Cadastrar

Entrar

Esqueceu a senha?

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por e-mail.

Desculpe!, Você precisa se logar para perguntar.

Você precisa se logar para postar no Blog

Quanto eu preciso vender para pagar os meus gastos?

Quanto eu preciso vender para pagar os meus gastos?

ponto_de_equilibrio_551x193px_CORRIGIDA

 

Em tempos de dificuldade, é essencial acertar os ponteiros do negócio, sobretudo em relação à gestão. É justamente para ajudar os pequenos varejistas da moda neste desafio que lançamos a série ‘Estratégias de guerra para superar a crise’’.

No terceiro post da série, vamos lhe ajudar a calcular o ponto de equilíbrio do seu negócio, ou seja, conhecer e controlar o quanto a loja precisa vender para pagar os seus custos e despesas. Confira:

De olho na ‘‘margem de contribuição’’

Para começar, o empreendedor deve conhecer a sua ‘‘margem de contribuição’’. Isso porque é este item de formação dos preços dos produtos (saiba mais no segundo post da série) que espelha o quanto a empresa tem para pagar os gastos fixos e o lucro.

A ‘‘margem de contribuição’’ pode ser enxergada considerando o preço do produto ou o faturamento total. Confira os exemplos:

Por produtos

Em um preço de venda de R$ 20,00, no qual o custo variável (custo de aquisição) é de R$ 5,00 e a despesa variável de 5% (R$ 1,00), a margem de contribuição será de R$ 14,00 (70% do preço). Desta forma, todas as vezes que a empresa vende este produto, sobram R$ 14,00 para a empresa pagar os gastos fixos e o seu lucro.

(+) preço de Venda – 20,00
(-) Custo Variável – 5,00
(-) despesa Variável – 1,00
(=) margem de Contribuição – 14,00 (70% do preço)

Faturamento total

Em uma empresa com faturamento médio mensal no valor de R$ 20.000,00, no qual o custo médio variável é de R$ 5.000,00 e despesa variável de 5% (R$ 1.000,00), após pagar todas as suas despesas e custos variáveis do mês, sobram R$ 14.000,00 para pagar os gastos fixos e o seu lucro.

(+) faturamento – 20.000,00
(-) Custo Variável – 5.000,00
(-) despesa Variável – 1.000,00
(=) margem de Contribuição – 14.000,00 (70% do faturamento)

Nos exemplos acima, fica claro que a “parte variável” consumiu 30% do valor e, portanto, as vendas da empresa estão dando uma “margem de contribuição” de 70% de seu valor. Por isso, os gastos fixos mensais não podem exceder a 70% do faturamento. No caso da nossa empresa fictícia, o valor máximo de gasto fixo mensal que ela suportaria pagar é justamente os R$ 14 mil.

Lição 1: os gastos fixos mensais não podem exceder a fatia da ‘‘margem de contribuição’’ no faturamento.

 

Calculando o ponto de equilíbrio

Para calcular o ponto de equilíbrio do seu negócio, ou seja, descobrir o faturamento mínimo necessário para não ter prejuízo, o empreendedor deve ponderar as margens unitárias dos produtos que comercializa, conforme o volume de vendas de cada um. Isso porque produtos diferentes têm, em geral, margens diferentes.

O cálculo do ponto de equilíbrio pode ser feito da seguinte forma:

Gasto fixo mensal ÷ margem de contribuição (%) = ponto de equilíbrio
Faturamento – ponto de equilíbrio = lucro

Exemplo: No caso da nossa empresa fictícia, com um faturamento de R$ 20.000,00, uma margem de contribuição de 70% e considerando uma média de gasto fixo mensal de R$ 10 mil, o seu ponto de equilíbrio seria de R$ 14.286,00 e o lucro de R$ 5.714,00. Vejamos o cálculo:

R$ 10.000 ÷ 70% = R$ 14.286,00 (ponto de equilíbrio)

R$ 20.000,00 – R$ 14.286,00 = R$ 5.714,00 (lucro)

Lição 2: Quanto menor a margem de contribuição, maior será o valor do ponto de equilíbrio.

Edição: Fernanda Peregrino, da FC Comunicação.
Imagem: Eric Feldman/Freeimages.com

Sebrae

Sebrae

Sebrae
Esse é o perfil institucional do Sebrae nessa comunidade.
Quer saber mais sobre o Sebrae - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas?
Acesse:
http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/canais_adicionais/o_que_fazemos

You must login to add a comment.

Posts relacionados