CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Taxa de conversão no e-commerce, como vender bem

Taxa de conversão no e-commerce, como vender bem

Taxa de conversão no e-commerce, como vender bem

Algumas medidas simples podem ser o diferencial que falta para aumentar o percentual de compras que os usuários fazem na sua loja virtual.

Como transformar visitas na loja virtual em vendas?

Aumentar a taxa de conversão é o maior desafio de qualquer comércio eletrônico. Perguntas como “por que a maior parte dos usuários deixam o site sem comprar nada?” e “como reduzir o abandono de carrinhos que já tinham produtos selecionados?” são sempre presentes na cabeça de quem empreende em diversos segmentos online.

De acordo com pesquisas a taxa média de conversão brasileira é baixíssima: apenas 1,65%. No entanto, existe uma série de medidas e cuidados que podem ajudar a melhorar esse índice.

O primeiro passo para aumentar as vendas é conhecer bem o perfil do consumidor que navega no seu site. Para isso, é fundamental utilizar ferramentas como o Google Analytics. Com ele, é possível saber, por exemplo, de onde os usuários vêm, quanto tempo eles navegam, quais são os conteúdos mais buscados, idade, sexo, aparelho utilizado no acesso ao site e a taxa de abandono das páginas, entre outras informações importantes. Com essas, e muitas outras, informações em mãos, é possível adequar o site de modo que ele atenda às necessidades e expectativas do usuário. Afinal, se o empreendedor sabe quais são os conteúdos mais buscados pelos usuários, eles devem estar em maior evidencia na loja virtual.

Outra forma de conhecer o público-alvo é dialogar diretamente com ele. Isso pode ser facilmente feito por meio de formulários disponibilizados no próprio site ou encaminhados por e-mail. As redes sociais, como o Facebook, também podem ser um canal direto para manter este diálogo. O importante é que a abordagem seja simpática e objetiva. Não tente obter todas as informações de uma única vez e, na medida do possível, ofereça opções de respostas para o consumidor.

O e-mail marketing também é uma ferramenta que, se bem utilizada, pode converter em vendas. No entanto, ao fazer uso desse recurso, o empreendedor precisa estar atento para alguns aspectos como o fato de que apenas 25% das pessoas que recebem o e-mail irão abri-lo. Desse total, apenas 2% resultam em compras. Antes de investir nessa solução, é preciso que o empreendedor leve esses números em consideração.

Outro fator importante e que interfere diretamente nos resultados é ter uma lista qualificada de e-mails. Não adianta comprar uma lista enorme de pessoas que não têm qualquer relacionamento com o seu negócio. Para que ações na internet gerem resultados positivos é preciso provocar engajamento dos usuários, e isso não acontece com quem não tem qualquer interesse pelo objeto em questão. Assim, busque trabalhar com os usuários já cadastrados no seu site, pois a garantia de afinidade é maior.

Ainda com relação ao e-mail marketing, nunca é demais ressaltar que o envio excessivo de mensagens indesejadas (spam) pode gerar retornos negativos para o destinatário, como a antipatia do usuário. Por isso, use o bom senso na hora de definir o cronograma de envios e, principalmente, ofereça ao usuário – de forma visível – a opção de se descadastrar.

Alguns outros cuidados 

  • Fazer uma boa avaliação técnica do site está no topo da lista de prioridades – como querer que o usuário conclua uma compra que dá erro após cada clique? Para evitar esse tipo de situação, é importante verificar se o e-commerce está compatível com todos os tipos de browsers e sistemas operacionais disponíveis no mercado. Além disso, lembre-se que cada vez mais os smartphones e tablet’s têm sido utilizados em substituição aos computadores. Então, pergunte-se se o seu site é responsivo (versão para mobile) ou não.
  • Criar o recurso de wish list (lista de desejo), permitindo que o usuário deixe memorizados os produtos que lhe interessam e não precise navegar tudo novamente quando quiser adquirir algum deles;
  • Oferecer páginas criativas, com layout atraente, boas fotos e descrição detalhada dos produtos;
  • Na sacola de compras, disponibilizar de forma clara todas as informações necessárias para a conclusão da compra;
  • Ter um site intuitivo e amigável;
  • Oferecer uma boa assistência pós-venda.

O fato é que, mesmo que não exista uma receita pronta para o sucesso no comércio eletrônico, não dá para questionar a importância de dois elementos-chave para o crescimento das vendas: a plataforma (site) e o conteúdo. O aumento da taxa de conversão está diretamente ligado ao investimento na qualidade desses dois itens.

Veja outras matérias sobre negócios online no site do Sebrae Mercados.

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae MercadosSebrae