CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Perguntar é uma funcionalidade apenas para usuários registrados.
Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

Entrar


CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Barreiras dos Estados Unidos às importações – Pt. 2

Conheça as barreiras não tarifárias, os produtos proibidos para importação e outras formas de impedir a entrada mercadorias usadas pelo governo norte-americano As barreiras não-tarifárias tem o objetivo de proteger a economia e a segurança do país que as aplica, bem como a saúde dos seus consumidores e o meio ambiente. Essas restrições e proibições são estabelecidas por meio de leis e regulamentos administrados por órgãos governamentais, que podem: - Proibir a entrada de determinadas mercadorias; - Limitar a entrada a alguns portos; - Requisitar certificações; - Estabelecer a necessidade de licenciamentos. A liberação da importação só será realizada quando as condições estabelecidas forem atendidas. Produtos proibidos Entre os produtos cuja importação é proibida ...

Ler mais ou responder
Barreiras dos Estados Unidos às importações – Pt.1

Acompanhe a série de posts sobre as restrições impostas pelo governo norte-americano à entrada de produtos e insumos no país. Neste, post você confere as taxas cobradas na barreira tarifária. Grande parte das importações estadunidenses está sujeita a algum tipo de barreira: tarifária; procedimentos aduaneiros; cotas; licenciamentos; subsídios; regulamentos nacionais; exigências relacionadas a certificação; e proibição de importações. Estes mecanismos visam dificultar a entrada de mercadorias nos Estados Unidos, a fim de proteger o mercado interno. As barreiras, sejam tarifárias, sejam não-tarifárias,  são medidas e instrumentos utilizados para estimular setores econômicos de cada país, impedindo o livre comércio. O território alfandegário dos Estados Unidos consiste dos 50 estados, do Distrito de Columbia e de ...

Ler mais ou responder
Siscoserv: agilidade e facilidade para as exportação de serviços

Conheça sistema do Governo Federal que apoia e controla a exportação e importação de serviços e intangíveis Os negócios de serviço e intangíveis agora conta com uma ferramenta online que facilita a exportação e a importação. É o Siscoserv – Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio, sistema informatizado desenvolvido pelo MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e a Receita Federal do Brasil. O Siscoserv funciona como ferramenta de apoio às empresas que realizam comércio exterior de serviços e intangíveis. O sistema é voltado para residentes e domiciliados no Brasil que realizam operações de comercialização de serviços e intangíveis – ...

Ler mais ou responder
O mercado internacional das flores

Algumas particularidades na produção de flores atuam para facilitar o comércio internacional, enquanto outras trazem mais desafios para produção. A flor não é um alimento, o que dispensa a implementação de um sistema de rastreabilidade, que é crescentemente exigido pelos países importadores e que traz vários desafios para a produção em pequenas propriedades. Entretanto, as barreiras à entrada na produção de flores são maiores. Necessita-se, por exemplo, de elevados investimentos iniciais e de quantidades mínimas de produção para garantir oferta constante, o que implica a necessidade de capital mínimo para iniciar a produção. Dada essas características da indústria, a formação de parcerias nesse setor é feita para conseguir garantir a confiabilidade do fornecimento, o que ...

Ler mais ou responder
Seminário destaca intercâmbio econômico-tecnológico entre Itália e Brasil

A Embaixada da Itália no Brasil promoverá amanhã, dia 13 de maio, o seminário empresarial Excelências Italianas: Tecnologias para Colaboração Ítalo-brasileira. O encontro, que acontecerá em Brasília (DF), será marcado pelo intercâmbio de experiências de mercado e inovações tecnológicas entre os dois países. A troca de conhecimento acontecerá por meio de mesas temáticas, que focarão nos setores de Design e Certificações de Interiores; Qualidade e Segurança Alimentar; Náutica Desportiva e Comercial; e Óleo e Gás. Entre as empresas italianas que já confirmaram presença estão Fincantieri, Telespazio, Saipem, Rina, Ubibanca e outras. Além delas, as empresas Azimut, de iates de luxo, e a Ferrero do setor alimentício também estão na lista. Por parte do ...

Ler mais ou responder

O Brasil figura, hoje, em quarto lugar no ranking mundial de produção e exportação de carne suína. O setor, que atua integrado por meio de entidades como a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) e a Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (ABIPECS), tem vivenciado um crescimento contínuo do consumo no mercado interno. Domesticamente, a perspectiva para este ano é positiva. A carne suína, que atrai cada vez mais o consumidor brasileiro, ainda verá o crescimento do consumo puxado pelo acontecimento da Copa do Mundo que o Brasil sediará e a consequente vinda de turistas europeus – o principal consumidor mundial – tornando esse mercado mais atraente no primeiro semestre, conforme afirma o presidente da Associação ...

Ler mais ou responder
Temperos, especiarias e molhos: oportunidades para pequenos negócios

Conforme levantamento efetuado ao longo de 2012 pela Food Service Consultoria Especializada, os temperos apresentam forte potencial de crescimento nos próximos anos, uma vez que é expressiva a valorização da gastronomia e da harmonização entre alimentos e bebidas, além da valorização de ingredientes regionais. O mercado de ervas e temperos orgânicos, por exemplo, mostra-se atualmente com uma taxa média de crescimento em torno de 30% por ano, enquanto o mercado convencional cresce a cerca de 2% ao ano. Os brasileiros aceitam bem as novidades, têm curiosidade e entusiasmo por aventuras gastronômicas com sabores diferentes dos usuais. O crescimento e o prestígio mundial da gastronomia brasileira têm contribuído muito para despertar o interesse pelos ...

Ler mais ou responder
Apicultura ganha reforço pra atuar no mercado internacional

Colmeias de abelhas representam mais que uma oportunidade de negócios. Delas são obtidos produtos como mel, própolis, pólen, cera, apitoxina, geleia real, além dos serviços de polinização. Este último desempenha altíssima relevância na agropecuária, já que cerca de 80% de tudo que é consumido no mundo é polinizado por abelhas. Em 2012, elas abandonaram as colmeias em muitos estados brasileiros e isso provocou vertiginosa queda na produção de mel do país. As alterações climáticas são citadas como uma das causas da mortalidade dessas abelhas. O resultado mais imediato foi que o Brasil perdeu cinco posições no ranking mundial de exportadores de mel – o principal produto da apicultura nacional - segundo a Associação ...

Ler mais ou responder
Inscrições para o Encomex de Jaraguá do Sul já estão abertas

A próxima edição dos Encontros de Comércio Exterior (ENCOMEX) acontecerá no dia 5 de junho em Jaraguá do Sul (SC). As inscrições estão abertas e podem ser feitas gratuitamente no site do evento. Os encontros consistem em um projeto desenvolvido pela Secretaria de Comércio Exterior (SECEX), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), com o intuito de estimular maior participação do empresariado brasileiro no comércio internacional, levando informações de relevância acerca da estrutura, do funcionamento, das regras básicas do intercâmbio comercial brasileiro, dos mecanismos de apoio à exportação, das oportunidades de negócios e contatos, contribuindo substancialmente com a divulgação da cultura exportadora. Cada edição do Encomex propicia uma ...

Ler mais ou responder

O interesse por cosméticos ecológicos tanto pelos brasileiros como pelo público de outros países cresce a olhos vistos. Entendidos como produtos que, além de conterem ingredientes naturais, observam rígidos procedimentos em sua fabricação, os cosméticos ecológicos têm despontado como um desafio positivo e proveitoso para pequenos empreendimentos. As características, as oportunidades e os desafios para esse setor no que diz respeito à fabricação de cosméticos ecológicos foram abordados com detalhes nos seguintes links: Cosméticos Ecológicos: um nicho para pequenos negócios 3 Principais desafios para fabricantes de cosméticos ecológicos Um aspecto especialmente interessante para empreendedores do ramo de cosméticos são os altos faturamentos com exportação que se tem observado nos últimos anos – um fenômeno que ilustra a demanda crescente pelos ...

Ler mais ou responder
Oportunidades para a cachaça no mercado interno e externo

A dinâmica do mercado faz com que boas oportunidades de negócios apareçam e desapareçam de tempos em tempos. O período de tempo em que as oportunidades estão surgindo, ou iniciando uma curva ascendente de crescimento, é conhecido como janela de oportunidade. Atualmente a janela de oportunidade para a cachaça brasileira está bem aberta, evidenciando perspectivas positivas, tanto no mercado interno como no externo. Um dos motivos é que, reconhecida como uma bebida exclusiva e genuinamente brasileira, a cachaça está atraindo investimentos, inclusive, estrangeiros. Um artigo recente do Valor Econômico destacou que a cachaça se tornou aposta das multinacionais no setor de destilados. Hoje essas empresas investem na compra ...

Ler mais ou responder
O que fazer e o que não fazer se você deseja ganhar mercado no exterior

[caption id="attachment_20237" align="alignright" width="300"] Foto: Felipe Rau/Estadão[/caption] Idiana Tomazelli Estadão PME Vender para fora do País não é uma atividade impossível para empresas de pequeno ou médio porte. Mas a ausência de uma cultura exportadora entre os empreendedores é uma das razões para a baixa participação desses negócios nas estatísticas de comércio exterior do Brasil. Dados recentes do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic) mostram que, em 2011, as micro e pequenas empresas (que são 99% do total no país) foram responsáveis por apenas 0,79% das exportações (pouco mais de US$ 2 bilhões). Mesmo considerando as de médio porte, essa parcela fica em 4,23% (US$ 10,8 bilhões). No total, o ...

Ler mais ou responder