpretação da lei.

Além disso, auxilia no levantamento de provas e deduções.

O ROSS foi adquirido por uma das maiores empresas de advocacia dos Estados Unidos, a Baker & Hostetler.

No Brasil também podemos contar com um robô assistente de advogados, o ELI (Enhanced Legal Intelligence). Hoje, ele consegue realizar as seguintes atividades:

  • automatizar processos de restituição referentes às taxas ANAC, do ICMS sobre energia elétrica;
  • produção de documentos fundamentais às rotinas do escritório;
  • automatizando cálculo e petições iniciais da área trabalhista e aposentadoria rural.

Principais promessas para o setor

Atualmente existem áreas no mercado que estão direcionando novas invenções para atuar especificamente no setor jurídico. Algumas tecnologias estão sendo desenvolvidas com o objetivo de serem aplicadas nessa área, bem como surgem conceitos para designar aspectos dessa nova realidade que surge.

Essa frente vem sendo conduzida pelas legaltechs – ou lawtechs, empresas que atuam diretamente na área de tecnologias voltadas para o mercado jurídico.

Em sua maioria são startups, especializadas no desenvolvimento de soluções que possam ser aplicadas em departamentos da área jurídica e escritórios de advocacia para facilitar o cotidiano de advogados autônomos ou de pessoas físicas e jurídicas que atuam nesse setor.

Algumas delas desenvolvem softwares jurídicos, que ajudam a proporcionar maior controle e fluidez dos processos em um escritório. Também atuam para conectar cidadãos ao direito e mudar em algum grau a forma de atuação do poder Judiciário.

Blockchain

São blocos contendo informações sobre criptografia. É modelo de banco de dados descentralizado, onde várias pessoas podem fazer os registros, mediante cumprimento de um protocolo pré-determinado..

Sua aplicabilidade na área jurídica é variada, incluindo o registro da autoria de provas, autenticar documentos e confecção de contratos eletrônicos.

O uso do blockchain no Direito é importante, pois permite que se tenha mais controle sobre os processos e todas modificações ocorridas ao longo da tramitação.

Software para escritório de advocacia

São programas de computador desenvolvidos para facilitar o cotidiano de advogados.

Através dos softwares jurídicos, pode-se acompanhar andamento de processos, delegar atividades no escritório, consultar dados processuais em qualquer lugar, através de acesso à internet e um dispositivo, realizar o controle financeiro e gerencial do escritório.

As atuais demandas do advogado tornam essencial o apoio de uma ferramenta, como um software jurídico online. É um auxílio na gestão do escritório, mesmo em caso de autônomos, já que dentre suas várias funções está ajudar no acompanhamento dos prazos processuais, redigir peças, registrar informações de clientes e casos, entre outros.

Saiba o que é necessário que seu escritório faça para participar da advocacia 4.0

Todas essas inovações também fazem parte do contexto tecnológico trazido pela advocacia 4.0, que demanda dos operadores do direito nova postura diante da realidade que se apresenta.

É fundamental ter visão de mercado, buscar parceria com empresas que tenham pensem no futuro, deve estar atualizado quanto às novas demandas, e não apenas às mudanças na legislação, bem como rapidez para se adaptar aos novos cenários que possam surgir.

Muitas dessas transformações já podemos notar gradualmente na área jurídica, seja em escritórios ou repartições públicas.

Nesse contexto, dominar alguns conceitos e incorporá-los essas novas ferramentas é uma das maneiras de acompanhar a revolução que já pode ser percebida.

Informações complementares em Conectividade social

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Vagner LiberatoBoas respostas