CADASTRAR

Entrar

Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

Entrar

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Pensando em entrar no mercado de livros digitais?

Pensando em entrar no mercado de livros digitais?

Livros Digitais 1_Capa

Este é um mercado muito novo. O e-book surgiu em 1971, quando Michael Hart liderou o projeto Gutemberg. A ideia era que os livros digitais fossem totalmente gratuitos, permitindo que a literatura fosse mais acessível. Mas o primeiro livro digital somente foi publicado 22 anos depois, em 1993. Daí em diante, o mercado de e-books começou a se desenvolver, tendo, em 2012, respondido por cerca de um quinto (20%) das vendas de livros nos Estados Unidos.

As informações são da Association of American Publishers (AAP) e pelo Book Industry Study Group (BISG). De acordo com os números, publicados pelo Mashable, a venda de e-books gerou 3 bilhões de dólares, um aumento de 44,2% em relação a 2011. Os dados incluem vendas de títulos ficção e não-ficção para adultos, jovens e crianças, mas não levam em conta obras de educação universitária/profissional.

No Brasil esse mercado ainda é muito tímido, mas, em um futuro próximo, espera-se que haverá mudanças significativas. Acredita-se que ler um e-book será muito mais acessível para os brasileiros e o que contribui para isso é a crescente ascensão das máquinas e a expansão da internet.

Atualmente, vende-se um computador por segundo no País. Uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV) estima que, em 2016, no Brasil, deverá existir um computador em uso para cada habitante. De acordo com o professor Fernando Meirelles, coordenador da pesquisa, o motivador dessa projeção para os próximos três anos é o aumento da venda de tablets.

As vendas de tablets, durante o ano de 2012, totalizaram 3,1 milhões de unidades. O que representa 171% mais do que em 2011. No primeiro trimestre de 2013, esse mercado cresceu 164%, em comparação com o mesmo período em 2012, alcançando 1,3 milhão de aparelhos vendidos. A expectativa é que 5,9 milhões de tablets sejam vendidos durante 2013, um aumento de 81% em relação a 2012.

Enquanto cresce o número de dispositivos, cresce também o número de brasileiros com acesso à internet. De acordo com o levantamento do Ibope Media, o total de internautas no primeiro trimestre deste ano chegou a 102,3 milhões, o que representou um incremento de 12,9% em comparação com o mesmo período de 2012, quando havia no país 83,4 milhões de usuários de internet.

A classe C domina os acessos à rede, com 61% dos usuários, volume superior às das classes A e B, que, somadas, representam 37% dos acessos. O resultado mostra um avanço da classe média, uma vez que os usuários da classe C representavam 55% dos conectados.

A faixa de idade dominante no país é de pessoas entre 25 e 34 anos, com 46% do total. No período anterior, o volume de usuários era de 42%. Os usuários entre 18 e 24 anos totalizam 27% do total.

Mais de 11 milhões de usuários utilizam a internet através de dispositivos móveis, elevando o total de conexões mobile em 12%. O segundo trimestre também representou a virada no mundo dos celulares, quando os smartphones foram os mais vendidos.

Se essas informações ajudam a entender como estão atualmente os mercados que impulsionam os negócios de livros digitais, conhecer quem são e o que pensam os leitores de e-books ajudará ainda mais. Veja:

 

Os leitores brasileiros

O levantamento mais recente sobre o comportamento do leitor do brasileiro, promovido pelo Instituto Pró-Livro e realizado pelo Ibope Inteligência, é a 3ª edição de “Retratos da Leitura no Brasil”.

O estudo do Ibope considera “leitor” aquele que leu, inteiro ou em partes, pelo menos 1 livro nos três meses antecedentes à pesquisa e “não-leitor” aquele que não leu nenhum livro nesses mesmos três meses, independentemente de  que tenha lido algum nos doze meses anteriores.

A pesquisa revela que a penetração da leitura de livros digitais resulta em 5% dos entrevistados, o que representa 9,5 milhões de adeptos. Deste número, a maioria é do sexo feminino, cursou ensino superior e tem idade entre 18 e 24 anos.

A maior parte desses leitores se concentra na região Centro-Oeste com 9%, seguida da Sudeste com 6%, Sul e Norte com 5% cada e Nordeste com 4%.

Quando abordado por classes sociais, a classe “A” aparece como maior consumidora de livros digitais com 21%, seguida da “B” com 11% e da “C” ainda com apenas 4%.

De acordo com a pesquisa, a opinião de 52% da população (ano base de 2011) é de que os livros impressos nunca vão acabar (continuarão a ser publicados) e irão conviver, igualmente, com os livros digitais.

 

O mercado editorial

O pensamento do mercado editorial caminha na mesma direção do pensamento do consumidor. O setor acredita nessa coexistência. De acordo com a pesquisa da CBL do Livro Digital, 68% das editoras já comercializam e-books. A previsão é que a proporção da convivência entre os dois formatos é que deve variar, dependendo do tipo do livro (didático, ficção, não-ficção, profissional ou técnico).

A tendência é que, nos próximos anos, a transição do livro impresso para digital no Brasil seja mais intensa, com uma maior presença do formato digital na educação. Um dos fatores que traz esta dimensão é o edital do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), do Ministério da Educação, referente ao ano letivo de 2015. O mesmo solicitou que as editoras entregassem os livros em formato de e-book. Sendo assim, estimas especialistas que, se essa tendência continuar, entre 2015 e 2017 toda a educação básica estaria com adaptada ao livro digital.

Mas o fato é que esta integração ainda é um desafio no Brasil. Se de um lado, o digital está fazendo surgir novos modelos de negócio, em que autores e editoras podem se comunicar diretamente com consumidores, de outro ele também traz novas oportunidades de negócios na área tecnológica: a conversão de livros em e-books.

 

Leia também E-books criam novas oportunidades de negócio

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae

Esse é o perfil institucional do Sebrae nessa comunidade. Quer saber mais sobre o Sebrae - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas? Acesse: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/canais_adicionais/o_que_fazemos

Me siga