CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Perguntar é uma funcionalidade apenas para usuários registrados.
Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

Entrar


CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Branding Gastronômico: criando conexões:

Branding Gastronômico: criando conexões:

 

 

O Open Food Inovation Summit foi um grande evento online que reuniu diversos profissionais com notórios conhecimentos de diversas iniciativas gastronômicas, a programação do evento levou para o debate o futuro do alimento. A Vanessa Huguini, CEO do Food-se apresentou as tendências de comportamento que vieram para ficar: conexão e colaboração.

Já parou para pensar em como o branding gastronômico pode ajudar o empresário a se posicionar melhor e faturar ainda mais, ainda mais neste momento?

Neste cenário atual, o setor de alimentos e bebidas tem procurado ou até mesmo foi “forçado” a se desenvolver, ter novas iniciativas, se posicionar, construir ou reconstruir, tudo isso para continuar sendo uma empresa competitiva para o mercado consumidor.

O branding de uma empresa deve envolver emocionalmente e racionalmente o consumidor e na hora de reposicionar a marca gastronômica da sua empresa, algumas estratégias podem ser decisivas para alavancar o empreendimento que você gestor que está à frente, seja de um restaurante, bar, padaria, cafés confeitaria.

Neste cenário que as empresas do segmento de alimentação se encontram, com o grande uso dos aplicativos e ferramentas para divulgar seu produto e aumentar as vendas, muitos empresários estão cada vez mais ficando mais profissional, o conteúdo ficou mais aquecido, mais frequente, ganhou mais consistência, para as marcas essa revolução digital tem agregado muito tanto para as empresas como para o consumidor e é um comportamento que tende a continuar.

Aqui estão algumas iniciativas estratégicas para se reinventar neste momento:

Propósito: O posicionamento de marcas já vem sido discutido muito, o sabor que sempre foi o principal holofote de um empreendimento de alimentação fora do lar, dá espaço para o propósito. O propósito é o novo gourmet. É inegociável não ter propósito, o empresário deve buscar posicionar sua marcar muito bem nos próximos anos, por conta dessa proximidade com o cliente, essa troca que existe diariamente, os valores da marca mudaram muito durante essa pandemia e manter esse posicionamento será primordial para continuar competitivo.

Comportamento – storytelling: O consumidor tem buscado consumir e conhecer marcas cada vez mais humanizadas, mas ao mesmo tempo os clientes querem falar com alguém e não com uma marca, por isso os produtos que estão no mercado, devem contar suas histórias, da concepção, da criação das receitas, como foi a idealização desse negócio, desse produto, as pessoas querem conhecer o que está por traz daquelas empresas, as pessoas, suas histórias.

Delivery: Por mais que o delivery não seja uma novidade, diversas empresas e marcas tiveram que aprender a fazer delivery nos últimos meses, muitas delas tinham um pré-conceito de que sua comida não foi feita para ser entregue em uma moto, ou para viagem, surgiu então a necessidade de se criar novos produtos ou uma nova cozinha para poder atender neste momento de pandemia e pós pandemia, mas não somente criar estes produtos, mas de se comunicar neste canal de delivery, claro que muitos apanharam e muitos surfaram, mas é essencial o empresário compreender que delivery é um negócio dentro do seu negócio, é um complemento.

Protagonismo dos espaços: Uma tendência que veio para ficar, os espaços e experiências ao ar livre têm sido um espaço para confraternizar e passar uma sensação de segurança e ao mesmo tempo liberdade ao cliente. Mesmo pós pandemia, a empresa precisa pensar em manter ou acrescentar experiências ao ar livre em suas casas.

Colaborativo: As Dark Kitchens já são uma realidade em diversas cidades, espaços colaborativos tendem a ficar cada vez mais latentes, este momento de pandemia conseguiu unir o setor de alimentos e bebidas de uma forma única, diversas casas se juntaram não somente para tentar sobreviver, mas também para realizar projetos sociais, ajudar ao próximo em um momento de fragilidade, tudo isso foi um ganho absurdo, que não será deixado para traz. Tem muitas coisas acontecendo colaborativamente, este movimento que provoca o lado social têm sido o grande protagonista deste momento.

Observar estes movimentos de mercador, os comportamentos, sem perder a nossa essência é primordial. Comunicar para que o consumidor cliente consiga enxergar e comprar a suas verdades e autenticidade.

Beatriz Jardim da Silva

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Beatriz JardimNovo na comunidade