CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Como fornecer serviços de eletricista residencial e predial

Como fornecer serviços de eletricista residencial e predial

Confira uma ideia de negócio completa sobre Como fornecer serviços de eletricista residencial e predial. Abaixo dividimos o conteúdo em tópicos como mercado, custos, pessoas, investimentos, divulgação, exigências legais e mais dicas.

Uma empresa de instalação e manutenção elétrica residencial e predial visa a atender a um público que não possui habilidades para manutenção elétrica dentro de casa. A demanda por empresas com formalizadas e com profissionais capazes tem se tornado cada vez mai. Empresas e profissionais que ofereciam estes serviços de maneira informal estão identificando esse campo como uma oportunidade de formalização do negócio.

São poucas as ofertas de serviços regulares e especializados desse tipo, pois é preciso uma estrutura profissional ou empresarial de confiança, responder pela eficácia duradoura do reparo e, ainda, assumir os riscos típicos (acidentes, danos a terceiros, dívidas fiscais ou trabalhistas etc.).

Uma empresa de serviços residenciais organizada e bem estruturada pode ser uma boa opção para aqueles empreendedores que buscam oferecer um negócio de habilidades técnicas a um nicho de mercado que necessita constantemente de soluções dessa natureza.

Entre os serviços residenciais que podem ser oferecidos estão:

  • Instalação de disjuntores, fusíveis, tomadas, interruptores, lâmpadas e quadros de luz;
  • Troca e instalação de nova fiação para instalações elétricas;
  • Instalação e manutenção de nove chuveiros, torneiras elétricas, ventiladores, condicionadores de ar e outros aparelhos eletrônicos (home theater, computador, interfone, antenas, wi fi/internet, extensões de telefone etc.);
  • Reparos elétricos em geral.

Este documento não substitui o Plano de Negócio. Para elaboração do plano, consulte o Sebrae mais próximo.

Calcula-se que o Brasil conta com cerca de 62,8 milhões de residências, segundo a PNAD-IBGE, sendo 73% de casas e 27%, de apartamentos. Deste total, estima-se que 80% necessitem de manutenção pelo menos uma vez ao ano.

Mercado Consumidor

As empresas de serviços de eletricista residencial e predial têm conquistado mercado devido à crescente falta de tempo dos consumidores e porque, de certa forma, oferecem maior segurança jurídica. A vida atribulada nas grandes cidades faz com que muitas pessoas, na hora de realizar uma manutenção elétrica, optem por uma empresa especializada, evitando eventuais contratempos na contratação de trabalhadores informais e também em busca de maior segurança, tendo em vista o perigo de incêndio e de outros acidentes graves, por conta de serviços prestados com baixa qualidade.

Mercado Fornecedor

O mercado fornecedor do segmento é formado principalmente por grandes e médias empresas fabricantes de equipamentos, produtos e utensílios necessários à prestação do serviço. Há também as lojas de equipamentos que fornecem todos os produtos em um mesmo local. Por isso, indica-se uma pesquisa por fornecedores que ofereçam produtos de qualidade a preços mais acessíveis e uma análise do que compensa ser comprado em atacado e no varejo.

Por se tratar de uma empresa de prestação de serviços é necessário que os empregados contratados tenham expertise neste segmento e nos serviços oferecidos.

Mercado Concorrente

Negócios de serviços de eletricista residencial e predial têm apresentado crescimento contínuo nos últimos anos, impulsionados pela alta demanda por terceirização de serviços – que, muitas vezes, eram feitos de forma amadora –, para a conveniência e a comodidade dos consumidores. Embora não existam estatísticas oficiais, trabalhadores informais exercem uma concorrência significativa sobre os empreendedores deste segmento.

Formação de preços

Em relação à forma de cobrança pelos serviços prestados, algumas empresas optam por cobrar por tipo de serviço que será prestado; outras cobram por hora de trabalho. É importante prestar atenção e optar por formas de pagamento que atendam às necessidades dos consumidores locais, isto é, os potenciais clientes.

Os serviços devem ser pagos após terem sido prestados. Por se tratar se uma Microempresa (ME) ou Empresa de Pequeno Porte (EPP), o empreendimento de serviços de instalação e manutenção elétrica deve emitir Nota Fiscal aos seus clientes. É importante também entregar a garantia do serviço prestado ao cliente, informando o prazo de validade.

A instalação da empresa de prestação de serviços de manutenção elétrica residencial e predial deve privilegiar locais com grande concentração de residências. Por esta razão, bairros com predomínio de condomínios ou com muitos prédios de apartamentos são uma boa opção para a localização do empreendimento. Desta forma, torna-se mais simples a construção e a fidelização de sua carteira de clientes. Isso também reduz as despesas de deslocamento e o tempo utilizado para atender ao cliente.

Lembramos que a estruturação de uma empresa de manutenção elétrica residencial e predial não exige abertura de loja para o público, nem a aquisição de ponto comercial, pois os serviços serão prestados na residência dos clientes. Entretanto, os serviços administrativos da empresa devem contar com um endereço físico. Alguns empresários do ramo idealizaram o negócio para ser tocado de suas próprias casas, apenas com o apoio de um computador conectado à internet e de um telefone. É necessário, porém, verificar com a Prefeitura de seu município a possibilidade de funcionamento do negócio, desta maneira.

Caso o empresário deseje instalar-se em ponto comercial, ele deve observar os seguintes detalhes:

  • Certifique-se de que o imóvel em questão atende às suas necessidades operacionais quanto à localização, capacidade de instalação e características da vizinhança – se é atendido por serviços de água, luz, esgoto, telefone etc.
  • Confira comodidades que possam tornar mais conveniente e menos onerosa a gestão do negócio, tais como: proximidade de terminais e estações.
  • Cuidado com imóveis situados em locais sujeitos a inundações ou próximos a zonas de risco. Consulte a vizinhança a respeito.
  • Confira se a planta do imóvel foi aprovada pela Prefeitura e se não houve nenhuma obra posterior, aumentando, modificando ou diminuindo a área primitiva.

Na maioria das cidades brasileiras, as atividades econômicas são regulamentadas pelo Plano Diretor Urbano (PDU). É essa lei que determina o tipo de atividade que pode funcionar em determinado endereço.

Deve ser levada em conta, ainda, a facilidade de deslocamento para diferentes regiões da cidade. Outra providência importante antes de alugar ou comprar o imóvel é verificar na Prefeitura se existe algum projeto para desapropriação da área.

 

Para abrir uma empresa de eletricista predial e residencial o empreendedor poderá ter seu registro de forma individual ou em um dos enquadramentos jurídicos de sociedade. Ele deverá avaliar as opções que melhor atendem suas expectativas e o perfil do negócio pretendido. Leia mais sobre este assunto nas publicações do Sebrae: Caderno do empreendedor individual e o Microempreendedor individual. O contador, profissional legalmente habilitado para elaborar os atos constitutivos da empresa e conhecedor da legislação tributária, poderá auxiliar o empreendedor neste processo. Importante: – Para a instalação do negócio é necessário realizar consulta prévia de endereço na Prefeitura Municipal/Administração Regional, sobre a Lei de Zoneamento. – A Lei 123/2006 (Estatuto da Micro e Pequena Empresa) e suas alterações estabelecem o tratamento diferenciado e simplificado para micro e pequenas empresas. Isso confere vantagens aos empreendedores, inclusive quanto à redução ou isenção das taxas de registros, licenças e etc. – É necessário observar as regras de proteção ao consumidor, estabelecidas pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC) – Lei Federal nº. 8.078 publicada em 11 de setembro de 1990.

Lei Complementar 128/2008 criou a figura do empreendedor individual, legalizando como microempresário o antes denominado trabalhador informal. Para ser um microempreendedor individual (MEI), é necessário faturar, no máximo, até R$ 60 mil por ano, não ter participação em outra empresa como sócio ou titular e ter, se necessário, até 1 (um) empregado contratado que receba o salário mínimo ou o piso da categoria. De acordo com o Portal do Empreendedor, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o processo de formalização está isento de qualquer tarifa ou taxa, todavia, após a formalização é necessário o pagamento mensal dos tributos de R$ 44,00 (INSS), acrescido de R$ 5,00 (para Prestadores de Serviço) ou R$ 1,00 (para Comércio e Indústria) por meio do DAS (carnê) emitido através do Portal do Empreendedor. Com isso, o empreendedor individual terá direito aos benefícios previdenciários. A LC 128/2008 o dispensa de manter contabilidade formal – livro diário, livro caixa e razão. Entretanto, ele deve guardar as notas fiscais de compra de produtos e de serviços. Ainda, segundo a Lei Complementar, o empreendedor individual precisa emitir nota fiscal apenas quando a venda for para consumidor pessoa jurídica.

O empreendedor deve se atentar à Lei Federal 6496/77 que institui a “Anotação de Responsabilidade Técnica (ART)” na prestação de serviços de engenharia, de arquitetura e agronomia; autoriza a criação, pelo Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia – CONFEA, de uma Mútua de Assistência Profissional; e dá outras providências.

 

O imóvel escolhido para instalar a empresa de pequenos reparos residenciais pode ser uma loja, sala comercial ou mesmo uma residência adaptada para a atividade (validada pela Prefeitura), conforme abordado no capítulo “Localização”. Sugere-se um espaço com cerca de 50m², pois entende-se ser suficiente para os serviços administrativos da empresa e a guarda de material.

O local, preferencialmente, deve contar com uma área destinada ao escritório da firma e a contatos comerciais (reuniões com fornecedores, por exemplo), além de uma área operacional com armários para guarda dos equipamentos e ferramentas de trabalho. É indicado que haja um vestiário para os empregados e também uma copa para refeições e guarda de alimentos.

Caso a empresa esteja funcionando em um ponto comercial, recomenda-se a instalação de placas ou letreiros, o que ajuda na divulgação do negócio. É importante, ainda, consultar a legislação municipal sobre publicidade.

 

Para uma empresa de prestação de serviços de manutenção elétrica residencial e predial, sugere-se contar com os seguintes profissionais:

  • Gestor e Auxiliar Administrativo: responsáveis pelo atendimento dos chamados, esclarecimento de dúvidas e prospecção de clientes, assim como pela parte administrativa do negócio. Isso inclui administração de pessoal, compra de materiais de consumo e de expediente, gestão das contas a pagar e receber etc.
  • Supervisor Operacional: responsável pela coordenação e visitas às instalações dos clientes; coordena a execução dos serviços;
  • Engenheiro Eletricista: responsável pelo desenvolvimento dos projetos e pelas Anotações de Responsabilidade Técnica (ARTs);
  • Técnico em Eletrotécnica: responsável pelo desenvolvimento dos projetos e pelas Anotações de Responsabilidade Técnica (ART) de menor potência (atentar aos limites definidos pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia);
  • Eletricista: responsável pela execução dos serviços;
  • Auxiliar de Eletricista: apoia a execução dos serviços.

É obrigatório que todos os profissionais envolvidos na execução dos serviços sejam habilitados nos quesitos de segurança, conforme definido na Norma Regulamentadora 10 – NR 10.

É importante a formação de uma equipe de “prontidão” para cobrir eventuais faltas, substituições ou mesmo complementar o quadro fixo de empregados nos períodos de maior fluxo de trabalho. É imprescindível que esses profissionais sejam alfabetizados.

O atendimento é um item que merece atenção especial do empresário, visto que, nesse segmento de negócio, há uma tendência ao relacionamento de longo prazo com a clientela e à consequente indicação de novos clientes.

O treinamento dos trabalhadores e sua conscientização quanto à responsabilidade envolvida na prestação de serviços são muito importantes em uma empresa deste tipo. Saber detectar as necessidades dos clientes é fator relevante para que a empresa de serviços de manutenção elétrica residencial e predial alcance sucesso no mercado. A qualificação dos profissionais aumenta o comprometimento com a empresa, eleva o nível de retenção de funcionários, melhora a desempenho do negócio e diminui os custos trabalhistas com a rotatividade de pessoal.

Ao contratar a equipe de profissionais, algumas características interessantes são:

  • Agilidade;
  • Raciocínio rápido;
  • Capacidade de observação;
  • Paciência;
  • Facilidade de organização;
  • Flexibilidade;
  • Disponibilidade de horário;
  • Cordialidade;
  • Pro atividade;
  • Responsabilidade;
  • Urbanidade;
  • Discrição;
  • Controle emocional.

O empreendedor, por sua vez, deverá participar de seminários, congressos e cursos direcionados ao seu ramo de negócio para manter-se atualizado e sintonizado com as tendências do setor.

Autônomos

Uma das principais dúvidas dos empreendedores diz respeito à contratação de pessoas físicas (profissionais autônomos) ou jurídicas (empresas) para prestação de serviços sem vínculo empregatício.

A fim de diminuir os encargos sociais, as empresas buscam a “terceirização”, cuja extensão foi ampliada com a recente aprovação da Lei 13.429/17. Agora, a contratação de terceiros pode abranger tanto atividades intermediárias como a atividade-fim da contratante, desde que não haja relação de emprego entre as partes. Ou seja, a relação entre contratante e contratado não pode ser como aquela existente entre patrão e empregado, caracterizada pelos elementos de subordinação, habitualidade, horário, pessoalidade e salário.

 

A gestão de estoques no varejo é a procura do equilíbrio constante entre a oferta e a demanda. Este equilíbrio deve ser sistematicamente aferido por meio, entre outros, de três importantes indicadores de desempenho:

  • Giro dos estoques: trata-se de um indicador do número de vezes em que o capital investido em estoque é recuperado por meio das vendas. Usualmente, é medido em base anual e tem a característica de representar o que aconteceu no passado. Obs.: Quanto maior for a frequência de entregas dos fornecedores, logicamente em lotes menores, maior será o índice de giro dos estoques, também chamado de índice de rotação de estoques.
  • Cobertura dos estoques: o índice de cobertura dos estoques é a indicação do período de tempo em que o estoque consegue cobrir as vendas futuras, sem que haja suprimento.
  • Nível de serviço ao cliente: o indicador de nível de serviço ao cliente para o ambiente do varejo de pronta entrega, isto é, aquele segmento de negócio em que o cliente quer receber a mercadoria, ou serviço, imediatamente após a escolha, demonstra o número de oportunidades de venda que podem ter sido perdidas pelo fato de não existir a mercadoria em estoque. Ou de não se poder executar o serviço com prontidão.

Portanto, o estoque dos produtos deve ser mínimo, visando a gerar o menor impacto na alocação de capital de giro. O estoque mínimo deve ser calculado levando-se em conta o número de dias entre o pedido de compra e a entrega dos produtos na sede da empresa. A prestação de serviços de pequenos reparos residenciais não envolve a transformação de matérias-primas ou a venda de mercadorias e, sim, a oferta de serviços. Porém, alguns materiais são consumidos no processo de realização destes serviços. Entre eles:

Material para instalação e reparos:

  • Fios elétricos de diversos tipos e espessuras; canaletas; parafusos; arruelas; dobradiças; fixadores variados; fita isolante; terminais de várias medidas; tomadas; interruptores;
 

As atividades que compõem os serviços de reparos residenciais podem ser agrupadas em quatro etapas:

  • Levantamento das necessidades: visita técnica ao local para avaliar o tipo e as condições dos serviços a serem realizados, com o objetivo de estimar a quantidade e a qualificação dos recursos humanos necessários; produtos e equipamentos a serem utilizados; cronograma e processos a serem desenvolvidos;
  • Planejamento: determinar como os reparos serão executados, adaptando-os às necessidades de cada cliente;
  • Preparação do local para execução dos serviços;
  • Supervisão e avaliação, para garantir que os reparos domésticos contratados sejam realizados de acordo com as especificações técnicas.
 

Prazos de entrega cada vez mais apertados, alto custo de funcionamento e desperdício de materiais são alguns exemplos de problemas que fazem com que a lucratividade e a qualidade sejam reduzidas. Trata-se de situações difíceis de serem controladas sem a ajuda de uma ferramenta eficaz, como os programas de gerenciamento de negócios.

Por isso, a automação comercial precisa ser entendida pelo empreendedor como um investimento necessário para aperfeiçoar sua gestão e obter eficiência e produtividade. Alguns benefícios proporcionados pela automação comercial são:

  • Rapidez na verificação de informações; maior comodidade para o consumidor; redução de tarefas manuais; diminuição de erro nas vendas; melhoria nos índices de satisfação dos clientes; facilidade para apuração de resultados; aumento da produtividade; melhorias na gestão do negócio; redução da burocracia; agilidade na apuração dos impostos; eficiência no processo de fiscalização.

No campo gerencial, a automação facilita o controle de diversos processos: administrativo, caixa, financeiro, entre outros. Por isso, é recomendável que todo empreendedor que esteja abrindo um negócio, ainda que pequeno, adote um sistema informatizado. Atualmente, existem diversos softwares que podem auxiliar o empreendedor, inclusive opções de softwares gratuitos, capazes de atender às necessidades de uma pequena empresa.

Além de fácil utilização, o software gerencial deve incorporar, entre outros, itens como:

  • Cadastro: clientes, funcionários, fornecedores;
  • Movimentos: orçamentos, vendas e serviços;
  • Relatórios: serviços a executar, vendas por cliente, vendas por período, vendas a receber, estoque, aniversariantes do mês;
  • Consultas: preços, recebimentos, pagamentos, vendas;
  • Gráficos: evolução das vendas, despesas, pagamentos;
  • Financeiro: controle de caixa, cheques recebidos, cheques emitidos, controle de despesas, contas a pagar, controle de funcionários, compras;
  • Segurança: backup dos dados.

Antes de se decidir pelo sistema a ser utilizado, o empreendedor deve avaliar o preço cobrado, o serviço de manutenção, a conformidade em relação à legislação fiscal municipal e estadual, a facilidade de suporte e as atualizações oferecidas pelo fornecedor.

 

O negócio de eletricista residencial e predial se caracteriza por entregar os serviços que oferece diretamente ao consumidor. Assim, o serviço será realizado na residência do cliente que o solicitou.

É comum a utilização de veículos especialmente adaptados para o transporte do prestador do serviço de reparos residenciais, com o objetivo de carregar os equipamentos e materiais necessários à realização das tarefas e, também realizar o atendimento volante.

 

O investimento compreende todo o capital empregado para iniciar e viabilizar o negócio até o momento em que ele se torna autossustentável. Pode ser dividido em:

  • Investimento fixo: engloba o capital empregado na compra de imóveis (se for o caso), equipamentos, móveis, utensílios, instalações, reformas, veículos;
  • Investimentos pré-operacionais: são todos os gastos ou despesas com projetos, pesquisa de mercado, registro da empresa, decoração, honorários profissionais e outros.

O investimento varia muito de acordo com o porte do empreendimento e do volume de recursos de que o investidor dispõe. Considerando uma empresa de serviços de manutenção elétrica residencial e predial de pequeno porte, instalada em uma área de 50m², será necessário um investimento de cerca de R$ 56 mil.

Com esse valor, é possível adequar o atendimento a clientes e adquirir um carro para o transporte da equipe, assim como equipamentos e produtos para limpeza e reparos. As informações aqui prestadas servem apenas como referência, a partir de um exemplo hipotético.

Despesas Pré-Operacionais: R$ 5.500,00

ItensValor 
Caixa ferramenta  R$         150,00
Jogo chave de fenda  R$           75,00
Jogo chave Phillips R$           69,00
Alicate Universal   Kraft isoladoR$           90,00
Alicate Corte isoladoR$           70,00
Alicate Bico  isoladoR$           70,00
Alicate terminal  isoladoR$         120,00
Chave Teste isoladaR$           31,00
Alicate DesemcapadorR$           95,00
Furadeira impacto – elétrica  R$         359,00
Furadeira / Parafusadeira – bateria  R$         393,00
Multímetro R$         180,00
Amperímetro  R$         160,00
MarteloR$           45,00
Jogo Chaves Allen\R$           60,00
Jogo Chave Fixa – 6 a 32 mm GedoreR$         205,00
Jogo Chave SoqueteR$         170,00
TalhadeiraR$           38,00
Ferro de SoldaR$           51,00
Jogo Brocas  R$           96,00
Aspirador de pó e líquido  R$         319,00
Vassouras / panos /rodos R$         120,00
Escada  R$         249,00
Cinto eletricista  R$           35,00
EPI nr 10  Luva – capacete, luva, camisa, calça, calcadoR$         250,00
Total Equipamentos ………………………….R$     3.500,00
Total Equipamentos …… 2  equipes…….R$     7.000,00
  
  
Veículo Utilitário – usadoR$   35.000,00
Mobiliário (moveis, cadeiras, armários)R$     2.300,00
Computador – 2R$     4.790,00
TelefonesR$         210,00
CelularR$         700,00
Impressora multifuncionalR$         500,00
Total…………………………………………………………………..R$   43.500,00

Os valores acima podem ainda variar conforme a região geográfica em que a empresa irá se instalar, a necessidade de reforma do imóvel, tipo de mobiliário etc.

Para uma informação mais apurada sobre o investimento inicial, sugere-se que o empreendedor utilize o modelo de Plano de Negócio disponível no Sebrae.

Existe também a possibilidade de aquisição de franquia, interessante por ser mais fácil do que abrir um negócio por conta própria. O sistema é indicado para aqueles que não têm experiência no setor e querem contar com treinamento e marketing especializados. O franqueado recebe apoio nas etapas de escolha do ponto, projeto de arquitetura e comunicação visual, assistência durante o processo de pré e pós-abertura da loja. Também dispõe, contratualmente, de programa de treinamento inicial e reciclagens, suporte operacional e de marketing. Se a franquia for a opção escolhida, recomenda-se consultar a Associação Brasileira de Franchising(www.portaldofranchising.com.br/site/content/home/index.asp).

 

Capital de giro é o montante de recursos financeiros que a empresa precisa manter para garantir fluidez dos ciclos de caixa. O capital de giro funciona com uma quantia imobilizada no caixa (inclusive banco) da empresa para suportar as oscilações de caixa. O capital de giro é regulado pelos prazos praticados pela empresa, são eles: Prazos Médios Recebidos de Fornecedores (PMF); Prazos Médios de Estocagem (PME) e Prazos Médios Concedidos a Clientes (PMCC).

Quanto maior o prazo concedido aos clientes e quanto maior o prazo de estocagem, maior será sua necessidade de capital de giro. Portanto, manter estoques mínimos regulados e saber o limite de prazo a conceder ao cliente pode melhorar muito a necessidade de imobilização de dinheiro em caixa. Se o prazo médio recebido dos fornecedores de matéria-prima, mão-de-obra, aluguel, impostos e outros forem maiores que os prazos médios de estocagem somada ao prazo médio concedido ao cliente para pagamento dos produtos, a necessidade de capital de giro será positiva, ou seja, é necessária a manutenção de dinheiro disponível para suportar as oscilações de caixa. Neste caso, um aumento de vendas implica também em um aumento de encaixe em capital de giro.

Para tanto, o lucro apurado da empresa deve ser ao menos parcialmente reservado para complementar essa necessidade do caixa. Se ocorrer o contrário, ou seja, os prazos recebidos dos fornecedores forem maiores que os prazos médios de estocagem e os prazos concedidos aos clientes para pagamento, a necessidade de capital de giro é negativa. Neste caso, deve-se atentar para quanto do dinheiro disponível em caixa é necessário para honrar compromissos de pagamentos futuros (fornecedores, impostos). Portanto, retiradas e imobilizações excessivas poderão fazer com que a empresa venha a ter problemas com seus pagamentos futuros.

Um fluxo de caixa, com previsão de saldos futuros de caixa deve ser implantado na empresa para a gestão competente da necessidade de capital de giro. Só assim as variações nas vendas e nos prazos praticados no mercado poderão ser geridas com precisão. Estima-se em R$ 10 mil o capital de giro necessário para a abertura de uma microempresa de serviços de eletricista residencial e predial.

Custos

Os custos irão depender, objetivamente, do porte da empresa prestadora de serviços, da localização, das especialidades oferecidas ao consumidor e da estratégia empresarial adotada. As referências de preços apresentadas aqui devem, portanto, ser revistas para cada caso.

O cuidado na administração e na redução de todos os custos envolvidos no negócio indica que o empreendedor poderá ter sucesso ou insucesso, na medida em que encarar como pontos fundamentais a diminuição de desperdícios, a compra pelo melhor preço e o controle de todos os gastos internos. Quanto menores os custos, maior a chance de ganho no resultado final do negócio.

As despesas são os gastos realizados para operar o negócio. Elencamos a seguir algumas categorias referenciais, levantadas em entrevistas junto a empresas similares, com o intuito de exemplificar a proporcionalidade dos gastos.

  • Aluguel, condomínio e IPTU: dependerá da localização e do tamanho do imóvel;
  • Água, luz, telefones e acesso a internet;
  • Assessoria contábil;
  • Despesas com combustível e manutenção do veículo;
  • Produtos para higiene dos funcionários e limpeza da empresa;
  • Despesas com vendas e divulgação: em torno de 3% das vendas;
  • Salários administrativos e pró-labore.
 

Agregar valor significa oferecer serviços complementares ao principal, diferenciando-se da concorrência e atraindo o público-alvo. Não basta ter algo que os serviços concorrentes não oferecem. É necessário que esse “algo mais” seja reconhecido pelo cliente como uma vantagem competitiva e aumente o seu nível de satisfação com o serviço prestado.

Pesquisas quantitativas e qualitativas podem ajudar na identificação de benefícios de valor agregado. No caso de uma empresa de serviços de reparos residenciais, há diversas oportunidades de diferenciação, como:

  • Uso do site da empresa para canal de comunicação direto com o cliente para solicitação dos serviços;
  • Estabelecer Procedimentos Operacionais Padrão (POPs);
  • Apostar em contratação de mão de obra especializada para atendimento a clientes diferenciados (estrangeiros, deficientes auditivos, deficientes visuais etc);
  • Ter em seu quadro de mão de obra mulheres como prestadoras de serviços para atendimento a clientes mulheres que não se sentem confortáveis em receber homens em suas residências.

Sustentabilidade

A incorporação dos princípios de sustentabilidade tornou-se um diferencial importante, uma vez que, no Brasil, cresce o número de consumidores conscientes, que valorizam os serviços fornecidos com mínimo (ou nenhum) impacto ao meio ambiente e à saúde dos seres vivos.

Uma das formas de se aplicar o conceito de sustentabilidade ao negócio consiste em destinar os resíduos das obras de reformas e benfeitorias a aterros sanitários ou a usinas de tratamento de lixo. Outras maneiras são: trocar solventes utilizados na limpeza pesada por substâncias biodegradáveis e livres de vapores orgânicos, em conformidade com as normas ISO 14000 e OHSAS 1800; o uso de produtos que não agridem a natureza; reaproveitamento de plásticos, papéis e embalagens atóxicas; uso de equipamentos com baixos níveis de ruído e de consumo de energia.

 

O empreendedor deve sempre entregar o que foi prometido e, quando puder, superar as expectativas do consumidor. Afinal, a melhor propaganda será feita pelos clientes satisfeitos e bem atendidos. E neste negócio, a reputação é fator determinante para o sucesso.

Atualmente, bancos e empresas seguradoras têm oferecido a seus clientes apólices residenciais com serviços de eletricista e de outros profissionais como política de aumento de vendas. Por esta razão, formar parcerias com seguradoras, administradoras de imóveis, lojas de ferragens e de material elétrico etc. é uma ótima forma de divulgação dos serviços e de formação de clientela. Também é importante estabelecer contato com zeladores e porteiros dos prédios da região. Se possível, deixe cartões de relacionamento com estes profissionais para indicação aos moradores.

Estratégias de comunicação dirigidas às redes sociais também se mostram adequadas neste tipo de negócio. Por meio das redes, o empreendedor pode compartilhar conteúdos relacionados ao segmento em que atua. E, também, mostrar o antes/depois de serviços realizados. Atualmente, o Facebook é a rede social que melhor divulga este ramo de negócio. A rede hoje faz parte do cotidiano de grande parte da população brasileira, que passa, em média, 40 minutos diários no Facebook.

Seguem sugestões de algumas ações mercadológicas eficientes e de custo acessível:

  • Montar um website com a oferta de serviços e valores dos serviços ou hora de trabalho ;
  • Publicar anúncios em jornais e revistas de bairro;
  • Distribuição de cartões ou panfletos em condomínios residenciais e comerciais;
  • Anunciar em sites de busca, e de anúncios, que geram maior volume de tráfego e vendas;
  • Parcerias com arquitetos, paisagistas e lojas especializadas.
 

O segmento de serviços de manutenção elétrica residencial é definido da seguinte forma pela CNAE/IBGE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) 4321-5/00 – INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO ELÉTRICA, sendo que esta atividade compreende a instalação, alteração, manutenção e reparo em todos os tipos de construções de:

  • Sistemas de eletricidade (cabos de qualquer tensão, fiação, materiais elétricos etc.); cabos para instalações telefônicas e de comunicações; cabos para redes de informática e televisão, inclusive por fibra óptica; antenas coletivas e parabólicas; para-raios; sistemas de iluminação; sistemas de alarme contra incêndio; sistemas de alarme contra roubo; sistemas de controle eletrônico e automação predial; instalação de equipamentos elétricos para aquecimento.

O empresário poderá optar optar pelo Simples, desde que sua categoria esteja contemplada no regime, a receita bruta anual de sua atividade não ultrapasse R$ 360 mil para microempresa e R$ 4,8 milhões para empresa de pequeno porte e sejam respeitados os demais requisitos previstos na Lei.

Nesse regime, o empreendedor de ME e EPP poderá recolher os seguintes tributos e contribuições, por meio de apenas um documento fiscal – o DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional), que é gerado no Portal do SIMPLES Nacional (http://www8.receita.fazenda.gov.br/SimplesNacional): 

• IRPJ (Imposto de Renda da Pessoa Jurídica); 

• CSLL (Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido); 

• PIS (Programa de Integração Social); 

• COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social);

• CPP (Contribuição Previdenciária Patronal);

• ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços): para empresas do comércio

• ISS (Imposto Sobre Serviços): para empresas que empresas que prestam serviços;

• IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados): para indústrias.

Conforme a Lei Complementar nº 123/2006, as alíquotas do Simples Nacional variam de acordo com as tabelas I a VI, dependendo das atividades exercidas e da receita bruta auferida pelo negócio. No caso de início de atividade no próprio ano-calendário da opção pelo Simples Nacional, para efeito de determinação da alíquota no primeiro mês de atividade, os valores de receita bruta acumulada devem ser proporcionais ao número de meses de atividade no período. Se o Estado em que o empreendedor estiver exercendo a atividade conceder benefícios tributários para o ICMS (desde que a atividade seja tributada por esse imposto), a alíquota poderá ser reduzida conforme o caso. Na esfera Federal poderá ocorrer redução quando se tratar de PIS e/ou COFINS. 

Se a receita bruta anual não ultrapassar R$ 81 mil, o empreendedor poderá optar pelo registro como Microempreendedor Individual (MEI), desde que ele não seja dono ou sócio de outra empresa e tenha até um funcionário. Para se enquadrar no MEI, sua atividade deve constar na tabela da Resolução CGSN nº 94/2011 – Anexo XIII (http://www.portaldoempreendedor.gov.br/legislacao/resolucoes/arquivos/ANEXO_XIII.pdf)

Neste caso, os recolhimentos dos tributos e contribuições serão efetuados em valores fixos mensais conforme abaixo: 

I) Sem empregado  • 5% do salário mínimo vigente – a título de contribuição previdenciária  • R$ 1 de ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias (para empresas de comércio e indústria) • R$ 5 de ISS – Imposto sobre Serviços (para empresas de prestadoras de serviços)

II) Com um empregado (o MEI poderá ter um empregado, desde que ele receba o salário mínimo ou piso da categoria)  O empreendedor recolherá mensalmente, além dos valores acima, os seguintes percentuais:  • Retém do empregado 8% de INSS sobre a remuneração;  • Desembolsa 3% de INSS patronal sobre a remuneração do empregado. 

Recomendamos que o empreendedor consulte sempre um contador, para que ele o oriente sobre o enquadramento jurídico e o regime de tributação mais adequado ao seu caso.

 

Os eventos do setor são momentos importantes para que o empresário conheça novas tecnologias e produtos, além de ampliar suas redes de fornecedores e clientes. Seguem algumas sugestões de eventos importantes para o empreendedor do segmento de eletricista residencial e predial.

WORKSHOP LUSO-BRASILEIRO DE ENGENHARIA DIAGNÓSTICA

Site: http://wlbed2017.com

ENEEEL – Encontro Nacional dos Estudantes de Engenharia Elétrica

Site: http://www.eneeel.com/

 

As normas técnicas são documentos de uso voluntário, utilizados como referência importante para o mercado.

As normas técnicas podem estabelecer requisitos de qualidade, de desempenho, de segurança (seja no fornecimento de algo, no seu uso ou mesmo na sua destinação final). Mas também podem estabelecer procedimentos, padronizar formas, dimensões, tipos, usos, fixar classificações ou terminologias e glossários, definir a maneira de medir ou determinar as características, como os métodos de ensaio.

As normas técnicas são publicadas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. Para maiores informações deve ser consultado o site da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. www.abnt.org.br.

Embora os serviços prestados por uma empresa de reparos residenciais não devam ultrapassar os limites estabelecidos para o exercício profissional nas áreas de engenharia e arquitetura, existem diversas normas técnicas que podem ser consideradas aplicáveis aos tipos de serviços realizados por uma empresa desta natureza. Caso especial são os serviços associados à área de construção civil (eletricidade, carpintaria e hidráulica) onde existem normas relacionadas tanto aos materiais utilizados quanto ao emprego de técnicas e processos de trabalho.

Exemplos de normas aplicáveis:

  • Elementos de fixação – Buchas plásticas de expansão – Especificação NBR14270 – Data 01/1999.
  • Interruptores para instalação elétrica fixa doméstica e análoga – Especificação NBR6527EB1224 – data 05/2000.
  • Chuveiros elétricos NBR12483 PB1545 – data 04/1992.
  • Aparelhos de conexão para instalações elétricas, domésticas e similares – Resistência ao envelhecimento e à umidade NBR7865MB1750 – data 04/1983.
  • Dentre outras.
 

Alicate amperímetro – Instrumento que tem como função principal medir correntes alternadas, permitindo que se efetue a medição sem que seja necessária a abertura do curcuito.

Alicate de bico – Ferramenta manual que tem como função principal manusear peças pequenas a serem estanhadas, aparafusadas ou conectadas, assim como dobrar, torcer ou endireitar condutores e terminais.

Alicate de Crimpagem – Ferramenta manual que tem como função principal fixar um terminal na extremidade do condutor.

Alicate Decapador ou descascador – Ferramenta manual que tem como função principal remover a isolação de fios e cabos.

Alicate universal – Ferramenta manual que tem como função principal segurar peças, torcer e cortar fios e cabos.

Amperímetro –  Instrumento fixo para painel cuja função é medir a corrente elétrica de um circuito.

Associação de resistores –  É a maneira com que os resistores estão dispostos no circuito, podendo ser uma associação série, paralela ou mista (série e paralela na mesma associação).

Aterramento – Conexão elétrica que disponibiliza um referencial nulo de tensão elétrica, podendo ser por haste fincada ao solo ou por malha

Barramento – Condutor de secção transversal retangular cujas dimensões dependem da capacidade de corrente elétrica para o qual se destina.

Cabo – Condutor elétrico, isolado ou não, constituído por vários fios encadeados. Ou seja, Cabo elétrico é um feixe de fios metálicos, torcidos ou trançados, utilizado como condutor elétrico.

Capacete – Equipamento proteção individual para a cabeça

Chave de Fenda – Ferramenta manual utilizada para apertar ou desapertar parafusos de fenda.

Chave Estrela – Ferramenta manual utilizada para apertar e desapertar parafusos tipo Philips.

Chave Philips – Ferramenta manual utilizada para apertar e desapertar parafusos tipo Philips.

Chave Teste – Ferramenta utilizada para verificação de corrente elétrica em fios ou tomadas.

Cinto de Segurança – Equipamento de proteção individual obrigatório para realização de atividades em altura (planta do pé acima de 2m).

Disjuntor – Dispositivo de proteção para circuitos elétricos de atuação por sobrecarga ou curto-circuito.

Dispositivo de Proteção – Contra Surto (DPS) Dispositivo para proteger circuitos elétricos de descarga atmosféricas redirecionando o surto para o terra.

Eletrocalha – Estrutura metálica (ferragem) pela qual se distribui a fiação elétrica de modo aparente (não embutido) de uso frequente na indústria.

Eletroduto – Tubos de metal ou PVC utilizados para proteção dos condutores contra ações mecânicas e de corrosão.

Equipamento de Proteção Individual (EPI) – São quaisquer meios ou dispositivos destinados a guardar a saúde ou a segurança física de um indivíduo no exercício de sua atividade.

Escada – Objeto usado para subir em lugares altos.

Espaçador de Redes – Acessório de formato losangular ou de bastão para utilização em Redes de transmissão e de distribuição. Sua função é a separação dos cabos longo do vão, mantendo-os em uma distância segura.

Interruptor – Intermediário / Paralelo Interruptor com quatro terminais cuja função é aumentar o número de pontos de comando de uma iluminação de dois para três ou mais locais.

Interruptores – Mecanismo que serve para interromper ou iniciar um circuito elétrico.

Isolantes – Tipo de material ou componente que impede o fluxo de uma corrente elétrica pela aplicação de uma tensão.

Luva de Borracha – Equipamento de proteção individual feito de material isolante com o objetivo de aumentar a segurança quando se está realizando trabalhos em circuitos potencialmente energizados. A mesma deve estar sempre revestida com uma luva de couro para sua proteção mecânica.

Luva de Couro – Equipamento de proteção individual para as mãos quando realizados trabalhos pesados, em superfícies quentes a serviço de solda e para proteção de luvas de borracha.

Óculos de Segurança – Proteção individual para os olhos em trabalhos em que há lançamento de partículas.

Ohmímetro – Dispositivo eletroeletrônico de leitura direta, destinado à medição de resistência elétrica.

Projeto Elétrico – Representação escrita da instalação com: Plantas; Esquemas (unifilares); Detalhes de montagem, quando necessários; Memorial descritivo; Memorial de cálculo (dimensionamento de condutores, condutos e proteções); e ART.

Proteção dos Pés – Calçados de uso profissional que são conhecidos como calçados de segurança, botas de segurança, botinas de segurança e tênis de segurança.

Resistência Elétrica – Característica que possui toda substância de se opor à passagem da corrente elétrica.

Resistor – Dispositivo cuja resistência ao fluxo da corrente elétrica tem um valor conhecido e determinado.

Sensor de Presença – É um equipamento eletrônico capaz de identificar a presença de pessoas dentro de um espaço e acender a lâmpada do ambiente.

Sistema Bifásico – Circuito composto por duas fases.

Sistema Monofásico – Circuito composto por uma fase.

Sistema Trifásico – Circuito composto por três fases.

Tensão – Pressão elétrica, ou seja, a força elétrica que obriga uma corrente a fluir através de um condutor.

Tomada – Dispositivo de uma instalação elétrica, com orifícios, onde se conectam os plugs de aparelhos elétricos na intensão de energizá-los.

Unifilar – É uma representação normatizada que simplifica a apresentação dos componentes de um circuito elétrico.

Voltímetro – Instrumento fixo para painel cuja função é medir a tensão elétrica de um circuito.

 
  • Deve ser dada atenção especial à elaboração do orçamento e à determinação do valor do serviço. O empreendedor deve considerar o tamanho do lugar, os materiais utilizados, o volume de trabalho e o número de empregados necessário, fornecendo ao cliente o valor exato do serviço.
  • É preciso cautela ao manusear produtos químicos, por conta da periculosidade e de eventuais danos que alguns deles podem ocasionar, tanto ao patrimônio dos clientes como à saúde de seus empregados.
  • Não esqueça de orientar seus empregados e supervisionar o uso correto dos Equipamentos de Proteção Individual, sem abrir mão das instruções obtidas de profissionais especializados.
  • Conscientize seus empregados quanto ao uso correto do uniforme e da identificação funcional (crachá), assegurando a apresentação e a higiene pessoal adequada perante os clientes.
  • Para cultivar a boa imagem da empresa e cativar a clientela é imprescindível oferecer nota de serviços ao consumidor com garantia pelos trabalho realizado.
  • Mantenha sua equipe sempre bem treinada de acordo com a NR10, pois ela estabelece os requisitos e condições mínimas para a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos, de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores que, direta ou indiretamente, interajam com eletricidade em instalações elétricas e serviços.

Pesquisas

O empreendedor precisa estar atento ao grau de satisfação dos clientes, buscando identificar qual é a percepção deles em relação à qualidade e aos diferenciais dos serviços oferecidos. Para tanto, pode realizar pequenas pesquisas de satisfação, utilizando formulários objetivos (online ou impressos) que permitam extrair as informações desejadas. Ele também deve criar mecanismos que permitam captar ideias dos colaboradores e parceiros, além de manter uma postura aberta a qualquer observação que chegar à empresa.

 

A prestação de serviços na área de pequenas instalações e manutenção elétrica residencial e predial envolve a necessidade de conhecimentos específicos nesta área, além de conhecimento e treinamento em segurança do trabalho, principalmente nos requisitos definidos na NR10. Considerando-se, ainda, tratar-se uma prestação de serviços, em que o relacionamento com o prestador e com a empresa interfere na percepção que o cliente tem do serviço (e na decisão de compras futuras), também são necessárias características como:

  • Habilidade de comunicação e postura profissional no cumprimento de prazos e no atendimento aos clientes;
  • Conhecimentos comerciais para prospectar clientes e negociar condições de preço e prazo;
  • Capacidade de manter o ambiente de trabalho organizado.
 

COSTA, Nelson Pereira. Marketing para Empreendedores: um guia para montar e manter um negócio. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2003.

NISKIER, Julio. Manual de instalações elétricas. Editora LTC: 2005. 320 p.

LEMES JUNIOR. Antônio Barbosa; PISA, Beatriz Jackiu. Administrando micro e pequenas empresas. Rio de Janeiro : Elsevier, 2010.

 

Aproveite as ferramentas de gestão e conhecimento criadas para ajudar a impulsionar o seu negócio. Para consultar a programação disponível em seu estado, entre em contato pelo telefone 0800 570 0800.

Confira as principais opções de orientação empresarial e capacitações oferecidas pelo Sebrae:

Cursos online e gratuitos – Portal de Educação a Distância Sebrae – www.ead.sebrae.com.br

Para desenvolver o comportamento empreendedor

  • Empretec – Metodologia da Organização das Nações Unidas (ONU) que proporciona o amadurecimento de características empreendedoras, aumentando a competitividade e as chances de permanência no mercado: http://goo.gl/SD5GQ9

Para quem quer começar o próprio negócio

As soluções abaixo são uteis para quem quer iniciar um negócio. Pessoas que não possuem negócio próprio, mas que querem estruturar uma empresa. Ou pessoas que tem experiência em trabalhar por conta própria e querem se formalizar.

  • Plano de Negócios – O plano irá orientá-lo na busca de informações detalhadas sobre o ramo, os produtos e os serviços a serem oferecidos, além de clientes, concorrentes, fornecedores e pontos fortes e fracos, construindo a viabilidade da ideia e na gestão da empresa: http://goo.gl/odLojT
  • Iniciando um Pequeno e Grande Negócio – É um programa que orienta o empreendedor a organizar suas ideias e recursos e indica um roteiro com os principais aspectos a serem considerados no processo de abertura de um negócio. Como resultado, o IPGN orienta a elaboração de um plano de negócio – documento que tem como objetivo planejar detalhadamente a estruturação e abertura do negócio: https://goo.gl/0bsQZg
  • Começar Bem – Conjunto de soluções no formato de palestras, oficina, curso e outros recursos como cartilha, guia visual, aplicativo e vídeo. Acesse: http://goo.gl/hMrycK

Para quem é MEI O Microempreendedor Individual (MEI) tem faturamento anual bruto de no máximo R$ 81 mil:

  • Negócio a Negócio – Programa de atendimento e orientação empresarial. Os agentes de orientação empresarial realizam visitas a sua empresa e aplicam um diagnóstico de gestão básica. Com base neste levantamento, são sugeridas soluções para a melhoria do seu negócio: http://goo.gl/2feRHN
  • SEI (Sebrae para o Microempreendedor Individual) – Programa composto de soluções que trata de temas básicos para gestão e fortalecimento dos negócios: http://goo.gl/tbcWXi

Para quem já é empresário de microempresa Soluções para empresas com faturamento bruto anual de, no máximo, R$ 360 mil:

  • Na Medida – Programa que possui dez áreas de atuação com o objetivo de preparar o empreendedor para agarrar oportunidades e lidar com situações da gestão da empresa no dia a dia: http://goo.gl/yBamAs
  • Negócio a Negócio – Programa de atendimento e orientação empresarial. Os agentes de orientação empresarial realizam visitas a sua empresa e aplicam um diagnóstico de gestão básica. Com base neste levantamento, são sugeridas soluções para a melhoria do seu negócio: http://goo.gl/2feRHN

Para quem já é empresário de pequena empresa Soluções para empresas com faturamento bruto anual maior que R$ 360 mil e menor ou igual a R$ 3,6 milhões:

  • Sebrae Mais – Programa composto por conjunto de 16 soluções que são aplicadas conforme as necessidades da empresa. Reúne diversas modalidades de atuação, como consultoria individualizada por empresa, workshop, cursos, palestras, encontros e coaching: http://goo.gl/jVYslV

Para quem quer inovar

  • Ferramenta Canvas online e gratuita – A metodologia Canvas ajuda o empreendedor a identificar como pode se diferenciar e inovar no mercado: https://www.sebraecanvas.com/#/
  • Sebraetec – O Programa Sebraetec oferece serviços especializados e customizados para implantar soluções em sete áreas de inovação: http://goo.gl/kO3Wiy
  • ALI – O Programa Agentes Locais de Inovação (ALI) é um acordo de cooperação técnica com o CNPq, com o objetivo de promover a prática continuada de ações de inovação nas empresas de pequeno porte: http://goo.gl/3kMRUh
 

Tem um dúvida sobre a sua ideia? Experimente fazer uma pergunta para a nossa comunidade.

Explore outras ideais de negócios em sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ideias

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae

Esse é o perfil institucional do Sebrae nessa comunidade. Quer saber mais sobre o Sebrae - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas? Acesse: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/canais_adicionais/o_que_fazemos

Me siga