CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Perguntar é uma funcionalidade apenas para usuários registrados.
Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Caiu na rede, é lucro!

Do Sebrae-SP

Em todo o mundo, mais de 100 bilhões de buscas são feitas todos os meses na web, de acordo com o Search Engine Journal, um portal dedicado a pesquisas sobre marketing. Esse é um recurso usado por 82,6% dos internautas, segundo a mesma fonte. Garantir visibilidade para esse público, portanto, é uma ótima vitrine para vender produtos e serviços.

“Quase todas as compras que as pessoas fazem pela internet hoje em dia passam antes pela página de buscas”, afirma o consultor de marketing do Sebrae-SP, Marcelo Sinelli.

Tem mais chances de conquistar esse consumidor virtual quem aparece nas primeiras posições ou na página inicial dos resultados. Existem duas maneiras de figurar em destaque. Uma delas é a modalidade paga, o chamado “link patrocinado”, como o que é oferecido pelo Google. Funciona como uma recarga de celular. Você coloca um determinado valor – digamos, R$ 500 – e a cada clique em sua página de um internauta que foi levado até ela por esse buscador, diminui um tanto dos seus créditos até zerá-los.

“O valor do clique varia de acordo com a palavra-chave, dependendo se ela é mais ou menos procurada”, explica o consultor.

Busca orgânica

A segunda maneira é a chamada “busca orgânica”. Nesse caso, você não precisa pagar nada para os buscadores, basta preparar o seu site para “atrair” a atenção deles. Para entender o processo, é necessário saber como funcionam os serviços de busca. Eles operam com robôs que navegam pela rede seguindo links e indexando as páginas em uma base de dados. Quando o usuário digita a palavra-chave para o que procura, o sistema verifica nesse acervo quais são as mais relevantes para o tema e apresenta os resultados da consulta. As páginas com maior índice de relevância ficam nas primeiras posições.

Portanto, para aparecer bem nesse ranking, deve-se trabalhar a página para que ela se mostre altamente relevante para esses robôs. Existe um método para isso: a Search Engine Optimization, ou simplesmente SEO. O processo consiste em uma série de técnicas de construção do site, que contempla desde uma URL (endereço do site) amigável à incorporação nos textos de palavras-chaves que figurem entre as mais buscadas.

Suponha que você tenha uma loja virtual de sapatos femininos e em seu site essas duas palavras apareçam apenas uma vez.

“Quando alguém buscar ‘sapato feminino’, provavelmente você aparecerá na página 200 dos resultados”, explica Sinelli. “Com um bom trabalho de SEO, poderá chegar até a primeira”, garante.

Como envolve conhecimentos técnicos específicos, Sinelli aconselha contratar uma empresa especializada em otimização. Mas, fique atento: se ela prometer colocar o seu site na primeira página do Google em uma semana, desconfie. Ela pode usar técnicas consideradas como ‘magia negra’ para acelerar o processo, correndo o risco de o Google descobrir e penalizar o seu site. “Normalmente, os resultados da otimização levam alguns meses para aparecer”, revela o consultor.

Foi o que percebeu o sócio da Qualywork, especializada em segurança do trabalho, o médico Marcelo Valeioro Garcia. Ele contratou a reformulação do portal da empresa incorporando as técnicas de SEO há um ano. “Depois disso, percebemos que aumentou a qualidade das pessoas que entram em nosso site: são aquelas que realmente estão interessadas em nossos serviços”, diz Garcia. Os resultados já começam a aparecer: o médico estima um crescimento de 30% das oportunidades de negócios geradas a partir da página da empresa na internet.

Destaque-se na web

1. Use URLs amigáveis: curtas, com palavras-chave posicionadas próximo ao nome do domínio.

2. Títulos são um dos principais itens usados pelos buscadores para considerar a relevância da
página. Além disso, são eles que aparecem na lista de resultados e podem ser decisivos para que o
usuário clique neles. Devem ser curtos, claros, atrativos e conter a palavra-chave da página.

3. Com o crescimento das redes sociais, os buscadores têm levado em conta os compartilhamentos nessas mídias para definir a relevância de páginas. Sites e blogs que não o fazem, perdem competitividade.

4. Confira ferramentas que ajudam a trabalhar com o SEO:

Ferramentas de webmasters do Google: serviço gratuito que analisa o site ou blog, oferecendo dicas de aperfeiçoamento;

SEO Master Free Scanner: ferramenta gratuita que analisa o seu site ou blog para ver como se posiciona referente aos critérios de alguns serviços de busca, como Google, Yahoo e MSN.

Texto: Jornal de Negócios – Ed. 253 – Abril/2015 (Com informações do e-book “16 erros que impedem seu site de estar na primeira página do Google”)

Imagem: erenkocyigit.com

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Comentário ( 1 )

Deixe um comentário

Sobre Sebrae MercadosSebrae