CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Perguntar é uma funcionalidade apenas para usuários registrados.
Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

Entrar


CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Clientes são de Marte e empresários são de Vênus

Clientes são de Marte e empresários são de Vênus

Cuidado para não transformar o seu cliente em algoz; seja um parceiro da sua clientela

Acabei de voltar de mais um Encontro Sebrae 2014 de Negócios: oportunidades e finanças com uma leitura clara: mesmo na Era do Marketing de Relacionamento, temos cada vez menos senso do que o cliente realmente deseja e dos problemas pelos quais ele passa.

Esse evento faz parte de um ciclo que acontece nas 12 cidades-sede da Copa do Mundo FIFA 2014 e pretende esclarecer dúvidas sobre serviços financeiros, em um talk show mediado pela jornalista Mara Luquet, da Globo e da CBN. Além disso, aproxima vendedores de compradores, por meio de  rodadas de negócio.

Durante o talk show, que dura entre 1h e 1h30, Mara Luquet aborda pontos de interesse dos empresários que se preparam para o megaevento de 2014, como linhas de crédito, garantias, renegociação de financiamento, recompra de dívida, burocracia nas concessões de crédito e abertura de conta.

Acontece que, nesse momento, apareceu de forma clara o abismo entre o que o empresário (neste caso, as instituições financeiras) falava e o que o cliente (os  empreendedores dos segmentos de turismo, construção civil, serviços, moda e economia criativa) havia passado. Isso aconteceu em todos os eventos nos quais pude participar, seja em Brasília, seja em São Paulo, seja em Natal.

De um lado, se vendia a facilidade de abrir uma conta pessoa jurídica com apenas quatro documentos; do outro, estava o desabafo de passar por processos com mais de dois meses para serem concluídos. De um lado, a possibilidade de conseguir empréstimos de R$ 300 mil reais sem muitas garantias; de outro, a dificuldade constante em conseguir concessão de qualquer valor sem anos de relacionamento com o banco e sem garantias reais. De um lado, a crença no atendimento sempre disposto a resolver os problemas do cliente; do outro, a decepção de serem atendidos por gerentes sem qualquer comprometimento com o caso do cliente.

Relacionamento com o cliente

Há tempos, nas relações comerciais, deixaram de considerar/valorizar o fator ‘relacionamento com o cliente’ para, em contrapartida, entrarem em uma seara da automatização e padronização do atendimento. O mundo real nos mostra que não é possível haver uma relação em que todas as partes estejam satisfeitas, se não houver transparência nas ações e, bem mais que isso, parceria.

Um aviso aos clientes (empresários) presentes no ‘Encontro Sebrae 2014 de Negócios’  e que sentiram a distância entre esses dois planetas habitados por pessoas que estão o tempo todo querendo objetivos afins: quando o cliente (desta vez o consumidor) o procurar, lembre-se do abismo vivido no evento e construa uma ponte de parceria com ele!!!

Edição: Fernanda Peregrino, da F&C Comunicação e Projetos

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Pedro PessoaVerificadoSebrae

Técnico do SEBRAE Nacional

Me siga