CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Copa do Mundo incentiva produção de cafés especiais

Copa do Mundo incentiva produção de cafés especiais

064

O café é uma bebida tipicamente brasileira que já conquistou paladares no mundo todo. Além do crescimento no consumo, aumentou também o grau de exigência dos apreciadores da bebida. E, de olho nesse mercado em expansão, os cafeicultores investem cada vez mais na produção de cafés de qualidade e certificados.

O Brasil é o primeiro colocado no ranking da produção mundial de café, com cerca de 50 milhões de sacas geradas em 2012. De acordo com informações da Comissão do Meio Ambiente da Confederação Nacional de Agricultura (CNA), o país também é líder na produção de grãos com certificações internacionais. A previsão da CNA é de que até 2015 o Brasil seja responsável pela produção de 25% dos cafés certificados, contra 8% em 2013.

Uma região do Brasil já se destaca como produtor de cafés especiais. Em 2012, a Associação dos Cafés Especiais do Norte Pioneiro do Paraná (ACENPP) conquistou a Indicação Geográfica de Procedência (IGP). Além de status, o selo garante a origem, os processos de produção e algumas características sensoriais dos cafés de uma determinada região, conferindo-lhes destaque no mercado brasileiro e internacional.

Consumo interno

Para a coordenadora estadual de Agronegócios do Sebrae no Paraná, Andreia Claudino, a conquista da IGP pelos produtores do Norte Pioneiro é motivo de orgulho. “É o primeiro produto do estado a obter a identificação geográfica”, salienta. Ela explica que o selo interferiu na dinâmica do mercado local e que os paranaenses passaram a valorizar o café produzido na região. “A certificação difundiu o conceito de cafés especiais no mercado interno. Os paranaenses já reconhecem os atributos dos grãos e pagam mais por isso. Sem dúvida, nossos consumidores estão ficando cada vez mais exigentes.”

Ela comenta que após a conquista da IGP, a meta agora é a gestão da marca dos cafés do Norte Pioneiro para que os resultados sejam ainda melhores. “Cada ano que passa, aumenta a demanda por produtos certificados”. A IGP foi o resultado mais expressivo do projeto de Cafés Especiais, idealizado pelo Sebrae no Paraná e pela ACENPP, em 2006, que mostrou a nova realidade do mercado de cafés e norteou os agricultores para um novo modelo de produção. Antes focada na quantidade, a cultura do grão, no Norte Pioneiro, ganhou uma nova diretriz: a produção de cafés especiais. Hoje, o projeto conta com 300 produtores, divididos em 12 núcleos.

O Sebrae disponibiliza uma série de estudos votados ao setor. Fique por dentro: http://www.sebrae.com.br/setor/cafe/acesse/biblioteca

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae MercadosSebrae