CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Microcrédito produtivo orientado e a assistência técnica empresarial

Microcrédito produtivo orientado e a assistência técnica empresarial

Recente estudo desenvolvido pelo Sebrae, em dezembro de 2011 (em fase de impressão), em parceria com a Associação Brasileira das Operadoras de Microcrédito e Microfinanças – ABCRED, aponta que instituições de microcrédito organizadas sob forma de ONG/OSCIP atendem a aproximadamente 200 mil empreendedores, sendo 75% informais e somente 25% formalizados (EI e ME). Em relação aos setores econômicos, 70% se dedicam ao comércio; 25%, aos serviços; e 5%, à indústria, cujos (micro) financiamentos médios são de R$ 3.500,00.

Pelo lado da oferta de serviços financeiros públicos, o Programa Nacional de Microcrédito Produtivo e Orientado – Crescer MPO, também lançado em 2011 e operado pelos bancos públicos federais (BB, BASA, Caixa e BNB/Crediamigo), objetiva elevar o padrão de vida de milhões de empreendedores, estimulando a geração de emprego e o desenvolvimento de novos negócios, via empreendedorismo e “bancarização”, entre outros meios.

Tais números indicam, mesmo considerados como microcrédito produtivo, que há mais espaço do que o percebido para a “parceirização” em termos de oferta de assistência técnica empresarial. Tanto a oferta quanto a demanda por microcrédito produtivo e orientado com a componente da assistência técnica empresarial tendem a ser percebidos como complementares, não como concorrentes.

Dados preliminares disponibilizados pelas instituições financeiras parceiras indicam que a meta, em termos de volume e quantidade, foi alcançada, sendo de 172% e 112%, respectivamente. Trata-se de um interessante avanço, dado o conjunto de dificuldades enfrentadas pelos pequenos negócios quando da busca de financiamentos, conforme historicamente percebido pelo Sistema Sebrae.

Consideradas as concessões de microcrédito liberadas pelo CRESCER MPO e pelas instituições operadoras de microcrédito e microfinanças associadas à ABCRED (Gráfico 1), estima-se em R$ 1,12 bi o volume de microcréditos direcionados ao setor produtivo de pequeno porte no ano de 2011. Em termos de quantidade (Gráfico 2), são 825 mil empreendedores atendidos, número superior, por exemplo, à quantidade de Empreendedores Individuais (EI) adimplentes (CGSN/MF – Nov.2011), com grande destaque para o Programa Crediamigo do Banco do Nordeste, responsável por 67% dos contratos aqui considerados, seguidos pelas instituições de microcrédito organizadas na forma de ONG/OSCIP (24%).

É possível perceber, também, que a maioria das atividades financiadas é similar àquelas passíveis de regularização como EI (banca de jornais; comércio de livros, revistas e CDs; bar; mercearia; quitanda; comércio de alimentos; e comércio de doces e salgados), o que a aproxima de pelo menos duas metas mobilizadoras que buscam: i)ampliar empresas atendidas e registradas no SiacWeb e ii) contribuir para a formalização de trabalhadores por conta própria como Empreendedores Individuais.

Assim, e de forma positiva, hoje, o Sebrae, trabalhando por segmentação de porte, reúne plenas condições de aumentar sua carteira de clientes, tendo no programa Negócio a Negócio e na Metodologia SEI, por exemplo, formas de atender proativamente a um maior contingente de empreendedores já efetivamente financiados por diversas instituições financeiras parceiras – porém, ainda carentes de sensibilização para a formalização e o acesso a assistência técnica. Para tanto, é necessário novo olhar, sob a perspectiva de um “novo pós-crédito”. Afinal, o Sebrae não financia, no máximo garante parte do financiamento. Mas, certamente, realiza com maestria efetiva assistência técnica empresarial.

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae MercadosSebrae