CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Sophie & Juliete lança modelo que mescla e-commerce e vendas porta a porta

Sophie & Juliete lança modelo que mescla e-commerce e vendas porta a porta

Empresa de bijuterias espera faturar entre R$ 10 milhões e R$ 15 milhões em seu primeiro ano de atuação
Foto: Adriano Lira
O modelo de venda porta a porta, feito por consultoras de empresas como
Avon e Natura, é bem conhecido no Brasil. Por outro lado, o comércio eletrônico
é um segmento que ganhou força nos últimos anos. Entre um modelo
bem-estruturado e uma novidade com grande potencial de crescimento nos
próximos anos, a brasileira Camila Souza e o suíço Ronald Beigl escolheram usar ambos na Sophie & Juliete, empresa de comércio de bijuterias lançada no mês passado.

A startup
foi fundada graças a um investimento realizado por dois fundos de
investimentos, IG Expansión e Redpoint e.ventures. Até julho do ano que
vem, a Sophie & Juliete espera firmar parcerias com 2.000
consultoras, chamadas pela empresa de “estilistas”, e faturar entre R$
10 milhões e R$ 15 milhões.

O modelo de negócio
da empresa é baseado na venda de seus produtos por consultoras. A
diferença entre a Sophie & Juliete e outras empresas baseadas no
modelo porta a porta é que as consultoras da startup fazem as encomendas
dos pedidos dos clientes pela internet. As interessadas em se tornar
“estilistas” precisam fazer um investimento inicial no valor de R$ 199.
“O valor dá direito ao primeiro kit de peças, catálogos dos produtos
oferecidos e um mostruário para expor as peças em bazares”, afirma
Camila Souza, uma das fundadoras da empresa.


Segundo Ronald Beigl, a Sophie & Juliete surge como uma alternativa a
pessoas que querem se tornar empreendedoras. “Estruturaremos uma equipe
de estilistas que poderão ter na Sophie & Juliete uma renda
complementar ou até sua principal fonte de renda”, diz o cofundador.


Cada consultora recebe uma comissão, que varia de 20% a 25% do
valor de cada produto. A empresa é voltada para as classes A e B e
oferece produtos que custam de R$ 25 a R$ 499. O cliente pode comprar a
sua peça de duas maneiras: fazendo uma encomenda à consultora, que fará a
compra pelo site e entregará o produto posteriormente, ou indo
diretamente à página da Sophie & Juliete – dessa forma, só é
possível fazer a compra fornecendo o e-mail da consultora que ofereceu a
bijuteria.

A Sophie & Juliete também
remunera suas parceiras seguindo um critério multinível: se uma
consultora indicar uma amiga para também se tornar uma vendedora, a
primeira passa a receber, além da comissão normal, um valor proporcional
às vendas da segunda, pago pela empresa. “As consultoras ganham 4% do
valor vendido pelas pessoas indicadas por ela”, afirma Camila.

Para Anderson Thees, sócio-fundador da Redpoint e.ventures,
fundo que planeja investir US$ 130 milhões (R$ 260 milhões) em empresas
brasileiras, a união entre e-commerce e vendas porta a porta é um ponto
forte na ascensão da startup. “Os mercados de venda direta e moda são
muito fortes no Brasil, e a Sophie & Juliete está envolvida em uma
combinação de fatores que nos fez acreditar no investimento”, afirma.
Por enquanto, a Redpoint e.ventures também tem participação em empresas
como Viajanet, Shoes4You, 55social e Grupo Xangô.
Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios
Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae MercadosSebrae