CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Comércio eletrônico brasileiro cresceu 43% em 2011

Comércio eletrônico brasileiro cresceu 43% em 2011

Dados do ano passado mostram que país foi responsável por 59,1% das vendas on-line na América Latina
Estudo feito pela América Economia Intelligence mostrou que o comércio eletrônico brasileiro cresceu 43% em 2011, atingindo mais de US$ 25 bilhões. Os números positivos fizeram com que o país alcançasse o posto de primeira nação latino-americana a conseguir que as vendas on-line atingissem 1% do seu Produto Interno Bruto (PIB). 
O estudo apontou o Brasil como responsável por 59,1% das vendas no comércio eletrônico na América Latina e Caribe, seguido por México (14,2%), Caribe (6,4%), Argentina (6,2%), Chile (3,5%), Venezuela (3,3%), América Central (2,4%), Colômbia (2%) e Peru (1,4%). 
(Clique no infográfico abaixo)

De acordo com Carlos Cruz, diretor do Instituto Brasileiro de Vendas (IBVendas), com o auxílio do e-commerce, as empresas têm condições de levar os seus produtos para qualquer lugar do mundo.

Por isso, ele ressalta que é importante criar estratégias específicas para vender à distância. “As companhias que investem em infraestrutura, com uma equipe comercial e de atendimento ao cliente qualificada e serviço de entrega eficiente, conseguem garantir melhores resultados ao fim do mês”, define. 

Segundo a avaliação, entre os fatores determinantes no comportamento de aquisição da população estão maior segurança e confiança no momento da compra, plataformas de negociação de canais como o social commerce (comércio por meio das redes sociais), reformas governamentais, aumento do nível de bancarização e o maior uso de meios de pagamentos eletrônicos. 
“A maioria das pessoas que realiza compras pela internet busca conforto, ou seja, procura alternativas para otimizar o tempo e evitar transtornos, como, por exemplo, fugir das filas, trânsito e shoppings lotados. Conhecendo o perfil dos consumidores, é possível adotar métodos diferenciados de atendimento e criar abordagens específicas para cada caso”, explica Carlos Cruz.  
Para o ano de 2012, é esperado que o país tenha um aumento de 26% no comércio eletrônico, para 2013 a estimativa é maior ainda, de 28,5%.

Além disso, com a popularização da internet móvel, espera-se que até 2015 os números relativos à atividade de compra sejam mais altos, pois a penetração de smartphones deverá chegar a 50%.

Fonte: E-commerce Brasil
Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae MercadosSebrae