CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Empresas do Sul de Minas se preparam para virar franquia

Franquias_MG

Foto: Divulgação

Simone Guedes
Agência Sebrae de Notícias

O segmento de franchising faturou R$ 103,3 bilhões em 2012, que representa um aumento de 16% em relação ao último ano, segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF). De olho nesse mercado, que não para de crescer, quatro micro e pequenas empresas do Sul de Minas estão lançando as suas próprias franquias. Apoiados pelo projeto Minas Franquia, do Sebrae em Minas Gerais, os empreendimentos serão apresentados aos investidores no dia 6 de junho, às 19h, em Varginha.

As franquias são: lanchonete Seu Mostarda (Itajubá), Kapeh Cosméticos (Três Pontas), Doce da Roça (Poços de Caldas) e Açaí Mania (Poços de Caldas). Elas integram um grupo de 11 empresas das cidades de Uberlândia, Belo Horizonte e agora do Sul de Minas que receberam apoio do projeto Minas Franquia. O objetivo do programa é estruturar melhor o setor no estado, disseminar e ampliar o acesso às informações e dar suporte aos empreendedores que desejam expandir seus negócios pelo sistema de franchising.

O projeto do Sebrae no estado orienta desde a gestão correta dos negócios até o processo de concessão da franquia. “É uma forma de expandir um negócio já testado por meio de recursos de terceiros. O ideal é que a empresa tenha, no mínimo, dois anos de existência e uma marca registrada e consolidada, mesmo que somente na região de origem”, explica a analista de Acesso à Mercados e Relações Internacionais do Sebrae em Minas Gerais, Alessandra Simões.

O empresário Gláucio Peron, dono da Doce da Roça, de Poços de Caldas, não teve dúvida ao perceber que o projeto poderia ajudar na expansão do seu negócio: a venda de doces gigantes. Em 2008, durante visita a uma feira em Nova York, Gláucio achou interessante os queijos gigantes expostos. De volta ao Brasil, resolveu adaptar o formato dos queijos aos doces produzidos por ele, e acabou descobrindo o diferencial do seu negócio. “Não tenho conhecimento de nenhuma outra fábrica que faz doces com esse tamanho”, garante o empresário.

Hoje, o Doce da Roça produz peças de 50 kg a 500 kg, com mais de 12 tipos de doces, entre eles abóbora com coco (o mais vendido), pingo de leite com amendoim, goiabada cascão, cocada com ameixa e uma novidade: a figada cascão light. “Estamos sempre procurando criar novidades para oferecer aos nossos clientes. Além disso, a matéria-prima de todos os doces feitos de fruta é comprada de produtores rurais da região, já que a cidade de Poços de Caldas é a cidade do Comércio Justo”, conta Gláucio.

Como são muito grandes, os doces são vendidos em pedaços. A produção chega a 20 toneladas por mês. As peças gigantes são vendidas para empórios, padarias e supermercados de 20 estados. “Lá fora, os doces mineiros são sucesso absoluto”, relata o empresário.

Para saber mais, leia a íntegra da matéria.

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae MercadosSebrae