CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Perguntar é uma funcionalidade apenas para usuários registrados.
Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

Entrar


CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Maior participação dos bancos comerciais públicos no mercado é positiva, diz diretor do Sebrae

A expectativa de maior crescimento econômico acirra a concorrência entre os bancos comerciais em favor da redução dos custos das operações e da ampliação da base de clientes

Clara Favilla

A crescente participação dos bancos comerciais públicos na configuração do sistema financeiro nacional, verificada com maior ênfase em 2009, é positiva. Vai aumentar a concorrência entre as grandes instituições de varejo, em favor da redução dos custos dos serviços prestados e da ampliação da base de clientes.
A avaliação é do diretor de Administração e Finanças do Sebrae, Carlos Alberto dos Santos. “É preciso separar o que é a atuação de bancos de investimentos, de fomento, como o BNDES e agências estaduais, da atuação dos bancos comerciais controlados pela União”, ressalta.
Para se ter uma idéia, a Caixa Econômica Federal, que tinha uma participação de 6,5% no mercado de crédito em 2008, passou para 8,9% em 2009 e pretende chegar a 10% este ano. O Banco do Brasil saltou de um padrão entre 16% e 17% nos últimos anos para 20,4% em 2009.
O BNDES registrou grande expansão no ano passado, em função da crise que secou os recursos para grandes e médias empresas. Foi uma expansão conjuntural que tende a se estabilizar no novo patamar de atuação do banco. Enquanto isso, a expansão dos bancos públicos de varejo deve continuar, projeções indicam um aumento da oferta de crédito no segmento de até 30% em 2010.
Primeiro, porque podem captar recursos no mercado. Segundo, porque são atores importantes para implementação de políticas públicas focadas, por exemplo, no fortalecimento da agricultura familiar, das micro e pequenas empresas e de formalização da economia, via figura do Empreendedor Individual.
Para o diretor do Sebrae, Carlos Alberto, o Brasil está no embalo de recomposição da constelação do sistema financeiro. Bancos públicos estão em contínua capacitação, o que facilitará a absorção de um grande contingente de novos assalariados, trabalhadores por conta própria registrados como empreendedores individuais e pequenos negócios. Movimento que também se verifica nos grandes bancos privados.
“A perspectiva é de crescimento da economia com inclusão financeira. Ninguém quer perder este bonde.O momento é muito favorável. A captação no mercado, a abertura de novos nichos de atuação, inclusive no exterior, resultará sem dúvida, em maior eficiência do sistema bancário brasileiro”, afirmou.
Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae MercadosSebrae