CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Oportunidade com a criação de websites para empresas

Oportunidade com a criação de websites para empresas

website

Nos dias atuais, é impossível pensar no mundo sem a Internet. Ela tomou parte dos lares de pessoas do mundo todo. Estar conectado a rede mundial passou a ser uma necessidade de extrema importância. A Internet também está presente nas escolas, faculdades, empresas e diversos locais, possibilitando acesso às informações e notícias do mundo em apenas um click.

Nos últimos anos, temos visto uma nova fase da comercialização. Originalmente, esforços comerciais eram dirigidos aos vendedores que proviam os produtos básicos da rede e aos provedores que ofereciam conectividade e serviços básicos da Internet.

A Internet agora se tornou quase uma “commodity” e muita atenção tem sido dada recentemente ao uso de sua estrutura global de informação para suportar outros serviços comerciais. Isto tem sido tremendamente acelerado pela rápida adoção dos browsers e da tecnologia Web, permitindo aos usuários acessar a informação “linkada” em qualquer lugar do globo.

“Economia do século 21”, “Economia digital emergente”, “Economia clique aqui”, “Webeconomia”. Esses são alguns dos termos utilizados para definir a abrangência da economia baseada na Internet, bem como seus impactos na economia tradicional. O uso da Internet visando à geração de negócios ainda é muito baixo no Brasil. Entre as empresas que possuem página na Internet, 48% disponibilizam preços e catálogo de produtos e serviços para os consumidores, 34% oferecem suporte pós-venda, 23% aceitam pedidos e reservas de produtos e serviços e 10% possuem recursos para transações completas e meios de pagamentos via web. A discrepância do ponto de vista dos negócios é que os números mostram um ávido exército de consumidores circulando nas páginas da Internet e, ainda assim, mais da metade das empresas não possui um espaço na Internet. Entre as que possuem, 37% não apresentam nenhum dos recursos pesquisados. Empresas do mercado de TI, como “montadoras de computadores”, consultoria de redes, desenvolvedoras de softwares, também resolveram se aventurar no mercado de Internet, e julgam-se preparadas para planejar e implementar um projeto WEB profissional. Com esta oferta enorme de empresas de WEB, infelizmente os preços e, principalmente, a qualidade dos projetos caíram a níveis nunca imaginados. Empresas profissionais e especializadas são obrigados a concorrer com profissionais recém-formados, sobrinhos, netos, primos, e quase toda a família dos clientes, que sempre tem alguém que diz “saber fazer um site” ou “entender de Internet”. Concorrem com empresas que não fazem idéia do que seja o planejamento e estudo de um projeto para Internet, questões ligadas ao marketing, a identidade visual, análise do público que se deseja atingir, de que forma conseguir que o cliente esteja bem posicionado nas pesquisas dos mecanismos de busca, questões legais que podem trazer prejuízos graves aos clientes. Contudo, apesar da maturidade ainda incipiente com relação ao mercado dos websites, os dados mostram uma evolução positiva desse setor no Brasil e confirmam a tendência de crescimento do mercado virtual. Para se ter uma idéia de acordo com estudo realizado por empresa e-bit (http://www.ebitempresa.com.b r/): No ano de 2010, R$ 14,8 bilhões foram faturados nas vendas dos bens de consumo no comércio eletrônico brasileiro, o que significou um aumento de 40% sobre o valor de R$ 10,6 bilhões em 2009. em 2010, o comércio eletrônico brasileiro alcançou 23 milhões de e-consumidores que compraram on line pelo menos uma vez. Durante esse ano, foram realizadas 40 milhões de compras. as datas sazonais (o dia das mães, o dia dos namorados, o dia dos pais, o dia das crianças e o Natal) representaram aproximadamente 30% do total de vendas on line de 2010 (R$ 4,5 bilhões). As categorias êxitos de vendas em 2010 foram os aplicativos (14%), as assinaturas de livros, revistas e jornais (12%), a saúde, cosméticos e medicamentos (12%), computadores (11%), e eletrônicos (7%). o gasto médio em 2010 foi de R$ 373,00 um crescimento de 11% comparado a 2009, quando este número representou R$ 335,00. Levando-se em conta que 50% das empresas brasileiras ainda não possuem seu website, podemos observar um mercado imenso à frente. Além disso, há espaço para reformulações dos sites de empresas que optaram em um primeiro momento por um projeto mais viável ao seu orçamento, mas não obtiveram resultados interessantes. Investir em um website não é um projeto barato, mas também não é caro se compararmos a outras formas de divulgação e mídia, em que não se consegue atingir facilmente um determinado público-alvo.

 

Investimento no negócio

O investimento que deve ser feito em um empreendimento varia muito de acordo com seu porte. O investimento inicial irá variar de acordo com a estrutura do empreendimento e do tipo de serviço oferecido. Para uma empresa que cria websites com uma estrutura mínima de pequeno porte devemos considerar os seguintes itens: Reforma e instalações da empresa: R$ 3.000,00 Equipamentos para área de produção: Computador para servidor (com configuração mais completa e com maior capacidade possível); Computador para programador e Webdesigner (ou Notebooks); Impressora / Copiadora; Softwares diversos (CorelDraw, Photoshop, Dreamweaver, Flash, Fireworks, Apache, MySQL, etc); Rede wireless: R$ 30.000, 00 Investimento inicial em marketing: R$ 2.000,00 Capital de giro para iniciar as atividades (durante 2 meses): R$ 15.000,00 Total do investimento inicial: R$ 50.000,00 Os valores acima relacionados são apenas uma referência para constituição de um empreendimento dessa natureza. Para dados mais detalhados é necessário saber exatamente quais tipos de serviços serão oferecidos pela empresa e qual o seu porte. Nesse sentido, aconselhamos ao empreendedor interessado em constituir esse negócio, a realização de levantamento mais detalhado sobre os potenciais investimentos depois de elaborado seu plano de negócio (para elaboração do plano de negócio procure o Sebrae do seu estado). Além disso, os valores acima irão variar conforme a região geográfica que a empresa irá se instalar, da necessidade de reforma do imóvel, do tipo de mobiliário escolhido, etc.

Confira mais aspectos e informações de como montar uma empresa de websites no Portal do Sebrae.

Confira mais matérias como essa na seção de “Ideias de negócios” aqui no Sebrae Mercados.

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae MercadosSebrae