CADASTRAR

Entrar


Senha perdida

Perdeu sua senha? Por favor, indique o seu endereço de e-mail. Você receberá um link e criará uma nova senha por email.

Adicionar pergunta

Você deve fazer login ou se cadastrar para fazer a pergunta.

CADASTRAR

Você pode se cadastrar gratuitamente no site. Basta clicar em CRIAR UMA CONTA e seguir o passo a passo.

A evolução do e-commerce em 2014

A evolução do e-commerce em 2014

Ecommerce7Investir na criação de marcas mais sólidas por meio de conteúdos relevantes, mobilidade, usar a inteligência proveniente do big data e buscar mão de obra realmente qualificada são alguns desafios a serem vencidos pelas empresas que desejam crescer no segmento do e-commerce em 2014.

Essa é uma síntese do que acredita Fátima Bana, executiva e consultora em estratégias e inteligência de marketing digital e offline no varejo, em artigo publicado no Webinsider.

Ela conta que participou de uma pesquisa internacional sobre o mercado online brasileiro, para uma universidade americana. “Tivemos um resultado bastante positivo e surpreendente, quando falamos sobre a integração de canais. Isso porque os grandes players têm feito uma excelente lição de casa no pós-venda, e o exemplo vem sendo seguido pelos pequenos players (guardadas as devidas proporções), o que acaba nos remetendo à necessidade da integração de canais”.

Fátima esclarece que quando fala em lição de casa está dizendo que os grandes aprenderam que existe muito mais a fazer depois da venda, do que no ato da venda propriamente dito. “Conseguimos, dentro do e-commerce, gerar experiência de compra, e isso não foi fácil”.

“Penso que um belo dia vamos nos deparar com lojas físicas, conceituais, de quase todos os grandes players do comércio eletrônico, tudo em nome de uma experiência mais completa para o cliente, sendo que o contrário já vimos acontecer com quase todos os grandes do mercado físico”.

Apesar do cenário positivo, a especialista faz um alerta: “com o aparecimento de uma grande quantidade de lojas online, também passa a existir uma preocupação com a falta da mão de obra qualificada, já que estamos na época dos especialistas no mercado digital, sem nenhuma formação, e com pouca experiência no mercado”.

Para saber mais, leia a íntegra do texto.

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Sobre Sebrae MercadosSebrae