CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Ser sub-sede da Copa 2014 é um bom negócio

Ser sub-sede da Copa 2014 é um bom negócio

Belém (PA) - Foto: Hely Pamplona/Paratur

No dia último dia 5/10, Belém (PA) foi palco do primeiro Soccerex Road Show Brazil. O evento focou temas fundamentais para as 54 cidades inicialmente homologadas como Centro de Treinamentos de Seleções (CTS) e os outros 75 municípios que se inscreveram na última candidatura para CTS – o resultado deverá ser divulgado até 2013 –, a partir da avaliação de especialistas e dirigentes de federações de oito países que poderão estar na Copa do Mundo da FIFA em 2014 no Brasil.

O programa aprofundou discussões sobre os requisitos que as federações exigem para eleger um centro de treinamento para suas seleções. Além de dois profissionais, um jogador e um técnico – este último elemento central e responsável no processo de escolha –, fizeram uma exposição sobre os detalhes que influenciam a decisão final da escolha.

As cidades de Belém e Santarém, que são candidatas a CTS, apresentaram detalhes sobre os preparativos para receber as seleções que podem ser determinantes para atingir o objetivo. Durante o bate-papo, destacou-se o envolvimento e comprometimento entre os beneficiários públicos e privados.

O poder público tem o compromisso fundamental de criar condições objetivas para atender a requisitos como existência de complexo esportivo dentro das indicações da FIFA e condições de acessibilidade e logísticas adequadas. Também deve assegurar o trabalho de divulgação da localidade, por meio de feiras e encontros relacionados ao evento, e se aproximar de países que se identifiquem com as características das cidades.

No âmbito da iniciativa privada, são muitas as possibilidades de negócios, desde fornecer hospitalidade de acordo com as exigências a ofertar serviços, hotelaria, alimentação, transporte local, equipamentos esportivos, dentre outros.

Como funciona a escolha de CTS?

As seleções de futebol dos países que se classificarem para o Mundial 2014, por exigência do proprietário e organizador do evento, devem estar no Brasil pelo menos de 12 a 15 dias antes da realização do primeiro jogo.

As seleções usam várias formas de observação das cidades indicadas, desde relação e visitação diretas até pesquisa nas mídias acessíveis. A partir do conjunto dos dados coletados, fazem uma lista de pelo menos três localidades, das quais escolhem um delas para serem seu CTS.

De acordo com representantes de oitos países (África do Sul, Chile, Costa Rica, Inglaterra, Nigéria, Romênia, Ucrânia e Zâmbia) presentes no Road Show, algumas características da localidade são fundamentais e primárias no processo de aproximação para a futura escolha. As principais exigências são ordenadas pelo dirigente técnico das seleções e devem favorecer a aspectos como preparação técnica, física, médica e nutricional e as acomodações para as delegações.

São pontos determinantes para selecionar uma cidade como CTS:

– Hotéis devem estar a 1 hora do aeroporto e a 20 minutos dos campos de treinamento, quando não no próprio prédio da hospedagem dos atletas;

– Qualidade das instalações dos hotéis, que permitam acomodações confortáveis e funcionas;

– Espaços para caminhadas no entorno do hotel em condições de segurança e limitação de assédio as delegações;

– Assegurar que os gramados dos campos de treinamento sejam preferencialmente os mesmos usados nas arenas onde os jogos ocorrerão;

– Academias de ginásticas completas e amplas, com equipamentos adequados;

– Centros fisioterápicos completos;

– Segurança permanente;

– Estrutura de Tecnologia da Comunicação atualizada e acessível e em condições técnicas ajustadas aos melhores padrões internacionais (banda larga etc.).

Também são fatores importantes: a localidade deve ter hábitos e costumes semelhantes aos dos países; a privacidade de contribuir para a concentração do grupo; e a alimentação deve ser adequada. Destacam-se ainda os locais com forte relação com a natureza, características multicultural, cidades não muito grandes (de médias a pequenas) e menor diferença de fuso horário e clima.

Em função da diversidade e variação do clima e das distâncias, os oito representantes de federações presentes evidenciaram que um dos fatores relevantes para a escolha das cidades é o conhecimento de onde serão os seus jogos, o que somente ocorrerá em novembro ou dezembro de 2013.

Oportunidades para as CTS

Após serem deferidas como cidades-sede na Amazônia para Manaus, Belém e Santarém estrategicamente iniciaram um trabalho, com forte convergência do Poder Público e da iniciativa privada, visando atrair interesse de países para sediar suas seleções.

Belém atraiu e sediou vários eventos esportivos ligados às modalidades aquáticas e do atletismo, o que permitiu exposição na mídia e a conseqüente aproximação com autoridades do esporte mundial. A realização do Road Show aliado à adequada estrutura hoteleira e aos modernos equipamentos esportivos, essenciais para atender às demandas de natureza técnica das seleções, fazem parte da estratégia para ser um CTS.

Este é, portanto, um caminho a ser seguindo por outras cidades que tenham este objetivo. É  importante frisar ainda que detalhes acima mencionados fazem a diferença para a cidade ser escolhida por uma das 32 seleções que disputaram a Copa do Mundo FIFA 2014 – lembrando que, minimamente, cada delegação selecionará três cidade para depois definir uma localidade.

Pode ser um diferencial na hora de promover a localidade e fator altamente favorável a diversidade brasileira, que tem povos descendentes das mais variadas nacionalidades, o que afeta na forma de acolhimento dos visitantes.

Por último, é imprescindível a convergência de empresários e entidades empresarias privadas com os poderes públicos nas cidades que desejem e identifiquem o CTS como uma oportunidade. Neste caso, devem criar um “escritório da Copa para CTS” a fim de estabelecer um canal estruturado com autoridade para processos decisórios. Certamente, é mais uma oportunidade de negócios e de promoção de localidades a busca de ser um Centro Treinamento de Seleções.

Edição: Fernanda Peregrino, da F&C Comunicação e Projeto.

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário