CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

A pecuária orgânica brasileira

A pecuária orgânica brasileira

119b

A produção orgânica é um modelo de gerenciamento total do processo produtivo dos alimentos, que visa promover e preservar o meio ambiente, a biodiversidade, os ciclos e as atividades biológicas do solo, além de contribuir para o desenvolvimento sustentável. Dessa maneira, a produção orgânica enfatiza o uso de práticas de manejo, abrangendo a administração de conhecimentos agronômicos, biológicos e até mesmo mecânicos, excluindo a adoção de substâncias químicas ou outros materiais sintéticos.

Uma das vertentes que vem crescendo no país é a pecuária orgânica. Esse sistema produtivo prega, de acordo com a WWF-Brasil, valores de sustentabilidade ambiental, como o cumprimento obrigatório da Legislação Ambiental e do Código Florestal Brasileiro, a preservação das nascentes, das matas nas margens dos rios e nas encostas de morros, a proibição do uso de fogo no manejo de pastagens e a proibição do uso de agrotóxicos, entre outras vantagens.

Diferenças no modo de criação

Há diferenças entre o boi verde e o orgânico, pois o primeiro pode ser considerado como sinônimo de boi convencional, sendo criado em pasto nos sistemas agroecológicos, com o uso de adubos sintéticos solúveis, de antibióticos e medicamentos alopáticos permitidos. Nesse caso, a suplementação alimentar feita no confinamento se vale de plantas (milho, cana-de-açúcar, por exemplo) originadas em sistemas convencionais de produção.

Já o boi orgânico é ecologicamente correto, criado em pasto sem agrotóxicos e sem adubação química, tratado com medicamentos homeopáticos. Também necessita de certificação, que garante que ele foi, de fato, criado de acordo com todas as normas “orgânicas”, como não uso de fertilizantes industriais e inúmeras outras exigências. Para que possam obter a certificação da origem, dos cuidados e da qualidade da criação, os criadores também devem estar atentos ao bem-estar dos animais, obedecendo cuidados que envolvem o ambiente, local e o transporte para o abatedouro, que deve estar próximo das fazendas para não provocar estresse.

Um dos desafios apresentados é o desconhecimento sobre a carne orgânica em função de a pouca divulgação no Brasil, fazendo com que o seu consumo ainda seja baixo. Somente nos dias de hoje essa opção é explorada de maneira comercial, sendo que uma das prioridades é esclarecer ao consumidor sobre as vantagens do produto em relação às carnes convencionais. Eles são entendidos pela população como produtos sem agrotóxicos, mas, na verdade, possuem critérios ambientais e sociais importantes em seus sistemas produtivos.

Para saber mais sobre o assunto e suas oportunidades, acesse: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/A-pecu%C3%A1ria-org%C3%A2nica-ganha-mercado-no-Brasil

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae MercadosSebrae