CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Perguntar é uma funcionalidade apenas para usuários registrados.
Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

Entrar

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Cresce o número de aluguel de galpões logísticos para vendas digitais

Cresce o número de aluguel de galpões logísticos para vendas digitais

Com a pandemia, houve um aumento expressivo no número de vendas online. Impossibilitada de consumir presencialmente, a maior parte dos brasileiros investiu a renda digitalmente em produtos de e-commerce. 

Um levantamento realizado pela Ebit/Nielsen, em parceria com a Elo, aponta que o faturamento das vendas pela internet tiveram um aumento de 47% no primeiro semestre de 2020, o que corresponde a um total de R$ 38,8 bilhões. De acordo com a pesquisa, foram quase 91 milhões de pedidos feitos apenas entre os meses de janeiro e junho.

Para o segundo semestre, uma pesquisa realizada pela agência de SEO Conversion, com uma amostra de 400 pessoas, destacou que 75,3% dos entrevistados pretendiam fazer compras pela internet durante a Black Friday por medo de contrair a Covid-19, enquanto 67,4% preferiam sites e lojas online para a compra dos produtos desejados. 

Em um momento crítico, com o crescimento expressivo do e-commerce e a queda inevitável das ações em lojas físicas, sobretudo as localizadas dentro de shoppings, boa parte dos comércios investiu em transferir seus produtos para a compra online, o que acarretou no aumento significativo para o aluguel e venda de galpões logísticos, que em geral são usados para estocar produtos e distribuir outras mercadorias. 

Uma pesquisa realizada pela consultoria imobiliária Newmark aponta que 297 m² de galpões foram alugados entre outubro e novembro apenas no estado de São Paulo, o que implica em um crescimento de mais de 31% em relação ao mesmo período do ano anterior, que disponibilizava 227 m².

De acordo com as empresas que trabalham com locação de galpões, é comum que haja aumento no último trimestre do ano, em virtude das compras voltadas às festividades. Mas, com a propagação da pandemia e o prorrogamento da quarentena, boa parte das empresas de varejo tem procurado por mais espaço físico destinado a estoque após intenso investimento no e-commerce.

Em entrevista à rádio Jovem Pan, Patrick Samuel, diretor de negócios industriais e logísticos da Newmark, afirma que o aumento já era progressivo mesmo sem o coronavírus: “Já era um caminho que estava sendo trilhado nos últimos anos, mas a pandemia ajudou muito esse desenvolvimento. A estimativa é que tenha ocorrido uma aceleração prevista pelos próximos três anos em apenas um”.

O estudo também mostra que a região de Cajamar acumulou 45% dos imóveis alugados durante os dois meses, e que, para dezembro, o estado de São Paulo tem apenas 17% da área total disponível para aluguel.

Ao todo, as locações feitas em 2020 foram equivalentes a 76% do valor arrecadado em 2019, sobretudo no segundo semestre, no qual a prorrogação do isolamento social já estava mais estabelecida. 

Ainda assim, houve relatos frequentes de furtos voltados aos galpões, além de espaços vandalizados. Aos galpões destinados à distribuição de mercadoria ou utilizados como ambiente provisório, foram recomendadas medidas de segurança, tais como instalação de portas de aço, cadeados reforçados e pinturas laváveis, a fim de evitar o vandalismo.

Entre as empresas de varejo que mais investiram na locação de galpões estão as lojas CEM, a Amazon e o Mercado Livre. 

 

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Sobre Debora RamosEspecialista

Deixe um comentário