CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Como montar uma loja de autopeças

Como montar uma loja de autopeças

Confira uma ideia de negócio completa sobre Como montar uma loja de autopeças. Abaixo dividimos o conteúdo em tópicos como mercado, custos, pessoas, investimentos, divulgação, exigências legais e mais dicas.

Empreender no setor de peças automotivas, é olhar para a história do automóvel. Desde o surgimento do automóvel, o crescimento do setor de autopeças tem tomado proporções significativas, não somente na área de produção de peças novas, mas também na área de reposição de peças automotivas.

A loja de autopeças é o lugar onde os clientes vão encontrar uma variedade de produtos de série, como também diferenciados ou alternativos para as mais diversas marcas e modelos de automóveis. É o lugar sempre procurado pelos clientes tanto em situações emergenciais, quando há a necessidade de conserto dos veículos, ou quando apenas querem incrementar seus automóveis com acessórios customizados, tornando-os personalizados. É um negócio interessante, que não para de crescer, considerando a grande quantidade de veículos circulando pelas cidades. 

Um dos fatores positivos para este segmento é a mudança de comportamento do brasileiro, que hoje prefere comprar peças de reposição para manter o carro em bom estado.

Este ramo de negócio é altamente competitivo, mas uma das vantagens é que o pequeno empreendedor pode iniciar seu negócio formalizado como MEI – Microempreendedor Individual. A formalização garante a tranquilidade de estar amparado pelos benefícios previdenciários, como: auxílio doença, salário maternidade, aposentadoria, entre outros, além de conseguir condições de compras melhores pelo fato de ter CNPJ.

Uma loja de auto peças vai muito além de organizar um espaço com prateleiras e encher de itens automotivos. Conhecer cada produto, suas funções e diferenciais é imprescindível. Isso permite que as prováveis negociações, antes das vendas, sejam feitas da melhore maneira possível

Para quem esta iniciando é importante conhecer como funciona o mercado de autopeças no Brasil:

·        Montadoras – Criam e montam automóveis, porém elas não produzem as peças que são compradas da indústria de autopeças.

·        Concessionárias – Vendem os carros produzidos pelas montadoras.

·        Fornecedores – Fabricam todas as peças que compõe o veículo e fornecem as peças tanto para montadoras quanto para distribuidoras.

·        Distribuidores – Recebem as peças dos fornecedores e distribuem para o mercado varejista.

·        Lojas de autopeças – Venda das peças para o consumidor final.

·        Mecânicos – São os principais consumidores das autopeças que estão sempre buscando por custos baixos e qualidade garantida.

Este formato favorece as lojas de peças automotivas, que permite ao consumidor escolher onde deseja comprar as peças para seu veículo.

O empreendedor precisa ter em mente que uma loja de peças automotivas, possui um linha de produtos muito ampla em variedade, marcas, preços e modelos. A escolha dos produtos dependerá de um bom planejamento e analise dos fatores externos, como localização e público alvo. Portanto, monitorar o mercado e adaptar sua linha de produtos, mediante preferências de seus consumidores, é uma prática inteligente que pode aumentar as oportunidades de negócio.

Uma loja de peças automotiva, pode comercializar uma vasta gama de produtos, sendo que algumas peças automotivas tem mais rotatividade que outras, então foque nos produtos mais consumidos, como aqueles que precisam ser substituídos em revisões. Veja alguns dos produtos que podem ser comercializados:

.

·        Pneus para as mais variadas marcas de automóveis

·        Faróis de diversos modelos e tamanhos

·        Bancos, carpetes e tapetes

·        Retrovisores

·        Freios e sistema de frenagem

·        Baterias

·        Filtros e lubrificantes

·        Peças para parte elétrica do veículo

·        Peças para a parte mecânica do veículo

.

O Brasil conta com uma frota de mais de 100 milhões de veículos (carros, motos, caminhões etc). Estes números demonstram por que o setor de peças é tão forte e competitivo, atraindo vários empreendedores. O setor apresenta picos sazonais especialmente em vésperas de feriados e no período anterior às férias escolares, nos quais muitas famílias utilizam seus veículos para se deslocarem aos destinos escolhidos.

Quem esta iniciando neste segmento, precisa estar de olho na internet, pois as vendas on-line estão aumentando ano após ano. O empreendedor dever considerar a possibilidade de levar seu negócio de peças automotivas para além da loja física, investindo num e-commerce. Um website simples e bem estruturado poderá aumentar seu lucro, além de expandir seus canais de venda e forma de chegar até os clientes.

Conhecer o mercado é um dos fatores determinantes para o sucesso do empreendedor que deseja atuar no comercio de peças automotivas. Todas as decisões, estratégias, gerenciamento de vendas e até mesmo ações de marketing estão diretamente ligas ao conhecimento do mercado de atuação. Portanto, quanto mais conhecer o mercado, a expectativa do consumidor, a qualidade dos serviços e produtos, melhor será o desempenho do negócio.

·        Cenário

Conforme pesquisa do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças) , o setor registrou uma alta de 7,8% no acumulado de janeiro a setembro, se comparado ao mesmo período em 2018. O crescimento do setor de peças automotivas, continua sendo puxado pelas vendas as montadoras, que subiram 11,3% se comparado ao ano anterior. Já o segmento de reposição a alta foi de 6,5%.  O cenário de veículos usados teve um leve aumento de 2,1% no acumulado até outubro de 2019, de acordo com dados divulgados pela Fenabrave .

O Brasil possui um frota 44,80 milhões de unidades circulantes, entre automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. O número de motocicletas é de aproximadamente 13,12 milhões. É evidente que todo este volume requer manutenção e hoje o setor varejista de autopeças no país conta com mais de 186 mil negócios, conforme dados do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças)

·        Distribuição da frota por estado

 

Conhecer a distribuição da frota de veículos por estado, ajudará o empreendedor a conhecer a maior concentração e fazer uma análise de seu público alvo.

A frota brasileira está predominantemente concentrada em cinco Estados: São Paulo, com 30,4% do total; Minas Gerais, 11,9%; Paraná, 7,7%; Rio de Janeiro, 7,6%; e Rio Grande do Sul, com 6,8%. Agregados, esses cinco Estados representavam 64,5% de todos os auto veículos que circulavam no País em 2018, conforme relatório da frota circulante do Sindipeças  

·        Expectativas

A projeção para o médio prazo é otimista, conforme apurado na pesquisa O Horizonte para a Indústria de Autopeças , realizada em 2019, por Automotive Business em parceria com a Reed Exhibitions. Segundo o estudo, a maior parte das empresas do segmento (45%) apostam em expansão de 16% a 25% do mercado brasileiro de autopeças nos próximos cinco anos.  Estes números são justificados pelo aumento da frota de veículos no pais. Mesmo que o número de aquisições de carros e motos novos tenha caído, a venda de itens usados continua crescendo nos últimos anos.

·        Tendências

Uma das tendências é a reposição de autopeças no segmento de caminhões pesados. Outro fator que pode ajudar o empreendedor de peças automotivas é a o envelhecimento da frota brasileira. Com carros e motos circulando por mais tempo nas ruas, ocorre uma necessidade maior de reposição de peças derivadas de manutenções mais recorrentes. Conforme relatório da frota circulante do Sindipeças,   

as estimativas são de que a idade média alcance 9 anos e 8 meses em 2019 e 9 anos e 10 meses em 2020. A frota de veículos em circulação no Brasil compreendia mais de 44 milhões em 2018, como visto anteriormente. Desse montante, 28% apresentava idade média de até 5 anos, 55% entre 6 e 15 anos e 17% acima de 16 anos. Com relação ao futuro, a tendência projetada é de contínuo envelhecimento da frota. Aproximadamente 20 milhões de veículos terão idade média superior a 11 anos e 19,4 milhões entre 4 e 10 anos. Acesse o relatório completo em Relatório da Frota Circulante.

 

·        Desafios do setor

O principal desafio é tornar a cultura da transformação digital, uma realidade nas empresas de peças automotivas. O setor ainda não percebeu que a tecnologia é um aliado para gestão do negócio e aumento da produtividade.

·        Comportamento do consumidor

A previsão do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes é que o além das manutenções corretivas, o proprietário de veículos cada vez mais se conscientiza acerca da necessidade de cuidados preventivos, de forma a evitar até mesmo prejuízos maiores em caso de problemas, potencializando os serviços em oficinas mecânicas e a reposição de peças.  

.

De acordo com as pesquisas e números do mercado o setor tende a crescer, mas o empreendedor precisa se preparar com tecnologia, estrutura, bons fornecedores, estoque adequado e um excelente atendimento.

A localização da loja de peças automotivas, é um dos pontos mais importantes. Ela influencia diretamente os seus resultados e é por isso que esta decisão exige muito planejamento.  Pesquisas do SEBRAE, demonstram que 8% das empresas brasileiras fecham nos primeiros 4 anos de funcionamento, devido à má escolha do local de instalação. 

A localização ideal é aquela que favorece o acesso dos clientes, com o menor grau possível de dificuldade.  Priorizar locais de grande fluxo de veículos faz toda a diferença, como: oficinas de carros, postos de gasolina, shoppings, supermercados e avenidas movimentadas.

Confira algumas dicas para fazer a melhor escolha para montar sua loja de peças automotivas:

·        Ponto comercial central

Para quem deseja optar pelos centros comerciais é importante estar atento as áreas que mais favorecem este segmento de negócio. A visibilidade nos grandes centros é um ponto importante para converter público passante em consumidores potenciais.

Nota:

Se a localização privilegiar áreas próximas a oficinas e grande fluxo de veículos, as chances de boas vendas são bem maiores que as lojas localizadas em áreas distantes dos principais consumidores.

.

·        Loja de peças automotivas no bairro

Com o crescimento das cidades, os bairros estão ficando cada vez mais independentes e com características próprias. Esta tendência pode ser uma opção interessante para montar uma loja de bairro. Mesmo sendo em bairros mais distantes é fundamental escolher o melhor local do bairro, com boa visibilidade, com alto fluxo de veículos e de fácil acesso.

.

·        Loja de peças para segmento de transporte pesado.

Se o nicho a ser trabalhado seja o de transporte pesado de cargas ou de passageiros, como caminhões e ônibus, o ponto escolhido deve prioritariamente estar localizado próximo à entrada das cidades em rodovias com grande fluxo de veículos dessa natureza. Importante ter em mente que, além de competitivo, o mercado é muito pulverizado.

.

Seja uma loja de bairro, área central ou em rodovias, a localização do empreendimento deve atender algumas necessidades básicas:

•             Facilidade de acesso para clientes e funcionários;

•             Facilidade de estacionamento (local ou próximo);

•             Grande fluxo de veículos;

•             Proximidade a fornecedores;

•             Proximidade de estações e pontos de transporte coletivo;

•             Infraestrutura de serviços (restaurantes, farmácias, bancos);

•             Segurança da região;

•             Infraestrutura de serviços públicos (Bombeiros, Polícia, Hospital, Correio);

•             Verificar se o local não está sujeito a inundações ou próximo a áreas de risco;

•             Disponibilidade dos serviços de água, luz, telefone e internet;

•             Serviços de recolhimento de lixo.

•             Preço de aluguel;

•             Qualidade dos imóveis disponíveis;

•             Influência da concorrência na região.

.

Cuidados!

Confira orientações para você não se arrepender da escolha do ponto comercial:

·        Evite locais em frente a ponto de ônibus;

·        Fique longe de locais que causem sensação de insegurança;

·        Tente evitar últimos andares ou locais de pouca mobilidade;

·        Analise a legislação do município antes de qualquer decisão.

.

A localização tem um papel importante para os negócios, então, antes de qualquer decisão é fundamental analisar todos os aspectos para evitar erros ou gastos desnecessários. Para conhecer mais detalhes sobre a localização, acesse o artigo do SEBRAE – Como escolher a melhor localização para o seu negócio

Para abrir uma Loja de peças automotivas, o empreendedor poderá ter seu registro de forma individual ou em um dos enquadramentos jurídicos de sociedade. Ele deverá avaliar as opções que melhor atendem suas expectativas e o perfil do negócio pretendido.

Leia mais sobre este assunto no capítulo – Informações Fiscais e Tributárias.

O contador, profissional legalmente habilitado para elaborar os atos constitutivos da empresa e conhecedor da legislação tributária, poderá auxiliar o empreendedor neste processo.

Para abertura e registro de uma Loja de peças automotivas é necessário realizar os seguintes procedimentos:

– Registro Empresarial na Junta Comercial;

– Obtenção do CNPJ na Secretaria da Receita Federal;

– Secretaria Estadual de Fazenda;

– Registro na prefeitura municipal, para obter o alvará de funcionamento;

– Enquadramento na Entidade Sindical Patronal (empresa ficará obrigada a recolher por ocasião da constituição e até o dia 31 de janeiro de cada ano, a Contribuição Sindical Patronal);

– Cadastramento junto à Caixa Econômica Federal no sistema “Conectividade Social – INSS/FGTS”;

– Registro no Corpo de Bombeiros Militar: órgão que verifica se a empresa atende as exigências mínimas de segurança e de proteção contra incêndio, para que seja concedido o “Habite-se” pela prefeitura.

– Alvará de licença da Vigilância Sanitária

Informações Gerais:

Para a instalação do negócio é necessário realizar consulta prévia de endereço na Prefeitura Municipal/Administração Regional, sobre a Lei de Zoneamento.

É necessário observar as regras de proteção ao consumidor, estabelecidas pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC)

A Lei 123/2006 (Estatuto da Micro e Pequena Empresa) e suas alterações estabelecem o tratamento diferenciado e simplificado para micro e pequenas empresas. Isso confere vantagens aos empreendedores, inclusive quanto à redução ou isenção das taxas de registros, licenças etc.

.

Nota!

Antes de iniciar suas atividades comerciais o empreendedor deverá verificar a necessidade obtenção do alvará de funcionamento, de licença sanitária e registro de responsabilidade técnica caso o estabelecimento for comercializar produtos regulados pela ANVISA.

A estrutura de uma loja de peças automotivas, dependerá muito das características escolhidas pelo empreendedor. No caso de optar por veículos pesados a estrutura deverá atender as necessidades deste modelo de negócios.

Independentemente do modelo de negócio, escolhido pelo empreendedor, a estrutura precisa ser organizada, com a possibilidade de expor as peças e acessórios por categorias e em prateleiras, com isto, todo o fluxo será mais ágil e com ganho de eficiência.

Preparamos algumas dicas para ajudar na estrutura de um local apropriado para sua loja de peças automotivas:

.

•             Área comercial/exposição

A estrutura desta área precisa ser muito bem planejada, pois a exposição dos produtos favorece as vendas, e se feito de forma correta aumenta consideravelmente a possibilidade da aquisição de outros produtos. A decoração deve privilegiar a harmonia entre os produtos, cores, formas, iluminação e o ambiente da loja.

Nota:

A organização desta área deverá estar estruturado no modelo de autoatendimento onde o cliente circula pela loja, localiza os itens desejados, seleciona os que irá comprar e se direciona ao balcão de atendimento para efetivar o pagamento dos itens adquiridos. Com isso o consumidor tem liberdade total para escolher o que precisa no seu tempo

.

•             Balcão de atendimento e caixa

Para uma pequena loja de peças automotivas o balcão de atendimento e o caixa, podem estar juntos em uma mesma estrutura. O balcão deverá ser projetado de uma forma que facilite a visualização dos produtos, mesmo no momento em que o cliente está efetivando o pagamento. Esta área deverá ser organizada em posição estratégica, permitindo que se tenha uma visão ampla de todo o estabelecimento, facilitando o controle da entrada e saída de pessoas. Geralmente o melhor lugar é na porta de entrada e saída dos clientes.

.

•             Escritório/sala de reunião

Esta área pode até parecer desnecessária, mas existem situações onde é importante ter um local para conversar com funcionários, fazer uma reunião, separar o dinheiro do caixa, receber fornecedores etc.

.

•             Depósito/Estoque

A área de estoque é importante para toda empresa comercial e deverá ser estruturada para uma perfeita armazenagem dos produtos que não estão na área de exposição.

.

O tamanho da loja dependerá de como foi o planejamento do negócio a ser montado. Regra geral, uma loja de auto peças não deve ter uma área menor que 80 m², porém, caso vá negociar peças maiores que ocupem muito espaço, a exemplo de para-choques, painéis ou escapamentos, o tamanho sugerido é de 100 m².

.

Consulte o capítulo Equipamentos para conhecer detalhadamente tudo o que é necessário para o bom funcionamento de uma loja de peças automotivas.

Em uma loja de peças automotivas, assim como em todos os negócios que exigem vendas, um dos grandes diferenciais é o atendimento ao clientes e isso é resultado de uma equipe treinada e qualificada. 

A equipe de uma pequena loja de peças automotivas, pode ser composta pelo proprietário e mais um atendente, desde que reúnam as características necessárias ao bom funcionamento do negócio:

Independentemente do tamanho a empresa e de quantos profissionais irão trabalhar na loja de peças automotivas, é importante conhecer as características dos profissionais para este segmento:

.

·        Vendedor/Consultor de peças

Esta posição pode ser inicialmente ocupada pelo empreendedor, mas é fundamental que o atendimento seja personalizado e qualificado. Esse tipo de negócio é construído em cima da reputação da loja. A fidelização de clientes está diretamente relacionada com a credibilidade, confiança, ética, respeito e a capacidade de apresentar soluções para a necessidade do cliente. Algumas características de um bom vendedor/consultor de peças:

•     Facilidade de comunicação

•     Experiência com vendas e atendimento ao cliente

•     Conhecimento técnicos de todas as peças comercializadas

•     Preferencialmente conhecimento sobre mecânica automotiva

•     Dinamismo para tomar decisões rápidas

•     Determinação para superar metas

•     Ser confiante, acreditar no negócio

•     Senso de organização

•     Persistência e comprometimento

•     Empatia para entender a necessidade dos clientes

•     Confiabilidade e carisma

.

·        Administrador/Comprador

Para empresas menores ou que estão começando, esta atividade pode ser desenvolvida pelo próprio empreendedor, desde que possua as características:

•      Capacidade para lidar com imprevistos

•      Reconhecer e definir problemas

•      Conhecer técnicas de gestão de estoque

•      Atuar preventivamente

•      Ter raciocínio lógico, crítico e analítico

•      Ter conhecimento de gestão empresarial

•      Habilidade de relacionamentos

•      Habilidade para negociar

•      Inteligência emocional para lidar com possíveis conflitos

•      Disciplina e autocontrole

.

·        Caixa/ Atendente:

Estes profissionais serão responsáveis pelo contato direto com o cliente e suas habilidades e competências pode fazer toda diferença para que os clientes se sintam satisfeitos e voltem a usar os serviços da loja de peças automotivas, dente as competências podemos mencionar:

·        Cortesia e educação para com os clientes e colegas

·        Domínio de técnicas de vendas e atendimento ao público

·        Conhecer o ramo automotivo e afins

·        Disciplina e organização

·        Boa apresentação pessoal

·        Agir com responsabilidade e atenção aos detalhes

·        Evidenciar ética profissional

·        Conhecimentos consistentes de operação de caixa

·        Habilidade com cálculos e matemática

·        Noções básicas de computação

.

A capacitação dos profissionais de uma loja de peças automotivas é essencial para manter ou adquirir as competências necessárias para um excelente atendimento aos clientes e representatividade das empresas.

.

Nota:

Esta sugestão de pessoal é para uma pequena loja de auto peças, se o empreendedor tem como objetivo algo maior e mais estruturado deverá contar com mais pessoas no atendimento e equipe de gestão.

.

Recomenda-se a adoção de uma técnica de retenção de pessoal, desta forma a empresa diminuirá os níveis de rotatividade e obterá vantagens como a agilidade nos serviços, pois os profissionais já possuem qualificação e estão adaptados ao dia a dia da empresa. 

O empresário dono de uma Loja de autopeças tem como prioridade, saber quais produtos oferecer para o cliente e os equipamentos dependem da estrutura que vai ser montada variando de acordo com o processo e mecanismo de trabalho adotado.

Os equipamentos básicos para início de suas atividades estão assim divididos:

.

– Mobiliários para loja e estoque

·        Balcões;

·        Cadeiras;

·        Expositores;

·        Prateleiras;

·        Vitrines;

.

– Mobiliários e equipamentos para área Administrativa

·        Computador;

·        Impressora;

·        Mesas e cadeiras;

·        Arquivos

·        Mesas / Cadeiras;

·        Arquivos madeira ou aço;

·        Aparelho de telefonia;

·        Softwares.

 

Para o empreendedor de uma loja de peças automotivas, é muito importante a gestão de estoques. O objetivo da gestão de estoque é encontrar o ponto de equilíbrio entre a oferta e a demanda, de forma que não haja a incidência de custos adicionais que impactem no lucro da empresa.

Para tanto é preciso que o empresário exerça um contínuo acompanhamento dos estoques para mantê-los no nível ótimo de estocagem. Esse controle pode ser realizado por meio de alguns indicadores de desempenho, dentre eles:

 

Portanto, o estoque dos produtos deve ser mínimo, visando gerar o menor impacto na alocação de capital de giro. O estoque mínimo deve ser calculado levando-se em conta o número de dias entre o pedido de compra e de entrega dos produtos na sede da empresa.

Alguns pontos devem ser observados para segurança de pessoas e materiais de uma loja de peças automotivas:

·        Organização do estoque

Ambiente limpo, seguro e otimizado com prateleiras e armários, que permitam a circulação segura e de fácil acesso.

·        Identificação e armazenamento dos produtos por tipo

Nunca deixar que diferentes produtos fiquem misturados porque prejudica o controle do estoque, aumentando o custo. Uma opção para a guarda de peças menores são gaveteiros com múltiplas divisórias porque tornam simples a separação e identificação dos itens armazenados.

·        Posicionamento estratégico dos produtos

A estocagem deve ser realizada com base na demanda. Dessa forma, os produtos de maior giro devem ficar localizados nas áreas mais acessíveis e de fácil visualização. Aquelas com menor saída podem ficar guardadas nas áreas superiores das prateleiras. Outra forma de estocar as peças é proceder à separação dos produtos por montadoras (GM, Fiat, Nissan, etc.).

·        Controle posições vazias e peças obsoletas

Vale destacar que o gerenciamento dos espaços vazios é um processo contínuo, tendo em vista que são áreas perdidas, razão pela qual as áreas em questão devem ser utilizadas para a estocagem de produtos mais novos ou de maior utilização. A alocação de peças obsoletas é outro fator de preocupação porque a ocupação de espaços com material inútil ao processo produtivo da empresa torna-se um custo adicional, impactando no resultado financeiro mensal.

·        Cuidado no armazenamento e prazos de validade

O estoque precisa estar protegido dos efeitos do sol e umidade. Peças de borracha, guarnições, plásticos, adesivos, entre outros, não devem ser expostos a raios solares. Importante destacar ainda, somente algumas pessoas atentam para a validade de peças automotivas, as quais possuem prazo de validade e garantia, razão pela qual deve-se sempre cuidar para que os prazos de vencimento não sejam extrapolados, redundando em prejuízos ao empresário.

·        Realização periódica de inventários

A realização de inventários periódicos é imprescindível para que o empresário tenha o controle dos estoques, de forma que saiba que produto deverá ser reposto e a quantidade a ser reposta, evitando custos adicionais com excesso de produtos armazenados ou a impossibilidade da realização de negócios por falta de mercadorias.

O estoque de mercadorias é um fator crítico de sucesso para a loja de peças automotivas. Assim, o empreendedor deve conhecer o perfil de sua clientela de forma a escolher artigos com alto giro de estoque e que não tragam custos adicionais de estocagem.

 

O processo produtivo de uma loja de peças deve contemplar todas as fases, desde a identificação da necessidade da aquisição de itens de venda até o pós-venda ao consumidor. O processo produtivo é continuo, e não se encerra com a venda ao consumidor. O pós-venda fornece informações para o planejamento de compras e informações para a gestão do estoque.

 

Essas etapas podem ser segmentadas em três fases:

.

Fase 1 – Atividades de Apoio:

·        Planejamento.

É a etapa mais importante, o momento de pensar e preparar toda estratégia para as demais etapas. Nessa etapa tudo o que será feito merece a atenção, tentar reduzir ao máximo os riscos, as incertezas e possíveis problemas futuros.

.

·        Manutenção de estoque

Esta etapa é de suma importância pois a manutenção eficiente de estoque garante a efetivação das vendas. Nesta etapa existem alguns processos básicos:

– Análise do estoque existente;

– Compra de Mercadorias;

– Recebimento Mercadorias;

– Catalogação e Armazenamento

.

·        Prospecção de clientes

Analisar os cenários, estudar o perfil do público alvo, conhecer a sua localização, seus hábitos e principalmente descobrir o que influencia na decisão de compra de seus produtos ou serviços.

.

Fase 2 – Atividade fim:

.

·        Abordagem/Atendimento.

Nesta etapa é fundamental criar vinculo, para que as conversas futuras sejam produtivas. Os vendedores deverão estar em locais estratégicos, preferencialmente com um uniforme da loja e com crachá de identificação.

.

·        Entender as necessidades do cliente.

Chegou o momento de ser mais técnico e extrair de forma profissional as informações que irão direcionar as etapas seguintes do processo de vendas. Mais importante que somente conhecer as necessidades é fundamental avaliar os benefícios que seus produtos ou serviços irão proporcionar ao cliente.

.

·        Apresentar os benefícios e vantagens.

Esta etapa faz parte do novo modelo de trabalho, onde o vendedor passa a fazer o papel de um consultor, apresentando os benefícios e vantagens ao cliente. Nesta etapa ganha-se o perde a venda.

.

·        Negociação

Com a aceitação por parte do cliente das características técnicas do produto, dos benefícios e vantagens, começamos a negociação. Esta etapa envolve preços, condições, prazos, entregas e todo o processo necessário para que o produto ou serviço chegue ao cliente com a qualidade desejada.

.

·        Conclusão/Fechamento.

Ao cumprir todas as etapas anteriores o fechamento é uma consequência, mas se ainda existe duvidas, este é o momento para usar todas as técnicas de vendas que aprendeu e converter a negociação em fechamento.

.

·        Pagamento

Esta etapa será exercida pelo caixa. Ao receber a solicitação de venda, providenciará o meio de pagamento solicitado pelo cliente e que esteja disponível na loja (cartão, dinheiro ou cheque) e efetuar a impressão da nota fiscal para entrega ao cliente.

.

·        Entrega da Mercadoria

Nesta etapa é importante estar atendo a qualidade do produto, vencimento e outros fatores que garantem que o cliente esteja levando o produto de sua preferência dentro dos padrões de qualidade exigidos.

.

Fase 3 – Pós venda

.

·        Fidelização do cliente

O fechamento da venda não sinaliza o final do interesse da loja pelo cliente. Pelo contrário, o contato da loja após o fechamento da venda é valorizado pelo cliente, que pode passar valiosas informações sobre sua experiência.

O varejista deve estar sempre atento a continuar prestando bons serviços em situações de pós-venda. Os compradores atuais podem multiplicar os negócios com a loja pela indicação de novos clientes, ou mesmo pela realização de novas compras.

Nota:

Além dos processos organizacionais de vendas, uma loja de peças automotiva, também possui os processos de administração, finanças e gestão de recursos humanos. A gestão administrativa e financeira abrange o faturamento, o controle de caixa, o controle de contas a receber e cobranças, a compra de insumos, o controle de contas a pagar de fornecedores e a prestação de informações ao escritório contábil. À gestão de recursos humanos compete a admissão, rescisão, treinamento e pagamento de funcionários.

.

Seguindo estas etapas, buscando sempre novas informações, colocando a satisfação do cliente como foco, as oportunidades de negócios serão exitosas e conseguira ótimas experiências em sua loja de peças automotiva.

 

Hoje a tecnologia é um grande aliado dos negócios. A gestão de uma loja de peças automotivas demanda a superação de vários desafios, especialmente em relação ao quesito estoque, isso devido ao volume e especificidade de itens. Por essa razão, é altamente recomendada a utilização de softwares de gestão que facilitem o gerenciamento do negócio de peças automotivas, gerando impactos positivos em todas as áreas da empresa

Com baixíssimo investimento é possível controlar tudo o que ocorre na loja de peças automotivas, e este controle garante ao empreendedor segurança, rentabilidade e principalmente informações para tomar decisões rápidas e assertivas.

Existem vários softwares no mercado, o mais indicado é que o empreendedor invista em softwares específicos para loja de peças automotivas. A escolha correta da automação permite:

•             Acompanhar o movimento financeiro

•             Controle de estoque de mercadorias

•             Relatórios para planejamento estratégico

•             Gestão de caixa e bancos (conta corrente)

•             Agenda de pagamento e recebimento

•             Emissão de pedidos

•             Informações confiáveis para tomar decisões

•             Segurança das informações de clientes

•             Organização de compras e contas a pagar

•             Redução de custos

Além desses controles fundamentais para gestão da loja de peças automotivas, a automação garante outras vantagens:

·        Em relação Crescimento financeiro

O fluxo de caixa fornecerá dados corretos sobre a saúde financeira da empresa. Ao se obter essas informações, o gestor estará mais preparado para tomar decisões gerenciais sobre investimentos no mercado financeiro ou a compra antecipada de estoques, caso haja previsão de alta dos preços da matéria-prima.

·        Quanto ao Controle de estoques e inventário

Uma boa gestão de estoques permite a mitigação de riscos de perdas decorrentes da falta de itens, obsolescência ou excesso de itens que causem despesas desnecessárias à empresa.

·        Em relação ao planejamento estratégico

A capacidade de gerar relatórios, permitindo que se proceda à avaliação do cenário atual do negócio. Com essas informações, o gestor poderá traçar planos mais adequados ao futuro, direcionando estrategicamente os investimentos para usufruir das melhores oportunidades do mercado.

·        No que concerne ao cumprimento de prazos

O sistema reduz os riscos relacionados a perdas dos prazos de pagamentos e recebimentos, sendo assim possível à empresa programar a entrada e saída de dinheiro, a partir do alerta divulgado pelo sistema.

·        Em relação à confiabilidade das informações:

Em todo processo há sempre presente o risco de que ocorram erros, especialmente quando os controles são manuais. Ao se investir em um software de gestão, o risco da ocorrência de erros em uma rotina se torna consideravelmente menor, permitindo que se construa uma base de dados confiável e precisa.

·        Quanto à segurança dos dados

Os processos de uma empresa geram uma grande quantidade de dados. Não obstante a maior ou menor relevância das informações, essas devem ser muito bem guardadas e por diversas razões, desde a adequada execução das atividades mais simples às mais complexas

·        Redução de custos

Embora muitos gestores tenham a errônea visão de que o investimento em um sistema seja apenas despesa, aportar recursos para a compra de um software de gestão proporciona muitas vantagens para uma empresa, tornando a relação custo-benefício altamente compensatória. Um sistema automatizado de controle permite, entre outras coisas:

– Redução da quantidade de erros

– Redução no número de retrabalhos

– Otimização do aproveitamento de recurso

– Redução da burocracia

– Melhoria no fluxo das informações

– Aprimoramento do processo de comunicação

– Emissão de relatórios gerenciais confiáveis

– Auxilio à tomada de decisão

– Atualização contínua das informações

– Integração entre as áreas

– Sinergia entre processos

– Evitar desperdícios de recursos

O empreendedor que usar a tecnologia a seu favor, conseguira aprimorar e acelerar todo o processo produtivo, trazendo benefícios ao cliente e a sua loja de peças automotivas.

 
 

No caso de uma loja de peças automotivas os canais de distribuição têm como principal objetivo garantir a distribuição do produto para os clientes.

Os canais de distribuição, geralmente são divididos em três grupos, e cabe ao empreendedor analisar quais os canais são mais vantajosos para seu modelo de negócio.

Canal DiretoNeste canal de distribuição, a loja de peças automotivas é a única responsável pela entrega do produto para o consumidor. Não existe qualquer intermediário.
Canal IndiretoNeste canal, os intermediários se encarregam desta entrega. Em geral, o intermediário tende a ser os entregadores autônomos ou empresas especializadas em logística e distribuição.
Canal HíbridoUm canal de distribuição híbrido é aquele em que a loja de peças automotivas utiliza intermediários, mas assume parte do processo de contato com seus clientes

Uma loja de peças automotivas pode optar por mais de um canal de distribuição. Nunca se deve esquecer que, independentemente do tipo e da distância do trajeto, pontualidade na entrega e qualidade na prestação do serviço continuam sendo fatores primordiais para o sucesso do negócio.

Conforme artigo do Sebrae – Canais de Distribuição , é importante analisar alguns aspectos antes de optar por um modelo de distribuição, veja: 

·        Avaliar mercados reais e potenciais

·        Determinar as características, os comportamentos e as necessidades dos clientes

·        Conhecer a quantidade, a dispersão geográfica e a frequência de compra

·        Determinar as características essenciais dos produtos quanto à perecibilidade, dimensões e graus de padronização

·        Definir as características dos intermediários quanto ao tipo de transporte, ao sistema de equipamentos e armazenagem

·        Avaliar as características ambientais relativas às condições locais, à umidade e à temperatura

·        Avaliar as empresas envolvidas quanto à solidez financeira, aos produtos, aos níveis de serviço, ao marketing e à marca, entre outras características importantes

Atualmente os canais de distribuição contam com a ajuda dos multicanais de comunicação (Wase, WhatsApp, facebook etc) para potencializar, agilizar e dar segurança a distribuição de seus produtos e serviços.

É importante que o empresário acompanhe todo o processo de entrega e cumpra os prazos divulgados. Pois entende-se que este processo seja importante para dar agilidade, segurança e credibilidade nas entregas das mercadorias no domicílio dos compradores.

 

O ramo de autopeças vem crescendo no Brasil e abrir a sua Loja de autopeças pode ser um ótimo investimento. A linha de produtos e marcas para se trabalhar é muito extensa e depende do local onde a loja estará instalada e se o empreendedor quer focar em um público-alvo mais específico, como carros de luxo ou populares.

Diante de tantas questões o início de tudo é elaborar um Plano de negócios.

O plano de negócios serve para que o empreendedor tenha uma visão mais ampla sobre a empresa e o mercado no qual está inserida, além disso detalha a questão financeira e os recursos humanos que você poderá contar para o desenvolvimento da empresa. Recomendamos procurar uma unidade do SEBRAE mais próxima e conferir como elaborar o seu.

A estrutura de investimentos para este negócio irá variar de acordo com o tamanho do estabelecimento, com a localização dele e também com as suas possibilidades financeiras. Mas no geral esta estrutura está dividida nos seguintes grupos:

·        Mobiliários para Loja e estoque;

·        Mobiliários e Equipamentos área Administrativa.

A título de exemplo nos basearemos em uma Loja de autopeças instalada em uma área de 90m2. Com o crescimento do negócio se faz necessário uma readequação através do Plano de Negócios.

Alertamos que os itens e valores unitários e totais apresentados a seguir são meramente referenciais, para fins de estimativa do investimento necessário, podendo variar de acordo com a quantidade, estilo, local de aquisição, dentre outras variáveis. A cotação foi feita em consulta a internet tendo como referência o mês de novembro/2019.

.

Mobiliário – Loja e estoque
01Balcão – atendimento clienteR$    2.000,00R$   2.000,00
01Balcão CaixaR$       400,00R$      400,00
01Cadeira caixa altaR$       200,00R$      200,00
03Gôndolas de centro expositoresR$    1.400,00R$   4.200,00
05PrateleirasR$    1.300,00R$   6.500,00
01VitrineR$       400,00R$      400,00
02Prateleira para estoqueR$     1.300,00R$   2.600,00
Mobiliário e Equipamento – Área Administrativa
01Desktop / NotebookR$ 1.200,00R$   1.200,00
01Impressora MultifuncionalR$ 1.100,00R$   1.100,00
02MesasR$    300,00R$      600,00
06Cadeiras para escritórioR$    200,00R$   1.200,00
01Arquivo madeiraR$    400,00R$      400,00
02Aparelhos telefônicosR$    100,00R$      200,00
Softwares (licenças)————R$   1.000,00
TOTAL DE INVESTIMENTOR$ 22.000,00

.

Nota:

·        Não estão considerados os gastos relativos à aquisição ou reforma do imóvel escolhido para a instalação da loja, pois pode ser alugada;

·        Também devem ser previstos investimentos com aquisição do estoque inicial de produtos a serem comercializados tomando cuidado com a quantidade. Fazer uma pesquisa de mercado para se inteirar de quais produtos têm maior aceitação e são vendidos com mais facilidade também é uma boa estratégia para ter boa rotatividade.

·        Prever também investimentos para aquisição de embalagens, caixas de transporte e despesas iniciais com papelaria (gastos área administrativa).

.

Finalizando, esse mercado cresce bastante a cada ano, portanto não poupe esforços na hora de realizar a checagem de viabilidade do projeto, pois quanto mais profissional for a sua avaliação, mais precisa será a sua projeção do futuro do negócio. 

 

Conhecido como “capital de giro” para as empresas ou “reserva ou poupança” para as pessoas comuns é o que permite que a empresa continue operando nas situações em que as despesas ultrapassem as receitas. No dia a dia de uma empresa precisamos considerar que as receitas podem não entrarem no mesmo volume das despesas e é aí que entra o capital de giro para dar o equilíbrio.

Em linhas gerais, o capital de giro é o resultado da diferença entre o dinheiro disponível da empresa e o dinheiro que será utilizado para saldar seus compromissos, sejam eles despesas fixas, compras de produtos para revenda ou outro tipo de gasto extra.

O Capital de giro é regulado pelos prazos praticados pela empresa, são eles:

•     Prazos médios recebidos de fornecedores (PMF);

•     Prazos médios de estocagem (PME) e

•     Prazos médios concedidos a clientes (PMCC).

Sendo assim quanto maiores forem os prazos concedidos aos clientes, maiores também os prazos de estocagem, maior será a necessidade de capital de giro. Já a inversão da necessidade de capital de giro se dará praticando prazos maiores para pagamento aos fornecedores.

De uma forma simples é receber primeiro e pagar depois.

A maioria das despesas tem prazo de 30 dias, como por exemplo, os custos com compra dos itens de estoque, salários dos funcionários, os encargos desta folha de pagamento, aluguel, energia elétrica, telefonia e impostos.

Já as receitas não necessariamente acompanham o mesmo prazo, dependem da política adotada de venda (cartões de crédito, boletos), e mesmo que entrem em seu caixa na média de 30 dias não necessariamente serão no mesmo montante dos compromissos, pois o faturamento pode oscilar de um mês para o outro.

Para uma Loja de autopeças, a necessidade de capital de giro pode representar cerca de 30% a 40% do investimento inicial. Este valor é só uma estimativa e poderá variar significativamente dependendo das particularidades do empreendimento definidos no Plano de Negócios.

Para manter o equilíbrio do capital de giro é extremamente importante que exista um bom planejamento, atentando-se a alguns pontos básicos:

·        Conhecer o momento certo para comprar e os prazos que realmente poderá assumir;

·        Analise bem os custos de sua empresa. Mas não adianta sair cortando gastos. Muitos são realmente necessários e o gestor não pode simplesmente cortá-los — mesmo em um momento de crise;

·        É fundamental que tenha uma boa carteira de fornecedores. E aqui vai um detalhe importante: uma boa carteira é aquela que conta com fornecedores sólidos, confiáveis, competentes e ágeis, e não aquela que apresenta uma lista infinita de fornecedores, muitas vezes priorizando o menor valor em detrimento da qualidade dos componentes;

·        Atenção ao estoque. Comprar mais não significa vender mais. Muitos empreendedores e gestores acabam investindo dinheiro na alimentação do estoque de forma impensada, o que resulta em itens parados e ocupando espaço que poderia ser ocupado por outros itens. Realize uma curva ABC e descubra qual o giro de cada item e quais necessitam de maior estoque;

·        Invista em automatização em especial no financeiro. Portanto, invista nas opções de automação de controle tais como softwares de gestão de fornecedores, estoque e fluxo de caixa;

·        Invista no controle de inadimplência. Sua empresa deve conhecer os seus clientes e o histórico de inadimplência. Isso ajuda a evitar o problema e diminuir o impacto financeiro no seu negócio;

Finalizando, não existe uma regra que determine o capital de giro para todos os negócios, afinal de contas, cada empreendimento apresenta uma variedade infinita de valores, seja nas suas receitas ou despesas, portanto fique atento, ter disciplina e organização na hora de administrar os negócios é essencial.

 

Os custos em uma Loja de autopeças, esta é uma questão sobre a qual vale a pena investir tempo em pesquisa e em estudo.

Neste tipo de negócio podemos destacar três grupos de famílias de custos, são eles os custos variáveis, os custos fixos e as despesas comerciais.

1 – Custos variáveis: Aumentam em proporção direta com a comercialização dos produtos, ou seja, só existem quando há vendas e varia com esta, sendo tanto mais alto quanto maior for a quantidade vendida. Ex. Disco de freio, tambor de freio, filtros de ar, óleo, peças de suspensão, etc., ou seja, os produtos que serão vendidos na loja.

.

2 – Custos Fixos:  São todos os custos que independem da venda dos produtos, mantendo constante para todo e qualquer nível de faturamento.

Alertamos que a medida que os negócios cresçam um novo planejamento se faz necessário e em consequência a estrutura e os custos aqui apresentados, devem ser repensados e estruturados conforme o seu Plano de Negócios.

Apresentamos abaixo um exemplo de custos fixos mensais em uma Loja de autopeças. Os valores apresentados a seguir são meramente referenciais, para fins de estimativa dos custos fixos, variando de empresa para empresa, localização regional e outras variáveis.

.

Custos Fixos
Salários *R$     4.500,00
Aluguel, segurança, IPTUR$     1.200,00
Luz, telefone e acesso à internetR$       800,00
Manutenção de softwareR$       100,00
Produtos para higiene e limpeza da empresa e funcionáriosR$       100,00
ContadorR$       900,00
Propaganda e publicidade da empresaR$       200,00
TotalR$   7.800,00

* A quantidade de funcionários está relacionada ao tamanho da Loja. Para amenizar os custos iniciais com folha de pagamento, convém optar pela contratação de uma equipe enxuta. Para este exemplo a equipe é formada por 2 vendedores e 1 Gerente. Atenção em incluir todos os encargos sobre os salários nesses cálculos.

.

3 – Despesas Comerciais: As “Despesas Comerciais” são os gastos que variam conforme o volume de vendas e o volume de clientes.

Como exemplos destacamos:

·        Impostos diretos sobre as vendas (dependerá diretamente do regime tributário escolhido, consulte um contador);

·        Taxas cobradas pelos meios de pagamento (cartões crédito/débito, boleto bancário) caso sejam estas a forma de recebimentos;

·        Comissões de vendas (caso a empresa adote esta política, definir seu percentual);

·        Custos financeiros em função de antecipação de recebíveis, caso sejam necessárias estas operações.

Finalizando, oferecer qualidade é uma grande obrigação hoje em dia quando se fala em abrir um negócio. Então para que sua Loja de autopeças caminhe para frente, procure ter bons fornecedores e se cercar do maior número possível de informações, tendo disciplina em anotar cada centavo que entra e sai de seu caixa.

 
 

O empreendedor que atua com loja de peças automotivas, precisa estar atento às oportunidades, especialmente aquelas que podem diversificar o seu negócio e aumentar o valor médio gasto pelos clientes em seu estabelecimento.

Ao agregar valor que por definição é incluir inovações e diferenciais, a loja de peças automotivas, aumentará as chances do cliente escolher seus serviços em relação a outros concorrentes.

Pequenas coisas podem fazer a diferença para que sua loja de peças automotivas possa crescer, sem altos custos de marketing. Vamos conhecer algumas delas e, se você, como empresário, souber utilizá-las, certamente verá sua clientela crescer e se fidelizar:

·        Visual merchandising

Espaço interno, iluminação e fachadas devem ser pensados para atrair clientes e gerar vendas. Sua vitrine é o chamariz para novos clientes. Então capriche! Coloque os produtos inovadores, faça uma montagem colorida e modifique a vitrine regularmente. Esta dica vale especialmente para quem trabalha com produtos para customização de veículos.

.

·        Equipe de Vendas

Um time de vendedores que domina toda a tecnologia de que dispõe e está capacitada a atender bem os clientes é parte fundamental do sucesso. O jeito que você ou seu funcionário recebe os clientes pode decidir se voltará ou não.

.

·        Canais de vendas

É indicado ampliar os canais de vendas, facilitando assim a vida dos consumidores, colocando à disposição call center e e-commerce, por exemplo.

.

·        Associativismo

Participar de ações cooperativas com concorrentes dá mais poder de barganha nas compras realizadas com fornecedores, além de possibilitar ações conjuntas de marketing, visando à redução de custos

.

·        Controle de estoque

É imprescindível manter o cadastro de fornecedores atualizado e conhecer o fluxo dos itens no estoque.

.

·        Modelo de negócio

Neste ponto, o importante é ter variedade. Venda peças e acessórios, ofereça serviços de instalação e reparos na loja, além de entregar produtos em domicílio.

.

·        Promoção e Propaganda

Estimule as compras com boas ações promocionais, que são fatores-chave para alavancar as vendas. Invista em publicidade acessível e eficiente e divulgue continuamente os produtos.

·        E-commerce

Ter uma loja virtual é bom para gerar vendas, ainda mais quando se faz a divulgação dos produtos em outros canais digitais.

.

·        Crie parcerias estratégicas com fornecedores

Os fornecedores podem ajudar com expositores, palestras, eventos para clientes, produtos para demonstração e muito mais.

.

·        Não espere o cliente, vá até ele.

Em uma loja de peças automotivas, é comum esperar o cliente chegar até o balcão e fazer o pedido. Com a correria do dia a dia, é possível que alguns clientes tenham interesse pelos seus produtos, mas não consigam tempo para ir até a loja. Use isso a seu favor, que tal, coletar os pedidos nas oficinas ou empresa do cliente.

.

Estas são algumas ações, mas é importante ressaltar que assim como qualquer negócio os empreendedores de lojas de peças automotivas, precisam estar atentos as novidades do mercado, ouvir seus clientes e sempre oferecer o que há de melhor no segmento.

 
 

Os meios para divulgação de uma loja de peças automotivas, variam de acordo com os serviços oferecidos e o público-alvo. Nos primeiros meses de existência da empresa é fundamental o contato pessoal. Com o crescimento da confiança por parte dos clientes a comunicação pode ser realizada por mídias digitais (Facebook, E-mail marketing, WhatsApp etc)

.

Algumas dicas importantes maximizar as ações de divulgação:

·        Apresentação profissional

Desenvolva banners, panfletos e cartões de visita, este material será importante para divulgação em eventos ou entregas em locais estratégicos como oficinas, transportadoras etc. Não esqueça do painel da loja, que deverá ser bem iluminado e com uma arte profissional para cativar o cliente.

.

·        Redes sociais

Os perfis sociais, atualmente são os melhores meios de divulgação de serviços e profissionais. Explore ao máximo todos os canais de distribuição nas redes sociais, como o Facebook, LinkedIn, Instagram e outros que promovem a visibilidade profissional e de serviços.

.

·        Site Empresarial

O site é seu espaço individual para mostrar quem é você, seus serviços e diferenciais. Um site bem montado, com aspectos profissionais, pode engajar melhor seus potenciais clientes e passar confiabilidade. Seu site deve estar associado a todas as suas redes sociais.

.

·        Network

A melhor forma de aumentar sua rede é participar de feiras, palestras e encontros profissionais, mas lembre-se, o foco aqui é criar um vínculo profissional e nunca esqueça do seu cartão de visita.

.

·        Patrocinar/participar de eventos para a comunidade

Para quem pretende atingir um novo público ou reforçar a imagem da loja é importante estar próximo ao seu público. Participar e patrocinar eventos sociais irá aproximar a loja de peças automotivas de potenciais clientes.

.

·        Multicanal de comunicação

O novo consumidor consegue comprar, vender e receber tudo o que deseja sem sair do sofá de sua casa, esta comodidade ocorre graças a internet e aos multicanais de comunicação. Invista em WhatsApp, Facebook e outras mídias para levar seus serviços até o cliente.

.

Nota:

Toda divulgação deve respeitar a privacidade e acessibilidade do cliente. Evite entregar panfletos em vias públicas, isso gera muito lixo e pouco retorno. Cuidado com a invasão da privacidade na redes sócias. Faça tudo com muito profissionalismo.

.

Invista tempo para conhecer todas as alternativas de divulgação. Os clientes não irão até sua loja de peças automotivas sem um esforço de divulgação. Atualmente existem inúmeras estratégias de divulgação gratuitas outras que podem ser feitas com baixo investimento. E lembre-se que não existe uma regra: o que funciona para um nicho de negócio, pode não funcionar para outro. Por isso, é importante planejar as ações e conhecer cada vez mais o público que se deseja atingir.

 

As informações fiscais e tributárias serão diferenciadas em decorrência da opção do regime tributário escolhido pelo empreendedor.

Exemplo 1: Loja de peças automotivas optante do SIMPLES Nacional

O segmento de Loja de peças automotivas, assim entendido pela CNAE/IBGE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) 4530-7/03 como a atividade de comércio varejista de peças e acessórios novos, mecânicos e elétricos para veículos automotores, poderá optar pelo SIMPLES Nacional – Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas ME (Microempresas) e EPP (Empresas de Pequeno Porte), instituído pela Lei Complementar nº 123/2006,  desde que a receita bruta anual de sua atividade não ultrapasse a R$ 360.000,00 (trezentos e sessenta mil reais) para micro empresa e R$ 4.800.000,00 (quatro milhões e oitocentos mil reais) para empresa de pequeno porte e respeitando os demais requisitos previstos na Lei.

Nesse regime, o empreendedor poderá recolher os seguintes tributos e contribuições, por meio de apenas um documento fiscal – o DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional), que é gerado no Portal do SIMPLES Nacional:

IRPJ (imposto de renda da pessoa jurídica);

CSLL (contribuição social sobre o lucro);

PIS (programa de integração social);

COFINS (contribuição para o financiamento da seguridade social);

ICMS (imposto sobre circulação de mercadorias)

INSS (contribuição para a Seguridade Social relativa à parte patronal).

Conforme a Lei Complementar nº 123/2006 e alterações, este ramo de atividade é tributado pelo anexo I do SIMPLES Nacional e as alíquotas variam de 4% a 19%, dependendo da receita bruta auferida pelo negócio. No caso de início de atividade no próprio ano-calendário da opção pelo SIMPLES Nacional, para efeito de determinação da alíquota no primeiro mês de atividade, os valores de receita bruta acumulada devem ser proporcionais ao número de meses de atividade no período.

Se a receita bruta anual não ultrapassar a R$ 81.000,00 (oitenta e um mil reais), o empreendedor, desde que não possua e não seja sócio de outra empresa, poderá optar pelo regime denominado de MEI (Microempreendedor Individual). Para se enquadrar no MEI o CNAE de sua atividade deve constar e ser tributado conforme a tabela da Resolução CGSN nº 94/2011 – Anexo XIII .

Neste caso, os recolhimentos dos tributos e contribuições serão efetuados em valores fixos mensais conforme abaixo:

I) Sem empregado

5% do salário mínimo vigente – a título de contribuição previdenciária do empreendedor:

R$ 1,00 mensais de ICMS – Imposto sobre circulação de mercadoria; 

II) Com um empregado: (o MEI poderá ter um empregado, desde que o salário seja de um salário mínimo ou piso da categoria)

O empreendedor recolherá mensalmente, além dos valores acima, os seguintes percentuais:

Retém do empregado 8% de INSS sobre a remuneração;

Desembolsa 3% de INSS patronal sobre a remuneração do empregado.

Havendo algumas das situações descritas abaixo, o empreendimento será desenquadrado do MEI, passando para condição de ME (microempresa):

– Faturamento bruto acima do limite;

– Contratação de mais de um funcionário;

– Entrada de um sócio na empresa;

– Abertura de filial ou outra empresa em nome do empresário;

– Exercer novas atividades vedadas ao MEI.

Para este segmento, tanto ME, EPP ou MEI, a opção pelo SIMPLES Nacional sempre será muito vantajosa sob o aspecto tributário, bem como nas facilidades de abertura do estabelecimento e para cumprimento das obrigações acessórias.

Exemplo 2: Loja de peças automotivas NÃO optante do SIMPLES Nacional

Alguns empreenderes podem não optar pelo Simples Nacional, ou o tipo de atividade não é permitido, veja o anexo do Comitê Gestor do Simples Nacional – Resolução CGSN nº 119, de 19 de dezembro de 2014

Para estes casos há os regimes de tributação abaixo:

1 – Lucro Presumido: É a apuração do tributo sobre o lucro que se presume através da receita bruta de vendas de mercadorias e/ou prestação de serviços. Trata-se de uma forma de tributação simplificada utilizada para determinar a base de cálculo dos tributos sobre o lucro das pessoas jurídicas que não estiverem obrigadas à apuração pelo Lucro Real. Nesse regime, a apuração dos tributos é feita trimestralmente.

A base de cálculo para determinação do valor presumido varia de acordo com a atividade da empresa. Sobre o resultado da equação: Receita Bruta x 8%, aplica-se as alíquotas de:

IRPJ – 15%.Poderá haver um adicional de 10% para a parcela do lucro que exceder o valor de R$ 20 mil, no mês, ou R$ 60 mil, no trimestre, uma vez que o imposto é apurado trimestralmente;
CSLL – 9%.Não há adicional de imposto.

Ainda incidem sobre a receita bruta os seguintes tributos, que são apurados mensalmente:

PIS – 0,65%sobre a receita bruta total;
COFINS – 3%sobre a receita bruta total.

2 – Lucro Real: É o cálculo do tributo sobre o lucro líquido e a empresa realmente obteve no período de apuração, ajustado pelas adições, exclusões ou compensações estabelecidas em nossa legislação tributária. Este sistema é o mais complexo, mas poderá ser mais vantajoso em comparação com lucro presumido e por isso, deverá ser bem avaliado por um contador. As alíquotas para este tipo de tributação são:

IRPJ – 15%.Sobre a base de cálculo (lucro líquido). Haverá um adicional de 10% para a parcela do lucro que exceder o valor de R$ 20 mil, multiplicado pelo número de meses do período. O imposto poderá ser determinado trimestralmente ou anualmente;
CSLL – 9%.determinada nas mesmas condições do IRPJ;

Ainda incidem sobre a receita bruta os seguintes tributos, que são apurados mensalmente:

PIS – 1,65%sobre a receita bruta total, compensável;
COFINS – 7,65%sobre a receita bruta total, compensável.

Incidem também sobre a receita bruta o imposto estadual:

ICMS – Em regra geral, as alíquotas variam conforme o estado, entre 17 e 19%. Alguns produtos ou serviços possuem alíquotas reduzidas ou diferenciadas.

Além dos impostos citados acima, sobre a folha de pagamento incidem as contribuições previdenciárias e encargos sociais (tanto para o lucro real quanto para o lucro presumido):

INSS – Valor devido pela Empresa – 20% sobre a folha de pagamento de salários, pró-labore e autônomos;

INSS – Autônomos – A empresa deverá descontar na fonte e recolher entre 11% da remuneração paga ou creditada a qualquer título no decorrer do mês a autônomos, observado o limite máximo do salário de contribuição (o recolhimento do INSS será feito através da Guia de Previdência Social – GPS).

RAT – Risco de Ambiente do Trabalho – de 1% a 3% sobre a folha de pagamento de salários dependendo do grau de risco da atividade econômica, recolhida junto com a guia de INSS.

INSS Terceiros – Contribuições Sociais recolhidas junto com a guia de INSS, calculada sobre a folha de pagamento com alíquota entre 0,8% a 7,7% dependendo da atividade econômica, destinadas aos serviços sociais e de formação profissional tais como: SESI, SESC, SENAI, SEBRAE, Incra, dentre outros.

FGTS – Fundo de Garantia por tempo de serviço, incide sobre o valor da folha de salários a alíquota de 8%.

Recomendamos que o empreendedor consulte sempre um contador, para que ele o oriente sobre o enquadramento jurídico e o regime de tributação mais adequado ao seu caso.

 

Para quem atua no mercado de autopeças, é primordial manter-se atualizado com as últimas novidades do setor. Os eventos constituem-se em uma excelente oportunidade para se conhecer o que de mais inovador os players do segmento têm a apresentar. Participando desses eventos, o empreendedor ampliará seu conhecimento sobre o setor, podendo também aproveitar a oportunidade para aumentar o leque de produtos e serviços oferecidos. Além do mais, os eventos são uma ótima oportunidade para iniciar ou ampliar a rede de contatos com fornecedores e outros agentes de mercado que estão no mesmo ramo.

.

Os principais eventos do setor são os seguintes:

·        Encontro da Indústria de Autopeças

https://www.sindipecas.org.br/area-atuacao/?a=encontro-da-industria-de-autopecas

·        Feira internacional de autopeças, equipamentos e serviços

https://www.automecfeira.com.br/pt-br/O-Evento.html

·        REPARASUL

http://www.reparasul.com.br/

·        Salão do Automóvel de São Paulo

https://www.salaodoautomovel.com.br/pt-br.html

·        Minas Part – Feira da indústria e peças de reparação

https://feiraminasparts.com.br/#feira

·        Autop — Feira de Autopeças, Motopeças, Acessórios, Equipamentos e Serviços do Brasil

https://autopceara.com.br/

.

Selecionamos alguns dos eventos importantes para o segmento de lojas de peças automotivas, é fundamental que o empreendedor, procure eventos, feiras e palestras que agreguem valor ao seu negócio e aos profissionais envolvidos.

 

As lojas de peças automotivas, precisam buscar em seu estado e município as associações, sindicatos e entidades. Conhecer as principais entidades do setor é fundamental para buscar informações, manter-se atualizado e ter o amparo necessário em situações mais complexas.

.

·        SINDIPEÇAS – Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores –

https://www.sindipecas.org.br/

·        ANFAPE – Associação Nacional dos Fabricantes de Autopeças

http://www.anfape.org.br/sobre.asp

·        ANDAP – Associação Nacional dos Distribuidores de Autopeças

http://www.andap.org.br/new1/index.asp

·        SINDIREPA –  Sindicato da indústria de reparação de veículos e acessórios do estado de São Paulo –

http://portaldareparacao.com.br/     

.

Consulte com seus fornecedores quais são as principais entidades e associações que representam seu segmento.

 

A Norma técnica  é resultado de um processo de consenso determinado por uma entidade de referência, a partir de estudos e avaliações em que todas as partes interessadas participam e contribuem para o estabelecimento de medidas que garantam a segurança e correção de procedimentos, de forma que os melhores benefícios sejam destinados à comunidade. As normas técnicas são documentos de uso voluntário, utilizados como importantes referências para o mercado. Elas podem estabelecer requisitos de qualidade, de desempenho, de segurança (seja no fornecimento de algo, no seu uso ou mesmo na sua destinação final), mas também determinam procedimentos, padronizam formas, dimensões, tipos, usos, fixam classificações ou terminologias e glossários, definindo a melhor forma de medir ou determinar características, como os métodos de ensaio, por exemplo. As normas técnicas são publicadas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas.

No ano de 2006, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) elaborou a norma ABNT NBR 15296 – Veículos rodoviários automotores – Peças – Vocabulário, definindo os termos utilizados para peças de aplicação veicular (autopeças ou simplesmente peças).  Posteriormente, foi publicada a ABNT NBR 15832 – Veículos rodoviários automotores – Acessórios – Vocabulário, que estabelece a nomenclatura aplicável utilizada para acessórios em veículos rodoviários automotores. A norma em questão está disponível para aquisição no site http://www.abntcatalogo.com.br/norma.aspx?ID=58312.

Trabalhar de forma segura é a melhor maneira de se evitar prejuízos ao colaborador e à própria empresa. Para tanto, todos devem estar atento às condições do ambiente de trabalho. Algumas dicas de segurança estão listadas a seguir:

  • Atenção ao seu entorno – objetos deixados fora do lugar, quinas, fendas, grades, fios, entre outras coisas, podem ser foco de acidentes caso o profissional não esteja atento. Dessa forma, antes de iniciar um trabalho, esteja atento a potenciais fontes de acidentes no entorno de seu ambiente de trabalho.
  • Postura Corporal – quando o colaborador for utilizar qualquer equipamento, deve observar atentamente as normas de ergonomia recomendadas, buscando realizar o trabalho com uma postura confortável para evitar problemas crônicos.
  • Intervalos Periódicos – o esforço repetitivo é uma fonte de problemas para o corpo, prejudicando o desempenho do colaborador.
  • Uso adequado de máquinas e ferramentas – deve-se evitar a improvisação na utilização de equipamentos. Por exemplo, a busca por uma peça que esteja no alto de uma prateleira deve ser realizada utilizando-se de uma escada adequada para alcançá-la, evitando-se subir em cadeiras giratórias que podem causar desequilíbrio, levando a pessoa ao chão.
  • Comunicação Constante e Rápida – na ocorrência de situações extraordinárias, o responsável pela segurança da loja deve ser comunicado imediatamente. As normas de segurança devem ser sempre divulgadas para que todos saibam como agir nos casos de emergência, bem como para trabalharem de forma segura, minimizando o risco de acidentes.
  • Atenção e Seriedade no Trabalho – importante que todos estejam focados no trabalho, evitando acidentes em razão da falta de atenção.
  • Saídas de emergência sempre livres – sem bloqueios nas saídas, a movimentação é facilitada para as equipes de socorro em casos de evacuação de locais comprometidos. Nunca obstruir o acesso a extintores e mangueiras.

Importante: não é necessário que o empregado faça parte da brigada anti-incêndio para saber operar um extintor, até porque não basta apenas saber operá-lo. Contudo, é importante ter ciência de que há um tipo adequado para cada situação. Conhecer um pouco de como fazer os primeiros socorros básicos também é importante.

 

Os produtos de uma loja de peças automotivas mudam continuamente, acompanhando as tendências de mercado e novos lançamentos. O empreendedor precisa conhecer todos os produtos e suas especificidades.

·        Pirelli – Glossário automobilistico

https://www.pirelli.com/global/pt-br/road/o-dicionario-automobilistico-de-a-a-z

·        Fiat – Dicionários técnico

http://www.infotecfiat.com.br/Por/Anexos/Geral/53001362%20-%20Dicionario%20Tecnico%20Automotivo%20montado.pdf

·        Dicionário de acessórios automotivos

https://www.carrodegaragem.com/cat/dicionario-de-acessorios-automotivos/

Solicite aos fornecedores uma lista de todos os materiais com as explicações detalhadas.

 
 

O empreendedor de loja de peças automotivas que investir em boa administração com técnicas inovadoras pode garantir grandes oportunidades de negócios. A dedicação ao negócio é fundamental, principalmente, no início das atividades, tanto na parte comercial, quanto na parte operacional e de gestão administrativo e financeira da empresa.

Faça um planejamento para sua loja de peças automotivas, visando o desenvolvimento e crescimento. Para isso destacamos os seguintes pontos a serem observados:

.

·        Use a criatividade para ganhar a confiança do cliente

Mostre para seu cliente todos os benefícios de sua loja de peças automotivas. O cliente precisa conhecer a qualidade de seus produtos, ficar encantado com a eficiência do atendimento etc.

.

•      Escolha os melhores fornecedores

A parceria com bons fornecedores é fundamental para a qualidade dos produtos, cumprimento de prazos e ações estratégicas para prospectar e fidelizar clientes.

.

•     Atenção especial as parcerias

As parcerias com oficinas mecânicas, lojas de revenda, empresas de locação de veículos e outros, pode ampliar sua rede de contatos. Lembrando que as parcerias podem ajudar com orientações, sugestões e dicas sobre o negócio.

.

·        Agregue serviços

Diversifique seu portfólio de produtos e serviços. A palavra de ordem é agregar serviços e produtos. Ofereça calibragem e pequenos serviços de substituição de peças e acessórios.

.

·        Acompanhe as tendências

Acompanhar as tendências do setor é fundamental para apresentar novas propostas aos clientes e vencer a concorrência. Participe de eventos e feiras e conheça tudo o que esta em evidencia no segmento.

.

·        Inove com ações

Sua loja de peças automotivas, precisa estar na mente do consumidor não somente pelos produtos, mas também pelos serviços e ações que são desenvolvidas para mecânicos, apaixonados por carro etc. Crie eventos em parceria com fornecedores e garanta clientes o ano todo.

.

·        Toda economia é bem-vinda

Em tempos de crise, o empreendedor deve ficar muito atento aos desperdícios. Toda economia pode favorecer melhores resultados, contar com softwares de gestão pode ser uma boa opção para conhecer os resultados e tomar decisões rápidas e assertivas para melhoria dos negócios.

.

Mesmo que a opção seja uma pequena loja de peças automotivas, é fundamental colocar em pratica todos os itens destacados, isso permitirá maior velocidade nas decisões, reduzirá as possibilidades de erro e com certeza aumentará as chances de sucesso.

 

Neste segmento de negócio, o feeling ou tino comercial é muito importante ao empreendedor. A agilidade e eficiência em apresentar soluções aos clientes faz toda a diferença para quem atua com peças automotivas. Analisar o mercado e as principais tendências para o setor é um diferencial importante para manter o negócio em evidencia e atrair novos clientes.

Algumas características são essenciais e influenciam diretamente no sucesso do negócio e, de forma geral, envolvem criatividade, inovação e iniciativa.

.

1 – Características essências para o empreendedor de uma loja de peças automotivas:

•     Ter criatividade e ser inovador;

•     Ser persistente e ter propósitos definidos;

•      Habilidade com perfil das pessoas;

•      Buscar informações atualizadas sobre o setor;

•      Ter uma visão prospectiva;

•      Organizado e administrador do tempo;

•      Habilidade de antecipar problemas;

•      Facilidade de relacionamento;

•      Conhecimento de técnicas de negociação;

•      Agilidade com números;

•      Boa apresentação;

•      Detalhista e perfeccionista;

•      Aptidão para ouvir;

•      Capacidade de delegar tarefas;

•      Interesse por pesquisas e atualidades.

.

2 – Características e habilidades para um bom comprador/negociador:

•     Ter carisma pessoal;

•      Comunicar-se de forma clara e objetiva;

•      Preocupar-se com questões que envolvem o bem-estar do cliente;

•      Ser cordial em todos os momentos da negociação;

•     Comportamento de parceria entre cliente e fornecedores;

.

3 – Para uma boa administração são competências fundamentais:

•     Cumprir compromissos funcionais;

•      Assiduidade e pontualidade;

•      Compromisso com prazos e tarefas;

•      Disponibilidade de tempo para reuniões de planejamento;

•     Disposição para organizar e documentar as informações de clientes.

Um empreendedor “saberá aprender o que for necessário para a criação, desenvolvimento e realização de sua visão”. (DOLABELA, 1999 p. 70). Considerando-se esta afirmativa, percebe-se em qualquer área que se deseje atuar é preciso estar disposto a aprender. Para aumentar as chances de sucesso é fundamental que o empreendedor desenvolva as competências e habilidades relacionadas ao negócio. 

 

BALCÃO em autopeças: conheça a importância para aumentar vendas. Takao, 2018. Disponível em:<https://blog.takao.com.br/importancia-do-balcao-em-autopecas/>. Acesso em: 22 de novembro de 2019.      

CASARIN, Ricardo. Fabricantes de autopeças apostam no mercado de reposição para crescer. Dci, 2019. Disponível em:<https://www.dci.com.br/neg%C3%B3cios/fabricantes-de-autopecas-apostam-no-mercado-de-reposic-o-para-crescer-1.799668>. Acesso em: 22 de novembro de 2019.         

COMO montar uma loja de autopeças? Etonini,  2019. Disponível em:<https://blog.etonini.com.br/como-montar-uma-loja-de-autopecas/>. Acesso em: 22 de novembro de 2019.        

DEZ fatores-chave de sucesso no varejo de autopeças. Sebrae, [s.d]. Disponível em:<https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/dez-fatores-chave-de-sucesso-no-varejo-de-autopecas,cdb1d588cae54510VgnVCM1000004c00210aRCRD?origem=segmento&codSegmento=4>. Acesso em: 22 de novembro de 2019.        

DICAS para montar uma autopeças com pouco dinheiro. Terra, 2017. Disponível em:<https://www.terra.com.br/noticias/dino/dicas-para-montar-uma-autopecas-com-pouco-dinheiro,72ce7573a88d9df3db1587ed3bce12695ag5krxi.html>. Acesso em: 22 de novembro de 2019.        

LOJA de Auto Peças. Dicasmei, [s.d]. https://www.dicasmei.com.br/dicas/dicas-de-negocios/loja-de-auto-pecas.html>. Acesso em: 22 de novembro de 2019.        

MERCADO de autopeças cresce com o novo comportamento do consumidor. Takao, 2018. Disponível em:<https://blog.takao.com.br/mercado-de-autopecas-cresce-com-o-novo-comportamento-do-consumidor/>. Acesso em: 22 de novembro de 2019.        

O MERCADO de reposição de peças automotivas. Sistemaautopecas, 2018. Disponível em:<https://www.sistemaautopecas.com.br/o-mercado-de-reposicao-de-pecas-automotivas/>. Acesso em: 22 de novembro de 2019.        

PESQUISA – O horizonte para a indústria de autopeças. Rdstation, 2019. Disponível em:<https://rdstation-static.s3.amazonaws.com/cms/files/63230/1558918941E-BOOk_PesquisaAutomec-final.pdf>. Acesso em: 22 de novembro de 2019.        

RIATO, Giovanna. Empresas de autopeças apostam em alta de até 25% nos próximos 5 anos. Automotivebusiness, 2019. Disponível em:<http://automotivebusiness.com.br/noticia/29287/empresas-de-autopecas-apostam-em-alta-de-ate-25-nos-proximos-5-anos>. Acesso em: 22 de novembro de 2019.        

SETOR de autopeças mantém crescimento no Brasil. Exame, 2019. Disponível em:<https://exame.abril.com.br/negocios/dino/setor-de-autopecas-mantem-crescimento-no-brasil/>. Acesso em: 22 de novembro de 2019.        

VENDA de peças de veículos: como agregar valor ao meu produto? Etonini, 2019. Disponível em:<https://blog.etonini.com.br/venda-de-pecas-de-veiculos-como-agregar-valor-ao-meu-produto/>. Acesso em: 22 de novembro de 2019. 

 

O empreendedor pode buscar junto às agências de fomento linhas de crédito que possam ser utilizadas para ajudá-lo no início do negócio. Algumas instituições financeiras também possuem linhas de crédito voltadas para o pequeno negócio e que são lastreadas pelo Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe), em que o Sebrae pode ser avalista complementar de financiamentos para pequenos negócios, desde que atendidas alguns requisitos preliminares. Maiores informações podem ser obtidas na página do Sebrae na web.

Consulte também:

·        Proger Urbano Capital de Giro

·        Cartão BNDES

·        Microcrédito Produtivo Orientado Caixa

 

Ao empreendedor não basta vocação e força de vontade para que o negócio seja um sucesso. Independentemente do segmento ou tamanho da empresa, necessário que haja um controle financeiro adequado que permita a mitigação de riscos de insolvência em razão do descasamento contínuo de entradas e saídas de recursos. Abaixo, estão listadas algumas sugestões que auxiliarão na gestão financeira do negócio:

·        Fluxo De Caixa

Para uma loja de peças automotivas é fundamental controlar as despesas da empresa, isso é realizado por meio do acompanhamento contínuo da entrada e da saída de dinheiro através do fluxo de caixa. Esse controle permite ao empreendedor visão ampla da situação financeira do negócio, facilitando a contabilização dos ganhos e gestão da movimentação financeira.

·        Capital de Giro

O período entre a prestação de serviço e o recebimento, pode ser longo e a necessidade de recursos será suprida pelo capital de giro. No entanto, ter esse recurso disponível não é suficiente porquanto ser premissa sua boa gestão, ou seja, somente deverá ser utilizado para honrar compromissos imediatos ou lidar com problemas de última hora.

·        Princípio da Entidade

O patrimônio da empresa não se mistura com o de seu proprietário. Portanto, jamais se deve confundir a conta pessoal com a conta empresarial, isso seria uma falha de gestão gravíssima que pode levar o negócio à bancarrota. Ao não separar as duas contas, a lucratividade do negócio tende a não ser atingida, sendo ainda mais difícil reinvestir os recursos, gerados pela própria operação. É o caminho certo para o fracasso empresarial.

·        Despesas

Assim como a maioria dos negócios, as lojas de peças automotivas, possuem despesas fixas e variáveis que deverão ser horadas para evitar problemas futuros. Embora pequenas, o seu controle é essencial para que não reduzam a lucratividade do negócio.

·        Reservas/Provisões

No caso das lojas de peças automotivas, a necessidade de provisões para troca de equipamentos mais modernos é uma necessidade deste modelo de negócio. Este recurso funcionará como um fundo de reserva.

·        Empréstimos

Poderão ocorrer situações em que o empresário necessitará de recursos para alavancar os negócios. No entanto, não deverá optar pela primeira proposta, mas estar atento ao que o mercado oferece, pesquisando todas as opções disponíveis. Deve te cuidado especialmente com as condições de pagamento, juros e taxas de administração. A palavra-chave é renegociação, de forma a evitar maior incidência de juros.

·        Objetivos

Definidos os objetivos, deve-se elaborar e implementar os planos de ação, visando amenizar erros ou definir ajustes que facilitem a consecução dos objetivos financeiros estabelecidos.

·        Utilização de Softwares

As novas tecnologias são de grande valia para a realização das atividades de gerenciamento, pois possibilitam um controle rápido e eficaz. O empreendedor poderá consultar no mercado as mais variadas ferramentas e escolher a que mais adequada for a suas necessidades.

 

O empreendedor que deseja atuar no segmento de peças automotivas, pode aproveitar todas as ferramentas de gestão e conhecimento criadas para ajudar a impulsionar o seu negócio. Para consultar a programação disponível em seu estado, entre em contato pelo telefone 0800 570 0800.

Confira as principais opções de orientação empresarial e capacitações oferecidas pelo Sebrae:

·        Cursos online e gratuitos  

1 – Para desenvolver o comportamento empreendedor

Empretec – Metodologia da Organização das Nações Unidas (ONU) que proporciona o amadurecimento de características empreendedoras, aumentando a competitividade e as chances de permanência no mercado.  

2 – Para quem quer começar o próprio negócio

As soluções abaixo são uteis para quem quer iniciar um negócio. Pessoas que não possuem negócio próprio, mas que querem estruturar uma empresa. Ou pessoas que tem experiência em trabalhar por conta própria e querem se formalizar  

Plano de Negócios – O plano irá orientá-lo na busca de informações detalhadas sobre o ramo, os produtos e os serviços a serem oferecidos, além de clientes, concorrentes, fornecedores e pontos fortes e fracos, construindo a viabilidade da ideia e na gestão da empresa.  

3 – Para quem quer inovar 

Ferramenta Canvas online e gratuita – A metodologia Canvas ajuda o empreendedor a identificar como pode se diferenciar e inovar no mercado.  

Sebraetec – O Programa Sebraetec oferece serviços especializados e customizados para implantar soluções em sete áreas de inovação.   

ALI – O Programa Agentes Locais de Inovação (ALI) é um acordo de cooperação técnica com o CNPq, com o objetivo de promover a prática continuada de ações de inovação nas empresas de pequeno porte. 

 

·        SINDIPEÇAS – Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores –

https://www.sindipecas.org.br/

·        ANDAP – Associação Nacional dos Distribuidores de Autopeças

http://www.andap.org.br/new1/index.asp

 

Tem um dúvida sobre a sua ideia? Experimente fazer uma pergunta para a nossa comunidade.

Explore outras ideais de negócios em sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ideias

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae

Esse é o perfil institucional do Sebrae nessa comunidade. Quer saber mais sobre o Sebrae - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas? Acesse: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/canais_adicionais/o_que_fazemos

Me siga