CADASTRAR

Entrar

Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Enviar mensagem

Adicionar pergunta

Entrar

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Nichos de mercado: moda plus size

Nichos de mercado: moda plus size

nicho_moda_plus_size

Nichos de mercado são formados por consumidores que mais exigentes quanto ao conceito do produto e da sua cadeia produtiva. Atuar nesta direção é uma oportunidade para os pequenos negócios; e exige uma compreensão sobre o público, buscando entender, ainda mais, suas necessidades, anseios, percepções e comportamento.

Conheça abaixo as principais características, estratégias de diferenciação, cenários e perspectivas para o nicho de mercado ‘moda plus size’. As informações são da publicação Nichos de Moda, lançada pelo Sebrae este mês.

O que é moda plus size?
No caso da moda plus size ou moda GG, procura-se atender a pessoas que usam roupas acima do 44. O foco são homens e mulheres, jovens e adultos que não querem apenas vestir uma roupa que atenda ao seu manequim, mas sobretudo ressaltar seu estilo e beleza por meio do uso de roupas e acessórios que estão na moda. É um público exigente e sofisticado, que busca consumir moda que vista o seu corpo e satisfaça a sua vaidade.

“Acabou o tempo em que uma roupa para ‘gordinhos’ era feita apenas para esconder. Hoje, tanto homens quanto mulheres querem usar o que todo mundo está usando, apenas com alguns ajustes”, afirma Ana Cristina, organizadora do evento Fashion Weekend Plus Size que acontece periodicamente em São Paulo.

Para o público masculino, estilo e conforto são os elementos mais procurados em uma peça de roupa. Para o público feminino, a procura é por uma roupa que seja sensual, valorize seus pontos fortes, seja confortável e versátil, tornando-a segura e satisfeita.

Cenário
Pelo cenário nacional, existe uma demanda real para a moda plus size, o que permite avaliar a possibilidade de apostar neste segmento que se apresenta como uma oportunidade de negocio para empresas que desejam abrir ou alavancar os seus negócios e agradar aos consumidores de roupas em tamanho grande, oferecendo maior valor agregado e dentro das tendências da moda. E, ao mesmo tempo, por se tratar de um nicho de moda, as barreiras de entrada tendem a ser menores.

Segundo dados do Ministério da Saúde divulgados em abril de 2014, 50,8% dos brasileiros estão acima do peso, e destes, 17,5% são obesos. Ou seja, mais da metade da população brasileira é público alvo da Moda Plus Size.

Segundo levantamento do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), todos os estados brasileiros registram incidência alta de pessoas acima do peso, embora as maiores concentrações estejam nos estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

Entre as cidades brasileiras, a que mais se destaca é Natal por ter um alto percentual de pessoas acima do peso: 21,2% do total dos seus habitantes, segundo dados do Ministério da Saúde.

Ainda de acordo com o IBGE, o percentual de jovens de 10 a 19 anos com excesso de peso passou de 3,7%, em 1970, para 21,7%, em 2009. Ou seja, uma parcela considerável da população acima do peso é jovem. Uma vez que os jovens impulsionam o mercado da moda, é importante estar atento ao seu comportamento de consumo e, ao mesmo tempo, as tendências da moda para este público.

Empresas que já apostam no nicho
Embora este nicho de mercado ainda seja pouco explorado no País, as lojas voltadas ao público que usa modelo tamanho GG está se expandindo e representa uma oportunidade para os pequenos negócios.

O segmento da moda plus size é um mercado em expansão que cresce 6% ao ano e movimenta cerca de R$ 5 bilhões, o que representa 5% do faturamento total do segmento de vestuário, segundo a Associação Brasileira do Vestuário (Abravest). Esse percentual corresponde a cerca de 300 lojas físicas e aproximadamente 60 virtuais. A expectativa, segundo a associação, é de um crescimento de pelo menos 10% ao ano.

Grandes marcas e redes de moda já́ perceberam que o nicho é valoroso. Entre as marcas que estão de olho no segmento, está a Malwee, que tem a coleção “Grandes Abraços” e acabou de lançar uma marca própria para o segmento. A Duloren foi a primeira marca de lingerie a apostar em tamanhos grandes com o slogan “Gostosa demais para usar 38” e hoje os tamanhos grandes correspondem a 50% do seu faturamento.

Entre as grandes redes de moda estão a C&A com a linha “Special for you”, bem como a empresa Marisa que possui a linha “Especial para Você̂”. Também as empresas Riachuelo, Renner e Pernambucanas já possuem suas coleções Plus Size.

Há 24 anos no mercado paulistano a marca Kauê Plus Size começou a apostar no segmento de tamanhos especiais. Naquela época, a empresa possuía três lojas e apenas uma delas oferecia roupas em tamanhos grandes com foco em senhoras. Mesmo assim, as jovens que usavam tamanho grande entravam na loja e não encontravam produtos que lhes agradavam. Atenta a esta oportunidade, a marca passou a adotar o plus size como carro-chefe com elementos de moda.

Atualmente, a empresa possui confecção própria, 13 lojas e um e-commerce. Segundo Márcia Chican, sócia-proprietária e diretora de estilo, a proximidade com os clientes foi o que ajudou o negócio a crescer. “Ouvíamos as sugestões deles, sem deixar de prestar atenção nas tendências. Foi assim que vimos que a mulher ‘gordinha’ também gosta de ousar. Ela gosta de usar cores, estampas e brilhos”, afirma.

A Posthaus vende roupas pela internet para diversos segmentos dentre eles o Plus Size. No primeiro quadrimestre de 2012, segundo matéria publicada pelo Blog do E-commerce, a empresa registrou um incremento de 296% neste segmento de sua loja virtual, em relação à 2011, muito à frente do segmento de vestidos, o segundo colocado em desempenho com 92% de incremento nas vendas.

A empresária Cínara Fernandes iniciou o seu negócio, a Elegance, com apenas R$ 800, na garagem de casa. Desde 1999 a confecção vem crescendo e se modernizando e hoje possui 66 funcionários. Apesar de um alto crescimento no volume de vendas, a empresária diz que ainda existe muito preconceito.

“Sentimos que ainda há uma resistência grande da sociedade, do lojista que não quer expor a roupa na vitrine, que acha que peças que fogem do básico não vão vender, e da própria pessoa que tem vergonha em procurar por roupas deste segmento”, afirma Cinara.

Como estratégia de diferenciação a empresa fornece orientação aos lojistas sobre como melhorar a exposição dos produtos, realizam sorteios e desfiles exclusivos para os principais clientes. A empresária e sua filha, a estilista Gabriela Nunes, procuram estar cercadas de informação de moda, de tendências, cores, estampas e tecidos para oferecer produtos diferenciados aos clientes.

A Flaminga é uma loja on-line que vende diferentes estilos em tamanho plus size pra mulheres que querem evitar o desconforto de entrar em uma loja de tamanhos maiores. A empresa foi criada em fevereiro de 2013 pelas sócias Sylvia Sendacz e Cristina Horowicz, e para ter um diferencial, oferecem consultoria de estilo pelo telefone e disponibilizam uma seção chamada “provador”, na qual é possível identificar o tipo de corpo da cliente. “Sentimos que está cheio de gente mais “cheinha”, louca para usar uma roupa bacana, estilosa, mas que enfrenta dificuldades em achar. Por vezes, vestem aquilo que serve, mas não exatamente o que desejam”, afirma Sylvia Sendacz.

Estratégias para explorar este nicho
Há um contingente considerável de pessoas com demandas por produtos e serviços que lhes sejam adequados. Por outro lado, os consumidores da moda plus size ainda encontram dificuldades em comprar roupas e acessórios que atendam às suas necessidades de tamanho e estilo, seja nos grandes varejistas, nas lojinhas de bairro ou em boutiques.

Desta forma, há um campo fértil para novos negócios nas regiões brasileiras. Confira algumas dicas para atender a este público:

Busque fornecedores que produzam peças com modelagem especifica para o público plus size;

Ofereça produtos que possuam um bom caimento, proporcionem conforto e que estejam dentro das tendências da moda. Corte e caimento devem valorizar curvas e esconder imperfeiçoes;

Aposte em peças com rendas, brilhos, cores e modelos que estão na moda. Cada vez mais bem resolvidas, mulheres deste nicho querem peças com mais charme;

Ofereça serviços de moda e estilo para os clientes, como, por exemplo, ter à disposição um personal stylist;

Conheça o comportamento do consumidor de moda plus size e crie formas de identificar as demandas deste público;

Esteja atualizado quanto às tendências de moda: assine revistas especializadas, acesse blogs e sites de referência e siga, na sua fanpage, pessoas, empresas e instituições que tragam estas informações;

Participe de feiras do segmento como o Fashion Weekend Plus Size, evento que reúne grandes marcas especializadas duas vezes ao ano em São Paulo;

Segmente seu público e monte um mix de produto direcionado. Como exemplo: jovem, feminino, masculino, infantil, casual, festa, fitness, etc….

Treine bem os vendedores para atenderem de forma diferenciada este público que exige atenção especial.

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae MercadosDeixa eu ver qual é