[Direito do Consumidor] Sou obrigada a trocar roupas íntimas em minha loja?

I> Denunciar
Pergunta

Por favor explique as razões pelas quais esse conteúdo merece ser revisto pela moderação do site.

I> Denunciar
Cancelar

O código de defesa do Consumidor obriga aos logistas trocarem e aceitar devolução de roupas íntimas como calcinhas, sutiãs, cuecas e meias?

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!
respondida 0
Roupa íntima comp lingerie. Tbm pode trocar? 11 meses 3 Respostas 2647 visualizações 0

Respostas ( 3 )

  1. Por favor, explique brevemente por que você acha que essa resposta deve ser relatada.

    I> Denunciar
    Cancelar

    Boa noite, Sr. Gláuber Vieira! Entendo que o comerciante não é obrigado a trocar peça intima, salvo quando o produto apresentar algum defeito ou falha na confecção.

    Magnus Rossi Advogado do Consumidor

  2. Por favor, explique brevemente por que você acha que essa resposta deve ser relatada.

    I> Denunciar
    Cancelar

    Veja bem, o código de defesa do consumidor não traz nenhuma obrigação para qualquer que seja a troca de mercadoria, o comercio faz trocas apenas para manter o bom relacionamento com os clientes, a loja (fornecedor) só é obrigado a fazer a troca do produto nos caso em que houver defeito no produto de acordo com o art.  26 do CDC, quando o defeito é aparente, o prazo para reclamação é de 30 dias para produtos não duráveis e 90 dias para os duráveis, contados a partir da data da compra. Se o problema for oculto, os prazos são os mesmos, mas começam a valer no momento em que o defeito é detectado pelo consumidor.

    Sem contar que as peças intimas seguem padrões de higienes impostos pela ANVISA, portanto, em hipótese alguma pode ser feito a troca, diferente é se você fizer as vendas fora dos estabelecimento físico (internet, telefone etc) nesse caso a troca se dará por opção do consumidor.

    Quer ficar por dentro dos direitos do consumidor? siga nossas redes sociais:  https://www.facebook.com/AdvocaciaSantoSampaio/

    https://www.instagram.com/santosampaioadvocacia/?hl=pt-br

    Visite nosso site:  https://santosampaio.com.br/

    Somos especializados no Direito do Consumidor no Distrito – Federal

  3. Por favor, explique brevemente por que você acha que essa resposta deve ser relatada.

    I> Denunciar
    Cancelar

    Bom dia!

    Em questão à peça íntima, por causa de saúde e da própria higiene, não é recomendado que a pessoa use uma peça de uma outra pessoa. Dessa forma, não existe a obrigação de troca, exceto se a peça vendida tiver algum defeito.

    IMPORTANTE: a loja deve afixar placas de alerta aos consumidores, informando que peças íntimas não serão trocadas, exceto nos casos de apresentarem defeitos de fabricação.

    Esses avisos devem ser colocados  nos locais onde essas peças são analisadas, bem como no caixa para que o cliente tenha ciência da politica da loja e  não se sinta surpreendido, achando que ninguém avisou.

Deixe uma resposta