CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Perguntar é uma funcionalidade apenas para usuários registrados.
Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

Entrar


CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

"Craudi" o quê?

"Craudi" o quê?

A quantidade de informações para os empresários de pequeno porte brota de todos os lados e há cada vez mais gente interessada no tema da captação de recursos, ou seja, onde conseguir “grana” para abrir o seu negócio.

Esse candidato a empresário, portador de um bom modelo de negócio, corre os meios tradicionais de financiamento, mas, normalmente, para seu projeto sair do papel, terá de utilizar recursos próprios, decorrentes da venda de algum patrimônio, do “paitrocínio” ou love money da família ou de amigos. Aliás, boa parte dos pequenos negócios do país surgiu assim, sem o apoio de capital do sistema financeiro tradicional.

Não podemos nos esquecer de algumas importantes alternativas de apoio aos startups, que passam pela indústria de fundos de venture capital, pelos angels investors e pelas incubadoras de empresas. Apesar da eficiência dessas alternativas, o envolvimento de poucos patrocinadores e/ou investidores leva a limitação da quantidade de projetos apoiados e, consequentemente, da menor abrangência do número de empresas atendidas.

Nessa linha de apoio, surge mais um modelo importado de outros países e que compreende o financiamento coletivo, feito por pessoas comuns, como eu ou você. Trata-se do Crowdfunding que varia do termo Crowdsourcing, o qual indica atividades realizadas pela multidão. Em síntese, Crowdfunding é o termo utilizado para definir as atividades e plataformas de financiamento coletivo, em que os interessados fazem doações dos valores que podem e/ou querem para um determinado projeto.

No Brasil, já temos algumas plataformas digitais que apresentam projetos de apoio a produções culturais, edição de livros e compra de bens. Os websites ficam responsáveis pela análise dos projetos e sua divulgação, pela arrecadação das doações e repasse do valor pretendido pelos postulantes, sendo remunerados por uma taxa de administração.

Na Campus Party 2012, o Sebrae promoveu a discussão do tema envolvendo os gestores das plataformas, empresários apoiados e doadores de recursos.

Para saber mais sobre o tema, veja a matéria da Agência Sebrae de Notícias.

 

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae MercadosSebrae