CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

Atrair turistas para o campo: uma opção também em tempos de Copa do Mundo

Atrair turistas para o campo: uma opção também em tempos de Copa do Mundo

 Turismo Rural_Capa

Que o futebol é uma paixão brasileira todo o mundo já sabe. Que a Copa do Mundo FIFA 2014 está gerando expectativa de um volume grandioso de turistas nacionais e estrangeiros, todo empreendedor minimamente atento também já sabe.

Porém, A Copa não se limita às cidades. Os empreendimentos rurais têm muito a ganhar nesta ocasião. Afinal, não é só em torno de arenas que os torcedores – dos mais ao menos afoitos – poderão ocupar espaços e fazer turismo. Atrair turistas para o campo é uma opção que pode sim se tornar vantajosa para a temporada da Copa do Mundo. São clientes em potencial, por exemplo, grupos de amigos que queiram aproveitar a ocasião para uma confraternização mais intimista; casais sem filhos que busquem se distanciar da grande movimentação turística; casais com filhos que queiram preservar o sossego e a segurança de crianças menores; e mesmo grandes famílias que se reúnam habitualmente por preferirem um convívio mais estreito nessas ocasiões festivas.

Não se trata de afastá-los do grande evento por que estarão afastados das cidades. Muito pelo contrário. Atividades a serem praticadas no meio rural devem sempre ser incluídas e a transmissão dos jogos poderá ser uma delas. Assim como as demais, tradicionalmente organizadas no campo, esta também precisará ser objeto de um planejamento adequado, que preveja infraestrutura tecnológica a fim de garantir a eficácia da recepção do som e da imagem, assim como a oferta de serviços agregados para engrandecer a alegria da torcida.

Nem só de futebol viverá o turista na Copa

Quando se trata de incluir atividades que constituam um motivo de visitação, é preciso delimitar o perfil dos visitantes que se quer atrair para que as mesmas integrem um rol de estímulos diverso e eficiente.

De acordo com o Ministério do Turismo – Mtur – de modo geral, os turistas desse segmento apresentam algumas características inter-relacionadas, que podem ser destacadas a seguir:

  • São moradores de grandes centros urbanos;
  • Possuem entre 20 e 55 anos;
  • São casais com filhos e/ou amigos;
  • Possuem ensino médio e/ou superior completos;
  • Deslocam-se em automóveis particulares, em um raio de até 150 km do núcleo emissor/urbano;
  • Fazem viagens de curta duração, em fins de semana e feriados;
  • Organizam suas próprias viagens ao meio rural;
  • Têm na internet e nos parentes e amigos sua principal fonte de  informação para a preparação da viagem;
  • São apreciadores da culinária típica regional;
  • Valorizam produtos autênticos e artesanais;
  • Levam para casa produtos agroindustriais e/ou artesanais.

Considerando que esses dados não são estatísticos, mas estão baseados na análise de outros estudos e em observações de profissionais do segmento, é importante ressaltar que as características apresentadas representam o segmento em seu conjunto, não sendo necessariamente encontradas em todos os casos.

Por isso, cabe ao estabelecimento realizar pesquisas específicas para entender qual o perfil do turista que visita as localidades da região, tendo em mente que este perfil representará apenas a parcela maior dos visitantes.

Quanto às atividades, devem ser prestigiados  o contato mais direto e genuíno com a natureza, a agricultura e as tradições locais. Aí podem incluir-se desde a atividades agropecuárias, que oferecem o manejo de animais, às ecoturisticas, com passeios em trilhas, observação da fauna (pássaros, borboletas, jacarés, peixes) e da flora (espécies vegetais nativas, parques), banhos de cachoeiras e rios e cicloturismo aventura.

Há também o perfil de interesse em aventura, que são as atividades recreativas e não competitivas que envolvem riscos controlados e assumidos: arvorismo, bóia-cross, rapel, tirolesa, montanhismo, mountain-bike, trekking, turismo fora de estrada. Além das atividades esportivas que compreendem os jogos e disputas competitivas, com a presença de normas definidas: corridas de moto, de bicicleta, de aventura, rali, canoagem, caça e tiro.

Não podem ficar de fora as atividades recreativas, as culturais e gastronômicas. E, por fim, quaisquer que sejam as atividades a serem planejadas, essas deverão ter total coerência com as questões de preservação ambiental, assim como deverão oferecer condição de a pessoa com deficiência alcançar e utilizar, com segurança e autonomia, as edificações e os equipamentos de interesse turístico.

Mas como nem só de futebol viverá o turista na Copa. Os estabelecimentos rurais também podem planejar estadias especialmente organizadas para receber  turistas estrangeiros que, depois dos jogos, poderão ser atraidos para outras atividades no interior dos Estados.

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae

Esse é o perfil institucional do Sebrae nessa comunidade. Quer saber mais sobre o Sebrae - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas? Acesse: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/canais_adicionais/o_que_fazemos

Me siga