Andre Mendes
  • 1
Novo na comunidade

Pelo acesso ao aplicativo MEI fácil no meu celular, consta em aberto a fatura (das/mei/simples) referente ao mês de agosto de 2019, sendo que paguei. O que eu faço?

  • 1

Se já existe alguma pergunta desse tipo, eu não encontrei. Pelo acesso ao aplicativo MEI fácil no meu celular, consta em aberto a fatura (das/mei/simples) referente ao mês de agosto de 2019 sendo que no caso eu paguei esse boleto dia 02/09/2019, tenho o boleto e o comprovante, já busquei em vários locais e a maioria fala sobre prazo de 7 dias para receita federal atualizar esse status ou então eu manualmente atualizo no aplicativo, mas não estou encontrando outro caminho a não ser pedindo ajuda aqui. Alguém pode me ajudar, se precisar meu whatsapp (24) 99828-4684

Perguntas relacionadas

1 Resposta

  1. Bom dia!

    Reproduzo informe da Receita Federal sobre o assunto em questão:

    1. Tomamos conhecimento de alguns contribuintes que efetuaram pagamento para determinado período de apuração, mas que esse pagamento não foi reconhecido como quitado pelos sistemas do Simples Nacional.
    2. Esses contribuintes, na maioria dos casos, tomaram conhecimento desse fato ao transmitir a Declaração Anual do Simples Nacional (DASN) que, em seu resumo, confronta o valor devido com o valor reconhecidamente pago.
    3. Os entes federativos, por sua vez, têm acesso a essa informação na consulta ao extrato do PGDAS (Programa Gerador do DAS).
    4. A maior parte dos DAS quitados e não localizados na consulta refere-se a documentos com ERRO DE DIGITAÇÃO NO CÓDIGO DE BARRAS, por parte do contribuinte ou do banco arrecadador. Tais documentos muito provavelmente não foram submetidos à leitora de código de barras, mas sim comandados manualmente.
    5. Apesar de digitados incorretamente, os 4 (quatro) dígitos verificadores (DV) coincidiram com os parâmetros de validação, não impedindo, portanto, o pagamento.
    6. Em casos em que a autenticação é impressa à parte, é possível visualizar a diferença entre o código de barras do DAS e o número da autenticação bancária.
    7. Dessa forma, as conseqüências do erro são:

    a.   o pagamento é aceito pela rede arrecadadora;

    b.   o DAS não é localizado na base de dados do PGDAS;

    c.   o documento é armazenado em uma base de dados própria (DAS com inconsistência);

    d.   os valores não são distribuídos para a União, Estados e Municípios;

    e.   na consulta ao PGDAS (disponível para os entes federativos), aparece a informação de que o documento não foi quitado;

    f.    na DASN aparece a pendência de pagamento para aquele período de apuração.

    8.   Recomendamos os seguintes procedimentos:a.

    a – Aos contribuintes:

    i. formalizar processo na Receita Federal do Brasil (RFB);

    ii. apresentar original e cópia do DAS não reconhecido como pago, bem como o respectivo comprovante da autenticação bancária;

    iii. apresentar original e cópia do documento que levou ocontribuinte a tomar conhecimento de que o DAS não foi reconhecido como pago (cópia da DASN ou extrato do período de apuração fornecido por algum ente federativo).

                    b.    À RFB:

    i. verificar o comprovante de quitação, seguindo orientações da Coordenação-Geral de Arrecadação e Cobrança  (Codac);

    ii. certificar-se da ausência da confirmação do pagamento na “consulta ao extrato da apuração”;

    iii.  informar ao contribuinte que o pagamento será verificado;

    iv.  formar processo no Comprot (código 01.27.309-0), e aguardar instruções.

        9. Está em desenvolvimento um aplicativo que permitirá a apropriação (classificação e distribuição) desses pagamentos. Tão logo o mesmo esteja disponível, daremos ampla divulgação desse fato.

    • 0

Deixe uma resposta

Você precisa se logar para responder