CADASTRAR

Entrar

Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Enviar mensagem

Adicionar pergunta

Entrar

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

O mercado de curtume do couro de peixe

O mercado de curtume do couro de peixe

Sebrae ensina como transformar os subprodutos da produção de peixes um negócio de sucesso.

Sebrae mercado, curtume de couro de peixe, geração de renda

A necessidade do aproveitamento integral dos subprodutos gerados pelo cultivo de peixes é crescente, principalmente devido à porcentagem elevada dos resíduos após filetagem que tem sido um problema para o produtor ou para o abatedouro (Contreras-Guzmán, 1994). E dentre esses resíduos está a pele como o principal subproduto.

A fabricação e comercialização do couro de peixe é uma atividade que teve seu início na década de 70. Por se tratar de uma iniciativa voltada ao aproveitamento do rejeito da indústria pesqueira passou a chamar a atenção do mercado, principalmente aquele focado em produtos ecologicamente corretos. As peças feitas com a pele do animal ajudam a preservar o meio ambiente e são tão resistentes quanto o couro bovino (Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil -CICB, 2010).   A pele pode ser beneficiada e resultar em uma matéria-prima de qualidade e de aspecto peculiar inimitável, após o curtimento, devido à sua resistência e desenho formado na sua superfície, principalmente as peles de peixes com escamas.   As características do produto obtido, como: a resistência da matéria-prima, suas características exóticas e sua aplicabilidade em vários produtos de alto valor agregado vêm despertando a curiosidade e o interesse de muitos empreendedores. Segundo Ingram e Dixon (1994), as peles de peixes são consideradas como um couro exótico e inovador, com aceitação geral em vários segmentos da confecção. A atividade vem sendo explorada comercialmente não só através de parcerias com as empresas de pesca, tanto as de água doce quanto salgada, mas também com criatórios de peixes espalhados pelo País. O mercado da moda já reconhece o valor e a importância do uso do couro de peixe na fabricação de acessórios como bolsas, cintos, carteiras e sapatos. Apesar das iniciativas econômicas atualmente explorarem de forma artesanal o uso desta matéria-prima, grandes mercados consumidores, altamente qualificados vem buscando de forma agressiva a diferenciação em suas criações através do emprego de materiais alternativos, com apelo socioambiental e ecológico.   Devido a este tipo de apelo, importantes eventos e grifes prestigiadas voltam os olhares para o couro de peixe, tratando-o como uma matéria-prima exótica, exclusiva e por isso valorizada no mercado.

A importância dada ao uso de matérias-primas alternativas, com o apelo do “politicamente correto”, torna a atividade econômica do curtume de couro de peixe inovadora e altamente promissora.

O setor curtidor é de grande importância para a economia brasileira. Vale lembrar que a cadeia produtiva do couro, que envolve os segmentos de curtumes, calçados, componentes, máquinas e equipamentos para calçados e couros, artefatos e artigos de viagem em couro, reúne 10 mil indústrias, gera mais de 500 mil empregos e movimenta receita superior a US$ 21 bilhões de dólares por ano.

De modo geral, existem, atualmente, 450 curtumes no Brasil, onde, cerca de 80% são de pequeno porte, empregando de 4 a 99 empregados cada um. Os países europeus são exigentes e inovadores no uso destes materiais, apelando para as características de exclusividade. Já os países asiáticos são atraídos pelas características exóticas da matéria-prima.

Em âmbito geral, a grande barreira a ser vencida pelos empreendedores que se dedicam a esta atividade econômica está relacionada ao processo de obtenção e beneficiamento da matéria-prima.

O mercado está interessado em adquirir e utilizar o produto, mas quer saber e acompanhar as técnicas utilizadas para sua obtenção e processamento, sob pena de perder o caráter ecológico tão valorizado.   Uma característica peculiar deste tipo de negócio é que, apesar de depender de uma atividade econômica extremamente fechada e de difícil entrada – que é a da indústria pesqueira, o empreendedor não precisa ser do meio. Geralmente o couro do peixe é considerado lixo e problema para os pescadores, e ainda pode ser negociado a preços simbólicos apenas para favorecer a destinação final adequada do material.   Este fato pode ser muito bem aproveitado pelo empreendedor que pretende explorar a atividade do curtume de couro de peixe, uma vez que a produção anual brasileira de pescados gira em torno de 800.000 toneladas/ano, onde o couro representa de 8 a 12% deste valor total.

Fonte: Sebrae.com.br – Como montar uma empresa de curtume de couro de peixe

Deixe um comentário

Sobre Sebrae MercadosDeixa eu ver qual é