CADASTRAR

Entrar

Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Enviar mensagem

Entrar

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Pequenos negócios devem se planejar para participar da Black Friday

Pequenos negócios devem se planejar para participar da Black Friday

Fonte: ASN
Com planejamento e organização, as micro e pequenas empresas podem
participar da Black Friday 2014, nova data de promoções do comércio brasileiro,
e fazer bons negócios. Em sua quinta edição no Brasil, a iniciativa, que
acontece no próximo dia 28 de novembro, deve ultrapassar a marca de R$ 1 bilhão
em pedidos feitos em 24 horas. Nesse contexto, os pequenos negócios têm uma
excelente oportunidade pela frente. Para isso, o Sebrae preparou dicas para os
empreendedores que pretendem faturar com a data. 
O primeiro passo para
quem pretende aderir ao evento é selecionar cuidadosamente os produtos que
serão colocados em promoção. Na Black Friday, os consumidores buscam
oportunidades pontuais, mas também esperam realizar sonhos de consumo antigos.
Por isso, pesquisar os itens mais desejados em cada ramo de atividade pode ser
um bom ponto de partida.  A BlackFriday teve início no ambiente virtual,
mas muitas lojas físicas também aderiram às promoções. O evento dá início à
temporada de compras de fim de ano, que culmina com o Natal. Para o presidente
do Sebrae, Luiz Barretto, é importante que os pequenos negócios aproveitem a
data para potencializarem seus empreendimentos. “O comércio é um setor
estratégico. Metade das micro e pequenas empresas atua nesse segmento e é
fundamental aproveitar todos os espaços que surgem.” Para isso, segundo
Barretto, é crucial que os empresários busquem se qualificar para enfrentar a
elevada concorrência. 
O segundo passo é definir a porcentagem dos descontos que serão
oferecidos. Nesse momento, é importante estudar a margem de lucro de cada
produto e negociar parcerias com os fornecedores. Oferecer descontos
indiscriminadamente pode colocar em risco a saúde financeira da empresa. Ter um
bom controle de seus custos será importante para definir a viabilidade da
participação no evento. Os produtos mais procurados na
Black Friday estão nos segmentos de informática, eletrônicos, eletrodomésticos,
moda e acessórios, além de telefonia e celulares.
É fundamental que
haja transparência na definição dos descontos sem camuflar os preços antes da
promoção. Nesse sentido, o Sebrae estimula os empreendedores a buscarem o selo
Black Friday Legal, que é conferido pela Câmara Brasileira de Comércio
Eletrônico, parceira do site Busca Descontos (organizador da Black Friday no
Brasil). Para obterem o selo, as empresas não precisam pagar nada, apenas
concordarem com o código de ética proposto pela entidade e assinarem um termo
de compromisso de não “maquiarem” seus preços.
A pequena empresa Casa da Sogra Enxovais
(www.casadasograenxovais.com.br), com sede em São Paulo, por exemplo, conseguiu
bons resultados no ano passado vendendo roupa de cama, mesa e banho pela
internet. Desde que a Black Friday é realizada no Brasil, a loja virtual
oferece descontos em seus produtos na tentativa de pegar carona com o dia de
promoções do e-commerce. Mas foi somente em 2013, quando as irmãs
Simone e Roberta Saleh decidiram planejar a participação no evento, que a loja
conseguiu resultados efetivos nas vendas. Em um único dia, os pedidos
aumentaram mais de quatro vezes e o faturamento cresceu 40%. “Na Black Friday,
em 2012, recebemos 50 pedidos e, em 2013, foram mais de 200”, conta a
coordenadora de marketing da empresa e responsável pela ação, Ainá Paolillo.
Preparo
Os bons resultados só
foram alcançados graças ao planejamento feito pela empresa com meses de
antecedência. Os funcionários foram orientados sobre as políticas de vendas, de
trocas e de entregas durante a Black Friday e receberam treinamento para
atender da melhor forma possível o maior número de clientes. Além disso os
produtos com descontos foram cuidadosamente estudados e o site recebeu uma nova
identidade visual, com banners de publicidade indicando que a loja participava
da iniciativa.
A livraria carioca
Lei Nova, especializada em livros jurídicos, avalia que a Black Friday é uma
excelente oportunidade para conquistar novos clientes. Segundo Hugo Martins,
responsável pela gestão da tecnologia da informação da livraria, a exposição da
empresa durante o dia de promoções no ano passado resultou em um aumento de 70%
nas vendas do mês de novembro e trouxe novos clientes potenciais. “Mais da
metade das pessoas que visitaram o site durante a Black Friday de 2013 eram
novos consumidores”, afirma.
Os bons resultados
alcançados na edição passada animaram a empresa a investir ainda mais para
aproveitar o evento com o objetivo de fidelizar o cliente. Hugo conta que foi
desenvolvido um cadastro para que os visitantes se identifiquem. A partir dessa
base de dados, é possível conhecer o perfil do cliente e prestar a ele um
atendimento pessoal, próximo do que o consumidor procura.
Sete pontos de
reflexão sobre a Black Friday:
1-Quem compra meu
produto? E quem pode comprá-lo? 
Lembre-se de identificar o perfil dos
seus clientes
2-Meu produto é comprado esporadicamente ou é de compra regular? Para
produtos de compra esporádica, o cliente pesquisará mais e fará comparações.
Mas, uma garantia estendida, entrega mais rápida do que os concorrentes ou um
brinde diferenciado podem determinar a escolha.
3-Tenho grandes margens ou são apertadas? 
Se você trabalha com
margens apertadas, avalie os prós e contras de participar da Black Friday.
4-Quantos e quais produtos ofertar na Black Friday? 
Selecione bem
alguns produtos e deixe claro quais são os que estão na Black Friday e quais
não estão com descontos.
5-Conceda descontos honestos. Prometa e cumpra! Não faça maquiagem
nos preços.
6-Dê segurança para quem quer comprar seu produto.  Prepare seu
site para não sair do ar. Se tiver uma quantidade de acessos muito grande
disponibilize um número de telefone fixo na sua loja virtual e assegure que seu
site está protegido. O cliente precisa se sentir seguro ao escolher comprar em
sua loja. 7-Sua loja está atrativa? Organize sua loja.
Lembre-se, na loja virtual, não há o apelo do contato com o produto e,
portanto, uma boa apresentação dos produtos fará toda a diferença. 
Mais informações:
Assessoria de Imprensa Sebrae
(61) 3243-7851
(61) 3243-7852
(61) 2104-2768
(61) 2104-2770

Deixe um comentário

Sobre Lucio PiresBoas respostas

Analista Técnico do Sebrae Nacional. Trabalho com negócios e conteúdos digitais, especialista em Gestão de Pequenos Negócios (FIA), Advogado especialista em Direito Empresarial, Matemático com especialização em Finanças.

Me siga