CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Perguntar é uma funcionalidade apenas para usuários registrados.
Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

Entrar


CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Celular pode substituir carrinho nas compras

Celular pode substituir carrinho nas compras

A That One Consulting Group – empresa brasileira especializada no desenvolvimento de soluções em tecnologia – acaba de criar um sistema inédito com a ferramenta de automação GeneXus, da Artech, que pode mudar o modo de efetuar compras. A ideia é simples. Em vez de o cliente pegar e colocar os produtos no carrinho, ele apenas apontará a câmera fotográfica do celular ou tablet para a leitura do código de barras do produto. As informações serão visualizadas no aparelho e o consumidor confirmará a compra. E como o aplicativo M-Shop foi desenvolvido em GeneXus, ele apresenta flexibilidade de plataformas, sendo compatível com vários dispositivos móveis. “Escolhemos GeneXus, porque é a única ferramenta que, com um único processo de desenvolvimento, cria aplicações para várias plataformas, como Apple, BlackBerry e Android. E sabemos que rapidamente o Genexus estará pronto para gerar aplicativos para outras plataformas, como o Windows Phone, e a nossa solução estará naturalmente disponível para estas novas sem exigir maiores esforços”, explica o diretor da That One, Denis Furtado. É mais uma nova forma para fazer compras, uma opção para quem gosta de ver o objeto que está comprando, mas não quer ter o incômodo de carregar peso ou empurrar carrinhos ou ainda de enfrentar filas imensas no caixa. Além disso, o aplicativo sugerirá produtos extras para compra baseado no gosto do dono do aparelho. Comportamento Uma possível consequência que está sendo apontada por especialistas – e é benéfica para as lojas – é o aumento do consumo, já que o consumidor tende a comprar mais quando tem a experiência sensorial, ou seja, ao ver, pegar e sentir os produtos expostos na loja. E existe público potencial para esse meio de compra, já que cerca de 8% dos 200 milhões de celulares do país, ou seja, 16 milhões são smart devices e este número continua a crescer diariamente. Nos EUA já são 25% de smartphones, segundo Denis. Nesse número, não estão computados os tablets e iPod Touches. No mundo, já são mais de 16 milhões de tablets e a previsão do International Data Corporation (IDC) é que mais 45 milhões sejam comercializados em 2011. O número oficial de vendas do iPod é de 275 milhões de unidades até o final de 2010 e sabe-se que boa parte é do modelo Touch, capaz de executar as mesmas aplicações de um iPhone. E este percentual deve crescer em 2011 com os preços mais acessíveis, tanto de devices como de acesso 3G. Um número de expressão que mostra o gosto do brasileiro pela compra em meios digitais é o do e-commerce: mais de 21 milhões de consumidores acessaram uma loja online em 2009 no Brasil e o e-commerce faturou cerca de R$ 14 bilhões em 2010. Fonte: B2B Magazine

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae MercadosSebrae